You are on page 1of 70

1

Engenharia Econômica – Noções

2
Engenharia Econômica - Noções
SUMÁRIO
Capítulo I - Generalidades

Capítulo II - Matemática Financeira

Capítulo III - Alternativa de Investimentos

Capítulo I V - Financiamentos
3
Capítulo I - Generalidades
Início:
Estados Unidos em 1887
Primeira Publicação:
The Economic Theory of Railway Location
(análise de viabilidade econômica p/ferrovias)
Autor: Arthur Wellington
4
Capítulo I - Generalidades
A Engenharia econômica é importante
para todos que precisam decidir sobre
propostas tecnicamente corretas.
Todo o fundamento da engenharia
econômica se baseia na Matemática
financeira, que se preocupa com o valor
do dinheiro no tempo.
5
Capítulo I - Generalidades
Exemplos de Aplicação:
 Efetuar o transporte de materiais
manualmente ou mecanicamente;
 Fazer uma rede de abastecimento de água
com tubos PVC ou de ferro;
 Substituição de equipamentos obsoletos;
 Comprar carro a prazo ou à vista.
6
Capítulo I - Generalidades
Princípios Básicos p/ um Estudo Econômico:
 Devem haver alternativas;

 As alternativas devem ser expressas em valor
monetário;

 Somente as diferenças das alternativas são
relevantes;
7
Capítulo I - Generalidades
continuação
Princípios Básicos p/ um Estudo Econômico:
 Sempre serão considerados os juros sobre o
capital empregado (sempre o dinheiro pode
render alguma coisa);
 Ao se aplicar o Capital devemos ter a certeza
de que foi da melhor maneira (melhor
retorno)
8
Capítulo I - Generalidades
continuação
Critérios de Aprovação de um Projeto:
 Critérios financeiros: disponibilidade de
recursos
 Critérios econômicos: rentabilidade do
investimento
 Critérios imponderáveis: fatores não
convertidos em dinheiro
9
Capítulo II - Matemática Financeira

 A matemática financeira se preocupa com
o valor do dinheiro no tempo.

 "NÃO SE SOMA OU SUBTRAI QUANTIAS EM
DINHEIRO QUE NÃO ESTEJAM NA MESMA DATA"
10
Capítulo II - Matemática Financeira

JUROS: é o que se paga pelo
custo do capital, ou seja, é o
pagamento pela oportunidade de
poder dispor de um capital
durante determinado tempo.

Juros e Tempo estão intimamente
ligados
11
Capítulo II - Matemática Financeira


FATOR DE PRODUÇÃO REMUNERAÇÃO
TRABALHO SALÁRIO
TERRA ALUGUEL
TÉCNICA ROYALTY
ADMINISTRAÇÃO LUCRO
CAPITAL JUROS

12
Capítulo II - Matemática Financeira
Presença dos Juros:
 Compras a crédito;
 Cheque especial;
 Prestação da casa própria;
 Financiamento de automóveis;
 Empréstimos;
 Vendas à prazo.
13
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Simples
Quando apenas o principal, ou seja o capital
inicial, rende juros.
J = P . i . n
onde:
P = principal
J = juros
i = taxa de juros
n = número de períodos
14
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Simples
F = valor futuro = valor após o período de
capitalização
F = P + J
F = P + P.i.n
F = P(1 +i . n)


15
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos

16
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
No primeiro período:
F
1
= P + P . i = P . (1 + i)
1
No segundo período:
F
2
= F
1
+ F
1
. i = F
1
. ( 1 + i) = P. (1 + i).(1 + i)
= P . (1 + i)²
No terceiro período:
F
3
= F
2
+ F
2
.i = F
2
. (1 + i) = P . (1 + i)
2
. (1 + i) =
P . (1 + i)³

17
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
No período “n”:
F = P . (1 + i)
n




18
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
Exemplo II.1

Para um Capital de R$ 100.000,00,
colocado a 20%aa durante 3 anos
Qual o valor futuro para o caso de
considerarmos juros simples e juros
compostos ?
19
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos









Fim do Ano Juros
Simples
Juros
Compostos
0 100.000 100.000
1 120.000 120.000
2 140.000 144.000
3 160.000 172.000

Juros Simples: F = P (1 + i . n)

Juros Compostos F = P (1 + i )
n


20
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
Exemplo II.2
Para o exemplo anterior plotar um gráfico
para mostrar as diferenças da evolução
dos juros simples e compostos ao longo
do tempo

21
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos











0
50. 00 0
1 00. 00 0
1 50. 00 0
2 00. 00 0
2 50. 00 0
3 00. 00 0
3 50. 00 0
Ju ro s Si m pl es
Ju ro s Co m pos to s
22
Capítulo II - Matemática Financeira
Fluxo de Caixa









É a representação gráfica do conjunto de
entradas (receitas) e saídas (despesas)
relativo a um certo intervalo de tempo.

