You are on page 1of 24

Reprodução Sexuada

Inês Vieira, Renata, Rui, Daniel 11ºB
Seleção Sexual
Dá-se o nome de seleção sexual á competição que existe
entre sexos na tentativa de conquistar o sexo oposto.
Esta competição divide-se em várias categorias.

“Luta entre indivíduos de um sexo, geralmente
os machos, pela posse do outro sexo.”
Charles Darwin
O dimorfismo varia de animal para animal, sendo este
influenciado pelo modo como ocorre a seleção sexual na espécie.
Dimorfismo Sexual
Besouro-rinoceronte
macho
Besouro-rinoceronte
fêmea
Outro exemplo são as hastes que os veados
machos transportam, às quais recorrem para
proclamar a sua fêmea.
Novamente, estas estruturas
estão ausentes nas fêmeas.

Existem também dimorfismos cuja utilidade é diferente. Muitas espécies
desenvolvem estruturas para chamar a atenção das fêmeas. Estes atributos podem
apresentar variadas cores, variados tamanhos e também desempenhar funções variadas.
A ave do paraíso também apresenta um padrão muito singular para
atrair a fêmea. Na imagem podemos ver o macho a cortejar a fêmea.
Rituais
Existem também casos em que a seleção do macho, por parte da fêmea,
envolve mais do que ilustrar os seus padrões, ou combater pelas fêmeas.
Podem envolver danças, cantos, presentes, tudo isto na tentativa de
conquistar o sexo oposto.
http://www.youtube.com/watch?v=6NKtuTS8eFA
Espermatogénese
Espermatogénese ou gametogénese masculina, é o processo de formação e
desenvolvimento dos espermatozoides, células sexuais especializadas que
possuem metade dos cromossomas paternos, graças à meiose.
Fases da Espermatogénese
Ovogénese
Ovogénese é o processo que tem como objetivo principal a produção de gâmetas
femininos. Este processo começa a ser elaborado no tempo de gestação do feto mas a
maior parte da evolução dá-se no crescimento do ser vivo até à sua fase adulta. Sendo
assim, é possível observar uma evolução da ovogénese visto que passa por três fases
distintas, sendo elas as seguintes: fase de multiplicação ou de proliferação, fase de
crescimento e a fase de maturação.



Fase de
multiplicação
Nesta fase, ocorrem mitoses consecutivas nas células germinativas
que formam grandes quantidades de outro tipo de célula, as ovogónias,
(2n).
Fase de
crescimento
Após esta fase, as ovogónias passam a designar-se oócitos I, (2n). Esta fase,
nas mulheres, prolonga-se até a puberdade, altura em que se inicia a sua
maturidade sexual.
Fase de
maturação
Quando o oócito I completa a primeira divisão da meiose, interrompida na prófase I, origina duas
células. Uma delas não recebe citoplasma e desintegra-se. Esta estrutura é chamada primeiro corpúsculo
(ou glóbulo) polar. A outra célula, grande e rica em nutrientes, é o oócito II, (n).
Fecundação
Fecundação
A fecundação consiste na união de dois gâmetas ( ou células sexuais), um feminino e outro
masculino, produzindo uma célula, o ovo ou zigoto, a partir da qual se desenvolve um novo
ser vivo. Nos organismos superiores, os gâmetas, que se formam por meiose, contêm
metade do número normal de cromossomas da espécie a que pertencem.

Nestes casos formam-se muitos gâmetas masculinos e femininos, o que garante a
chance de encontro casual entre eles, originando o maior número de zigotos. Porém,
desses inúmeros zigotos, nem todos sobrevivem às adversidades do meio ambiente.
.enas um pequeno número forma indivíduos adultos, dando continuidade à espécie.
Fecundação externa
Fecundação interna
Nos animais em que a fecundação é interna, o número de gâmetas
produzidos é menor, com isso, o custo energético de sua produção também é
menor. O custo com o desenvolvimento do embrião também depende do animal
ser ovíparo, ovovivíparo ou vivíparo.
Animais ovíparos
Animais ovíparos põe os ovos e o desenvolvimento embrionário deles
ocorre principalmente fora do corpo materno.
Animais ovovivíparos
Animais ovovivíparos retêm os ovos dentro do corpo até a eclosão, e
os embriões também se alimentam das reservas nutritivas presentes
nos ovos.
Animais Vivíparos
Nos vivíparos o embrião depende diretamente da mãe para a sua nutrição. O custo
energético é especialmente alto, pois as fêmeas investem energia na nutrição e no
desenvolvimento do embrião dentro dos seus corpos.
“ A natureza não se processa dentro de limites e fronteiras”
Carl Linnaeus