Análise da Proposta Curricular Para o

Ensino de Geografia Feita pela CENP - 1986
Adriana Aguiar
Cristina Ferraz
Edineuza Silva
Everton Leme
Roberto Comitre
Sara de Carvalho
Valter Rocha
Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Coordenadoria de
estudo e normas pedagógicas (CENP). Proposta curricular para o
ensino de geografia; 1° grau. 5. Ed. São Paulo, 1990. 143p.
1ª Edição Preliminar - 1986
2ª Edição Preliminar - 1986
3ª Edição Preliminar - 1986
4ª Edição - 1988
5ª Edição - 1990

Elaboração:
Adaudite Baptista
Lúcio Araújo Marques
Luís Fernando de Freitas Camargo
Maria Helena Peixoto Camargo
Seleida de Oliveira Baptista
Shoko Kimura
Assessoria:
Prof. Dr. Ariovaldo Umbelino de Oliveira – USP
Coordenador da Área de Geografia – Cursos de Convênio CENP-SE/USP:
Prof. Dr. Gil Sodero de Toledo – USP
Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Coordenadoria de
estudo e normas pedagógicas (CENP). Proposta curricular para o
ensino de geografia; 1° grau. 5. Ed. São Paulo, 1990. 143p.
Participação:
Profa. Dra. Ana Fani Alessandri Carlos – USP
Prof. Carlos Walter Porto Gonçalvez – PUC/Rio de Janeiro
Prof. Dr. José Pereira de Queiros Neto – USP
Prof. Dr. José William Vesentini – USP
Prof. Jurandyr Luciano Ross – USP
Prof. Dr. Manoel Fernando Gonçalves Seabra – USP
Profa. Maria Encarnação Beltrão Spósito – UNESP/ Presidente Prudente
Profa. Mariley Simões F. Gouveia – UNICAMP
Profa. Dra. Odete Carvalho de Lima Seabra – USP
Profa. Rosângela Doin de Almeida – UNESP/Rio Claro
Profa. Sandra Lencioni – USP
Prof. Dr. Wanderley Messias da Costa – USP
Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Coordenadoria de
estudo e normas pedagógicas (CENP). Proposta curricular para o
ensino de geografia; 1° grau. 5. Ed. São Paulo, 1990. 143p.

Professores Membros da Equipe Técnica de Geografia que Participaram na
Elaboração das Versões Anteriores:
Inah Maria Cesar Machado de Oliveira
Maria Paula Vianna Hanmer
Marísia Margarida Santiago Buitoni
Regina Célia Bega dos Santos
Sálua Assad Abirad

Equipe Técnica de Geografia – Dezembro 1988:
Lúcia Araújo Marques
Luís Fernando de Freitas Camargo
Seleida de Oliveira Baptista
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
Para a elaboração da proposta curricular foram promovidos diversos encontros
com as Diretorias de Ensino de várias cidades do Estado, CEFAMs, APEOESP,
AGB, faculdades/universidades e também com a Comissão de Ensino da
Assembleia Legislativa e entidades de ensino e educação.
Apesar da proposta ter como foco o 1° grau ele também traz contribuições para o
ensino de 2° grau.
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
• Percebeu-se que o ensino da Geografia não satisfazia nem ao aluno nem
mesmo ao professor que a ministra.
• Os professores tornaram-se ou foram se transformando em repetidores dos
conteúdos dos livros didáticos.
• A Geografia perdeu aquilo que de especial ela sempre teve: discutir a
realidade presente dos povos particularmente no que se refere ao seu contexto
espacial e em nome da necessidade didática foi se perdendo a visão do todo.
• A Geografia que vem sendo ensinada é uma Geografia comprometida com o
interesse das classes dominantes e que serve como instrumento ideológico de
dominação e de poder.
• Mas por que não tem chegado aos professore de 1° e 2° as transformações que
tem ocorrido nos centros de pesquisas das universidades no Brasil e no
exterior, com relação a produção geográfica?
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
• Dentre as correntes em debate – tradicional, quantitativa e critica – especial
destaque vem sendo dado a esta ultima, ela tem sido responsável por grande
parte dos trabalhos produzidos, incorporando a dialética como método de
investigação.
• A análise concreta de situações concretas é que permite compreender a
organização/produção do espaço em constante transformação e a adoção do
método dialético permite que a analise da produção do espaço seja feita de
forma critica, ou seja, questionando o presente e investigando as suas
contradições.
• Esse caminho dialético pressupõe que o professor deve se envolver não só
com os alunos, mas sobretudo com os conteúdos a serem ensinados.
• É este caminho que a construção/produção desta Proposta Curricular tem
percorrido. Dela têm participado professores da rede oficial e professores das
Universidades, discutindo questões metodológicas da Geografia, através dos
cursos de convênio Secretaria da Educação – USP/UNESP/UNICAMP/PUC.
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
Contribuição da Geografia Para o Ensino do 1° e 2° graus
• “A Geografia, como as demais ciências, procura desenvolver no aluno a
capacidade de observar, analisar, interpretar e pensar criticamente a realidade
tendo em vista a sua transformação”.
• “Para entender o espaço produzido é necessário entender as relações entre os
homens”
• “Ao se apropriarem da natureza, as sociedades produzem um espaço que
contraditoriamente nega sucessivamente a natureza, a medida que está é
transformada. Essa produção do espaço é realizada através do processo de
trabalho – um ato eminentemente social – que, por isso mesmo, traz na sua
essência contradições, engendrando assim, a superação dessa realidade”.
• “A territorialidade implica localização, a orientação e a apresentação dos
dados socioeconômicos e naturais, que contribuem para a compreensão da
totalidade do espaço”.
• “É a partir da sociedade concreta produzindo espaços contraditórios que se
poderá ter a compreensão da realidade de hoje”.
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
• “Uma relação que se da não só em nível econômico, mas também em nível
superestrutural, ideológico portanto, na busca do todo social. A totalidade do
modo de produzir/existir das sociedades concretas deve ser a preocupação
básica para o entendimento do espaço”.
• “Igualmente, a compreensão do espaço, enquanto um processo histórico
desigual e contraditório, requer considerar a existência de povos com modos
de produzir/viver distinto das sociedades industriais dominantes”.
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
Sugestão de Temas a Serem Trabalhados
É importante que o trabalho docente tenha a intenção de levar o aluno à
construção de conceitos, pois é desse modo que se pode chegar a um
conhecimento concreto, a partir da realidade própria de cada um.

