REARRANJOS MOLECULARES

Relevância do Assunto:
Exemplos:
• O problema da não biodegradabilidade de detergentes
aniônicos a base de tetrâmero de propeno.
• Processos industriais para a produção de acetona e
fenol, a partir de cumeno, e para a produção de Nylon-6 a
partir de caprolactama.
• Produção de gasolina a partir de óleos pesados (330 a
550
o
C), pelo processo de craqueamento catalítico usando
zeolitos (isomerização, craqueamento, e transferência de
hidreto):

Resultados típicos de craquemaneto a 500-520
o
C
Gases (C1 a C4) 21%
Gasolina (número de octano  90) 50%
Óleos pesados (p.e. > 220
o
)

22%
“coke” 5%
Envolve movimento de algum grupo de um
átomo, ou grupo para outro na molécula
(normalmente rearranjo 1,2):
A B B A
G
G
origem da
migração
grupo migrante
término da
migração
Tipos de Rearranjo:
Nucleofílico: G migra com o par de elétrons, tipo comum.
Radicalar: G migra com um elétron.
Eletrofílico: G migra como cátions, raro.
A B B A
G
G
..
..
A B B A
G
G
.
.
A B B A
G
G
+
+
Mecamismos do Rearranjo Nucleofílico
As etapas deste mecanismo são:
1. Criação de um sexteto de elétrons em B.
2. Migração de G.
3. Completar o octeto eletrônico de A.
A etapa 1 pode ser feita via a formação de carbocátion
(C.C.),
R
1
R
2
R
3
OH
H
+
O
2
H
R
3
R
2
R
1
+
H
R
3
R
2
R
1
H
+
SEXTETO
ou via a formamação de nitrogênio deficiente em elétrons.
Exemplo: decomposição térmica de azotetos de acila
R
O
Cl
O
R
N N N
..
..
..
+
O
R
..
..
N
+ N
2
NITRENO
As etapas 2 e 3 podem ocorrer simultaneamente.
R
O
N
..
..
O C N R
ISOCIANATO
Evidências para este mecanismo porvém de análise dos
produtos:
Quais são os produtos das reações (muito lentas?)
de (Me)
3
C-CH
2
Br com:
(i) EtO
-
Na
+
/EtOH;
(ii) EtOH?
Natureza da Migração:
INTERMOLECULAR X INTRAMOLECULAR
É possível determinar o tipo de rearranjo a partir do
seguinte dado: No rearranjo tipo pinacol-picolona da
mistura de Ph
2
C(OH)-C(OH)-Me
2
e Ph
2
C(OH)-C(OH)-Et
2
obtêm-se somente uma mistura de Ph
2
CMe-COMe e
Ph
2
CEt-CO-Et ? (experiência de cruzamento, cross-over)
É possível usar os seguintes resultados para
determinar a estereoquímica do grupo migrante em
rearranjos tipo Hofmann (amida + Br
2
/OH
-
 Amina)?

R(+)PhC*HMeCONH
2
 R (-) PhCH*MeNH
2
É possível explicar porque a seguinte reação é fácil, embora
inversão e/ou racemização não podem ocorrer?
Estereoquímica da Migração:
Me
Me
CONH
2
Me
Me
NH
2
Existem duas possibilidades para a estereoquímica no término
da migração:
i- Se um C.C. estável pode se formar no B, a reação é do
tipo S
N
1, a primeira etapa é limitante, ocorre racemização:
A BX
G
lenta
A B
+
G
1-Racemização de B
A
B + A B

