Curso: Assistente Familiar e de Apoio à Comunidade

Área De Formação: Higienização de espaços e Equipamentos “Higienização – Conceitos Básicos”

Formador: Anabela Santos

República Portuguesa

Objectivos específicos: Reconhecer a importância da higienização; Diferenciar entre limpeza e desinfecção; Identificar os diferentes tipos de limpeza;

INTRODUçãO A palavra "higienização" deriva do grego hygieiné que significa "saúde". O processo de higienização consiste num conjunto de práticas que tem como objectivo devolver ao ambiente (superfícies das instalações, dos equipamentos e utensílios) a boa condição higiénica inicial (antes do uso).

A higienização deve remover os materiais indesejados (restos de alimentos, corpos estranhos, resíduos de produtos químicos e microrganismos) das superfícies a um nível tal que, os resíduos que persistirem, não apresentem qualquer risco para a qualidade e segurança das pessoas.

[Conceitos de LIMPEZA: “Limpeza é o processo de localizar, identificar, conter, remover e desfazer-se de forma adequada, de substâncias indesejáveis, ou seja, poluentes de uma superfície ou ambiente.”
(Abralimp, 1998)

“LIMPEZA é a remoção de qualquer corpo indesejável, visível ou não, de uma superfície, sem alteração das características originais do item que está a ser limpo, e onde o processo utilizado não seja nocivo ao meio ambiente.”
(VIVIANI, 2003)

Desinfecção descreve o método capaz de eliminar muitos ou todos os microrganismos patogénicos, com excepção dos esporos.

[“LIMPEZA 1. Acto ou efeito de limpar. 2. Qualidade de limpo, de asseado, asseio. 3. Esmero, apuro.”
[
(Dicionário Aurélio)

Para realizar um programa de higienização com sucesso, é essencial compreender a natureza da sujidade que vai ser removida, saber escolher o método mais adequado para a sua remoção, assim como o método mais indicado para avaliar a eficácia do processo utilizado.

1. A Higienização: objectivos e etapas Durante o processos de trabalhos por nós realizados acumulação corpos ao longo dum do dia, verifica-se de a conjunto substâncias materiais e

indesejáveis, entre os quais restos de alimentos, estranhos, químicas, microrganismos.

Esta situação pode resultar de trabalhos como preparação de alimentos que em que depois podemos ter adesão de restos de alimentos às superfícies de trabalho, ou de anomalias como por exemplo, as resultantes de contaminação por deficiente manutenção dos equipamentos ou de contaminação ambiental. Estes materiais indesejáveis, são habitualmente designados de “resíduos” ou “sujidade”.

Dentro dos materiais indesejáveis mencionados, deve ser dada especial atenção à eliminação e controlo dos microrganismos, causadores sobretudo dos de doenças microrganismos do produto.

(patogénicos) e dos que causam a deterioração

A higienização deverá, assim, assegurar a eliminação das sujidades visíveis e não visíveis e a destruição de microrganismos patogénicos e de deterioração até níveis que não coloquem em causa a saúde dos utentes, dos consumidores e a qualidade do produto. Deverá ser respeitada a integridade das superfícies de trabalho e deverá haver o cuidado de eliminar qualquer químico utilizado no processo de higienização.

Dependendo do trabalho, do tipo de produto, do tipo de superfícies e do nível de higiene requerido, a higienização pode ser efectuada apenas através de uma limpeza (L), ou de uma limpeza seguida de desinfecção (L+D). Higienização = Limpeza (L) ou Limpeza + Desinfecção (L+D)

“LIMPEZA é o processo de remoção de sujidades mediante a aplicação de energia química, mecânica ou térmica, num determinado período de tempo.”
(ANVISA, 2000)

Acção ou energia química É proveniente da acção dos produtos que têm a finalidade de limpar através da propriedade de dissolução, dispersão e suspensão da sujidade.

Acção ou energia mecânica É proveniente de força física aplicada sobre a superfície para remover a sujidade resistente à acção do produto químico. Essa acção pode ser obtida pelo acto de esfregar manualmente com esponja, escova, pano ou sob pressão de uma máquina de lavar.

Acção ou energia térmica É proveniente da actuação do calor que reduz a viscosidade da graxa e gordura tornando-as mais facilmente removíveis pela aceleração da acção química.

TIPOS DE LIMPEZA

Limpeza concorrente É aquela realizada, de forma geral, diariamente e sempre que necessário. Utiliza-se a limpeza húmida e o uso de água e sabão. A limpeza concorrente inclui os pisos, instalações sanitárias, superfícies horizontais de equipamentos e mobiliários, alguns utensílios utilizados, esvaziamento e troca de recipientes de resíduos.

Limpeza terminal É uma limpeza mais completa, abrangendo todo o ambiente e todos os materiais e equipamentos, em todas as suas superfícies externas e internas, em todos os cantos. Na unidade de um paciente internado deve ser realizada após sua alta, transferência ou óbito, numa cozinha sempre que se manipulam alimentos e sempre que se verifique necessario.

Limpeza imediata  É realizada quando ocorre sujidade em áreas críticas e semicríticas, em qualquer período do dia.  Consiste na remoção imediata de respingos ou deposição de matéria orgânica para evitar a sua veiculação ou seu ressecamento e consequente liberação para o ambiente dos microrganismos porventura presentes.  Avaliar a necessidade ou não de descontaminação.

Utilizar produtos com os princípios activos permitidos segundo legislação.  Fenólicos; quaternários de amônio; compostos liberadores orgânicos de cloro e inorgânicos iodo e activo;

derivados; álcoois e glicóis; biguanidas.

Cuidados em relação ao uso de produtos químicos
[ Estabelecer quais produtos podem ser utilizados. [ Adquirir somente produtos autorizados [ Realizar a diluição em local adequado e por pessoal treinado. [ Observar as condições de armazenamento (local e embalagem). [ Orientar para que não realizem mistura de produtos.

O processo de limpeza consiste essencialmente na eliminação de restos de alimentos e outras partículas enquanto que que a ficam sobre as superfícies na desinfecção consiste

destruição ou remoção dos microrganismos. Especialmente no caso da desinfecção química, a limpeza deve, em grande parte das situações, preceder a desinfecção para que esta seja eficaz, pois os restos dos alimentos interferem com os agentes de desinfecção.

Uma higienização correctamente efectuada deve conduzir à eliminação, tanto quanto possível, dos microrganismos presentes tanto nas superfícies como na atmosfera dos locais de trabalho e dos equipamentos. Em termos de etapas, a operação de higienização pode esquematizar-se conforme descrito na Tabela 1.

Tabela 1 - Etapas da Limpeza (L) e da Limpeza + Desinfecção (L+D)
Etapa Enxaguamento Limpeza Enxaguamento Desinfecção (L+D) Enxaguamento (L+D) Secagem Acção Remoção das sujidades maiores com aplicação de água Remoção de sujidades pela aplicação de detergente Remoção do detergente com água corrente Destruição de bactérias pela aplicação de desinfectante ou Remoção de desinfectante com calor água corrente Remoção do excesso de água

O processo de limpeza inicia-se com um primeiro enxaguamento para a remoção de partículas de sujidade e de alguns microrganismos (que são arrastados com os outros resíduos). Numa segunda etapa, aplica-se o detergente, o qual vai actuar sobre as partículas de sujidade que se encontram aderidas, diminuindo a sua ligação às superfícies.

Numa terceira etapa dá-se o enxaguamento para a remoção completa das partículas entretanto libertadas, do detergente aplicado e uma vez mais de alguns microrganismos.

No caso de ser necessário realizar desinfecção, aplica-se o desinfectante (quarta para (actua sobre seguido completa os de dos microrganismos) enxaguamento etapa),

remoção

desinfectantes (quinta etapa, dispensável para alguns tipos de desinfectantes). Por fim, realiza-se a secagem, que tem como finalidade a remoção da água em excesso, de modo a evitar que a humidade residual favoreça o crescimento de microrganismos.

[ Fin [ liz [ n [ o Qu [ l [ limo [ z [ qu [ qu [ r [ mos [ A limo[ z[ [ omo orimor[ i[ l [ úni[ o m[ to[ o o[ r[ imo[ [ ir [ tr[ nsmiss[ o [ [ in[[[[[ o [A limo[ z[ o[ r[ [ iz[ rmos[ “ O[[ qu[ [[[ irin[ o [[ limo[ z[[ ” [ A limo [ z [ o [ r [ t [ rmos um [ m [ i [ nt [ limoo [ [ ss [ [ [ o [ s [ [ uro o[ r[

[[ o qu [ [ ontri [ u [ mos o[r[ [ r [[ liz [[[ o [ m [ nut [ n [[ o [[ limo [ z [  [ D[it[n[o tu[o o qu[ [[[[mos qu[ [ “lixo” o[los [ [ ntos ([ [ in[ l[ t[ m [ l[ u[ m o[ r[ r[[ ol[[ r[[ [[ [ o m[ imoort[ n[ o [ m m[ nt[ r um [ m[ i[ nt[ [ss[[[o [[ tr[[[l[o (oois[ [stou [ [ontri[uir o[r[ m[nt[r o [mor[[o [[

Bibliografia
ØAnvisa(http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuai s/manual_seg_hosp.htm) ØManual técnico limpeza e desinfecção de superfícies hospitalares e manejo de resíduos (comlurb – companhia municipal de limpeza urbana) ØManual de Procedimento de Artigos e Superfícies em Estabelecimentos de Saúde do Ministério da Saúde 1994 ØManual de Controle de Infecção Hospitalar do Ministério da Saúde1985.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful