539 aC

Ciro O Grande
Em 539 aC, os exércitos de Ciro, o
Grande, o primeiro rei da antiga
Pérsia, conquistou a cidade de
Babilônia. Mas foram seus próximas
ações que marcou um grande avanço
para o homem. Ele libertou os
escravos, declarou que todas as
pessoas tinham o direito de escolher
sua própria religião, e estabeleceu a
igualdade racial.
O Cilindro de Ciro (539 aC)
Os decretos Cyrus foram inscritos no
idioma acadiano em um cilindro de argila
cozida.

1215
Magna Carta
O rei João da Inglaterra violado uma série de
leis e costumes antigos da Inglaterra, seus
súditos o obrigaram a assinar a Magna Carta
A Magna Carta, ou "Grande Carta", foi sem
dúvida a influência adiantada mais significativo
sobre o extenso processo histórico que levou ao
Estado de direito constitucional hoje no mundo
de fala Inglês.

Magna Carta, ou "Grande
Carta", assinado pelo Rei da
Inglaterra, em 1215, foi
uma virada em matéria de
direitos humanos.

1776
Estados Unidos Declaração de
Independência

Em 1776, Thomas Jefferson redigiu a
Declaração da Independência Americana.

Filosoficamente, a Declaração ressaltou dois
temas: os direitos individuais e o direito de
revolução. Estas ideias se tornou amplamente
aceita pelos americanos e se espalhou
internacionalmente também, influenciando em
particular a Revolução Francesa.

1787
A Constituição dos Estados Unidos da
América e a

A Declaração de Direitos da Constituição dos
EUA protege as liberdades fundamentais dos
cidadãos dos Estados Unidos.

1791
Declaração de Direitos
As dez primeiras emendas à Constituição, a
Declaração de Direitos de entrou em vigor em 15
de Dezembro de 1791, que limita os poderes do
governo federal dos Estados Unidos e proteger os
direitos de todos os cidadãos, residentes e
visitantes em território americano
1789 a 1799
Revolução Francesa
Revolução Francesa veio para mudar a
história humana, possibilitando a redução das
desigualdades entre os homens
e a liberdade dos indivíduos, que até então se
encontravam em situação de
opressão, miséria e fome.

1789
Declaração dos Direitos do
Homem e do Cidadão
Após a Revolução Francesa, em 1789,
a Declaração dos Direitos do Homem
e do Cidadão concedido liberdades
específicas de opressão, como uma
"expressão da vontade geral".

MAHATMA GANDHI (1869—1948)

Mohandas Karamchand Gandhi é amplamente reconhecido como um
dos maiores líderes políticos e espirituais do século XX.
Honrado na Índia como o pai da nação, foi pioneiro e praticou o
princípio de Satyagraha — resistência à tirania através de
desobediência civil massiva, não violenta.
Enquanto liderava campanhas a nível nacional para mitigar a pobreza,
expandir os direitos das mulheres, criar harmonia religiosa e étnica e
eliminar as injustiças do sistema de castas, Gandhi aplicou de forma
suprema os princípios da desobediência civil não violenta para libertar a
Índia do domínio estrangeiro.
Ele foi frequentemente feito prisioneiro pelas suas ações, às vezes
durante anos, mas realizou o seu objetivo em 1947 quando a Índia
adquiriu a sua independência da Grã–Bretanha.
Devido à sua grandeza ele é chamado Mahatma, que significa “grande
espírito”. Os líderes de direitos civis desde Martin Luther King, Jr., a
Nelson Mandela reconheceram Gandhi como fonte de inspiração na
sua luta para conseguir direitos iguais para os seus povos.
1945
A Organização das Nações Unidas

Em abril de 1945, os delegados de cinquenta países se
reuniram em San Francisco cheio de otimismo e esperança. O
objetivo da Conferência das Nações Unidas sobre a
Organização Internacional para a moda era um organismo
internacional para promover a paz e evitar guerras futuras. Os
ideais da organização foram afirmado no preâmbulo de sua
carta proposta: "Nós, os povos das Nações Unidas estão
decididos a preservar as gerações vindouras do flagelo da
guerra, que por duas vezes em nossa vida, trouxe sofrimentos
indizíveis à humanidade."
A Carta da nova organização das Nações Unidas entrou em
vigor em 24 de Outubro de 1945, uma data que é
comemorado todos os anos como o Dia das Nações Unidas.

ELEANOR ROOSEVELT (1884—1962)
Como Presidente da Comissão dos Direitos Humanos
das Nações Unidas, Eleanor Roosevelt foi a força
impulsora na criação da carta de liberdades em 1948
que sempre será o seu legado: A Declaração
Universal dos Direitos do Homem.
Nascida em Nova Iorque, Eleanor casou–se com o
político em ascensão, Franklin Delano Roosevelt, em
1905 e envolveu–se completamente no serviço
público. Quando chegaram à Casa Branca em 1933
como Presidente e Primeira–dama, ela já estava
profundamente envolvida em questões dos direitos
humanos e de justiça social. Ao continuar o seu
trabalho em nome de todas as pessoas defendeu os
direitos iguais para a mulher, afro–americanos,
trabalhadores da era da depressão levando
inspiração e atenção às suas causas.
1948
A Declaração Universal dos Direitos
Humanos
Em 1948, a nova Comissão de Direitos Humanos das
Nações Unidas tinha capturado a atenção do mundo.
Sob a presidência dinâmica da viúva do Presidente
Franklin Roosevelt- um campeão dos direitos
humanos - Eleanor Roosevelt e o delegado dos
Estados Unidos na ONU, a Comissão se propôs a
elaborar o documento que tornou-se a Declaração
Universal dos Direitos Humanos. Roosevelt, creditado
com a sua inspiração, referiu-se à Declaração como a
Carta Magna internacional para toda a
humanidade. Foi adoptada pelas Nações Unidas em
10 de dezembro de 1948.

MAS O QUE SÃO DIREITOS
HUMANOS???
A PESSOA HUMANA E SUA
DIGNIDADE

A dignidade humana, na linguagem filosófica, “é o
princípio moral de que o ser humano deve ser tratado como um
fim e nunca como um meio”. É, portanto, um direito essencial.
É longa a caminhada empreendida pela humanidade para
o reconhecimento e estabelecimento da dignidade da pessoa
humana. De acordo com o Prof. Fábio Konder Comparato, “todos
os seres humanos, apesar das inúmeras diferenças biológicas e
culturais que os distinguem entre si, merecem igual respeito,
como únicos entes no mundo capazes de amar, descobrir a
verdade e criar a beleza”. Em razão desse reconhecimento
universal, conclui: “ninguém – nenhum indivíduo, gênero, etnia,
classe social, grupo religioso ou nação – pode afirmar-se superior
aos demais”.
Atualmente, não se discute, há o reconhecimento de que
toda pessoa tem direitos fundamentais, decorrendo daí a
imprescindibilidade da sua proteção para preservação da
dignidade humana.
Conceitua-se direitos humanos como
aqueles direitos que respondem as necessidades
das pessoas, dos grupos e sociedades e garanti-los e
promover o exercício da dignidade. O conceito de
Direitos Humanos é integral, já que são
interdependentes, ou seja, que não existe um
direito que tenha mais importância que outro o que
implica diretamente que a violação de um só desses
direitos, repercute nas múltiplas violações, além do
mais que a realização de um direito possibilita a
realização de outros.
O conceito Direitos Humanos é universal e
inclusivo, já que são necessários para todos e cada
uma das pessoas, tanto na parte individual como na
coletividade, no marco da situação histórica,
temporal e cultural que rodeia a convivência dos
seres humanos. Por tanto, o modo de realização dos
Direitos Humanos depende da situação social,
política e cultural dos grupos humanos que os
exercem, defendem e revindicam.

• http://www.humanrights.com/#/home

• http://queconceito.com.br/direitos-
humanos#ixzz307qrPPeZ

• https://www.portaleducacao.com.br/direito/artigos/29142/
a-historia-dos-direitos-humanos-no-brasil#!1
Referência Bibliográfica: