UNIVERSIDADE DOS AÇORES

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS

POTENCIAL DE ACÇÃO

Fernando Pires

POTENCIAL DE ACÇÃO

POTENCIAL DA MEMBRANA

Galvani: Estimulação nervosa da perna da rã

POTENCIAL DA MEMBRANA EM REPOUSO

IMPULSO NERVOSO OU POTENCIAL DE ACÇÃO

Onda de excitação

IMPULSO NERVOSO OU POTENCIAL DE ACÇÃO

POTENCIAL DE ACÇÃO

Abertura progressiva de canais Na+

POTENCIAL DE ACÇÃO - REPOLARIZAÇÃO

Maioria dos canais de Na+ Inactivos Canais de K+  abrem-se

ESTÍMULO LIMIAR

LEI DO TUDO OU NADA

LEI DO TUDO OU NADA

LEI DO TUDO OU NADA

ESTIMULAÇÃO ELÉCTRICA DE CÉLULAS NÃO EXCITÁVEIS

ESTIMULAÇÃO ELÉCTRICA DE NEURÓNIOS

POTENCIAL DE ACÇÃO NUMA CÉLULA NERVOSA

0: Potencial de repouso; 1: Despolarização; 2: Acima do estímulo limiar; 3: Pico do P.A.; 4: Repolarização; 5: Hiperpolarização

CANAIS DE Na+: ABERTOS-INACTIVADOS E FECHADOS

CANAIS DE Na+: ABERTOS-INACTIVADOS E FECHADOS

PERÍODO REFRACTÁRIO ABSOLUTO Período em que não é possível gerar-se um novo P.A.

Canais de Na+:

1º- Inactivos

2º- Fechados

3º- Activados → abertos

PERÍODO REFRACTÁRIO RELATIVO -Curto período a seguir ao período refractário absoluto (cerca de 10 ms)

- Em que é possível gerar-se um novo P.A.

Desde que o estímulo limiar:

- Seja superior ao normal - Active nº suficiente de canais de Na+

PERÍODO REFRACTÁRIO

POTENCIAL DA MEMBRANA EM REPOUSO

Próximo do potencial de equilíbrio para os iões de K+

Cerca de – 70 mV

POTENCIAL DA MEMBRANA EM REPOUSO

NO PICO DO POTENCIAL DE ACÇÃO

Próximo do potencial de equilíbrio para os iões de Na+

Cerca de +40 a +50 mV Maioria de canais Na+ abertos Membrana: + permeável ao Na+ do que K+

POTENCIAL DE ACÇÃO

POTENCIAL DE ACÇÃO EM VÁRIOS TIPOS DE CÉLULAS

POTENCIAL DE ACÇÃO Estímulo limiar  Potencial de acção

Permeabilidade da membrana altera-se:

- Alguns canais de Na+ activados por voltagem abrem-se

- Na+ desloca-se para o interior da célula

(a favor do seu gradiente de concentração)

POTENCIAL DE ACÇÃO -Despolarização da membrana ↑:

- Influxo de Na+ ↑

- Pico P.A. (maioria de canais Na+ abertos)

- Membrana + permeável ao Na+ do que K+

- Potencial da membrana: positivo

APÓS PICO DO POTENCIAL DE ACÇÃO Parte dos canais de Na+ → inactivos

Inicia-se abertura dos canais de K+ (activados por voltagem) Quando potencial da membrana próximo do nível de
repouso → Canais de K+ fecham-se (Período de repouso)

Canais de Na+ (inactivados)→ Fecham-se
Novo ciclo

APÓS PICO DO POTENCIAL DE ACÇÃO - REPOLARIZAÇÃO

K+  Exterior Bomba de Na+/K+: 3 Na+ ► exterior 2 K+ ► interior

ALTERAÇÕES DO POTENCIAL DA MEMBRANA DURANTE UM POTENCIAL DE ACÇÃO

A) Axónio gigante da lula do mar B) Após redução de 2/3 na concentração extracelular de Na+

ALTERAÇÕES DA PERMEABILIDADE RESPONSÁVEIS PELA OCORRÊNCIA DE UM POTENCIAL DE ACÇÃO NUM NERVO

Início:

↑ da permeabilidade ao Na+ (curta duração)

Depois: ↑ da permeabilidade ao K+ voltando a valores normais quando se atinge o seu nível de repouso

POTENCIAL DE ACÇÃO – PROPAGAÇÃO ORTODRÓMICA

POTENCIAL DE ACÇÃO – PROPAGAÇÃO ORTODRÓMICA Propagação ortodrómica: uma única direcção

P.A. Deixa canais de Na+ inactivados:

- Só podem ser activados após o seu fecho (estado de repouso)

- Quando fechados para novo ciclo:

- P.A. Deslocou-se mais para a frente

POTENCIAL DE ACÇÃO – PROPAGAÇÃO ORTODRÓMICA

POTENCIAL DE ACÇÃO – PROPAGAÇÃO ORTODRÓMICA

PROPAGAÇÃO DO P.A. AO LONGO DO AXÓNIO

Áxónios não mielinizados Axónios mielinizados → (condução saltitória)

PROPAGAÇÃO DO P.A. AO LONGO DO AXÓNIO

PROPAGAÇÃO DO P.A. AO LONGO DO AXÓNIO

Axónios mielinizados → (condução saltitória)

FIBRAS NERVOSAS MIELINIZADAS E NÃO MIELINIZADAS