You are on page 1of 99

NOÇÕES DE REVESTIMENTOS ANTICORROSIVOS

1

André Koebsch Engenheiro de Revestimentos Anticorrosivos (ETM-CORP/ST/SEQUI-ETCM/EMCIE) Telenofe: (0XX21) 3229-3014 - Rota: 819-3014 e-Mail: koebsch@petrobras.com.br

2

Tipos de Revestimentos:
Revestimento externo anticorrosivo de dutos
• Duto enterrado operando até 80ºC;
– Epóxi Termicamente curado (FBE); – Polietileno Extrudado em Tripla Camada (PE3L).

• Duto enterrado operando até 110ºC.
– Polipropileno Extrudado em Tripla Camada (PP3L).

Revestimento externo isolante térmico
• Duto enterrado operando aquecido até 120ºC;
– Sistema de Isolamento Térmico (SIT).

Revestimento interno de dutos enterrados ou submarinos
• Revestimento interno Flow Coat; • Revestimento interno anticorrosivo.
3

EPÓXI TERMICAMENTE CURADO (FBE) Dutos operando entre .30 ºC a 95 ºC ou 110 ºC 1 – FBE 4 .

POLIETILENO EXTRUDADO EM TRIPLA CAMADA (PE3L)
Dutos operando entre - 40 ºC a 80 ºC

1 – FBE

2 – Adesivo copolomérico
3 – Polietileno
5

POLIPROPILENO EXTRUDADO EM TRIPLA CAMADA (PP3L)
Dutos operando entre - 30 ºC a 110 ºC

1 – FBE

2 – Adesivo copolomérico
3 – Polipropileno
6

SISTEMA DE ISOLAMENTO TÉRMICO (SIT)
Duto operando aquecido

3 2 1

1 – Revestimento em FBE 2 – Espuma Rígida de Poliuretano 3 – Camisa de Polietileno
7

30 ºC a 80 ºC 1 – Tinta epóxi bi componente 8 .REVESTIMENTO INTERNO PARA FLUXO (FLOW COAT) Dutos operando entre .

30 ºC a 80 ºC 1 – Tinta epóxi bi componente 9 .REVESTIMENTO INTERNO ANTICORROSIVO Dutos operando entre .

10 .

2 Condição SC-2.Limpeza externa para retirada de óleo. com classe de preparação Sa 2½ da norma ISO 8501-1. 11 .Preparação da superfície dos tubos Pré-aquecimento 1ª cabine de jateamento 2ª cabine de jateamento Inspeção superficial Bancada intermediária Deve ser verificado previamente 1 .Jateamento duplo até chegar ao metal quase branco.Pré-aquecimento: (3 ºC acima do ponto de orvalho e < 100 ºC). sais.1a Fase . óxidos.segundo a norma NACE nº 5 SSPC/SP 12 Tabela A.Perfil de Rugosidade entre 60 e 100 m RzDIN com natureza angular. 5 .Contaminação por pó não deve exceder padrão 2 da ISO 8502-3. 3 .Critério: contaminação por sais solúveis  máximo 2µg/cm² . APLICANDO A REGRA 4 . etc. 2 . segundo a norma NACE nº 2 SSPC/SP 10. 6 .

RETIRADA DA PILHA DE ESTOCAGEM 12 .

ENTRADA NA LINHA DE REVESTIMENTO 13 .

1ª GRANALHADEIRA GRANALHA DE AÇO ESFÉRICA OU ANGULAR. PLATAFORMA DE INSPEÇÃO FORNOS DE PRÉ-AQUECIMENTO 14 .

PLATAFORMA DE INSPEÇÃO 15 .

2ª GRANALHADEIRA GRANALHA DE AÇO ANGULAR (OBRIGATÓRIO) 16 .

PLATAFORMA DE INSPEÇÃO 17 .

18 .

EPÓXI TERMICAMENTE CURADO (FBE) Dutos operando entre .30 ºC a 95 ºC ou 110 ºC 1 – FBE (500 µm de espessura mínima) 19 .

Aplicação de FBE Tratamento químico com cromato Forno de Indução Aplicação do FEB Tempo de cura Bancada Intermediária (Tubos já inspecionados) Resfriamento Holyday Detector Colocação dos Espaçadores PLANTA DE REVESTIMENTO COM FBE Estocagem 20 .

CABINE DE APLICAÇÃO DE EPÓXI 2º FORNO DE INDUÇÃO PARA AQUECIMENTO DO TUBO 1º FORNO DE INDUÇÃO PARA PRÉ-AQUECIMENTO DO TUBO TRATAMENTO QUÍMICO A BASE DE CROMATO (ALTERNATIVO) 21 .

PISTOLA APLICADORA CABINE DE APLICAÇÃO DE EPÓXI 22 .

CURA DO EPÓXI 23 .

Tubo revestido com FBE CABINE DE RESFRIAMENTO DO TUBO JÁ REVESTIDO 24 .

25 .

40 ºC a 80 ºC 3 2 1 1 – FBE (120 µm de espessura mínima) 2 – Adesivo copolomérico (200 µm de espessura mínima) 3 – Polietileno (1.1 mm de espessura mínima) 26 .POLIETILENO EXTRUDADO EM TRIPLA CAMADA (PE3L) Dutos operando entre .

Aplicação de PE3L Extrusoras Tratamento químico com cromato Aplicação do FEB Forno de Indução Bancada intermediária Polietileno Adesivo Resfriamento Hollyday Detector Bancada para estoque PLANTA DE REVESTIMENTO DE PE3L Estocagem 27 .

EXTRUSÃO DO POLIETILENO EXTRUSÃO DO ADESIVO 28 .

ROLO PRESSOR MONITORAÇÃO “ON-LINE” DE TEMPERATURA 29 .

EXTRUSORA DE ADESIVO EXTRUSORA DE PE OU PP 30 .

CABINE DE RESFRIAMENTO DO TUBO JÁ REVESTIDO 31 .

32 .

1 mm de espessura mínima) 33 .POLIPROPILENO EXTRUDADO EM TRIPLA CAMADA (PP3L) Dutos operando entre .30 ºC a 110 ºC 1 – FBE (120 µm de espessura mínima) 2 – Adesivo copolomérico (200 µm de espessura mínima) 3 – Polipropileno (1.

Aplicação de PP3L Extrusoras Tratamento químico com cromato Aplicação do FEB Forno de Indução Bancada intermediária Polipropileno Adesivo Resfriamento Hollyday Detector Bancada para estoque PLANTA DE REVESTIMENTO DE PP3L Estocagem 34 .

CABINE DE APLICAÇÃO DE EPÓXI 2º FORNO DE INDUÇÃO PARA AQUECIMENTO FINAL DO TUBO 35 .

EXTRUSÃO DE POLIPROPILENO EXTRUSÃO DE ADESIVO 36 .

CABINE DE RESFRIAMENTO DO TUBO JÁ REVESTIDO 37 .

CONFECÇÃO DOS “CUT-BACK” 38 .

39

JUNTA DE CAMPO SOLDADA

“CUT-BACK”
40

Aplicação do “primer”
41

Colocação da manta termocontrátil 42 .

Maçarico Termocontração da manta 43 .

44 .

SISTEMA DE ISOLAMENTO TÉRMICO (SIT) Duto operando aquecido 3 2 1 1 – Revestimento em FBE (120 µm de espessura mínima) 2 – Espuma Rígida de Poliuretano (2” de espessura mínima) 3 – Camisa de Polietileno (6 mm de espessura mínima) 45 .

Detalhe construtivo do tubo de aço isolado termicamente Tubo de aço revestido em PP3L Espuma de Poliuretano sem adição de retardante de chama Tubo de Polietileno em alta densidade (PEAD) Manta “water stop” 46 .

Tubo revestido em PP3L com espaçadores 47 .

Tubo-camisa de Polietileno 48 .

Linha de montagem do conjunto 49 .

Tubo preparado para a injeção de PU (detalhe do anel de vedação) 50 .

Poliol Isocianato Bico de injeção Equipamento de injeção da espuma 51 .

Tubo preparado para a injeção de PU na mesa de injeção 52 .

53 .

Preparação do “cut back” 54 .

Manta “water stop” 55 .

Aplicação da manta “water stop” 56 .

Tubo isolado termicamente + manta “water stop”57 .

58 .

ISOLAMENTO TÉRMICO Detalhe construtivo da junta de campo isolada termicamente 59 .

ISOLAMENTO TÉRMICO Detalhe construtivo da junta de campo isolada termicamente Solda dos tramos 60 .

ISOLAMENTO TÉRMICO Detalhe construtivo da junta de campo isolada termicamente Manta termocontrátil Manta termocontrátil em PP3L Espuma de Poliuretana expandida 61 .

62 .

30 ºC a 80 ºC 1 – Tinta epóxi bi componente 63 .REVESTIMENTO INTERNO PARA FLUXO (FLOW COAT) Dutos operando entre .

: parafina). • Reduz a formação de pó preto (óxidos) em gasodutos (reduz a frequência de limpeza de filtros). • Facilita a troca do produto escoado no duto. • Reduz a formação de depósitos na parede interna (ex. 64 . • Reduz a frequência de passagem de pigs de limpeza. aumentando a vida útil dos pigs. mais vazão).Flow Coat • Revestimento interno destinado a reduzir a resistência ao fluxo no interior dos dutos (menos pressão. • Menos energia = menos custo operacional.

65 . • Aplicação em uma única demão. uma ou duas passadas.Aplicação • Epóxi líquido a dois componentes. amina ou poliamida. • Cura à temperatura ambiente com a utilização de proteção contra pó. alto teor de sólidos.

Soprador de pó Contaminação por pó não deve exceder padrão 2 da ISO 8502-3. óxidos. Grau de limpeza: metal quase branco. 66 Coletor de tinta Lança de pintura Coletor de Pó . Coletor de Pó Jateamento abraviso com granalhas de aço. cloretos. etc. uma das gravuras Sa 2½ da ISO 8501-1. Pré-aquecimento: (3 oC acima do ponto de orvalho e <50 0C). Critério: contaminação por cloreto  máximo 2 µg/cm². no mínimo. Perfil de rugosidade entre 60 m a 100 m RZDIN e ter natureza angular. Nace Nº2/SSPC-SP10 ou.PLANTA DE REVESTIMENTO INTERNO Limpeza interna para retirada de óleo.

JATO INTERNO COM AR COMPRIMIDO E GRANALHA 67 .

o tubo gira e a haste percorre o tubo68 .Aplicação do revestimento interno O bico é fixo.

Aplicação do revestimento interno Os bicos giram. o tubo gira e a haste percorre o tubo 69 .

Revestimento interno aplicado 70 .

71 .

30 ºC a 80 ºC 1 – Tinta epóxi bi componente 72 .REVESTIMENTO INTERNO ANTICORROSIVO Dutos operando entre .

73 .

MATERIAIS DE REVESTIMENTO FENÓLICO EPÓXI EPÓXI-FENÓLICO EPÓXI-POLIÉSTER EPÓXI-ALCATRÃO DE HULHA POLIURETANA NOVOLAC NYLON 74 .

cloretos. Critério: contaminação por cloreto  máximo 2 µg/cm². Perfil de rugosidade entre 60 m a 100 m RZDIN e ter natureza angular. óxidos.PLANTA DE REVESTIMENTO INTERNO Limpeza interna para retirada de óleo. Coletor de Pó Jateamento abraviso com granalhas de aço. uma das gravuras Sa 2½ da ISO 8501-1. Soprador de pó Contaminação por pó não deve exceder padrão 2 da ISO 8502-3. 75 Coletor de tinta Lança de pintura Coletor de Pó . no mínimo. Pré-aquecimento: (3 oC acima do ponto de orvalho e <50 0C). etc. Nace Nº2/SSPC-SP10 ou. Grau de limpeza: metal quase branco.

76 .

77 .

78 .

79 .

80 .

LUVA ROSCADA 81 .

Sistema aplicado Luva Tubo 82 .

UNIDADE PINTORA ROBOTIZADA Colocação do robô no interior do duto 83 .

Unidade jateadora do robô 84 .

Robô aplicador de tinta líquida 85 .

Robô aplicador de FBE 86 .

Controle remoto do Robô 87 .

TIPOS DE REVESTIMENTO MARITIMOS .“OFF SHORE” 88 .

CARACTERÍSTICAS • • • • • • • • Condutividade térmica (k) Coeficiente global (U) Espessura Resistência à compressão Densidade Estabilidade térmica Aplicabilidade Custo 89 .

CARACTERÍSTICAS • • • • Resistência à água à temperatura elevada Aderência Coesão Resistência mecânica • • • • • • Compressão Abrasão Creep Cisalhamento Fadiga Flexibilidade 90 .

– Poliuretano Sintático (BD e AD) (Synt PU). 91 . – Epóxi Sintático. – Polipropileno Sólido (SPP). – Poliuretano Espuma Pipe-in-Pipe (PUF-PIP). – Polipropileno Sintático (Synt PP).Tipos de Revestimentos: Revestimento externo isolante térmico • Duto submarino operando aquecido até 120ºC. – Polipropileno Espuma (PP Foam). – Poliuretano Sólido (SPU).

Dutos operando entre .Polipropileno Sólido (SPP).30 ºC a 110 ºC 1 – FBE 2 – Adesivo copolomérico 3 – Polipropileno em Alta Espessura 92 .

Polipropileno Espuma (PP Foam) Duto operando aquecido 5 4 3 2 1 1 – Revestimento em FBE 2 – Adesivo Copolimérico 3 – Poliproplileno em camada espessa 4 – Poliproplileno Espuma 5 – Poliproplileno Aditivado para resistir à raios UV 93 .

Polipropileno Sintático (Synt PP) Duto operando aquecido 5 4 3 2 1 1 – Revestimento em FBE 2 – Adesivo Copolimérico 3 – Poliproplileno em camada espessa 4 – Poliproplileno com adição de Micro-esferas de vidro 5 – Poliproplileno Aditivado para resistir à raios UV 94 .

Poliuretano Sólido (SPU) Duto operando aquecido 2 1 1 – Revestimento em FBE 2 – Poliuretano Sólido 95 .

Poliuretano Sintático (BD e AD) (Synt PU) Duto operando aquecido 2 1 1 – Revestimento em FBE 2 – Poliuretano Sintática com Micro esferas de vidro 96 .

Poliuretana Espuma Pipe-in-Pipe (PUF-PIP) Duto operando aquecido 5 4 3 2 1 1 – Tubo de aço condutor 2 – Revestimento em FBE 3 – Espuma Rígida de Poliuretano 4 – Camisa de Polietileno 97 5 .Tubo de aço camisa .

30 ºC a 95 ºC ou 110 ºC 1 – FBE 98 .EPÓXI TERMICAMENTE CURADO (FBE) SINTÁTICO Dutos operando entre .

FIM 99 .