You are on page 1of 25

Trabalho da matéria higiene ocupacional Radiação

ionizante EPC e EPI Radiação não ionizante EPC e
EPI curso técnico em segurança do trabalho da
escola técnica IEGRAM.
Professor: ILÁRIO

Composto pelo seguintes membros
Adenir Lobo
Elenice Chaves
Janaína Balta
O QUE É RADIAÇÃO IONIZANTE ?

Radiação ionizante é a radiação que possui energia suficiente para ionizar
átomos e moléculas cerca de 10 eV.1 1 elétron-volt ou electrão -volt é uma
unidade de medida de energia. Equivale a 1,602 177 33 (49) x 10-19 joules.
Pode danificar células e afetar o material genético (DNA), causando
doenças graves (por exemplo: câncer), levando até a morte. A
eletromagnética ultravioleta (excluindo a faixa inicial da radiação
ultravioleta) ou mais energética é ionizante. Partículas como os elétrons e
os prótons que possuam altas energias também são ionizantes. São
exemplos de radiação ionizante as partículas alfa, partículas beta (elétrons e
pósitrons), os raios gama, raios-x e nêutrons.



A radiação ionizante pode ser classificada em dois grupos:
aquela que tem carga elétrica associada e a neutra. Alguns
tipos de radiação corpuscular, é a radiação constituída de um
feixe de partículas elementares ou de núcleos atômicos,
tais como elétrons, prótons, nêutrons, mésons π (pi),
dêuterons e partículas alfa.
como partículas alfa e beta, elétrons e prótons possuem
carga, assim se referem ao primeiro grupo, já o nêutron é
uma partícula sem carga e por este motivo se enquadra no
segundo. Alguns tipos de radiação eletromagnética também
são ionizantes, como os raios UV, X e gama, mas como não
possuem carga também fazem parte da segunda categoria.

EFEITOS BIOLÓGICOS Somático ou Hereditário
afetam diretamente o individuo exposto a radiação e
não são transmitidos a gerações futuras. Os efeitos
somáticos podem ser imediatos, ou seja, quando a
dose absorvida for muito alta, recebida toda de uma
vez só, ou somática tardio, que resulta em pequenas
doses, mas continuadas num longo intervalo de
tempo como são os casos que ocorrem em pessoas
ocupacional mente expostas, como os técnicos em
radiologia e mineiros de urânio
EXEMPLOS DE EFEITOS SOMÁTICOS
A radiação atinge os tecidos mais sensíveis do organismo, como; tecido Hematopoiético (medula
óssea): causando leucopenia (redução dos glóbulos brancos do sangue sendo esses responsáveis
pela defesa do organismo, diminuindo a imunidade do individuo, deixando-o susceptível a
infecções, podendo levá-lo a óbito.)
ANEMIA: morte das hemácias (células vermelhas do sangue)
TROMBOCITOPENIA: severa diminuição das plaquetas que são responsáveis pela coagulação do
sangue.
SISTEMA GASTROINTESTINAL: a radiação causa a destruição das células que revestem o trato di
gestivo, as células que absorvem nutrientes, resultando em desnutrição, anorexia, hemorragia, aumen
to de secreções, diarreia, náuseas, vômitos.
PERDA DE CABELO: as células da raiz do cabelo são extremamente sensíveis, pois estão em consta
nte desenvolvimento( os cabelos não param de crescer).
ESTERILIDADE: a radiação atinge os espermatozoides ou seus precursores,
(espermatologia, espermatófitos, espermatize) deixando-o incapaz de
fecundar o óvulo, na mulher atinge os ovários, onde está o óvulo e
seus precursores, ao atingir as células reprodutoras pode causar
alterações estruturais quanto molecular nas células germinativas,
ocasionando assim, má formação nessas células, ex:
espermatozoide sem flagelo, sem acrossomo (que rompe o óvulo),
alterações na divisão
dos precursores do óvulo, e outros.
CATARATA: ao contrario de outras células, as das lentes dos olhos, não são
alto recuperáveis. Quando essas células são danificadas ou morrem a
formação de catarata, ocorrendo pera de transparência
dessas células.
EXEMPLOS DE EFEITOS SOMÁTICOS TARDIOS

CÂNCER: podem ocorrer alterações genéticas que
danificam o sistema de controle da divisão celular levando
a célula a crescer e se multiplicar sem necessidade. Caso
essa tendência de multiplicação descontrolada seja
transmitida a células filhas, surgira um clone de células
com propensão a se expandir indefinidamente, a um
tumor.

RADIAÇÃO IONIZANTE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPC)
Cabine para histologia
cabine de segurança
A cabine deverá ser construída
em aço inox, com exaustão por
duto. É específica para
trabalhos histológicos.
CAPELA QUÍMICA

A cabine deverá ser construída de
forma aerodinâmica, de maneira que
o fluxo de ar ambiental não cause
turbulências e correntes, reduzindo,
assim, o perigo de inalação e a
contaminação do operador e do
ambiente.
MANTA OU COBERTOR
É utilizado para abafar ou
envolver a vítima de incêndio,
devendo ser confeccionado em lã
ou algodão grosso, não sendo
admitido tecidos com fibras
sintéticas.
VASO DE AREIA OU
BALDE DE AREIA
É utilizado sobre
o
derramamento
de álcalis para
neutralizá-lo.
MANGUEIRA DE INCÊNDIO
O modelo padrão,
comprimento e localização são
fornecidos pelas normas do
Corpo de Bombeiros
SPRINKLERS TETO
É o sistema de segurança que, através
da elevação de temperatura, produz
fortes borrifos de água no ambiente
(borrifador de teto).
ALÇA DE TRANSFERÊNCIA
DESCARTÁVEL
São alças de material plástico estéril,
descartáveis após o uso. Apresentam a
vantagem de dispensar a flambagem
MICROINCINERADOR DE ALÇA DE
TRANSFERÊNCIA METÁLICA
São aquecidos a gás ou
eletricidade. Possuem anteparos
de cerâmica ou de vidro de
silicato de boro para reduzir, ao
mínimo possível, a dispersão de
aerossóis durante a flambagem
das alças de transferência.
LUZ ULTRA VIOLETA
São lâmpadas germicidas, cujo
comprimento da onda eficaz é de 240 nm.
Seu uso em cabine de segurança biológica
não deve exceder a 15 minutos. O tempo
médio de uso é de 3000 horas
DISPOSITIVOS DE PIPETAGEM
São os dispositivos de sucção
para pipetas. Ex.: pipetador
automático, pêra de borracha
e outros.
PROTEÇÃO DO SISTEMA DE
VÁCUO
São filtros do tipo cartucho, que impedem
a passagem de aerossóis. Também é
usado o frasco de transbordamento, que
contém desinfetante.
CONTENÇÃO PARA
HOMOGENEIZADOR, AGITADOR,
ULTRA-SOM, ETC
Devem ser cobertos com
anteparo de material
autoclavável e sempre
abertos dentro das cabines
de segurança biológica.
ANTEPARO PARA
MICROSCÓPIO DE
IMUNOFLUORESCÊNCIA
dispositivo acoplado ao
microscópio, que impede a
passagem de luz
ultravioleta, que poderá
causar danos aos olhos, até
mesmo levando o operador
à cegueira.
KIT PARA LIMPEZA EM CASO DE DERRAMAMENTO BIOLÓGICO, QUÍMICO
OU RADIOATIVO
Neoprene
Máscara com proteção
lateral
máscara contra
gases
óculos
Protetor facial
Bota de
borracha
Touca Kit de primeiros socorros
Radiações Ionizantes EPIS
Aventais de
proteção tipo leve
Sobretudo de
proteção tipo leve
Aventais de proteção
pesados
Saias de
proteção
avental-chumbo-
protetor-gonadas-
Protetores abdominais para
pacientes
 Luvas de proteção
tipo leve
Neoprene

Luvas de proteção tipo
pesadas
 Protetores de
tireóide.
 Óculos plumbíferos Anteparos móveis de proteção
assentos móveis com espaldar
Protetor de gônadas
para pacientes
masculinos
Mangas raspa de couro
perneira
Protetor de gônadas
femininas
Protetor de
gônadas
femininas
RADIAÇÕES NÃO IONIZANTE
AS RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES são de natureza eletromagnética e seus
efeitos dependerão de fatores como duração e intensidade da exposição,
comprimento de onda da radiação, região do espectro em que se situam
etc.
A Radiação Infravermelha – também chamada de calor radiante é bastante comum
em indústrias metalúrgicas, de fabricação de vidro e outras, onde existem fornos e
materiais altamente aquecidos.
A Radiação Ultravioleta é encontrada, por exemplo, em operações de solda elétrica,
na fusão de metais e no controle de qualidade de peças com lâmpadas especiais.
Seus efeitos principais são queimaduras, eritema, conjuntivite e câncer de pele.
A Radiação Laser – é energia eletromagnética altamente concentrada num
determinado comprimento de onda do espectro. Seus principais efeitos
são queimaduras na pele e nos olhos que podem ser bastante graves,
conforme o tipo e duração da exposição à radiação.
As Micro-ondas – são bastante utilizadas nas comunicações sendo
produzidas em instalações de radar e de radio transmissão.

EFEITOS BIOLÓGICOS DO SOLDADOR
a) Fumos. As partículas sólidas que são produzidas em conseqüência da vaporização e
derretimento do eletrodo.
b) Gases. Óxidos de nitrogênio e monóxido de carbono - CO, que pode causar falta de
coordenação e confusão mental
c) Partículas. Alguns processos de acabamento que ocorrem muitas vezes no posto de
podem atingir os olhos ou produzir irritação na pele

d) Radiação. A maioria dos processos de soldagem, especialmente os que utilizam arco
elétrico, produzem radiação visível e invisível. Outros processos que podem produzir
radiação são os de corte, como corte oxido-acetilênico, plasma e laser, entre outros
São produzidas: radiação ultravioleta, infravermelha

e) Emissões Eletromagnéticas podem ser gerados por
equipamentos elétricos de soldagem e podem afetar outros equipamentos

f) Emissões ambientais. Se os gases e fumos lançados no ambiente de soldagem
representam um risco para o soldador e os demais trabalhadores que compartilha
m o mesmo local de trabalho
PROBLEMAS FISICO DO SOLDADOR
a) Distúrbios Musculoesqueléticos;
b) Problemas Respiratórios;
c) Efeitos da radiação UV;
d) Queimaduras por faíscas e respingos de solda;
e) Ruído;
f) Vibração;
g) Acidentes;
h) Visão.
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPC)
Garra Negativa CARRINHO
PARA CILINDRO
extintores Creme Bloqueador
Protetor
Biombos de aço para cortinas
Anti respingo 350gr sem
silicone co2
EPI´S PARA SOLDADOR


Capacete
Óculos para serviços de
soldagem
máscara descartável
tipo PFF-2
Escudo para soldador
MANGOTE EM RASPA Avental de raspa
Luva de raspa para
soldador
perneira-em-raspa-
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
GAREIS, Bernardo A Soldagem, Simples Como Ela É. Coleção Manuais Técnicos, n. 9.
Recife: SACTES, 1994, 223 p.
GOLDMAN, Cláudio Fernando. Análise de Acidentes de Trabalho Ocorridos na Atividade In
dústria Metalúrgica e Metal Mecânica do Estado do Rio Grande do Sul em 1996 e
1997: Breve Interligação sobre o Trabalho do Soldador. Porto Alegre: 2000, 135 p. Dissertação
(Mestrado em Engenharia de Produção) – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio
Grande do Sul.
IRIE, Maria Regina. Prevenção de LER/DORT em Soldadores na Indústria da Montagem.
Revista CIPA, São Paulo, n. 283, p. 26-37, Jun 2003.
MAGRINI, Rui de Oliveira Segurança do Trabalho na Soldagem Oxiacetilênica. 2.ed. São
Paulo: FUNDACENTRO, 1999. 72 p.
FERREIRA, Andréia Alves. Ensino de física das radiações na modalidade EJA- Um a
proposta. Dissertação (mestrado). Instituto de Física e Faculdade de Educação da
universidade de São Paulo. São Paulo, 2005.
OKUNO, Emico. Radiação: Efeitos Riscos e Benefícios. São Paulo: Harbra,1988.
OKUNO, Emico. Radiação Ultravioleta: Características e efeitos. 1a.ed. São Paulo: Livraria da
física , 2005.
SILVA. Abel A. Radiação Ionizante e Não Ionizante. 1a ed. Pontifícia Universidade Católica de
Minas Gerais: Dep. de Física e Química. Belo Horizonte: 1997.

Referência Eletrônica
http://www.anhangueraferramentas.com.br/solda-c-172.html
http://planideia.com.br/produtos-protecao-radiologica/
http://profdouglaswilliam.blogspot.com.br/
http://www.deltasegurancadotrabalho.com/2011/10/epi.html
http://www.bbtv.com.br/t/protecao-para-as-maos/
http://www.doctorxradiologia.com.br/produtos.php?prod_categ=epi
http://www.niposantoamaro.com.br/busca.php?q=solda
http://www.lojamaxipas.com.br/cat/luvas/286.html
http://stcefetrj.wordpress.com/2011/04/06/radiacoes-nao-ionizantes-
efeitos-biologicos/
http://www.prof2000.pt/users/eta/Rad_Ion.htm
http://www.segurepi.com.br/diversos.html
http://www.segurepi.com.br/diversos.html
http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/lab_virtual/radiacao.html