Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof.

Jorge Marques dos Anjos

Aula 6 Plainas e Aplainamentos

Plaina Limadora • Plaina Limadora é uma máquina-ferramenta que executa o processo de usinagem chamado Aplainamento. mas de grande utilidade quando se deseja a obtenção de peças planas. • É uma das mais simples máquinas ferramentas. .

. 4 – cabeçote da espera: Permite ajuste de altura 5 – o porta-ferramenta 6 – mesa: na qual a peça é fixada. permite movimentos de avanço e ajuste.Órgãos da Plaina Limadora 1 – corpo 2 – base 3 – cabeçote móvel ou torpedo: se movimenta longitudinalmente com velocidades variadas.

conforme a ilustração abaixo .Tipos de Plainas Limadoras As plainas limadoras podem ser de movimento horizontal (ilustrada no slide anterior) ou vertical.

como: • Rasgo de chaveta • Perfis internos variados .Tipos de Plainas Limadoras As plainas limadoras verticais são especialmente úteis no aplainamento de superfícies internas.

mesa .corpo 2.Plaina de Mesa 1.coluna 3.peça 6.ponte 4.cabeçotes portaferramentas 5.

Operações de Aplainamento • O Aplainamento consiste no desbaste de peças que se deseja deixar uma ou mais superfícies planas. .

• Movimentos: – A plaina apresenta movimentos de três tipos durante sua operação: O movimento principal. o de ajuste e o de avanço • a-b: principal – a: curso útil – b: curso vazio • c: avanço • d: ajuste .Aplainamento • Procedimento normalmente realizado a seco (baicas velocidades).

• Já as ferramentas de acabamento possuem como propósito produzir uma superfície aplainada com o melhor acabamento possível. O gume (aresta de corte) é escolhido de acordo com o procedimento a ser realizado na peça.Aplainamento Ferramentas de corte: • São normalmente fabricadas de aço rápido. . é por esse motivo que seus gumes são chatos ou arredondados. • As ferramentas de desbaste têm como finalidade remover a maior quantidade de cavaco possível no menor espaço de tempo.

Ferramentas .

Aplainamento Velocidades de corte Durante uma operação na plaina sua velocidade de corte não é constante devido a seus mecanismos de acionamento. . Por esse motivo devese trabalhar com velocidades médias(comprimento do curso/tempo).

L. • ou então é encontrada pela equação: Vc = 2.Aplainamento • A velocidade de corte é normalmente encontrada em tabelas fornecidas pelos fabricantes da máquina. L=l+la+lp .n Onde L = extensão do curso n = numero de cursos duplos/unidade de tempo = rotação da manivela por unidade de tempo.

.Aplainamento Avanço e profundidade de corte Para desbaste recomenda-se uma profundidade de corte de 3 a 5 vezes maior do que o avanço e no acabamento ambos devem ser reduzidos.

𝑡 𝐵 𝑍 = + 2 𝑎 . 𝑇 = 𝑍.Aplainamento Tempo de aplainamento: Onde T = tempo de aplianamento Z = número de cursos duplos necessários t = 1/n = tempo de um curso duplo a = avanço B = largura da peça Os 2 avanços adicionados são os de entrda e saída da peça.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful