Processos de Usinagem com a Tecnologia

Corte com jato de água

a) b) c) d) e)

Tratamento da água; Elevação da pressão da água; Agregação de material abrasivo; Corte do material; Coleta e descarte de água;

Como funciona o jato de água:

Equipamentos de corte com jato abrasivo

Variáveis que afetam o corte por jato de água e abrasivo
a) Pressão; b) Fluxo; c) Diâmetro do jato; d) Abrasivo; e) Distância e velocidade do corte;

Vantagens
• não produz problemas de efeito térmico; • tecnologia “limpa”; • aplicável a uma vasta gama de materiais; • Permite fazer o corte em qualquer direção, nas mais variadas formas; • ideal para cortar certos materiais duros como placas blindadas ou alguns materiais cerâmicos; • aplicado sem problemas a materiais do tipo sanduíches de múltiplas camadas;

Desvantagens
• velocidade do processo; • Chapas de metal de pequena espessura tendem a sofrer esforços de dobramento, apresentando rebarbas na face de saída; • Materiais cerâmicos têm sua resistência diminuída após o corte com jato de água e abrasivo; • Vidros temperados, projetados para quebrar a baixas pressões, também não podem ser cortados por esse sistema.

Exemplos de Aplicações

Corte com laser

Laser é luz

Como é gerado o laser

Equipamentos de corte á laser

Fatores que afetam o corte á laser a) Impurezas;
b) c) c) Potencia do feixe; Velocidade de corte; Ponto focal;

Quando usar e não usar corte á laser
a) Aços não ligados; a) Aços inoxidáveis; b) Aços-ferramenta; c) Alumínio e suas ligas; d) Cobre e suas ligas; e) Titânio e suas ligas; f) Outros materiais.

Vantagens do laser
• o corte a laser proporciona cortes retos, pequena largura de corte, zona mínima afetada pelo calor, mínima distorção e arestas de excelente qualidade; • Por ser uma luz, não entra em contato direto com a peça, não causando distorções e não se desgastando; • É um sistema de fácil automatização, permite cortar peças de formas complexas e não requer a troca de “ferramenta de corte” cada vez que é substituído o material a ser cortado.

Desvantagens do laser
• O alto custo inicial do sistema; • A pequena variedade de potências disponíveis, que limitam o corte a espessuras relativamente baixas e a materiais que apresentem baixa reflexão da luz; • A formação de depósitos de fuligem na superfície, no corte de materiais não-metálicos como madeira, couro etc.; • A formação de produtos tóxicos (ácido clorídrico), no caso de corte de PVC.

Oxicorte

Oxicorte manual

• • •

Erosão térmica; Chama oxiacetilênica ; Maçarico;

Oxicorte semi-automático

Oxicorte automático

• Trabalham com células fotoelétricas ou com microprocessadores;

Corte com Plasma

O Plasma

Processo de Ionização com alteração das propriedades de temperatura e características elétricas da matéria.

O surgimento do arco plasma

A redução do diâmetro de saída comprimia o arco elétrico, aumentando a velocidade e a temperatura do gás. O gás, ionizado, ao sair pelo bocal, em vez de soldar, cortava metais.

Características do arco plasma
• • • • O tipo de gás de corte; A quantidade de vazão; O diâmetro do bocal (bico de corte); A tensão do arco elétrico.

• Corta aço inoxidável, aço-carbono e alumínio; • Para se obter um bom rendimento do trabalho, é preciso utilizar o gás adequado para corte de cada material, controlar a vazão do gás e a tensão do arco elétrico, levar em conta a capacidade de condução de corrente da tocha de plasma e as propriedades do metal a ser cortado; • Uma tocha mecanizada com capacidade para 1.000 ampères pode cortar até 250 mm de aço inoxidável ou alumínio. Entretanto, habitualmente, na indústria, a espessura de corte não ultrapassa 50 mm.

