You are on page 1of 10

PRÉ-SOCRÁTICOS

SÉC. VII a VI a.C.
2 FORMAS DE COMPREENSÃO
DO MUNDO

• FISIÓLOGOS – Primeiros pensadores
gregos. Apoiavam-se na lógica, na
observação e na experiência direta com
os fenômenos da natureza- Precursores
da ciência.
• SOFISTAS – O Homem como objeto de
estudo.
FILÓSOFOS DA NATUREZA

• VISÃO DE HOMEM – Interessado no mundo
que ele habita. O homem não é objeto de
estudo de si próprio, sua existência é uma
certeza.
• Sustentação das explicações baseadas na
realidade percebida do cotidiano.
• Thales de Mileto – Matemático, elemento
originador – água.
SOFISTAS

• SOFISTAS - Pensava o homem na
sociedade, a importância do sujeito ,
inauguram a democracia, comerciantes
enriquecidos, crescimento através da
retórica, pensamento crítico e facilidade
de expressão.
Thales de Mileto
• “ O quente vive com o úmido, as coisas
mortas ressecam-se, as sementes de
todas as coisas são úmidas e todo
alimento é suculento.Donde é cada coisa,
disto se alimenta naturalmente :água é o
princípio da natureza”.
• HERÁCLITO - Discípulo de Pitágoras –
Primeira essência é o fogo – símbolo da
inquietude, da não permanência, do movimento.
• ANÁXIMENES – Elemento originador - ar
• EMPÉDOCLES – 4 elementos
• DEMÓCRITO – Átomos
• PITÁGORAS – Nùmero como essência
SÓFISTAS – 400 a.C.
 Exerciam a observação e a razão
para entender as relações do homem
com a realidade.
 Pensa o homem na sociedade-
Importância do sujeito
 Protágoras “ O homem é a medida
de todas as coisas, das que são o
que são e das que não são o que não
são”. O mundo é subjetivo.
Górgias de Leontinos -485-380
a.C.
 O conhecimento e a verdade são
impossíveis de serem conhecidos, pois
nada existe, se existisse não poderia ser
conhecido e mesmo se pudesse não
poderia ser transmitido, já que o sujeito
que conhece e transmite não esta nas
mesmas condições de quem o ouve e
cada um deles esta embasado em sua
experiência particular.
SOFISTAS
 Conhecedores da história e da
explicação médica sobre o processo
de humanização do homem.

 Defendiam a democracia contra a
aristocracia.

 As leis são convenções e não de
natureza divina.
Sofistas
 Nómos – convenção dependente de uma decisão
humana.
 Phýsis – natureza, ordem necessária que independe
do homem.
 Costumes, crenças sobre o bem, o justo e o
verdadeiro, justiça são convenções.
 Os deuses, a religião – convenções
 Raças e diferenças de classe – convenções.
 Tudo portanto é ensinado, conhecemos tal como
nos aparece e como nos interessa para a Praxis.
 Retórica – Persuasão e Dialética - contrários