You are on page 1of 24

INTERVENÇÃO NA PROPRIEDADE

Aline Salles

SERVIDÃO ADMINISTRATIVA
• ÔNUS REAL – DIREITO REAL DE USO EM FAVOR DO ESTADO • SOBRE BEM PARTICULAR • UTILIZAÇÃO PÚBLICA • ART. 40, DEC-LEI 3364/1941 • INSTITUIDOPOR ACORDO ADMINISTRATIVO OU SENTENÇA JUDICIAL • INDENIZAÇÃO FACULTATIVA PRÉVIA- POR DANOS OU PREJUÍZO • PERMANENTE – EXCEPCIONALMENTE POR EXTINGUIR

5º.REQUISIÇÃO ADMINISTRATIVA • SITUAÇÃO DE PERIGO IMINENTE TRANSITÓRIO • BENS MÓVEIS. AUTO-EXECUTÓRIO . XXV da CB/1988 • REQUISIÇÃO CIVIL OU MILITAR • INDENIZAÇÃO FACULTATIVA ULTERIOR – SE HOUVER DANO • DECRETADA DE IMEDIATO. IMÓVEIS E SERVIÇOS DE PARTICULARES • Art.

TRANSITÓRIO • BENS IMÓVEIS • ATO PRÉVIO E AUTO-EXECUTÓRIO • INDENIZAÇÃO FACULTATIVA PRÉVIA – SE HOUVER DANO • EXTINÇÃO COM A CONCLUSÃO DA OBRA OU SERVIÇO .OCUPAÇÃO TEMPORÁRIA • APOIO À EXECUÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS PÚBLICOS .

NEGATIVAS OU PERMISSIVAS • PARA CONDICIONAR A PROPRIEDADE À FUNÇÃO SOCIAL – PODER DE POLÍCIA • GRATUITA • POR MEIO DE LEI OU REGULAMENTO DE ENTES FEDERATIVOS .LIMITAÇÕES ADMINISTRATIVAS • IMPOSIÇÃO DE CARÁTER GERAL • BENS MÓVEIS OU IMÓVEIS OU ATIVIDADES • OBRIGAÇÕES POSITIVAS.

NEGATIVAS E DEVER DE SUPORTAR INDENIZAÇÃO FACULTATIVA – DESAPROPRIAÇÃO INDIRETA • • • • • • . 216.TOMBAMENTO • • • • LIMITAÇÃO? SERVIDÃO? TIPO PRÓPRIO? BENS MÓVEIS OU IMÓVEIS (INDIVIDUAIS OU ÁREAS) PARA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO NACIONAL BRASILEIRO PODE SER DOS 3 ENTES FEDERATIVOS – LEGISLAÇÃO E POSTERIOR ATO DO EXECUTIVO ART. §1º CB/1988 DEC-LEI 25/1937 VOLUNTÁRIO OU COMPÚLSÓRIO PROVISÓRIO OU DEFINITIVO (INSCRIÇÃO NO REGISTRO DE IMÓVEL) EFEITOS:OBRIGAÇÕES POSITIVAS.

ressalvados os casos previstos nesta Constituição” • Utilidade ou necessidade pública .Lei 4132/62 . XXIV: “A lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública. 5º. mediante justa e prévia indenização em dinheiro. ou por interesse social. art..Decreto-lei 3365/41 • Interesse social .DESAPROPRIAÇÃO • Supressão da propriedade privada pelo Estado • CF.

243 • COMPETÊNCIA PARA LEGISLAR: CF/88.desapropriação. Art.DESAPROPRIAÇÃO • EXCEÇÕES À REGRA GERAL DA PRÉVIA E JUSTA INDENIZAÇÃO EM DINHEIRO: – Desapropriação urbanística sancionatória . Lei 8. 184. art. Art. 182. Art. §4º.CF/88. 3º Lei 3365/41 . 22 “Compete privativamente à União legislar sobre: II . 8º – Desapropriação rural de imóvel que descumpre função social .CF/88.629/93 e LC 76/93 – Desapropriação confiscatória .CF/88. III c/c Lei 10257/2001.” • COMPETÊNCIA PARA DECLARAR: TODOS OS ENTES FEDERADOS • COMPETÊNCIA PARA EXECUTAR: TODOS OS ENTES DA FEDERAÇÃO. Art. ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA E DELEGATÁRIOS – art.

