Dimensão 1

ESTRATÉGIA E ALTA
ADMINISTRAÇÃO
MODELO DAS 7 DIMENSÕES
José Cláudio Cyrineu Terra, 2005
Como implantar GC ?
MODELO 7 DIMENSÕES (TERRA, 2005)
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
• Um dos papéis da alta
administração
–Estabelecer macro-visão para a
condução de projetos innovadores
• Definem resultados esperados
• Ajudam a tomar decisões
• Relacionam ações individuais ao
propósito final geral
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
• FATOR CRÍTICO DE SUCESSO
–CAPACIDADE DE DOMINAR CONJUNTO
LIMITADO DE HABILIDADES
IMPORTANTES PARA CLIENTES
• Concorrentes são aqueles com base de
conhecimento semelhante e não com produto
similar
• Assim …
– Capacidade de liderança, organização e
gerenciamento de pessoas são fundamentais, são
fonte de vantagem e ativos
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
• Sucesso é consequência de
– Capacidade de criar processos de conversão de
conecimentos individuais, coletivos, tácitos e
explícitos que resultem em novos produtos,
serviços e processos

D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
• Competências organizacionais envolvem a
capacidade de obter resultados
específicos e tangíveis a partir da
mobilização integrada das competências
individuais e coletivas, do uso efetivo de
recursos produtivos e de informação, de redes
de relacionamentos, entre outros.
• TERRA, 2005, p.106

D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
• Competências centrais (core competence)
– Identificadas no processo de planejamento
estratégico para a expansão de mercados e
garantir diferencial competitivo
– Relacionadas às competências individuais e
coletivas
• TERRA, 2005, p.107

COMPETÊNCIA ESSENCIAL
• Prahalad e Hamel (1990) sobre as core
competences.
• três critérios:
– oferecer reais benefícios aos consumidores,
– ser difícil de imitar
– prover acesso a diferentes mercados.
• Competência seria assim a capacidade de
combinar, misturar e integrar recursos em
produtos e serviços.
COMPETÊNCIA ESSENCIAL
• não precisa necessariamente ser baseada em
tecnologia
• pode estar associada ao domínio de qualquer
estágio do ciclo de negócios, como por exemplo um
profundo conhecimento das condições de operação de
mercados específicos.
• para ser (uma competência) essencial, esse
conhecimento deve estar associado a um
sistemático processo de aprendizagem, que
envolve descobrimento/inovação e capacitação de
recursos humanos.

COMPETÊNCIA
• Fleury e Fleury (2000, p.21 apud TREFF
e GONÇALVES, 2008), “competência é
um saber agir responsável e
reconhecido, que implica mobilizar;
integrar; transferir conhecimentos,
recursos e habilidades, que agreguem
valor econômico à organização e valor
social ao indivíduo”.
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
COMPETÊNCIA
• Fleury e Fleury (2000, p.21 apud TREFF
e GONÇALVES, 2008, p. 6),
“competência é um saber agir
responsável e reconhecido, que implica
mobilizar; integrar; transferir
conhecimentos, recursos e habilidades,
que agreguem valor econômico à
organização e valor social ao indivíduo”.
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
Da competência do indivíduo para a da organização
Zarifian (1999 apud FLEURY.
– Competências sobre processos: os conhecimentos do
processo de trabalho.
– Competências técnicas: conhecimentos específicos sobre o
trabalho que deve ser realizado.
– Competências sobre a organização: saber organizar os
fluxos de trabalho.
– Competências de serviço: aliar à competência técnica a
pergunta: qual o impacto produto ou serviço sobre o
consumidor final?
– Competências sociais: saber ser, incluindo atitudes que
sustentam os comportamentos; 3 domínios: autonomia,
responsabilização e comunicação.
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS
• Prahalad e Hammel (1885 apud TREFF e
GONÇALVES, 2008, p. 6),
• o aprendizado coletivo na organização,
para coordenar as diversas habilidades
e produção, bem como integrar as
tecnologias.
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
ESTRATÉGIA DE CONHECIMENTO
• Visão compartilhada entre as unidades
organizacionais como as prioridades da alta
administração podem ser traduzidas em termos
de produção e criação de conteúdo.
– “O planejamento estratégico inclui [...] ações
destinadas a melhorar algumas competências
específicas dos colaboradores, contratação de
funcionários com perfis, experiências e competências
estratégicas ao estímulo ao compartilhamento de
melhores práticas, à proteção e retenção de
conhecimento [...]” (TERRA, 2005, p.114-115).
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
ESTRATÉGIA DE CONHECIMENTO
• Problemas acontecem ...
– Desconhecimento generalizado sobre
métodos de trabalho para a tradução das
estratégias em conhecimento
– Falta de debate com indivíduos que lideram,
consomem, produzem e disseminam o
conhecimento
D1-ESTRATÉGIA E ALTA ADMINISTRAÇÃO
REFERÊNCIAS
FLEURY, Maria Tereza Leme; FLEURY, Afonso. Construindo o conceito de
competência. Rev. adm. contemp., Curitiba , v. 5, n. spe, 2001 . Available from
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-
65552001000500010&lng=en&nrm=iso>. access on 21 Apr. 2014.

TERRA, José Cláudio Cyrineu. A Prática da Gestão do Conhecimento
no Brasil e no Exterior. SP:2005. Disponível em:
<http://www.slideshare.net/jcterra/gestao-do-conhecimento-7-dimensoes>.

______. Gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

TREFF, Marcelo Antonio; GONÇALVES, Luiz Claudio. A era do conhecimento e os
impactos na qualificação profissional e gestão por competências. In: IV
CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, Niterói,-RJ, 31 de
julho, 01 e 02 de agosto de 2008. Disponível em:
<http://www.excelenciaemgestao.org/Portals/2/documents/cneg4/anais/T7_0105_019
8.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2014.