You are on page 1of 15

Terry Barrett, Criticizing Art

T. Barret pensa a Obra de arte segundo 3 níveis:

-

Tema / Conteúdo (personagens, objectos, lugares, acontecimentos na obra)
Medium (a prática artística, os materiais predominantes, as técnicas, etc.)

-

- Forma

escala. linha. proporção. unidade interna. dimensão espacial. massa. volume. .Configuração formal da obra: o modo como na obra se articulam diferentes modelos numa construção visual. repetição. luminosidade. forma. . etc. . etc. textura.Forma a) .traço. ritmo. cor.composição.

o “modo” .Forma b) • Numa dada obra um destes elementos pode ganhar preponderância: • • .arte conceptual – preponderância do conteúdo No interior de uma dada tradição (onde o tema e a forma não são objecto de questionamento). a forma pode ser o elemento determinante na avaliação de uma obra.expressionismo abstracto – existe tema? .

1917. Museum of Art) . réplica. 1950 (Philadelphia. PA. urinol de porcelana.Marcel Duchamp: Fonte.

1983 .Bruce Nauman (1941) : Human/Need/Desire. 1.40×0.80×2. neon.65 m.

.são construções retóricas que visam persuadir. . .a interpretação não é exterior à obra- b) Interpretações críticas são argumentos de carácter persuasivo.Terry Barrett. princípios de interpretação: a) As obras de arte têm (ou são) um sentido que exige interpretação.

profundidade e rigor. mas da sua riqueza. .Terry Barrett. princípios de interpretação: c) Algumas interpretações são melhores do que outras. .mas serem melhores ou piores não é função da sua verdade. coerência. .é possível que algumas sejam erradas.

.Terry Barrett. . .o acto crítico não pode separar experiências subjectivas da existência factual da obra. . não se reduz a ela.a experiência/formação do crítico deve estar ao serviço da obra e não o inverso. e) A experiência (o sentimento) subjectiva é um guia para a interpretação. princípios de interpretação: d) As boas interpretações dizem mais acerca da obra do que acerca do crítico.se a arte só existe enquanto experiência subjectiva.

princípios de interpretação: f) Podem existir distintas e contraditórias (boas) interpretações.Terry Barrett. ? ? ? .

Cera de abelha . 1992. (1954): Tale.Kiki Smith.

do ponto de vista do leitor. . . a pluralidade de interpretações (com as quais concorda ou não) deve constituir um instrumento de aprofundamento da experiência da obra. princípios de interpretação: g) Nenhuma interpretação esgota uma obra de arte. h) O sentido de uma obra de arte pode variar (e varia) consoante o receptor.Terry Barrett.

Terry Barrett. princípios de interpretação: i) As interpretações são função de uma dada cosmovisão ou / e de uma teoria da arte.evitar a sobre ou sub valorização de uma obra em função do autor. . . l) Os objectos de interpretação são as obras e não os autores.interpretar é ler uma dada realidade através do conjunto de instrumentos conceptuais à disposição do crítico. .evitar o determinismo biográfico. . j) Uma obra de arte não corresponde necessariamente à intenção do autor.

exige-se ao crítico a formação adequada ao reconhecimento desse mundo.Terry Barrett. princípios de interpretação: m) As interpretações críticas devem pôr em evidência o melhor das obras. . acerca do mundo no qual emergem. -? n) Todas as obras de arte são. . em parte.

p) Todas as obras de arte são. (dimensão auto-referencial das obras de arte) . acerca de outra arte. acerca de si mesmas. a obra só ganha sentido se articulada com o todo de outras obras. em parte. . princípios de interpretação: o) Toda a arte é. em parte.como realidade complexa.Terry Barrett.

princípios de interpretação: q) Uma interpretação é uma tarefa comunitária e a comunidade é em si mesma auto-correctora. .Terry Barrett. (visão optimista do mundo da arte: as boas interpretações ou as boas avaliações tendem a prevalecer sobre as más ou as incorrectas) r) As boas interpretações suscitam a apetência para a nossa própria experiência e interpretação da obra.