G
G
2-Migração de G
ii- Ocorre inversão de configuração se G participa como
grupo vizinho na saída de X (porém não ocorre uma 2a.
inversão!):
A B
G
lenta
A B
racemização de B
+
A
B
G
P
X
G
+
Aptidão de Migração: Qual grupo migra?
i- Em alguns casos esta dúvida não existe (só existe um
grupo que pode migrar):
Hofmann:
Curtius:
O
R
N
-
Br
RNH
2
O
R
N
+
N
N
-
ii- Em outros a estereoquímica controla o grupo que migra:
R'
R
N
+
OH
2
ANTI
iii- Em alguns casos, ex: o rearranjo pinacol-pinacolona de
R
2
C(OH)-C(OH)R´
2
as dúvidas são: qual OH sai, e qual
grupo (R ou R´) migra.
O OH que sai é aquele que dá origem a C.C. mais
estável, independente da aptidão de migração:
Ph
Ph
HO OH
H
H
H
H
O
2
H HO
Ph
Ph
H
H
OH H
2
O
Ph
Ph
+
+
H
H
OH
Ph
Ph
H
H
OH Ph
Ph
+
Ph
Ph
H OH
H
+
Ph
PH
H
H
O
H
O H
Ph
Ph
+
Para decidir qual grupo que migra, precisamos usar
RR´C(OH)-C(OH)RR´(dando RCO-CRR´
2
, ou R´CO-
CR
2
R´. Porém, a situação é complexa porque:
i- A estabilidade do segundo C.C. depende do grupo que não
migrou!
OH
+
+
+ H
H
H
OH HO
R'
R
- H
2
O
R
R'
R
R'
R
HO
+
R'
R
R'
R'
HO
+
R
R
R'
migração de R migração de R'
Qual dos dois C.C. é mais estável?
ii- As vezes, o grupo que migra é aquele que participa como
grupo vizinho:
+
OTs
H
Me
Me
Ph
Me
*
refluxo
Me
Me
Ph
Me
*
migração de fenila (desloca o Tosilato)
*
Ph
Me
Me
H
H
H
H
+
migração de metila
*
Me
Ph
Me
Me
migração de fenila
*
Me
Ph
Me
Me
Explicar a seguinte seqüência de aptidão de migração para a
rearranjo pinacol-pinacolona de XPhCH(OH)-CH2OH. São
dados de relação estrutura/reatividade? É possível calcular ?
X p-MeO p-Me m-Me H p-Cl
Valor 500 15,7 1,95 1 0,7
REAÇÕES
I- Rearranjos Moleculares para Carbono
Deficiente em Elétrons
1- Sem mudança do Esqueleto Carbônico
Exemplo 1: Rearranjo com deslocamento 1,2 de hidreto
H
3
C
H
H
+
H
CH
3
H
H
H
+
Ph
CH
3
H
H
3
C
CH
3
OH
FSO
3
H
SbF
5
CH
3
+
H
Ph
CH
3
H
+
H
H
3
C
Ph
C.C. Terciário C.C. Benzílico
Exemplo 2: Rearranjo Alílico: Mecanismos S
N
1’ e S
N
2’
Questão: Explicar os seguintes resultados:
1. Enquanto a reação de MeCHCl-CH=CH
2
com EtONa/EtOH
produz somente MeCH(OEt)-CH=CH
2
, a solvólise do
mesmo haleto, ou de MeCH=CH-CH
2
-Cl pelo etanol produz
mistura de
MeCH(OEt)-CH=CH
2
e MeCH=CH-CH
2
-OEt
2. A reação de nucleofílos (Nu) com CH
2
=CH-CH(R)-Cl, R
é grupo volumoso, produz Nu-CH
2
-CH=CHR, e não
CH
2
=CH-CH(R)-Nu
2- Com mudança do Esqueleto Carbônico
2.1. Rearranjos tipo Wagner-Meerwein
Explicar os seguintes resultados:
i- A hidrólise de brometo de neopentila por OH
-
/H
2
O é
muito mais lenta que a hidrólise de C
2
H
5
Br.
ii- A seguir são os resultados da hidrólise em água:

Reagente Produtos
(CH
3
)
3
C-CH
2
Br

(CH
3
)
3
C-CH(C
6
H
5
)Br
(CH
3
)
2
C(OH)CH
2
CH
3
+
(CH
3
)
2
C=CHCH
3
(CH
3
)
3
C-CH(C
6
H
5
)OH
2.2. Rearranjo Pinacol-Pinacolona:
H
+
CH
3
CH
3
CH
3
OH
HO
CH
3
H
3
C
CH
3
H
3
C
CH
3
3
CH
3
OH
H
2
O
3
O
PINACOL
PINACOLONA
H
+
CH
3
-
H
2
O
H
3
C
CH
3
H
3
C
O H
CH
3
+
CH
CH
+
Rearranjo de semi-pinacol de compostos com
heteroátomo em  (iodo-álcoois, iodo-hidrinas)
Questão: Explicar o seguinte resultado: (Rearranjo retro-
pinacol):
OH
H
3
O
+
O
R
R
R
R
Aspectos Estereoquímicos:
Após o rearranjo, quais são as configurações de:
(1) Origem de migração;
(2) Término de migração;
(3) Grupo Migrante, se este for quiral.
Os seguintes resultados (exper. De cruzamento) mostram qual
é o tipo de rearranjo, intra- ou inter-molecular?
(C
6
H
5
)
2
COH-C(CH
3
)
2
COH + (C
6
H
5
)
2
COH-C(C
2
H
5
)
2
COH

C
6
H
5
)
2
C(CH
3
)-COCH
3
+ (C
6
H
5
)
2
C(C
2
H
5
)-CO(C
2
H
5
)
Nos rearranjos com deslocamneto 1,2 de hidreto, na
presença de solventes deuterados, não se obtém
produtos deuterados.
A retenção de configuração do grupo migrande foi
mostrado por:
H
3
C
H
Bu
H NH
2
Me
NaNO
2
HCl
Me
H
Bu
H
H
3
C
N N
H
2
O
OH
H
H
3
C
Bu
H
Me
Os resultados experimentais mostram predominância de
inversão de configuração na origem, e no término de
migração, devido a formação de íons cíclicos tipo, por
exemplo, o íon fenônio:
H H
Cl
Me
H
H
H
3
C
H
H
O
-70
o
C
O d
+
H
H
SbF
5
/SO
2
SbF
5
Cl
-
d
+
A inversão é quase completa nos sistemas cíclicos, onde
não há rotação em volta da ligação C
1
-C
2.
Questão: Os seguintes resultados mostram que houve 100%
de inversão de configuração via íon cíclico?
Ph
H
Me
NH
2
Ph
HO
ou
HO
Ph
NH
2
Me
H
Ph
NaNO
2
HCl
O
Ph
Me
H
Ph
+
Ph
H
Me
Ph
O
12%(-) 88%(+)
2.3. Síntese de Arndt-Eistert é Rearranjo de Wolf (para
carbenos) e a




A síntese de Arndt-Eistert é empregada para aumentar
a cadeia carbônica de derivados funcionais de ácidos
carboxílicos por um carbono)
O
R
OH
SOCl
2
R
O
Cl
CH
2
N
2
CHN
2
O
R
CHN
2
O
R
H
2
O
R'OH
NH
4
OH
OH
O
RCH
2
RCH
2
O
OR'
RCH
2
O
NH
2
R
O
CH
CH N N
O
R
+
-
..
O C
R
H
ceteno
Rearranjo de Wolff
Rearranjo de Wolff
2.3. Rearranjo Benzil-Ácido Benzílico
Tratamento de -dicetonas com base produz
-hidroxiácidos:
O
O
Ar
Ar'
OH
-
Ar'
HO
Ar
CO
2
-
OH
-
Ar'
Ar
O
O
OH O
HO Ar
Ar'
II- Rearranjos Moleculares para Nitrogênio
Deficiente de Elétrons
Rearranjo de Hofmann; Curtius; Lossen e Schmidt
A característica comum destas reações é a presença no
composto, de um bom grupo de partida que facilita o
rearranjo. Os mecanismos (para derivados de ácidos
carboxílicos) são semelhantes, e seguem uma das duas
possibilidades:
R
O
N
X
-
O C N R
+
R
O
NH
X
O C NH R
..
ou
Evidências para este mecanismo são:
(i) A configuração do grupo migrante, R, é retido;
(ii) A cinética é de 1a. Ordem no composto;
(iii) Não ocorre rearranjo no grupo migrante, ex.:
neopentila;
(iv) Não existem produtos de cruzamento.
Rearranjo de Hofmann
-
R
Br-N
..
O
-
R N
..
O
+
+ Br
-
..
+
O
..
R N
-
..
R N C O
H
R
N
.. OH
-
+
O
N
..
R N C O
H
2
O
HO
R
H
.
.
-
O
HO
H
ISOLADO
O
O
OH
-
+
O C N R
R
HN OCOR'
NH
2
HN
R
O
N
R
O
-
N N
HO
R
O
HN
3
NaNO
2
HCl
Lossen
Curtius
Schmidt
OH
-
O
..
H
Br-N
R
O
..
Br-N
R
-
ISOLADO
ISOLADO
O
-
R
RCONH
2
OH
-
NH
Br Br
Rearranjos de Beckmann (oxima para amida)
RR'C O + NH
2
OH RR'C NOH
H
+
ou PCl
5
RC=O
NHR'
O grupo que migra é o grupo anti ao OH:
O R'
R
N
OH
H
+
, D
NH
R
R'
Existe uma troca direta entre R’ e OH-?
O
AR
N
OH
H
2
O
*
, D
NH
AR
Me
Me
H
+
*
Qual a conclusão da incorporação de O* no produto?
No rearranjo de Beckmann:
• a experiência de cruzamento, e o uso de grupos quirais
demonstram a natureza intramolecular.
• a velocidade da reação depende do grupo ligado ao
oxigênio da oxima (O-X):
PhSO
3
> ClCH
2
CO
2
> MeCO
2
• a velocidade da reação aumenta com a polaridade do
solvente.


Mecanismo:
+
R'
R
N
OH
OH
2
+
N
R
R'
H
+
PCl
5
ou
SOCl
2
R'
R
N
Cl
RC N R'
O
R'
R
N
NH
R
R'
R'
RC N R'
+
H
2
O
N
R
+
H
2
O
HO
Aplicação Industrial do Rearranjo de Beckmann:
A Síntese do Nylon 6
OH OH
O N
OH
H
2
/Ni
Cu
250
o
C
NH
2
OH
N
OH
H
+
OH
2
+
N
H
2
O
OH
BASE
D
NH NH
O
CAPROLACTAMA
POLIAMIDA, NYLON 6
C
+
N
O
N
N
OH
N
II- Rearranjos Moleculares para Oxigênio
Deficiente de Elétrons
Rearranjo de Baeyer-Villiger (inserção de oxi)
Tratamento de cetonas simples, ou cetonas cíclicas com
H2O2 ou perácidos (RCO-OOH) produz ésteres, e
lactonas, respectivamente:
R O
R
R'CO
3
H
O
R
O R
O
H
2
O
2
O O
R
O R
O
R
OH R
H
+
+
R'CO
3
H
H
+
R
HO
R
O
O
O
R'
R'CO
2
-
+
+
R O H
R
H
+
R
OR
O
Questão: Explicar o significado mecanístico dos seguintes
resultados experimentais:
1. Oxidação de A produz somente B, e não C:
2. Para o catalisador G-C
6
H
4
-CO
3
H o valor de  de Hammett
é positivo; para (G-C
6
H
4
)
2
C=O o valor de  de Hammett é
negativo.

3. Para (R)
2
C=O, a configuração de R é retida

*

O
O
O
O
O
A B C
*

*
Rearranjo de Hidroperóxido
Produção Industrial de Acetona e Fenol
+ ?
catalisador?
cumeno
O
2
O-OH
H
+
O-OH
2
+
O
+
+
O
H
2
O
-H
+
O
OH
OH
O
H
3
O
+
OH
+
O
Ph
O
Me
Me
OH
2
+
d
+
d
+
d
+
d
+
para G-C
6
H
4
-CH(CH
3
)
2
o valor de  de Hammett é
negativo.