You are on page 1of 27

Laboratório de Biofísica

Bases Biomecânicas do Alongamento
Bruno Serafim da Luz

Laboratório de Biofísica – EEFE -USP

Objetivos do alongamento
 Prevenção/tto de lesões;  Melhora da performance;  Aumento da amplitude de movimento (ROM);  Redução da dor muscular depois de

exercício físico;
 Aumento do bem estar geral.

Controvérsias sobre o alongamento Perda de força/rendimento logo após o alongamento??? Prevenção de lesões??? Duração/intensidade/repetições??? .

ato Flexibilidade (ROM)  potencial.Alongamento X Flexibilidade Alongamento  ação. condição ROM: Range Of Movement (amplitude de movimento) .

Restrições ao Alongamento Restrições neurogênicas: controle voluntário ou por reflexo dos músculos sob alongamento. as restrições neurogênicas e miogênicas interagem. Restrições miogênicas: resistência passiva e ativa dos músculos sob e tendões (unidade Na músculo-tendão) alongamento. . condição ativa.

.Restrições ao Alongamento Restrições articulares: forças resistivas nos tecidos articulares e ligamentos. Outras: pele. tecido conectivo subcutâneo e restrições devido à fricção destes tecidos.

Principal alvo/mudança no alongamento Unidade músculo-tendão e tecido conjuntivo .

IDEAL  Deformação plástica .Tecido Conjuntivo  Colágeno + elastina + fibrócitos + água (60 a 70%).  Componente elástico – permite estiramento elástico.  Propriedades viscoelásticas:  Componente viscoso – permite estiramento plástico.

. Elasticidade: deformação diretamente proporcional à carga ou stress (lei de Hooke p/ uma mola). a taxa de deformação é diretamente proporcional à carga (modelo de Newton p/ um amortecedor).Propriedades mecânicas Viscosidade: deformação dependente do tempo que a carga atua.

ao tempo IDEAL - CARGA. propor.Estruturas elásticas e viscosas Elasticidade Dir. TEMPO . à carga Viscosidade Dir. propor.

ele irá gradualmente alongando.Propriedades viscoelásticas Creep: se um tecido viscoelástico é mantido sobre um mesmo stress. .

Creep .

o stress neste comprimento irá gradualmente diminuir com o tempo. .Propriedades viscoelásticas Relaxamento viscoelástico é de stress: e se um tecido c/ um alongado mantido comprimento constante.

Relaxamento de estresse .

Propriedades viscoelásticas Histerese: É a variação da relação carga- deformação em função da aplicação ou remoção do stress no tecido. . Para tecidos viscoelásticos maior energia é absorvida na aplicação do stress (alongando) do que na remoção (relaxando).

>E Histerese <E .

 Efeitos neurogênicos. .  Relaxamento de estresse.Mecanismos de adaptação ao efeito agudo do alongamento  Creep.

Mecanismos de adaptação ao efeito crônico do alongamento Deformação permanente dos tecidos conectivos e tendão. . Aumento do comprimento do músculo pelo aumento dos sarcômeros em série.

variação do Fuso Muscular – sensível à variação do comprimento.Neurofisiologia do alongamento OTG – sensível à comprimento e à tensão. .

Neurofisiologia do alongamento .

Neurofisiologia do alongamento Alongamento rápido Fuso  contração reflexa + de 6 seg. OTG  Inibição Autogênica (permite o alongamento efetivo) .

Neurofisiologia do alongamento Contração isotônica do agonista Relaxamento reflexo do antagonista  Inibição recíproca .

Melhores resultados  6 a 60 seg.Duração e força do alongamento Força Tempo  Alongamento plástico Força Tempo  Alongamento elástico Numerosos estudos a respeito. Mais comum  15 a 30 seg. .

Calor X Frio no alongamento da temperatura no tecido conjuntivo  resistência ao estiramento e extensibilidade Força Temperatura  Alongamento plástico com mínimo dano tecidual .

sobre o que seria melhor. . porém. parece que tanto o calor superficial como o resfriamento resultam em maior flexibilidade.Calor X Frio no alongamento Controvérsia entre os estudos.

Passivo. Balístico ( eficiência  reflexos de estiramento. Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) .Técnicas de alongamento Estático. Auto-passivo. importante para atletas). Ativo.