Municípios. Distrito Federal e Territórios.. Art. em qualquer caso. e os dos Municípios pelos Estados. pelos Estados. constante de lei ou contrato.Desapropriação por utilidade pública Decreto-lei 3.. ao ato deverá preceder autorização legislativa. Distrito Federal e Territórios poderão ser desapropriados pela União. (. 2o Mediante declaração de utilidade pública. mas.365/41 Art. 3o Os concessionários de serviços públicos e os estabelecimentos de caráter público ou que exerçam funções delegadas de poder público poderão promover desapropriações mediante autorização expressa. Municípios. .) § 2o Os bens do domínio dos Estados. todos os bens poderão ser desapropriados pela União.

i) a abertura. d) a salubridade pública. 5o Consideram-se casos de utilidade pública: a) a segurança nacional. h) a exploração ou a conservação dos serviços públicos. conservação e melhoramento de vias ou logradouros públicos. a execução de planos de urbanização. casas de saúde.Casos de utilidade pública Art. seu abastecimento regular de meios de subsistência. com ou sem edificação. higiênica ou estética. e) a criação e melhoramento de centros de população. c) o socorro público em caso de calamidade. as obras de higiene e decoração. a construção ou ampliação de distritos industriais. g) a assistência pública. estações de clima e fontes medicinais. para sua melhor utilização econômica. o parcelamento do solo. clínicas. b) a defesa do Estado. f) o aproveitamento industrial das minas e das jazidas minerais. . das águas e da energia hidráulica.

o) a reedição ou divulgação de obra ou invento de natureza científica.Casos de utilidade pública j) o funcionamento dos meios de transporte coletivo. isolados ou integrados em conjuntos urbanos ou rurais. ainda. n) a criação de estádios. l) a preservação e a conservação adequada de arquivos. bem como as medidas necessárias a manter-lhes e realçar-lhes os aspectos mais valiosos ou característicos e. aeródromos ou campos de pouso para aeronaves. a proteção de paisagens e locais particularmente dotados pela natureza. p) os demais casos previstos por leis especiais . monumentos comemorativos e cemitérios. m) a construção de edifícios públicos. artística ou literária. k) a preservação e conservação dos monumentos históricos e artísticos. documentos e outros bens moveis de valor histórico ou artístico.

sem prejuízo da ação penal. em caso de oposição. cumprindo. 8o O Poder Legislativo poderá tomar a iniciativa da desapropriação. podendo recorrer. 6o A declaração de utilidade pública far-se-á por decreto do Presidente da República. ficam as autoridades administrativas autorizadas a penetrar nos prédios compreendidos na declaração. Àquele que for molestado por excesso ou abuso de poder. . ao Executivo. praticar os atos necessários à sua efetivação. Governador. neste caso. Art. 7o Declarada a utilidade pública. Art. ao auxílio de força policial. Interventor ou Prefeito. cabe indenização por perdas e danos.Procedimento da desapropriação por utilidade pública Art.

cujo valor não inclui na indenização (STF. sob pena de não serem indenizáveis (art. L 4132/62) • Indicação do estado em que se encontra o bem.• Permissão às autoridades públicas para penetrar no prédio. inclusive com força policial. se necessário • Início da contagem do prazo de caducidade do ato declaratório – 5 anos para declaração de utilidade pública (art. DL 3365/41) . 26. §1º.licenciamento de obra. 3º. 10 DL 3365/41) – nova declaração depois de 1 ano – 2 anos para declaração de interesse social (art. para fins de indenização => realização de benfeitorias úteis só com prévia autorização. Súmula 23) CONSEQUÊNCIAS DA DECLARAÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA OU INTERESSE SOCIAL .

O juiz indicará na sentença os fatos que motivaram o seu convencimento e deverá atender. e à valorização ou depreciação de área remanescente.Fase executória • Desapropriação “amigável”: partes chegam a um acordo sobre a indenização na via administrativa • Desapropriação judicial: poder público ou o seu delegatário ingressa em juízo para que esse determine o valor da indenização • VALOR DA INDENIZAÇÃO – DECRETO-LEI 3365/41. ao valor venal dos da mesma espécie. 27. à estimação dos bens para efeitos fiscais. ao preço de aquisição e interesse que deles aufere o proprietário. especialmente. “ . à sua situação. “Art. nos últimos cinco anos. estado de conservação e segurança. pertencente ao réu.

CONTROLE JUDICIAL Art. . no processo de desapropriação. 20. qualquer outra questão deverá ser decidida por ação direta. 9o Ao Poder Judiciário é vedado. A contestação só poderá versar sobre vício do processo judicial ou impugnação do preço. decidir se se verificam ou não os casos de utilidade pública. Art.

DESMERECE-SE.TENDO EM CONTA O INTERESSE PUBLICO. . III. A FINALIDADE. A DESAPROPRIAÇÃO.SE A FINALIDADE REFERIDA NO DECRETO EXPROPRIATORIO E FRAUDADA. E VEDADO A ADMINISTRAÇÃO DESAPROPRIAR PARA CONSTRUÇÃO DE IMOVEIS SEM ESPECIFICAR A PERSEGUIÇÃO DO INTERESSE PUBLICO. RESIDE O FREIO A DISCRICIONARIEDADE POR ISSO QUE A DECLARAÇÃO DE UTILIDADE PUBLICA TERA DE INDICAR.RECURSO PROVIDO E REMESSA DOS AUTOS AO PRETORIO EXCELSO. DESAPROPRIAÇÃO. PODE E DEVE ELE ESCANDIR OS ELEMENTOS QUE INDICAM A LEGITIMIDADE DO ATO BEM COMO A FINALIDADE POIS. REsp 1225-ES ADMINISTRATIVO. I. E DIZER. II. O FIM A QUE SE DESTINA A EXPROPRIAÇÃO.CONQUANTO AO JUDICIARIO SEJA DEFESO INCURSIONAR SOBRE A OPORTUNIDADE E CONVENIENCIA DE DESAPROPRIAÇÃO. . POR SI PROPRIA. IV. PRECISAMENTE. INOCORRENCIA. AI. FINALIDADE SOCIAL.STJ.

Se o expropriante alegar urgência e depositar quantia arbitrada de conformidade com o art. 15. valendo a sentença como título hábil para a transcrição no registro de imóveis. [atual 802 CPC] Art. observado o processo estabelecido no art. em favor do expropriante. do arbitrado ou do fixado pela sentença. Art. à disposição do juiz da causa. poderá levantar até 80% (oitenta por cento) do depósito feito para o fim previsto neste e no art. O depósito do preço fixado por sentença. ainda que discorde do preço oferecido. 34. mandado de imissão de posse. Art. 15. expedir-se-á.IMISSÃO PROVISÓRIA NA POSSE DECRETO-LEI 3365/41. . § 2º O desapropriado. 29. 33. é considerado pagamento prévio da indenização. o juiz mandará imiti-lo provisoriamente na posse dos bens. 685 do Código de Processo Civil. Efetuado o pagamento ou a consignação.

Súmula 164 .STF “NO PROCESSO DE DESAPROPRIAÇÃO. SÃO DEVIDOS JUROS COMPENSATÓRIOS DESDE A ANTECIPADA IMISSÃO DE POSSE. ORDENADA PELO JUIZ.” . POR MOTIVO DE URGÊNCIA.

julgada procedente. sem observância dos requisitos da de utilidade pública e da indenização prévia • Art. resolver-se-á em perdas e danos. . Qualquer ação.Desapropriação indireta • Fato administrativo pelo qual o Estado se apropria de bem particular. não podem ser objeto de reivindicação. DL 3365/41. uma vez incorporados à Fazenda Pública. Os bens expropriados. 35. ainda que fundada em nulidade do processo de desapropriação.

OS JUROS COMPENSATORIOS. NA DESAPROPRIAÇÃO INDIRETA. CALCULADOS SOBRE O VALOR DA INDENIZAÇÃO. CORRIGIDO MONETARIAMENTE.STJ • Súmula 114 . . INCIDEM A PARTIR DA OCUPAÇÃO.

não tiver o destino para que se desapropriou. caberá ao expropriado direito de preferência. 519. Se a coisa expropriada para fins de necessidade ou utilidade pública.” Em caso de tredestinação lícita. ou por interesse social.Retrocessão • Código Civil “Art. ou não for utilizada em obras ou serviços públicos. pelo preço atual da coisa. não cabe retrocessão .

.

URBANAS. EDIFICAR OU UTILIZAR – MAJORAÇÃO DA ALÍQUOTA POR 5 ANOS (MAX.ESTATUTO DA CIDADE – LEI 10257/2001 • PARCELAMENTO. ALÉM DO PLANO DIRETOR – IMÓVEL NÃO EDIFICADO.LEI ESPECÍFICA. DOBRO CADA ANO. CULTURAL (PREVISÃO EM LEI) – NOTIFICAÇÃO AO MUNICÍPIO PARA MANIFESTAÇÃO DO INTERESSE DE COMPRA EM 30 DIAS (SE VENDER PARA PARTICULAR.PREFEREÊNCIA PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL OBJETO DE ALIENAÇÃO ENTRE PARTICULARES – NECESSIDADE DE ÁREAS PARA FINALIDADES SOCIAIS. APRESENTAÇÃO AO MUNICÍPIO DO INSTRUMENTODE ALIENAÇÃO) . EDIFICAÇÃO OU UTILIZAÇÃO COMPULSÓRIA .DE 1 ANO PARA PROTOCOLO DE PROJETO + 2 ANOS PARA INÍCIO DAS OBRAS • IPTU PROGRESSIVO – SE NÃO PARCELAR. AMBIENTAL.PROIBIÇÃO DE ISENÇÕES OU ANISTIA • DIREITO DE PREEMPÇÃO . ATÉ 15% DO VALOR DO IMÓVEL) .SUBUTILIZADO OU NÃO UTILIZADO – NOTIFICAÇÃO AVERBADA NO REGISTRO DO IMÓVEL – PRAZO MIN.

ART. 173. DUMPING • CONTROLE DE ABASTECIMENTO • TABELAMENTO DE PREÇOS • CRIAÇÃO DE EMPRESAS ESTATAIS – CF/88.INTERVENÇÃO NO DOMÍNIO ECONÔMICO • MONOPÓLIO – PREVISÃO NA CONSTITUIÇÃO • REPRESSÃO AO ABUSO DO PODER ECONÔMICO – CF/88. CARTEL. ART. 173 . §4º TRUSTES.