• “A realidade é o ponto de partida e simultaneamente o ponto de chegada. Dela
se extraem os elementos para pensar o mundo. Por isso, é a realidade de cada
um, rural, urbana, pobre, rica, privilegiada, marginalizada, que permite
entender o Brasil e o mundo em maior nível de generalizações”.
• “No entanto, o livro didático está presente no dia-a-dia do ensino. É preciso
que ele seja encarado como ponto de apoio para o estudo do aluno e não como
guia mestre do desenvolvimento do trabalho docente que deve ser pautado na
construção do conhecimento que é uma das intenções desta proposta de
ensino”.
• “Os temas são desenvolvidos de modo amplo, na expectativa de abrir a
possibilidade de serem tratados vários conceitos”.
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
• “A questão das estratégias de aula significa pensar na perspectiva das
chamadas atividades ou técnicas de ensino. Dentre estas, a pesquisa direta, a
exemplo dos estudos-de-meio, tem a vantagem de desenvolver o ensino
debruçado diretamente na realidade... Porém, a observação, o
reconhecimento, a sensibilização e o entendimento podem ser desenvolvidos
indiretamente, envolvendo atividades como analises de textos, de dados
estatísticos, informações técnicas, coleta de material corriqueiro, etc. A classe
deve ser, por excelência, o local onde se converse constantemente sobre os
fatos que estão acontecendo na escola, na família, na localidade, nos
noticiários de tv, nos jornais, etc”.
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
Exemplo de Temas para o Ciclo Básico
- o lugar de vivência do aluno
- a escola como espaço de relações
- itinerário casa-escola e arredores da escola

Exemplo de Temas para a Terceira Série
- a inserção do lugar do aluno no espaço brasileiro
- cidade e campo apresentam uma série de atividades produtivas que se
complementam
- a natureza como recurso para suprir as necessidades da sociedade

Exemplo de Temas para a Quarta Série
- cidade e campo: o elo através do trabalho
- a relação sociedade/natureza se faz pela mediação do trabalho
- a produção do espaço na cidade e no campo
Proposta curricular para o ensino de geografia – CENP 1986
Exemplo de Temas para a Quinta Série
- o processo de industrialização e a produção do espaço brasileiro

Exemplo de Temas para a Sexta Série
- o Brasil atual nas suas desigualdades de sua inserção do mundo

Exemplo de Temas para a Sétima Série
- o mundo atual: suas transformações e sua estruturação geral

Exemplo de Temas para a Oitava Série
- o mundo contemporâneo: suas transformações e suas particularidades
- o processo de industrialização e as transformações na relação cidade-campo e na
urbanização no mundo capitalista
- o socialismo como experiência histórica na produção do espaço: a redefinição
das relações entre indústria, urbanização e cidade-campo
- a relação sociedade-natureza no mundo contemporâneo