Prof: Alexandre Barcelos

Controle do Florescimento

O controle do florescimento
 

Relação: Florescimento X Estações do ano Perguntas?

 Como

as plantas acompanham o curso do desenvolvimento das estações do ano e das horas do dia?  Que sinais ambientais controlam o florescimento?  Como os sinais ambientais são traduzidos?

sofreram profundas modificações. Flores representam um conjunto complexo de estruturas funcionalmente especializadas. taxonomia. transformando-se em peças florais (verticilos). localizado na porção terminal do caule. ornamental  . de um ramo caulinar ou axilar. Importância: reprodução sexual. medicinal. que diferem do corpo vegetativo da planta.  Origem: A flor é um ramo de crescimento determinado. as folhas. industrial. nós e entrenós desse ramo. No decorrer do processo evolutivo.

Morfologia externa .

radiação luminosa. vernalização.Evocação Floral São eventos que ocorrem no ápice do caule e forçam o meristema apical a produzir flores. disponibilidade de água. .  Sinais internos e externos  Regulação autônoma  Resposta obrigatório o qualitativa  Resposta facultativa ou quantitativa   Fotoperiodismo.

Vegetativa: tornase competente para formar estruturas reprodutivas Ad. Reprodutiva: torna-se determinada para florescer .Fases do Desenvolvimento (meristema apical)    Juvenil: não tem habilidade para florescer Ad.

.

.

Duração da fase juvenil .

.

Condições de crescimento vigoroso aceleram mudança de fase   . Tecidos e órgãos juvenis se localizam na base da parte aérea (meristema apical)  A obtenção de um tamanho suficientemente grande parece ser mais importante do que idade cronológica da planta para transição para fase adulta Condições de retardo do crescimento pode provocar prolongamento da fase juvenil ou rejuvenescimento.

 Ex: Nicotina: parece que as plantas precisam produzir determinado número de folhas  Em Hera estancas tiradas da região basal desenvolve-se em plantas juvenis. nem sempre fica claro o tamanho crítico.OBS: embora importância do tamanho. nas extremidade em plantas adultas  .

Ex: gema determinada produz flores mesmo enxertada em uma planta que não produza estímulo  .Fases da evocação floral  Competência: uma gema é dita competente se é capaz de florescer quando receber o sinal apropriado. Ex: ramo vegetativo+ porta enxerto em florescimento = floresce imediatamente (competente)   Determinação: uma gema é dita determinada se progredir para o próximo estágio (florescimento) mesmo depois de ser removida do seu contexto normal.

.

.

Indução da Floração .

Indução da Floração .

Indução a Floração .

   . esporulação em fungos etc.Ritmos Circadianos Relógio Biológico “circa diem”=aproximadamente um dia Organismos sujeitos a ciclos diários de luz e escuro  Comportamento ciclico:estômato. respiração. fotossíntese. movimento de folhas e pétalas.

picos e  Fase (ponto no ciclo)  Amplitude ( frequência) . “o ritmo circadiano são fenômenos cíclicos definidos por três parâmetros: vales)  Período (tempo.

Características dos ritmos circadianos .

Características dos ritmos circadianos .

Ritmo considerado endógeno Regulador interno= oscilador endógeno Acoplado a uma variedade de processos fisiológicos  Não é afetado pela temperatura  Luz é forte modulador do ritmo (luz vermelha e azul)  Fotomorfogênese (fotorreceptores)    .

.  Absorve luz vermelha (Pr) vermelho distante (Pfr)  Pr: 660nm.Fotorreceptores  Fitocromo  Pigmento protéico azul-esverdeado  Localiza-se no citoplasma da célula  Folhas. raiz .. Pfr: 730nm . gemas. pecíolo.

.

fotorreversibilidade .

Estado Fotoestacionário FV 20% 97% fotoconversão no escuro Luz azul também pode ser absorvida pelo fitocromo 80% FVE 3% .

.

Fotoperiodismo Capacidade de um organismo de detectar o comprimento do dia torna possível para um evento ocorrer em um determinado momento do ano  Permite resposta sazonal  Resposta a ciclos de luz e escuro  Espécies vegetais evoluíram para detectar mudanças sazonais no comprimento do dia  .

.

Classificação por resposta fotoperiódica  Classificação de plantas baseada no florescimento.Plantas de dias Longos (PDL)  3.  2.Plantas de dias curtos (PDC): floresce em fotoperíodo abaixo do comprimento crítico do dia.Plantas neutras/autonomas  . 1. apesar do comprimento de dia influenciar em outros aspectos.

PDC morango prímula Crisântemo .

PDL trigo espinafre .

Plantas Neutras .

Fotoperíodo necessário para a planta florescer  Morango (PDC):6 ciclo com 16 horas de luz ou menos.5h de luz ou mais    . Espinafre (PDL): 1 dia com 13 h de luz ou mais. Arroz (PN): 1 dia com 12 horas de fotoperíodo indutivo Euphorbia (PDL): vários dia com 12.

(final de verão e outono)  5.  4.Plantas de dias curto-longos: florescem início da primavera  .Comprimento do dia isoladamente é sinal ambíguo (distinção entre primavera/outono)  Adaptações para evitar ambiguidade  Exigência de temperatura Ex: trigo de inverno  Distinção entre dias que estão “encurtando” e “alongando”.Plantas de dias longo-curtos(sequência de dias longos seguido por dias curtos.

PDL-C PDC-L Jasmim da noite Campânula (flor de sino) Flor da fortuna .

Florescimento determinado pela duração da noite  Monitoramento do comprimento do dia pela medição do comprimento da noite .

.

.

.

Exemplos de respostas mediadas pelo fitocromo Indução floral Fotoperiódica Alongamento de caule Movimento fototático de cloroplastos Movimentos foliares nictisnásticos Germinação de sementes Expansão de folhas e cotilêdones Desenvolvimento do cloroplasto Síntese de clorofila. carotenóides e antocianinas  Transcrição RNAm  Síntese de proteína  Ativação enzimática         .

conjunto de compostos  Absorve radiação ultravioleta (280320nm)  Protoclorofilida a  Absorve luz vermelha e azul  Se reduz a clorofila a  .Outros fotorreceptores Criptocromo (amarelo-alaranjado)  Localizado nas folhas  Fotorreceptor para movimento  Absorve luz azul UV-A (320-400nm)  Fotorreceptor UV-B  Não é pigmento.

Controle do florescimento pelo fitocromo .

dado a uma semente completamente hidratada ou planta em crescimento .Vernalização  Promove florescimento com o frio.

Efeito da vernalização    Vernalização atrelada ao fotoperíodo Ex: frio e dias longos Meristema pode permanecer competente por longos períodos .

.

Sinais Bioquímicos  Ainda não foi identificado uma substância com estímulo floral universal Hormônio florígeno (hormônio hipotético) Antiflorígeno Giberilinas e etileno podem induzir florescimento em algumas plantas    .

A) A que conclusões o experimento permite chegar? B) Qual é o pigmento envolvido com o fotoperiodismo? .

e os mais curtos (julho) são de 11:30 horas de luz.). no mínimo. não ocorrerá a floração. que neste caso depende de. b) Com relação á floração.Unicamp 2003 Um agricultor decidiu produzir flores em sua propriedade. No caso do “brinco de princesa”. A planta não floresceria. localizada perto da cidade de Fortaleza (CE). ou uma variedade de “brinco de princesa” (Fucsia sp. . 13 horas diárias de luz. que é uma planta de dia curto e tem um fotoperíodo crítico de 12:30 horas. o que aconteceria com a espécie de dia curto (crisântemo) se fosse dado um período de 15 minutos de luz artificial no meio da noite (“flash de luz”) ? Explique. Crisântemo. O agricultor tem dúvida sobre qual flor deve cultivar: uma variedade de crisântemo. nesta cidade os dias mais longos do ano (janeiro) são de 12:30 horas de luz. porque o controle da floração depende da existência de períodos contínuos de escuridão. a) Qual espécie de planta o agricultor deveria escolher? Justifique. que é planta de dia longo e tem fotoperíodo crítico de 13:00 horas. pois requer fotoperíodo diário menor que12:30 horas o que é vantajoso pois nos períodos de dia curto em Fortaleza esta espécie florescerá. Devido à sua proximidade com a linha do Equador.