PILHAS
•Se se imerge dois metais diferentes em um eletrólito, manifesta-se entre os dois metais uma d.d.p. cujo valor depende unicamente de sua natureza e da do eletrólito (e não de suas dimensões). •Na pilha efetuam-se reações químicas com desenvolvimento de energia sob forma de energia elétrica. •Com a aplicação do princípio supraenunciado, podem-se construir pilhas com outros pares metálicos emersos em um eletrolíto, fornecendo diferentes valores de f.e.m., em função dos metais associados.

Experimento original de Volta .PILHA DE VOLTA ALESSANDRO VOLTA (1745-1827). Professor de Física da Universidade de Pavia. Físico italiano. tendo-se tornado professor da Universidade de Paris. Napoleão convidou-o a prosseguir as suas experiências sobre eletricidade em França. em 1800 inventou a pilha elétrica constituída por chapas de prata e zinco separadas por discos de feltro embebidos em água salgada.

separados por uma placa de porcelana porosa. temos: Zn ® Zn2+ + 2e.(oxidação) Desse modo. Considerando-se que o zinco. a chapa de zinco "solta" elétrons para o circuito externo (dizemos. montagem esquemática . então.PILHA DE DANIELL No diagrama existem dois compartimentos. chamados MEIASCÉLULAS. neste caso. existe uma chapa de zinco mergulhada em solução aquosa de ZnSO4 . No compartimento da esquerda (meia-célula do zinco). que a chapa de zinco é o eletrodo negativo ou anodo). tem uma tendência espontânea para perder elétrons.

PILHA DE DANIELL No compartimento da direita (meia-célula do cobre). que se torna positiva (dizemos. que a chapa de cobre é o eletrodo positivo ou catodo ). temos: Cu2+ + 2e. tem uma tendência espontânea para receber elétrons. existe uma chapa de cobre mergulhada em solução aquosa de CuSO4. neste caso. então. através da chapa de cobre. considerando-se que o Cu2+. montagem esquemática . Cu (redução) desse modo o Cu2+ "captura" elétrons do circuito externo.

a chapa de cobre aumentou devido à deposição de cobre e as concentrações das soluções se alteraram. . podemos dizer que a pilha ou a célula eletroquímica é um dispositivo que transforma energia química em energia elétrica. Após certo tempo de funcionamento da pilha. notamos que a chapa de zinco está corroída.PILHA DE DANIELL A porcelana porosa deve impedir a mistura das duas soluções. de modo que o redutor "entrega" elétrons ao oxidante através de um circuito externo (fio). Isso é conseguido. mas deve permitir a passagem dos íons que estão sendo atraídos ou repelidos pelas forças elétricas. por meio de uma reação de oxi-redução. Tudo isso é conseqüência da própria reação geral de funcionamento da pilha: Resumindo. com o oxidante e o redutor separados em compartimentos diferentes.

No centro se encontra um vaso poroso de porcelana contendo o eletrodo positivo. desenvolvida pela pilha de Bunsen é de cerca de 1.m. A f. . constituído de uma haste de carbono.e. de forma circular. de zinco.9 V.PILHA DE BUNSEN A pilha de Bunsen é constituída de um vaso de vidro contendo ácido sulfúrico diluído e o eletrodo negativo. mergulhada em ácido nítrico concentrado (despolarizante).

m. com duas placas de carbono de retorta. imersas e separadas por uma placa de zinco amalgamada (eletrodo negativo).e. . gerada pela pilha de Grenet é de cerca de 2V. A f.PILHA DE GRENET A pilha de Grenet é constituída de um vaso de vidro contendo ácido sulfúrico diluído (ácido excitador) e bicromato de potássio (líquido despolarizante).

. constitui em conjunto com a barra de grafite o eletrodo positivo e a pasta de NH4Cl mais o eletrodo de Zn constituem o eletrodo negativo.PILHA DE LECLANCHÉ O MnO2 triturado e mesclado com o carvão.

PILHA DE LECLANCHÉ .

PILHA DE LECLANCHÉ .

.

Essas baterias apresentam características pouco usual de envolver em ambos os eletrodos o mesmo elemento químico. quando o físico francês Raymond Gaston Planté construiu o primeiro sistema recarregável.ACUMULADORES A história dos acumuladores começou em 1859. . formando a base para as baterias secundárias chumbo/ácido usadas até hoje.

m. não é possível obter f. . enquanto as superfícies das duas placas de chumbo imersas no ácido sulfúrico recobrem-se de um véu de PbSO4.ACUMULADOR DE CHUMBO Um acumulador de chumbo é preparado imergindo duas placas de chumbo em um vaso contendo H2S04 diluído. Na solução se liberam cátions H+ e ânions SO4-2. Nestas condições. do aparelho porque os dois metais imersos no eletrólito são químicamente iguais entre si.e.

segundo a reação: PbSO4 + SO4 + 2H20 PbO2 + H2SO4 com a formação de bióxido de chumbo de cor vermelho tijolo. . tem-se: a) No ânodo (+) os ânions SO4-2 cedem suas cargas negativas e se combinam com a água e com o PbSO4 de que é recoberta a placa positiva.CARGA DE UM ACUMULADOR DE CHUMBO Se ligarmos as duas placas de chumbo a um gerador de corrente contínua.

tem-se: b) No cátodo (-) os cátions (H+) cedem sua carga positiva e reagem com o PbSO4 de que é recoberta a placa negativa. de cor cinza claro.CARGA DE UM ACUMULADOR DE CHUMBO Se ligarmos as duas placas de chumbo a um gerador de corrente contínua. . segundo a reação: PbSO4 +H Pb + H2SO4 com a formação de chumbo metálico.

. obtém-se. . estabelece-se nos terminais do acumulador uma tensão de repouso de aproximadamente 2 V.M.E.CARGA DE UM ACUMULADOR DE CHUMBO Mediante a eletrólise. duas placas metálicas químicamente diferentes entre si. entre as quais. portanto. aparece uma F. O processo de carga é verificado principalmente pela densidade da solução da bateria. sendo que após retirada.

No processo de descarga. começa a se descarregar. o acumulador se comporta como uma pilha. sendo que o sentido da corrente é oposto ao sentido de corrente de carga.DESCARGA DE UM ACUMULADOR DE CHUMBO Quando o acumulador carregado é ligado ao circuito de consumo. a) Reação química no ânodo: Pb + H2 + H2SO4  PbSO4 + H2O b) Reação química no cátodo: Pb + SO4  PbSO4 .

Finalmente. . todo o conjunto é disposto em um recipiente formado de material isolante.PLACAS As placas positivas e as placas negativas (intercaladas entre si de modo a alternar regularmente as polaridades) são ligadas á respectiva régua de chumbo.

• O eletrodo negativo desses acumuladores é constituído de placas planas de aço niquelado. em forma de caixas finas retangulares de paredes perfuradas. para constituir a placa. ao invés de ácido. dispostos sob pressão em um painel de aço. . perfurado. • O eletrodo positivo pode ser constituído tanto de placas planas como o eletrodo negativo como de tubos de aço niquelado. contendo em seu interior a matéria ativa. são acumuladores de eletrolito alcalino.ACUMULADORES DE NÍQUEL • Acumuladores alcalinos de ferro-níquel.

As reações químicas consistem de oxidações e sucessivas reduções da matéria ativa.ACUMULADORES DE NÍQUEL •A matéria ativa para as placas positivas é formada de pós prensados de hidróxido de níquel. descarga Fe  2 Ni(OH) 3  Fe(OH)  2  2 Ni(OH) 2 carga . somente toma parte a matéria ativa e não o eletrólito. enquanto as placas negativas contêm pós de : Ferro (acumulador de ferro-níquel) Cádmio (acumulador de cádmio-níquel). •Nas reações químicas.

constituição específica dos 7 tipos de pilhas mais comercializados .

. + En-1 +En •A resistência interna equivalente (Req) é igual à soma das resistências elétricas internas de cada gerador: req = r1 + r2 +. •A força eletromotriz equivalente (Eeq) igual à soma das forças eletromotrizes dos geradores: Eeq = E1 + E2 + ... o terminal positivo de um gerador é conectado ao terminal negativo do outro. . sendo que os geradores funcionam como um gerador equivalente. cuja força eletromotriz é maior..LIGAÇÃO DE GERADORES ELÉTRICOS Características da Associação em Série •Na associação em série. + rn-1 + rn •a mesma intensidade da corrente elétrica que atravessa todos os geradores.

•A força eletromotriz equivalente igual à força eletromotriz de cada gerador: Eeq = E1 = E2 = E3 = . •A resistência interna equivalente menor que a resistência interna de qualquer gerador da associação: 1/ Req = 1 / R1 + 1 / R2 + 1 / Rn-1 + 1 / Rn .LIGAÇÃO DE GERADORES ELÉTRICOS Características da Associação em Paralelo •Por agrupar geradores de mesma força eletromotriz.. a durabilidade dos geradores... aumentando assim. a associação em paralelo traz uma vantagem sobre associação em série: diminui a dissipação da potência elétrica por efeito Joule.