You are on page 1of 23

TENIS DE MESA

GUSTAVO JOSÉ SILVA MELO
MAGDA LIMA PRATA LEITE
HISTÓRIA
MAGDA LIMA PRATA LEITE
Origem e História
 Por volta da segunda metade do século XIX, o Tênis de Mesa
começava a nascer na Inglaterra através de estudantes
universitários e também por militares ingleses.
 Jogando de maneira improvisada, as redes poderiam ser com os
livros que os universitários estudavam bem como uma raquete feita
de papelão ou tripa de animal usada pelos militares em guerra.
3
Origem e História
 Há um jogo que foi o primórdio do tênis de mesa, lançado por John
Jacques, em 1891, chamado Gossima. As raquetes possuíam um
cabo mais longo e eram ocas, a bolinha era de cortiça e tinha
cerca de 50 milímetros de diâmetro e a rede tinha 30 centímetros
de altura.

4
James Gibb e o nome Pingue-Pongue
 Bem no finalzinho do século XIX, mais precisamente em 1898, um
maratonista aposentado inglês, chamado, James Gibb, ao retornar
de uma viagem de negócios dos Estados Unidos, trouxe em sua
bagagem, para a Inglaterra, bolinhas de celulóide de brinquedo.
5
James Gibb e o nome Pingue-Pongue
 Ouvindo a bola sendo golpeada por raquetes ocas, de cabo longo
e feita de pergaminho (pele de carneiro), simplesmente associou os
sons produzidos pela bola na raquete e na mesa com as palavras
pingue-pongue.
6
O Pingue-Pongue “vira” Tênis de
Mesa

 Em 1922, na Inglaterra, através de J. J. Payne, da cidade de Luton,
Percival Bronfield, da cidade de Beckenham, F. Carris, da cidade
de Manchester e outros veteranos, formaram uma Associação de
pingue-pongue. Contudo, eles estavam legalmente impedidos de
usar este nome (pingue-pongue) pelo fato de já ser registrado
como uma marca pela empresa Parker Bros.

 Foi então que no mesmo dia da criação desta tentativa de criar a
Associação, decidiram chamar o esporte por outro nome, Tênis de
Mesa.

7
O Pingue-Pongue “vira” Tênis de
Mesa
 Tomando todos os cuidados, Payne e companhia, redigiram com
cuidado um código de regras do jogo para que fossem aceitas
nacionalmente por todos os adeptos.
 Em 1926, era criada a ITTF (International Table Tennis Federation /
Federação Internacional de Tênis de Mesa), em Berlim, na
Alemanha, entidade que é a responsável pela modalidade até
hoje.

8
O profissionalismo do Tênis de Mesa
e os principais atletas

 Muitos países experimentaram o tênis de mesa antes dele se tornar
um esporte profissional. Japão, China, Coréia e Hong-Kong,
praticavam a modalidade antes de 1920.

 Com a criação da Federação Internacional de Tênis de Mesa, em
1926, o esporte passaria por algumas modificações a partir do
código de regras lançado por Payne e a Associação de Tênis de
Mesa. Um exemplo destas modificações foi o estabelecimento de
regras de tempo, dando maior rapidez ao jogo e exigindo maior
força de ataque.

9
 Em 1952, o Mundial ja estava na sua décima nona edição (pois era
praticado anualmente) e marcou a primeira competição no mundo
asiático, disputado em Bobaim, na Índia.

 A partir de 1957, os Campeonatos Mundiais passaram a ocorrer de dois
em dois anos.

 Em 1977, a ITTF recebia do COI (Comitê Olímpico Internacional), o
reconhecimento do Tênis de Mesa como modalidade esportiva.

 Em 1988, onze anos após ser reconhecido pelo COI, o Tênis de Mesa
entrava nos Jogos Olímpicos de Seul, na Coréia do Sul de onde nunca
mais saiu.

10
O profissionalismo do Tênis de Mesa
e os principais atletas
 Atualmente, a Federação Internacional de Tênis de Mesa têm mais
de 124 Associações filiadas em todo o mundo.

11
REGRAS
GUSTAVO JOSÉ SILVA MELO
A MESA
 Têm 2,74m de comprimento e 1,525m de largura e 76cm de altura.
Pode ser feita de qualquer material, na cor escura e fosca,
produzindo um pique uniforme de bola padrão oficial (aprovada
pela ITTF); tendo uma linha branca de 2cm de largura em toda a
sua volta. Para os jogos de duplas, ela é dividida em duas partes
iguais por uma linha branca de 3mm de largura, no sentido do
comprimento.

13
A REDE
 A rede estende-se por 15,25cm além das bordas laterais da mesa e
tem 15,25cm de altura, devendo ser de cor escura e devem possuir
a sua parte superior branca.
14
A BOLA
 Deve ser feita de celulóide ou plástico similar, nas cores branca ou
laranja e fosca, pesar 2,7g e ter diâmetro de 40mm.
15
40mm

2,7g
A RAQUETE

 A raquete pode ser de qualquer tamanho, forma ou peso e constituída de
madeira natural em 85% do material.

 O lado usado para bater na bola deve ser coberto com borracha com pinos
para fora tendo uma espessura máxima de 2mm, ou por uma borracha
"sanduíche" com pinos para fora ou para dentro, tendo uma espessura máxima
de 4mm.

 O lado não usado para bater na bola deve ser manchado de cor diferente da
borracha e só deve ser vermelho vivo ou preto.

 A raquete tem que ter duas cores diferentes, para ser usada, e essas cores só
podem ser, preto e vermelho vivo.


 Não é permitido jogar com o lado de madeira.
16
A PARTIDA
 Constitui-se de sets de 11 (onze) pontos. Pode ser jogada em
qualquer número de sets ímpares (um, três, cinco, sete, nove...). No
caso de empate em 10 pontos, o vencedor será o que fizer 2
pontos consecutivos primeiro.

 O atleta que atua o 1º set num lado é obrigado a atuar no lado
contrário no set seguinte.

 Na partida quando houver "negra" (1 a 1), (2 a 2) ou (3 a 3) , os
atletas devem mudar de lado logo que o atleta consiga 05 pontos.

17
O SAQUE
 A bola deve ser lançada para cima (16cm no mínimo), da palma da mão livre na vertical e, na
descida, deve ser batida de forma que ela toque primeiro no campo do sacador, passe sobre a
rede sem tocá-la e toque no campo do recebedor.
 O saque deve ser dado atrás da linha de fundo ou numa extensão imaginária desta.

 Cada atleta tem direito a 2 (dois) saques, mudando sempre quando a soma dos pontos seja 2
(dois) ou seus múltiplos.
Ex.: 2 a 2 = 4 = 6 a 6 = 12

 Com o placar 10-10, a seqüência de sacar e receber deve ser a mesma, mas cada atleta deve
produzir somente um saque até o final do jogo.

 O direito de sacar ou receber primeiro ou escolher o lado deve ser decidido por sorteio (ficha
de duas cores), sendo que o atleta que começou a sacar no 1º set começará recebendo no 2º
set e assim sucessivamente.

 O sacador deverá sacar e retirar o braço da mão livre da frente da bola de modo que nada
esteja entre a bola e o adversário a não ser a rede e suportes.

18
UMA OBSTRUÇÃO
 A partida deve ser interrompida quando:

 O saque "queimar" a rede.

 O adversário não estiver preparado para receber o saque (e desde
que não tenha tentado rebater a bola).

 Houver um erro na ordem do saque, recebimento ou lado.

 As condições de jogo forem perturbadas (barulho, etc).

19
Pontuação
A não ser que a partida sofra obstrução (não vale ponto), um atleta
perde um ponto quando:

 Errar o saque.
 Errar a resposta.
 Tocar na bola duas vezes consecutivas.
 ...
20
CORREÇÃO DA ORDEM DE SACAR,
RECEBER OU LADO

 Se um atleta der um ou mais saques além dos dois de direito, a
ordem será restabelecida assim que for notado, tendo o adversário
que completar o múltiplo de dois.
Se no último set possível, os atletas não trocarem de lado quando
deveriam fazê-lo, deve trocar, imediatamente, assim que se
perceba o erro. A contagem será aquela mesma de quando a
seqüência foi interrompida.
Em hipótese alguma haverá volta de pontos. Todos os pontos
contados antes da descoberta do erro deverão ser confirmados.

21
JOGOS DE DUPLAS

 Valem as mesmas regras, sendo que:

 O saque tem que ser feito do lado direito do sacador para o lado
direito do recebedor.

 Cada atleta só pode bater uma só vez na bola.

 A ordem do saque é estabelecida no início do jogo e a seqüência
será natural:
22
JOGOS DE DUPLAS
23
A
B
Y
X