Clique para editar o estilo do subtítulo mestre

EPÍSTOLA DE PAULO À TITO
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Local de Escrita: Macedônia

CARACTERÍSTICAS DA CARTA
Data: Escrita entre os anos de 64 e 66 d.C., logo após a
libertação de Paulo de sua primeira prisão em Roma.
Autor: Paulo, o apóstolo
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Tema a Epístola: A organização da igreja e comportamento
cristão.
CARACTERÍSTICAS DA CARTA
Classificação da Epístola: Eclesiológica.
Texto Base:
―Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em
boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em
cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei.‖
(Tito 1:5)
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
É a penúltima carta escrita por Paulo antes da sua morte
entre os anos de 67 a 68 d.C. por Nero em Roma.
CURIOSIDADES DA CARTA
Essa é uma das epístolas pastorais.
(Em ordem cronológica: Filemon, I Tm., Tito e II Tm.)
Estas epístolas são muito úteis a todos os pastores e líderes
espirituais dos nossos dias.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
É a quarta maior ilha do Mar Mediterrâneo, fica diretamente
ao sul do mar Egeu. Distante da Europa, da Ásia e da África,
mas considerada parte da Europa, integrada junto a Grécia.
A ILHA DE CRETA
A ilha Creta possui 8.336 km
2
, a capital da ilha era Iráclio.
Não apenas era muito conhecida na Antigüidade, mas além
do NT também foi mencionada no AT como terra de origem
dos filisteus, de nome Caftor (Dt. 2.23; Jr. 47.4; Am. 9.7).
Essa é precisamente a ilha de Creta, que para os
contemporâneos da época era a terra dos ciganos,
mentirosos, animais ferozes e ventres preguiçosos (Tt. 1.12)!
Creta não se situava mais no mundo com o qual os cristãos
daquela época conviviam.‖
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
A passagem de At. 2.11 possui grande relevância, porque
atesta que Lucas sabe da existência de judeus em Creta que
presenciaram o milagre de Pentecostes em Jerusalém.
A ILHA DE CRETA
Contudo é evidente que a história da presença de judeus de
todos os países vizinhos não apenas visa dizer que eles
ouviram os apóstolos falarem em seus próprios idiomas, mas
que aqueles que passaram a crer em Jesus como o Messias
e então começaram a disseminar o evangelho nos países
dos quais vieram (At. 2.12;37;41).
É possível que já existissem pequenas células domésticas de
discípulos de Jesus: contudo a influência judaísta poderia ter
partido de cristãos judeus com pouca instrução, o que mais
tarde pode ter dado origem às doutrinas errôneas (Tt. 3.9).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Creta situa-se em um ponto de cruzamento entre Ásia, África
e Europa. A palavra ―sincretismo‖ vem dos cretenses. Em
Creta cada uma das numerosas cidades queria ser o mais
autônoma possível em relação a todas as demais.
A ILHA DE CRETA
Os numerosos portos de boa qualidade ofereciam uma bem-
vinda proteção também pa-ra paradas mais longas no
inverno: por exemplo, certa feita Paulo havia sugerido à
tripulação do navio que permanecessem em Creta, até que
as tempestades passassem (At. 27.21).
Evidentemente, por causa das numerosas viagens, ele
entendia do assunto! Durante os longos meses de inverno,
em que toda a navegação estava paralisada, evangelistas
tinham excelente oportunidade de entregar sua mensagem.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Embora fosse grego (nascido em Antioquia), seu nome vem
do latim e significa "louvável".
QUEM FOI TITO?
Tito goza de alta consideração por parte de Paulo (II Co.
8.16-23). Ele já era colaborador do apóstolo antes de
Timóteo, acompanhando-o com Barnabé ao concílio dos
apóstolos (Gl. 2.1).

Se por um lado Paulo realiza a circuncisão de Timóteo para
evitar escândalo desnecessário (At. 16.3), por outro lado o
apóstolo se nega terminantemente a permitir a circuncisão de
Tito (Gl. 2.3).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Isso pode ser devido a diversas circunstâncias: no caso de
Timóteo era uma questão da prática missionária (I Co. 9.20),
e no de Tito estava em jogo uma controvérsia doutrinária
fundamental sobre aquilo que é necessário à salvação .
QUEM FOI TITO?
Paulo posicionava-se diante dele mais como alguém que
pede e menos como alguém que emite orientações e ordens
(II Co. 8.16s).
Quando Timóteo, sensível e certamente mais jovem, não foi
capaz de cumprir sua incumbência em Corinto, interveio Tito,
estável e zeloso, pois com angústia Paulo aguardava o
desfecho das negociações, que na seqüência foram
coroadas de pleno êxito (II Co. 2.13;7.6,13s).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Os coríntios não receberam a Tito com desprezo (esse risco
existia em relação a Timóteo: 1Co 16.10s), mas pelo
contrário, com temor e tremor! (II Co. 7.15).
QUEM FOI TITO?
Mas Tito não se mostrou duro ou autoritário. Seu coração era
propício aos coríntios. Somente assim ele conseguia atuar
como mediador e pacificador entre Paulo e a igreja.
Paulo não precisa exortá-lo, como a Timóteo, a ser delicado
para com os idosos (Tt. 2.2 com I Tm 5.1), nem escrever que,
como servo do Senhor, deve ser magnânimo diante dos
hereges.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Visto que provavelmente se portava com a mesma
determinação de Apolo, admirado em Corinto, a igreja estava
disposta a atendê-lo mais do que a Timóteo, e até mesmo o
próprio Paulo escreve que também esteve entre eles ―com
temor e tremor‖ (I Co. 2.3).
QUEM FOI TITO?
Contudo Tito permanece (mais que Apolo) dependente das
instruções do apóstolo. Ainda que pedindo, Paulo o
compromete com algumas incumbências (Tt. 1.5; 3.12).
Encarrega-o de organizar em Corinto a coleta em favor de
Jerusalém, o que constituía uma parte essencial da tarefa
missionária a que Paulo estava submetido.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Acerca da viagem conjunta de Paulo e Tito para Creta
obtemos somente a informação de que Paulo o deixou lá
para que, como negociador e administrador, levasse adiante
e aprofundasse a obra iniciada (Tt. 1.5 com II Co. 8.6).
QUEM FOI TITO?
A tradição da igreja noticia que Tito teria se tornado bispo,
permanecendo solteiro e falecendo aos 94 anos de idade.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
A carta evidentemente devia servir como guia para Tito, e lhe
dava apoio apostólico para o desempenho de seus deveres
relacionados com as congregações cretenses.
OBJETIVO DA CARTA
Sua designação não era nada fácil, pois tinha de lidar com
pessoas rebeldes.
Como Paulo escreveu: ―Há muitos indisciplinados,
conversadores improfícuos e enganadores da mente,
especialmente os homens que aderem à circuncisão. É preciso
fechar a boca de tais, visto que estes mesmos persistem em
subverter famílias inteiras por ensinarem coisas que não
deviam, por causa de ganho desonesto‖ (Tt. 1.10-11).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Também, entre os cretenses, eram comuns a mentira, a
glutonaria e a preguiça, e, pelo visto, alguns dos cristãos
refletiam essas características ruins.
OBJETIVO DA CARTA
Por esse motivo, Tito tinha de repreendê-los com severidade
e mostrar-lhes o que se exigia dos cristãos, quer jovens, quer
idosos, varões ou mulheres, escravos ou livres.
Pessoalmente, tinha de ser exemplo de obras excelentes e
mostrar incorruptibilidade no ensino. — Tt. 1.12-3.2.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
A carta a Tito tem uma afinidade com I Tm. Ambas as
epistolas são endereçadas a jovens homens aos quais
tinham sido designados de liderança responsável em sua
respectivas igrejas durante a ausência de Paulo.
O CONTEÚDO DA CARTA
Ambas as epístolas ocupam-se com as qualificações
daqueles que devem liderar a ensinar as igrejas. Tito tinha
três grandes temas– a organização da igreja, a doutrina
correta e a vida santa.
Tito tinha de ordenar os presbíteros em cada cidade onde
existia o núcleo de uma congregação. Eles devia ser homens
de alto caráter moral, e deveriam ser inflexíveis em questões
de princípio, mantendo a verdadeira doutrina apostólica e
sendo capazes de reprovar os opositores.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Fundamentando as instruções de Paulo está o tema de que
Cristo está construindo sua igreja, escolhendo
cuidadosamente as pedras que formam essa habitação para
Deus.
CRISTO REVELADO NA CARTA
Paulo também enfatiza Cristo como nosso redentor (2.14;
3.4-7) e apresenta sua segunda vinda como um incentivo à
vida sagrada (2.12,13).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
O ministério do ES é compreendido por toda a epístola. Os
cretenses não podem mudar a si mesmo (1.12-13), e a
regeneração só pode ser obra do ES (3.5).
ESPÍRITO SANTO EM AÇÃO
A pessoa que experimenta um novo nascimento recebe o ES
a fim de manter um estilo de vida vitorioso seguindo os
moldes do de Cristo (3.6-8).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Afigura-se no ensino de Paulo a Tito que as posições de
ancião (1.5) e bispo, ou supervisor (1.7), eram um mesmo
cargo nos primeiros dias da igreja.
ECLESIOLOGIA DA CARTA
O primeiro termo, aparentemente, enfatizava a dignidade do
cargo, enquanto o último salientava a função ou direito
relacionado com a posição. É importante notar também que
Paulo ordena Tito a ―designar‖ anciãos em cada cidade (1.5).
Aparentemente, no início da igreja, era preciso fazer as coisas
mais episcopais de modo congregacional, embora os indícios de
ambas as formas de governo da igreja possam ser encontradas
no Novo Testamento. Paulo alista para Tito as qualidades que
devem caracterizar os homens nomeados para o cargo de
ancião, bispo (1.5-9).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
A esperança de vida eterna do cristão é certa! No começo de
sua carta ao seu filho espiritual Tito, Paulo afirmou que ele
labutava na esperança de vida eterna (1:2).

Tt. 1:1-16 – INSTRUÇÃO AOS MINISTROS - I

Ele estava contando com a promessa de Deus feita antes do
mundo começar. Essa promessa é certa porque é
incompatível com a natureza justa de Deus mentir.
Paulo identificou tanto sua posição como seu ministério. Ele
era um apóstolo, mas demonstrou sua humildade,
descrevendo-se como um servo (1:1).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Estava confiada a Paulo a pregação da mensagem divina
que espalharia a fé e o conhecimento de Deus (1:1-3).

Tt. 1:1-16 - INSTRUÇÃO AOS MINISTROS - II

Paulo tinha deixado Tito na ilha de Creta com instruções para
que pusesse em ordem certas coisas naquelas igrejas.
Explicitamente, Tito tinha que completar a indicação de
presbíteros nessas igrejas (1:5).
Paulo relacionou as qualificações de presbíteros para que
Tito pudesse ajudar os cristãos dessas congregações a
escolher homens capazes de fazerem este trabalho.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Os presbíteros também eram chamados ―bispos‖ e lhes era
designado o trabalho de pastorear o rebanho de Deus
(compare com 1:5-7 e Atos 20:17,28). Podemos concluir que
um presbítero é um pastor!

Tt. 1:1-16 - INSTRUÇÃO AOS MINISTROS - III

As qualificações relacionadas (1:6-9) indicam claramente que
um presbítero precisa ser homem casado e com filhos
cristãos. Precisa ser instruído na palavra de Deus e maduro
espiritualmente, tendo aplicado essa instrução em sua
própria vida.
Precisa ser capaz de usar seu entendimento da palavra de
Deus tanto para exortar como para corrigir outros (1:9).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Mestres competentes tais como presbíteros eram
necessários para reprovar muitos falsos mestres que, em seu
desejo de ganho financeiro, estavam desencaminhando
famílias inteiras (1:10-11).

Tt. 1:1-16 - INSTRUÇÃO AOS MINISTROS - IV

Paulo citou um dos escritores cretenses, observando que sua
descrição desprimorosa dos cretenses era perfeita (1:12-13)!
Paulo mandou que Tito reprovasse rispidamente aqueles
cretenses que estavam ensinando fábulas judaicas e
mandamentos dos homens (1:13-14).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
E ainda descreveu esses homens, observando como que
eles achavam o mal em tudo porque suas mentes e
consciências estavam contaminadas (1:15).

Tt. 1:1-16 - INSTRUÇÃO AOS MINISTROS - V

Ainda que declarassem estar em comunhão com Deus, eles
O negavam pelas suas obras e, como resultado, eram
abomináveis, desobedientes e desqualificados para qualquer
boa obra (1:16).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Paulo instruiu Tito, no capítulo um, a auxiliar as igrejas da ilha
de Creta a identificar e escolher presbíteros.

Tt. 2:1-15 – INSTRUÇÃO À CONDUTA CRISTÃ - I

Uma das responsabilidades de tais homens seria confrontar
indivíduos que estavam desencaminhando outros pelos seus
ensinamentos de fábulas judaizantes e mandamentos dos
homens.
Enquanto essas pessoas professavam que ―conheciam‖
Deus, elas negavam sua própria afirmação por sua
desobediência (1:10-16).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Agora, Paulo ordena a Tito que ensine, em contraste, como
as pessoas devem comportar-se. Ele se refere a este tipo de
ensinamento como ―sã doutrina‖ porque, se seguida, ela
levará os cristãos a manterem a saúde espiritual.

Tt. 2:1-15 – INSTRUÇÃO À CONDUTA CRISTÃ - II

Paulo aborda a conduta e as responsabilidades dos cristãos
nas bases de idade, sexo e emprego. Primeiro, ele descreve
o papel dos mais velhos, e então das mais velhas (2:2-3).
Ele esmiúça as responsabilidades das mulheres mais jovens
observando que as mulheres mais velhas deveriam ensiná-
las (2:4-5). A seguir, ele passa aos moços em geral no vv. 6 e
a Tito especialmente no vv. 7.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Finalmente, ele conclui esta parte descrevendo a conduta
apropriada dos servos (2:9-10).

Tt. 2:1-15 – INSTRUÇÃO À CONDUTA CRISTÃ - III

Ainda que suas instruções dadas a um grupo obviamente não
sejam totalmente diferentes daquelas dadas a outro grupo,
Paulo aborda necessidades específicas e tentações dos
vários grupos (por exemplo, roubo entre servos, falta de
submissão entre viúvas, integridade entre jovens; 2:5,7,10).
Um motivo forte para se comportarem de acordo com a sã
doutrina era evitar qualquer ocasião para os incrédulos
acusarem os discípulos de impiedade (2:5,8).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Em vez de fazerem com que a palavra de Deus fosse
difamada pela conduta pecaminosa, os cristãos poderiam
―adornar‖ a doutrina de Cristo através de sua obediência
(2:10).

Tt. 2:1-15 – INSTRUÇÃO À CONDUTA CRISTÃ - IV

Paulo continua observando em geral por que os cristãos
deveriam viver de acordo com a sã doutrina (2:11-14).
Deus demonstrou sua graça para com a humanidade
enviando seu Filho para morrer na cruz.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Jesus morreu para redimir os homens de sua iniqüidade,
assim provendo para ele próprio um povo especial purificado
e zeloso das boas obras (Ef. 5:25-27).

Tt. 2:1-15 – INSTRUÇÃO À CONDUTA CRISTÃ - V

A mensagem do evangelho é que podemos tornar-nos parte
deste povo especial se quisermos deixar a impiedade e as
paixões pecaminosas do mundo e viver de acordo com a sã
doutrina.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
O apóstolo Paulo nos lembra de nossa conduta passada.
―Éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de
toda sorte de paixões e prazeres, vivendo em malícia e
inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros‖ (3:3).

Tt. 3:1-15 – A VIDA CRISTÃ NA SOCIEDADE - I

A bondade e o amor de Deus foi manifestado quando salvou
os homens pecadores como Paulo e aqueles com os quais
Tito trabalhava. Contudo, esta divina misericórdia tem
conseqüências.
Deus não salvou os homens para que eles continuassem na
sua conduta pecaminosa. Tito é mandado lembrar seus
irmãos de que o comporta-mento deles como cristãos precisa
ser muito diferente do passado (3:1-2).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Observe que a conduta ordenada nestes versículos é oposta
à que é descrita no vv. 3. Ao invés de odiar aos outros ou agir
com maldade, os cristãos têm que ser pacíficos e gentis com
as pessoas, evitando falar mal delas.

Tt. 3:1-15 – A VIDA CRISTÃ NA SOCIEDADE - II

Uma das acusações feitas contra os cristãos nas
perseguições romanas do segundo e terceiro séculos era que
eles eram desleais ao governo. Esta acusação era feita
porque os cristãos não queriam adorar o imperador.
Contudo, os cristãos estariam entre os melhores cidadãos em
qualquer país, porque se submetiam voluntariamente ao
governo, por causa de Cristo (3:1; Rm. 13:1-7).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Ainda que Paulo ressalte a necessidade dos cristãos estarem
prontos para fazerem boas obras (1:16; 2:7,14; 3:1,8,14), ele
não quer que ninguém pense que sua salvação resultou de
suas obras de justiça (3:5).

Tt. 3:1-15 – A VIDA CRISTÃ NA SOCIEDADE - III

Somos justificados pela graça através da lavagem espiritual
cumprida no batismo (3:5; I Pe. 3:21; Ef. 1:7; At. 22:16; Ap.
1:5; Rm. 6:3-4). Não merecemos a herança que nos é dada,
a vida eterna (3:7).
Enquanto os cristãos precisam buscar boas obras, precisam
evitar discussões tolas e contendas que não edificam.
Precisam também ser cuidadosos com os irmãos facciosos.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Estes indivíduos devem ser admoestados uma e duas vezes
e, se não se arrependerem, os irmãos devem evitá-los (3:9-
11).



Tt. 3:1-15 – A VIDA CRISTÃ NA SOCIEDADE - IV

Paulo termina sua carta a Tito com alguns pedidos pessoais
referentes aos seus companheiros no trabalho. Ele pede a
Tito para ir encontrá-lo em Nicópolis, onde ele passaria o
inverno.
Mesmo nestas recomendações finais, ele salienta a
importância das boas obras (3:14).
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
LIÇÕES APRENDIDAS EM TITO
DISCIPLINA:
- Os cristãos devem ser auto-disciplinados como indivíduos e
devem ser ordeiros como pessoas que formam um corpo, a
Igreja. Precisamos obedecer a esta mensagem em nossos
dias, quando a disciplina não é respeitada ou recompensada
pela nossa sociedade.

- Embora outros possam não apreciar nossos esforços,
devemos viver uma vida íntegra, obedecer ao governo e falar
com prudência. Devemos viver unidos e pacificamente na
igreja e sermos exemplos vivos de nossa fé para a sociedade
contemporânea.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
LIÇÕES APRENDIDAS EM TITO
VIDA ÍNTEGRA:
- As Boas Novas de salvação ensinam que não podemos ser
salvos pelo fato de vivermos uma vida íntegra ou boa; somos
salvos somente pela fé em Jesus Cristo. Mas o evangelho
transforma a vida das pessoas, de forma que no final elas
também passam a fazer boas obras.

- Nosso serviço não nos salvará, mas somos salvos para
servir.Uma vida íntegra ou boa é um testemunho do poder do
evangelho. Como cristãos, devemos ter compromisso e
disciplina para servir. Você está colocando sua fé em ação
servindo aos outros?
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
LIÇÕES APRENDIDAS EM TITO
CARÁTER:
- A responsabilidade de Tito em Creta era designar
presbíteros para manter a organização e a disciplina
adequadas; por esta razão, Paulo listou as qualidades
necessárias aos presbíteros. A conduta de cada um deles em
seus lares revelava sua idoneidade para o serviço na igreja.

- Não é suficiente ser educado ou um seguidor leal para ser
um líder de acordo com o padrão de Cristo. É necessário ter
autocontrole, idoneidade espiritual e moral, e caráter cristão.
Quem você é importa tanto quanto o que você pode fazer.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
LIÇÕES APRENDIDAS EM TITO
RELACIONAMENTOS NA IGREJA:
- O ensino na igreja deve ser direcionado a vários grupos. Os
cristãos mais velhos devem ensinar e ser exemplos para
homens e mulheres mais jovens. As pessoas de todas as
idades e de todos os grupos ou classes sociais têm uma lição
a aprender e um papel a desempenhar.

- Uma vida íntegra e relacionamentos corretos acompanham
uma doutrina correta. Trate seu relacionamento com os
outros crentes como um processo de crescimento abundante
de sua fé.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
LIÇÕES APRENDIDAS EM TITO
CIDADANIA:
- Os cristãos devem ser bons cidadãos na sociedade,e não
apenas na igreja. Devem obedecer ao governo e trabalhar
honestamente.
A maneira como você cumpres os seus deveres cívicos é um
testemunho para um mundo observador. Tanto sua vida na
comunidade quanto seu viver na igreja devem refletir o amor
de Cristo.
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
Bibliografias:

- Carta a Tito – Comentário Esperança – Hans Burki
- Epístola de Paulo a Tito – Prof. Anísio Renato de Andrade
- O Livro de Tito – Allen Dvorak
- Tito – Comentário Bíblico Moody – Moody
- Introdução ao Novo Testamento – Louis Berkhof
- O Novo Dicionário da Bíblia – J. D. Douglas
- Bíblia de Estudo Plenitude – Editora Vida
- Site Biblioteca Cristã
- Estudo Panorâmico da Bíblia – Editora Vida
- Dicionário Bíblico – Editora Didática Paulista
- Pequena Enciclopédia Bíblica – Orlando Boyer – CPAD
- Teologia do Novo Testamento – Frank Thielman
- Teologia do Novo Testamento – George Ladd
- Comentário Bíblico NVI
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
DÚVIDAS??????
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
FIM