You are on page 1of 1

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE MINIMILHO NA REGIÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO

Oliveira Faria e 2Dalcimar Regina Batista Wangen 1Graduando em Engenharia Agronômica; Fundação Educacional de Ituiutaba - FEIT; Rua Vereador Geraldo Moisés da Silva, s/n, Campus Universitário, Ituiutaba - MG, CEP 38302-192 – Bolsista PAPq; 2Professora; Fundação Educacional de Ituiutaba - FEIT; Rua Vereador Geraldo Moisés da Silva, s/n, Campus Universitário, Ituiutaba - MG, CEP 38302-192 – Bolsista PAPq
1Ighor

INTRODUÇÃO

O minimilho ou babycorn é o nome dado à inflorescência feminina na forma jovem da planta de milho, colhida antes da polinização. Presta-se para o consumo in natura ou na forma de conservas acidificadas e picles caseiros (PEREIRA FILHO et al., 2009).

Tabela 1. Caracterização química do solo da área onde estão sendo cultivadas as variedades de milho para produção de minimilho, Ituiutaba – MG, 2012
pH P K ----mg dm-3---2,9 254,8 H+Al Ca Mg Sb t T M.O. ----------------- cmolc dm-3 ------------ g kg-1 2,60 2,52 0,66 3,8 3,8 6,4 16 m V --- % --0 60

6,5

A produção de minimilho é uma atividade ainda nova no Brasil, empregando-se cultivares de milho do tipo normal, doce e pipoca (PEREIRA FILHO et al., 2009). No segmento da agricultura familiar, as variedades de milho devem ser amplamente utilizadas e recomendadas, uma vez que as sementes das variedades melhoradas são de menor custo e, com os devidos cuidados na multiplicação, podem ser reutilizadas por alguns anos, sem diminuição substancial da produtividade. São, ainda, de grande utilidade em regiões onde, devido às condições econômico-sociais e de baixa tecnologia, a utilização de milho híbrido torna-se inviável. Objetivou-se avaliar o desempenho de variedades de milho mais adequadas para a produção de minimilho na região do Triângulo Mineiro, em Minas Gerais.

P e K: Mehlich; Al, Ca, Mg: KCl 1 N; H+Al: AcCa 1 N pH 7; M.O.: Alkley-Black; Sb: soma de bases, T: CTC potencial; t: CTC efetiva; m: saturação por Al; V: saturação por bases.

Figura 1. Inflorescência de Milho no ponto de colheita

Figura 2. Espigas de minimilho parcial e completamente desempalhadas Figura 4. Foto da área experimental.

RESULTADOS PARCIAIS

O experimento está sendo conduzido. As plantas de milho estão no estádio V2 (duas folhas completamente desenvolvidas). A colheita do minimilho está prevista para o final do mês de dezembro de 2012.
Figura 3. Algumas formas de comercializar e consumir minimilho

METODOLOGIA

O experimento está sendo conduzido na Área Experimental da Fundação Educacional de Ituiutaba - FEIT/UEMG, localizada no município de Ituiutaba – MG. Antes da instalação do experimento, coletaram-se amostras de solo da área experimental para se determinar necessidade de calagem e adubação, cujo resultado está exposto na Tabela 1. Estão sendo avaliadas quatro variedades comerciais de milho (A1 Piratininga, Cati Verde 2, BRS Ângela, Al Bandeirante) e um híbrido comercial (Milho Doce). A semeadura do milho foi feita no dia 11/10/12, visando um estande de 180.000 plantas
Figura 5. Foto mostrando em detalhes plantas jovens de milho na área experimental

por hectare. O delineamento experimental é em blocos cazualizados, com quatro repetições. Cada parcela experimental consiste de cinco linhas de cultivo espaçadas de 0,80 m entre si, com quatro metros de comprimento. As espigas serão colhidas a cada três dias, quando os estilo-estigmas (“cabelos”) tiverem de dois a três dias de exposição, ponto recomendado para minimilho em conserva. Serão determinadas as seguintes características das espigas: diâmetro, REFERÊNCIAS PEREIRA FILHO, I. A.; GAMA, E. E. G.; CRUZ, J. C. Minimilho: efeito de densidade de plantio e cultivares na produção e em algumas características da planta de milho. Sete Lagoas: EMBRAPA - Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo, 1998. 4p. (EMBRAPA – CNPMS. Circular Técnica, 23). AGRADECIMENTOS Ao Programa Institucional de Apoio à Pesquisa da UEMG (PAPq/UEMG) pelas bolsas, as quais têm permitido o desenvolvimento desta pesquisa.

comprimento e massa fresca de espigas, com e sem palha. Os resultados obtidos serão submetidos à análise de variância, sendo as médias dos tratamentos comparadas entre si pelo teste de Tukey a 0,05 de significância.