You are on page 1of 25

Princípios da Ergonomia

Erika Cristina Diniz
Terapeuta Ocupacional
Rede de Reabilitação Lucy Montoro
Unidade Jaú.
Origem
 Ergonomia é uma
palavra grega.

 ERGO = que significa
trabalho

 NOMOS = que
significa regras
É uma ciência que
envolve:
 anatomia,
 Fisiologia
 Biomecânica


 Engenharia
 desenho industrial
 Informática
 Administração
 Psicologia
 Antropometria


“Estudo entre o homem e o seu
trabalhos, equipamentos e meio
ambiente”
A ergonomia surgiu junto com o homem primitivo,
com a necessidade de se proteger e sobreviver.

O homem primitivo, começou a aplicar os
princípios da ergonomia, ao fazer seus utensílios
de barro para tirar água de cacimbas e cozinhar
alimentos, fazer tacapes para se defender ou
abater animais.
Foi na revolução industrial que a ergonomia
começou a surgir.


Nas grandes guerras ela teve uma importância
fundamental no desenvolvimento de armas e
equipamentos que deveriam ser precisos e
habilitados a serem usados por soldados de
vários países com alturas diferentes.

A ergonomia surgiu em função da necessidade do
ser humano, cada vez mais querer aplicar menos
esforço físico e mental, nas atividades diárias.

O Computador, a calculadora, são dois exemplos
de produtos ergonômicos diminuindo o esforço
mental.

Podemos aplicar estudos ergonômicos no lar, no
transporte, no lazer, na escola e, principalmente
no trabalho.
Tríade básica da Ergonomia:
Conforto
Segurança
Eficiência


A perfeita integração entre as condições de
trabalho e a tríade:

Conforto – Segurança - Eficiência do Trabalhador

Tipos Principais

Ergonomia de Correção

Atua de maneira restrita, modificando os elementos parciais do
posto de trabalho, como:
Dimensões, Iluminação, Ruído, Temperatura, etc.


Ergonomia de Concepção

Interfere amplamente no projeto do posto de trabalho, do
instrumento, da máquina ou do sistema de produção,
organização do trabalho e formação de pessoal.






Ergonomia de Conscientização

Ensina o trabalhador a usufruir os benefícios de seu
posto de trabalho:

• Boa postura, uso adequado de mobiliários e
equipamentos,

• Implantação de pausas, ginástica laboral (antes,
durante e depois da atividade),

• Como conscientizar as pessoas da limitação de seu
corpo.

• Como treinar as pessoas a serem mais eficientes
com seu corpo.

Ergonomia Participativa

Estimulada pela presença de um Comitê Interno
de Ergonomia (CIE):

CIE – comissão que engloba representantes da
empresa e dos funcionários, utiliza as ferramentas
da ergonomia de conscientização para que haja o
pleno usufruto do projeto ergonômico, seja esse
implementado pela ergonomia de concepção ou
de correção.

Um CIE só funciona quando é simples, de baixo
custo.


Princípios da Ergonomia
Princípio 1
Posição vertical
O corpo humano deve trabalhar na vertical ou posição
neutra onde encontra seu melhor ponto de
equilíbrio,com baixo nível de tensão dos músculos em
geral.

Para que seja possível esta postura o posto de trabalho
deve proporcionar:

• Altura adequada das bancadas: trabalho pesado,
moderado ou leve.
• para trabalhos de escrita a bancada ou mesa na
altura da linha epigástrica(parte superior do
estômago).

• Quando o trabalho envolver mais de um tipo de
tarefa, analisar a tarefa de maior tempo e assim
utilizar a altura da bancada adequada.

• Na medida do possível dotar o posto com
regulagem de altura;
Principio 2

Boa situação mesa – cadeira:
•Manter o tronco apoiado ajuda a aliviar a tensão
muscular,

• durante a escrita manter a inclinação anterior do
assento permitindo assim que utilize corretamente
o assento e não posicionar-se na extremidade do
mesmo.






• Utilizar cadeira com rodízios a fim de evitar torcer
o corpo e sim girar a cadeira,

• Quando possível inclinar a superfície de trabalho
Princípio 3

Auxílio mecânico
• Diminuição do peso dos objetos deve ser uma
prioridade constante em qualquer trabalho de
ergonomia.

• Utilizar carrinhos com elevação manual lenta.
Princípio 4

Eliminar esforço estático:

1 - Eliminar tronco encurvado corrigindo com altura
adequada de bancada;

2. Sustentação de cargas pesadas através
principalmente de suportes e correntes;

3. Evitar apertar pedais estando de pé se a
freqüência deste esforço for maior que 3 vezes por
minuto, colocar o trabalhador sentado ou colocar a
tarefa para ser feita através de botões manuais;
4. Evitar braços acima do nível dos ombros;

5. Eliminar o manuseio ,movimentação e
carregamento de cargas muito pesadas;

6. Instituir a flexibilidade postural, pois é através
desta que se consegue um bom revezamento dos
esforços, sem sobrecarga.
Principio 5

Melhorar a alavanca do movimento:

1 .Melhoria de projeto de ferramentas manuais;
motosserras, cortadeiras, etc...

2. Aumento do cabo de ferramentas,
especialmente quando envolver esforço de
distorcer uma porca;

3. Substituir o levantar por puxar; melhor ainda é
empurrar.

Princípio 6

Os instrumentos de controle devem estar dentro
da área de alcance das mãos.

Todos os objetos, ferramentas e controles a
serem pegos /operados freqüentemente devem
estar dentro da área de alcance normal.

Todos os objetos, ferramentas e controles a serem
pegos/operados ocasionalmente devem estar
dentro da área de alcance máximo.




Alcance normal: entende-se por braços esticados
na linha do ombro.

Alcance Maximo: entende-se por braços esticados
na linha do ombro e giro do tronco.
Princípio 7

Evitar torcer e fletir o tronco ao mesmo tempo

• Para evitar esforços deste tipo:
• orientação ao trabalhador,
• eliminar obstáculos das cargas que tenham que
ser manuseadas;

• reposicionar locais de armazenamento;

• peças pesadas devem ser colocadas sobre
caixas rasas, e estas sobre bancada.

Princípio 8

Criar facilidades mecânicas no trabalho

• Para evitar esforços desnecessários utilizar:
carrinhos; talhas com corrente;

• gancho com corrente;

• talhas mecânicas;

• talhas com ventosas ou com prendedores
laterais e dispositivos auxiliares para transportar
tambores.


Princípio 9

Utilizar o princípio PEPLOSP para manusear peças.

PEPLOSP quer dizer:

P- perto do corpo
E- elevada na altura de 75 cm do piso
P-pequena distância vertical entre a origem e o
destino
L- leves
O- ocasionalmente
S- simetricamente, sem ângulo de rotação do tronco
P- pega adequada para as mãos


Princípio 10

Usar análises biomecânicas para avaliar o risco
das tarefas.

Duas formas de análises são muito úteis:

• Modelo biomecânico bidimensional da
Universidade de Michigan,

• Critério de NIOSH para avaliar o risco do
levantamento manual de cargas .
A aplicação destes princípios visa prevenir os
riscos de lombalgias nas empresas em até 80%.


A Ergonomia é a ciência do conforto, e é através dela que procuramos
assegurar uma boa adaptabilidade entre o homem e seu trabalho, seus
equipamentos, seu ambiente físico, suas ferramentas e muitos fatores
que cercam seu sistema de trabalho.

OBRIGADA!!!!