Entradas (receitas)

0 1 3

2 4 5 6 7 tempo

Saídas (despesas operacionais, manutenção,...)
Investimento
23
Capítulo II - Matemática Financeira
Relações de Equivalência
As relações de equivalência permitem a
obtenção de fluxos de caixa que se equivalem
no tempo.
Simbologia:
 i = taxa de juros por período de capitalização;
 n = número de períodos a ser capitalizado;
 P = quantia de dinheiro na data de hoje;
 F = quantia de dinheiro no futuro;
 A = série uniforme de pagamento;
 G = série gradiente de pagamento.
24
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F









Para achar F a partir de P:


P (dado)



F = ?

F = P . (1 + i)
n


(1 + i)
n
= fator de acumulação de capital de um
pagamento simples.
25
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F









Para achar P a partir de F:


P = ?



F (dado)

P = F / (1 + i)
n


1 /(1 + i)
n
= valor atual de um pagamento simples.
26
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F
Exemplo II.3
Conseguiu-se um empréstimo de R$
10.000,00 em um banco que cobra
5%am de juros.
Quanto deverá ser pago se o prazo
do empréstimo for de 5 meses?
27
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F









10.000

i = 5%
0 5
F = ?


F = P (1 + i )
n
F = 10.000 (1 + 0,05)
5
F = 12.762,81
28
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F







Exemplo II.4

Achar o valor do fluxo de caixa abaixo no período 4 a uma taxa
de 5%ap

200 300

3 8

0 1 2 4 5 6 7
100
400
Capitalizar

Descontar


29
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F
F = P (1 + i )
n
P = F / (1 + i )
n

X
4
= 200 (1 + 0,05)
4
– 100 (1 + 0,05)
1
+
300 / (1 + 0,05)
2
– 400 / (1 + 0,05)
4

X
4
= 243,10 - 105,00 + 272,10 - 329,08

X
4
= 81,12
30
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F
Exemplo II.5

Uma aplicação financeira de R$
200.000,00 rendeu após 7 meses
o valor de R$ 300.000,00.
Qual a taxa mensal "média" de
juros desta aplicação?
31
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F











F = 300.000
i = ?

n = 7

P = 200.000


F = P (1 + i )
n
300.000 = 200.000 (1 + i )
7
i = 5,96%
32
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F
Exemplo II.6

Uma aplicação de R$ 200.000,00
efetuada em uma certa data produz,
à taxa composta de juros de 8% ao
mês, um montante de R$ 370.186,00
em certa data futura.

Calcular o prazo da operação.

33
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre P e F











F = 370.186
i = 8%

n = ?

P = 200.000

F = P (1 + i )
n
370.186 = 200.000 (1 + 0,08)
n

n = 8 meses
34
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P



















Esta relação de equivalência pode ser
entendida pela a observação dos fluxos:
A



0 1 2 3 n


0 1 2 3 n


P
35
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
Para achar P a partir de A:

P = A (1 +i)
-1
+ A (1 + i)
-2
+ A(1 +i)
-3
+ ..... +
A (1 +i)
-n
P = A [ (1 + i)
-1
+ (1 + i)
-2
+ (1 +i)
-3
+ ..... + (1 +i)
-n
]

Nota-se que o termo que multiplica A é o
somatório dos termos de uma PG, de
razão (1+ i)
-1

36
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
A soma dos termos pode ser calculada
pela seguinte expressão:

S
n
= (a
1
- a
n
. r) / ( 1 – r)

Para o caso:
(1 + i)
n
- 1
P = A .----------------
(1 + i)
n
. i
37
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
Para achar A a partir de P:


(1 + i)
n
. i
A = P .----------------
(1 + i)
n
- 1



38
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
EXEMPLO II.7

Um empresário pretende fazer um
investimento no exterior que lhe renderá
US$ 100.000 por ano, nos próximos 10
anos.

Qual o valor do investimento, sabendo-se
que o empresário trabalha com taxa de 6%
ao ano?
39
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P











A = 100.000

0 n=10

i = 6% aa
P=?



(1 + i)
n
- 1
P = A . ----------------
(1 + i)
n
. i
40
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P













(1 + 0,06)
10
- 1
P = 100.000 . ------------------------
(1 + 0,06)
10
. 0,06


P = 736.009
41
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
EXEMPLO II.8

O que é mais interessante, comprar
um carro usado por R$ 4.000,00 à
vista, ou R$ 4.410,00 em 3 vezes,
sendo a primeira prestação no ato da
compra?.


42
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P












4.000


0 1 2



1.470 1.470 1470
(1 + i)
n
- 1
P = A . ----------------
(1 + i)
n
. i
43
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
(1 + i)
2
- 1
(4.000 – 1.470) = 1.470 . ----------------
(1 + i)
2
. i
i = 10,62 %

(comparar com a taxa de mercado p/ex. poupança)

Melhor opção a vista


44
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
EXEMPLO II.9








Vale a pena pagar à vista com 20% de
desconto ou a prazo em 3 pagamentos iguais,
sendo o primeiro hoje?

A A A

0 1 2



0,8 (3 A)
45
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
(1 + i)
n
- 1
P = A . ----------------
(1 + i)
n
. I

(1 + i)
2
- 1
(0,8 X 3A) - A = A . ----------------
(1 + i)
2
. I

i = 27,47 %

(comparar com a taxa de mercado p./ex. poupança)
Melhor opção a vista


46
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P











EXEMPLO II.10

Calcular a prestação de um financiamento de
valor de R$ 2.000,00 com 8 pagamentos
iguais, considerando uma taxa de 13 % am.

A = ?
0 n=8

i = 13% am
P=2.000
47
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
(1 + i)
n
. 1
A = P . ----------------
(1 + i)
n
– i

(1 + 0,13)
8
. 0,13
A = 2.000 . -------------------------
(1 + 0,13)
8
– 1
A = 416,8
48
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P









EXEMPLO II.11

Calcular na data zero a equivalência para o fluxo
de caixa, a uma taxa de 15% a.a


10.000



0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
49
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre A e P
Na data “3”
(1 + i)
n
- 1
P = A . ----------------
(1 + i)
n
. i

(1 + 0,15)
7
- 1
X3 = 10.000 . ---------------------- = 41.604
(1 + 0,15)
7
. 0,15

Na data “0”

P = F / (1 + i )
n

X0 = 41.604 / (1 + 0,15)3 = 27.355
50
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre F e A
Esta relação de equivalência pode ser
entendida pela a observação dos fluxos:

A



0 1 2 3 n




F

51
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre F e A
Achar F a partir de A:

F = A + A (1 +i)
1
+ A (1 + i)
2
+ A(1 +i)
3
+ ..... + A (1 +i)
n -1

F = A [ 1 + (1 + i)
1
+ (1 + i)
2
+ (1 +i)
3
+ ... + (1 +i)
n - 1
]

O termo que multiplica A é o somatório dos
termos de uma PG, de razão (1+ i)
1


Para o caso:
(1 + i)
n
- 1
F = A . ----------------
i
52
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre F e A
Achar A a partir de F:

i
A = F . ----------------
(1 + i)
n
- 1

53
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre F e A






EXEMPLO II.12

Quanto devemos depositar anualmente numa
conta a prazo fixo que paga juros de 12% ao ano,
para se ter R$ 500.000,00 daqui a 14 anos?.

F = 500.000

0 1 2 3 4 14

A = ?
54
Capítulo II - Matemática Financeira
Relação entre F e A
i
A = F . ----------------
(1 + i)
n
– 1

0,12
A = 500.000 . -------------------- = 15.436
(1 + 0,12)
14
- 1


55
Capítulo II - Matemática Financeira
SÉRIES PERPÉTUAS
Também chamada Série Infinita ou Custo
Capitalizado.

Tem estes nomes devido a possuírem um
grande número de períodos.

Este é um fato comum em aposentadorias,
mensalidades, obras públicas, etc...
56
Capítulo II - Matemática Financeira
SÉRIES PERPÉTUAS
O valor presente da série uniforme infinita é:

(1 + i)
n
- 1
P = A . ----------------
(1 + i)
n
. i

(1 + i)
n
- 1
P = lim. n ∞ A . ----------------
(1 + i)
n
. i
1
P = A . ------
i

57
Capítulo II - Matemática Financeira
SÉRIES PERPÉTUAS
EXEMPLO II.13

Quanto deverei depositar em um
fundo com a finalidade de
receber para sempre a
importância anual de R$
12.000,00 considerando ser a
taxa anual de juros igual a 10%?


58
Capítulo II - Matemática Financeira
SÉRIES PERPÉTUAS








12.000



i = 10%aa


P = ?
1
P = A . ------
i
P = 12.000/0,1

P = 120.000

59
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE
Taxa efetiva de juros é aquela em que a
unidade de tempo coincide com a unidade
do período de capitalização.
Ex:
140%aa ca (140% ao ano com capitalização
anual)
0,5%am cm (0,5% ao mês com capitalização
mensal – poupança)
60
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE
Taxa nominal de juros é aquela em que
a unidade de tempo não coincide com a
unidade do período de capitalização.

Ex:
12%aa cm (12% ao ano com
capitalização mensal)

61
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE







Equivalência entre duas taxas efetivas:

F


12 meses

P (1) F = P. (1 + i
mensal
)
12meses



F

1 ano

P (2) F = P. (1 + i
anual
)
1ano

62
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE
Como (1) = (2), tem-se que:

(1 + i
mensal
)
12meses
= (1 + i
anual
)
1ano

Generalizando:
(1 + i
d
)
360
= (1 + i
m
)
12
= (1 + i
s
)
2
= (1 + i
a
)
1

63
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE
EXEMPLO (efetiva p/ efetiva):
Poupança:
0,5% am cm
(1 + 0,005)
12
= (1 + i
a
)
1
i
a
= 6,17% aa ca

64
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE
EXEMPLO (nominal p/ efetiva):

12% aa cm = (12/12)% am cm = 1% am cm

(1 + 0,01)
12
= (1 + i
a
)
1

i
a
= 12,68% aa ca
65
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE
EXERCÍCIO II.14

Peço um empréstimo de R$ 1.000,00
ao banco. Cobra-se antecipadamente
uma taxa de 15% sobre o valor que é
entregue já líquido, e depois de um
mês paga-se R$ 1.000,00.

Qual a taxa efetiva de juros deste
empréstimo?.
66
Capítulo II - Matemática Financeira
TAXA EFETIVA, NOMINAL E EQUIVALENTE

P = 85% . 1000 = 850



F = 1.000


F = P (1 + i )
n

1.000 = 850 (1 + i)
1


i = 17,64%
67
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
Exemplo II.2
Vamos fazer uma aplicação em CDB de R$
30.000,00 a uma taxa de 1,7% para um
período de 35 dias.
a) Qual o valor dos juros e da taxa líquida
(descontado o IR de 20% s/ juros)?
b) Em relação a poupança esta aplicação é
interessante?
68
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
P = 30.000
i = 1,7% (p/35 dias)
F = P (1 + i )
n
F = 30.000 (1 + 0,017)
1
F = 30.510
Juros = F – P
Juros = 30.510 – 30.000
Juros = 510
69
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
Se, IR (20%) = 0,2 * 510 = 102
Juros liquido = 510 – 102
Juros liquido = 408
F liquido = 30.510 – 102
F liquido = 30.408
Rentabilidade Líquida (i):
F liquido = P (1 + i )
n
30.408 = 30.000 (1 + i)
1
i = 1,36%
70
Capítulo II - Matemática Financeira
Juros Compostos
item “b”
F = P (1 + i )
n
F = P (1 + i
35
)
1
F = P (1 + i
diário
)
35
(1 + i
35
)
1
= (1 + i
diário
)
35
(1 + 0,0136) = (1 + i
diário
)
35

I
diário
= 0,0386%
(1 + i
30
)
1
= (1 + i
diário
)
30
(1 + i
30
) = (1 + 0,000386)
30
I
30
= 1,16%
i = 1,16% am