O corte plasma convencional

Corte com plasma ar comprimido
• Substituí gases de alto custo; • Corte mais rápido; • Usado para corte de aço inoxidável e alumínio, porém suas superfícies tendem a ficar fortemente oxidadas; • Rápida erosão do eletrodo;

Segurança no processo
• o nível de ruído do processo de corte seja reduzido; • a fumaça e os gases tóxicos fiquem confinados na barreira d água; • a intensidade de luz do arco plasma seja reduzida a níveis que não prejudiquem os olhos; • a radiação ultravioleta seja reduzida

Mufla d’ água

Metalurgia do Pó

Etapas do processo: Obtenção do pó

a)Atomatização(Figur a); b) Eletrólise; c) Pirólise.

Etapas do processo: Obtenção do pó

d) Moagem (figura); e) Corrosão; f) Redução;

Moinho de Bolas

Etapas do processo: Compactação

Etapas do processo: Sinterização

Operações Complementares
• Recompressão; • tratamentos térmicos; • Usinagem;

Material Estrutural

Material Estrutural

Material abrasivo

Vantagens
• Economia de material; • Controle da composição do material; • Bom acabamento; • Pureza dos produtos obtidos; • Facilidade de automação; • Aplicação em diversas áreas;

Desvantagens • O uso de uma matriz; • Custo da produção; • Limite do tamanho da peça á ser produzida;

Usinagem por eletroerosão

• • • • •

Eletroerosão; A explosão da eletroerosão; Eletroerosão: um fenômeno invisível; Eletroerosão por penetração ou a fio? Eletrodo: a ferramenta da eletroerosão

Eletroerosão: um fenomeno invisível

• Eletrodo • Dielétrico

Eletroerosão por penetração

Eletroerosão á fio

• Metálicos: a)Cobre eletrolítico, b)Cobre c)Tungstênio d)Cobre sinterizado

Eletrodo: a ferramenta da eletroerosão
• Não Metálicos: a) Grafite

Equipamento de Eletroerosão

Usinagem por feixes de elétrons

Remoção de material por feixe de elétrons
• O processo de remoção ocorre através do impacto de um feixe concentrado de elétrons sobre a superfície da peça • Em vista da colisão do feixe, ocorre fusão e vaporização do material da peça no ponto de incidência, chamado “ponto focal”, formando um furo • Com a combinação de um movimento de avanço transversal, o furo acompanha tal deslocamento • Na geração de furos, estes apresentam certa coinicidade, que pode ser controlada com a intensidade do feixe • Com grandes densidade de energia é • possível efetuar-se perfuração, furação, • fresamento, corte e gravação;

• Métodos tradicionais X métodos avançados; • Usinagem por feixe de elétrons: a)Equipamento básico para produção do feixe de elétrons; b)Remoção de material por feixe de elétrons • Usinagem por ultra-som: a)Geração dos ultra-sons; b)Características do equipamento c)Considerações sobre a usinagem por ultra-som

Usinagem Química e Eletroquímica
• • • • • • • • • Usinagem química: como tudo começou; Princípio de funcionamento; Etapas do processo; Vantagens e desvantagens da usinagem química; Eletrólise, a base da usinagem eletroquímica; Princípios básicos de funcionamento; Visualizando a usinagem eletroquímica; Importância do eletrólito; Vantagens e desvantagens;

Comparação com os métodos de Usinagem
• Métodos clássicos de usinagem; a)Abrasão; b)Reprodução.

Natureza energética Modo de remoção do Nome do processo do processo material Mecânica Por remoção - usinagem por jato de água - usinagem por jato de água com abrasivo - usinagem por ultrasom - usinagem química

Agrupando os novos métodos

Química Eletroquímica Eletrotérmica

Por reações químicas

Por reações eletrolíticas - usinagem eletroquímica Por fusão/vaporização usinagem a laser - usinagem por plasma - usinagem por feixe de elétrons - usinagem por eletroerosão

Aplicações
Processo Eletroerosão Eletroquímica Plasma Ultra-som Ultra-som rotativo Feixe de elétrons Jato de água Jato de água com abrasivo Laser Química Usinagens diversas em materiais condutores Usinagens diversas em materiais maus condutores Microusinagem

Usinagem de peças delicadas

Tendências e perspectivas
• Há futuro para os métodos tradicionais de fabricação? • O que esperar dos novos métodos de fabricação; • O impacto social da evolução tecnológica; • Novas formas de organização do trabalho; • O profissional do futuro;

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful