Óptica Ondulatória

Interferência: Thomas Young
Experimento de Young. A luz da fonte F, ao passar pelos orifícios, dá origem a duas fontes de luz, F1 e F2 idênticas, produzindo no anteparo A a configuração de interferência mostrada na foto. Gráfico da intensidade da luz que atinge o anteparo em função da posição y, junto ao máximo central. As figuras de interferência assim obtidas, compostas de faixas claras e escuras, conhecidas como franjas de interferência.

a  distância estre as fendas   compriment o de onda n  número inteiro correspond ente à ordem de cada franja, a partir da origem. y  posição correspond ente a cada franja clara x  distância do plano das fendas ao anteparo

n sen  a

nx y  a

Observação
O fenômeno de interferência não é gerado apenas por fendas duplas. Aparece, com diferentes configurações, também com fendas múltiplas, películas de diferentes espessuras, como nas bolhas de sabão ou finíssimas camadas de ar, entre dois meios transparentes, como nos anéis de Newton.

Anéis de Newton

dd Efeitos devidos à difração da luz: franjas claras e escuras contornam a figura da gilete ; franjas claras e escuras projetadas num anteparo produzidas por um feixe de luz que atravessa uma fenda estreita horizontal. A situação mais simples que podemos estudar é a difração produzida por um feixe de luz monocromática que atravessa uma fenda estreita, conhecida como Difração de Fraunhofer.

n sen  b

Redes de Difração
As redes de difração são pequenos anteparos com milhares de linhas paralelas muito próximas entre si, como se fossem micropersianas, vertical ou horizontal, com as linhas igualmente espaçadas entre si. Quando a luz passa em cada fenda, correspondente ao intervalo entre duas linhas sucessivas, ocorre difração. Existindo milhares de fendas, ocorrem milhares de difrações, por isso esse dispositivo se chama rede de difração. Como as fendas estão extremamente próximas, ocorre também interferência entre os raios de luz difratados. Assim, o efeito produzido no feixe de luz que atravessa uma rede de difração resulta da superposição dos efeitos da difração em cada fenda com a interferência entre essas difrações.

Redes de difração por reflexão

CD

Polarização

Exercícios
01. (Ufsm) A interferência da luz na experiência de Young mostra a luz a) tem comportamento ondulatório. b) tem comportamento de partícula. c) é uma onda longitudinal. d) tem comportamento eletromagnético. e) é completa de fótons.
02. (Ufsm) Os efeitos de ............... e ............... ocorrem com todos os tipos de ondas, sejam elas mecânicas ou eletromagnéticas. Esses efeitos, em geral, são independentes do fato de as ondas serem longitudinais ou transversais. No entanto, a ............... só ocorre com ondas transversais, como as eletromagnéticas. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas. a) difração - polarização – interferência b) difração - interferência - polarização c) polarização - refração – interferência d) reflexão - refração - difração e) difração - polarização - reflexão

03. (Ufscar) Quando se olha a luz branca de uma lâmpada incandescente ou fluorescente, refletida por um CD, pode-se ver o espectro contínuo de cores que compõem essa luz. Esse efeito ocorre nos CDs devido à
a) difração dos raios refratados nos sulcos do CD, que funcionam como uma rede de interferência. b) polarização dos raios refletidos nos sulcos do CD, que funcionam como um polarizador. c) reflexão dos raios refratados nos sulcos do CD, que funcionam como um prisma. d) interferência dos raios refletidos nos sulcos do CD, que funcionam como uma rede de difração. e) refração dos raios refletidos nos sulcos do CD, que funcionam como uma rede de prismas.

04. (UFRN2005) As fotografias 1 e 2, mostradas abaixo, foram tiradas da mesma cena. A fotografia 1 permite ver, além dos objetos dentro da vitrine, outros objetos que estão fora dela (como, por exemplo, os automóveis), que são vistos devido à luz proveniente destes refletida pelo vidro comum da vitrine. Na fotografia 2, a luz refletida foi eliminada por um filtro polarizador colocado na frente da lente da câmera fotográfica.

Comparando-se as duas fotos, pode-se afirmar que A) a luz proveniente dos objetos dentro da vitrine não está polarizada e a luz refletida pelo vidro não está polarizada. B) a luz proveniente dos objetos dentro da vitrine está polarizada e a luz refletida pelo vidro não está polarizada. C) a luz proveniente dos objetos dentro da vitrine não está polarizada e a luz refletida pelo vidro está polarizada. D) a luz proveniente dos objetos dentro da vitrine está polarizada e a luz refletida pelo vidro está polarizada.