You are on page 1of 17

Universidade Federal do Paraná

Disciplina: Fundamentos da Ed. Musical II

Professora: Drª Rosane Cardoso de Araújo

Alunas: Adriana Jula
Célia Regina de Albuquerque Banzoli
Flávia de Andrade Campos

 Métodos ativos em Educação Musical

 Educadores musicais do início do século XX

 A primeira geração: Émile-Jaques Dalcroze, Edgar
Willems, Zoltán Kodály, Carll Orff e Shinichi Suzuki

 Émile-Jaques Dalcroze (1865 – 1950)

 Constatou a precariedade do preparo auditivo de seus
alunos
 Incentivou a escuta e o toque no piano antes de o
aluno realizar a atividade

 Ligação entre a música, escuta e movimento corporal

 Suas propostas congregavam duas fortes tendências
românticas: o entendimento da arte como expressão
dos sentimentos e a crença em métodos racionais e
definitivos

 Presença da música nas escolas

 “A grande contribuição de Dalcroze está no fato de ter
retirado o aluno da educação “livresca” que estava
submetido e fazê-lo participar de uma série de
exercícios que demandam atuação física, tendo o
corpo como objeto de expressão de um representação
de elementos da música.”

 Toda ação artística é também um ato educativo

 Jaques-Dalcroze no Brasil
Émile Jaques-Dalcroze (1865-1950): vida e obra

 Nasceu em Viena no dia 06 de julho de 1865.

 Iniciou no estudo de piano aos seis anos de idade

 Em 1875, muda-se para Genebra, Suíça.

 1877 é admitido no Colégio de Calvino e no
conservatório de Genebra.

 Em 1983 termina seus estudos secundários e
participa de representações teatrais como autor.

1884-1889: Viagens e experiências artísticas
 Em Paris estuda com Gabriel Fauré, Albert Lavinag, Vicent d’Indy e
Marmontel.

 1886 viaja para a Argélia, a convite de Ernest Adler, para reger uma
orquestra de Teatro de Vaudeville.

 Adota o nome artístico de Jaques-Dalcroze, inspirado em Raymond
Valcroze.

 Retorna a Viena e é admitido na Academia de Música, onde estuda com
Bruckner e Fuchs.
 No ano de 1889, retorna a Paris para estudar com Mathias Lussy,
que se dedicava aos estudos das leis da expressão e do ritmo
musical.

 1891-1909: Início das atividades como pedagogo

 Na Suiça em 1891 assume a cadeira de história de música, na Academia de
Música de Genebra.

 Em 1982 é nomeado professor e solfejo superior no conservatório de
Genebra.

 Em 1898 é publicado o artigo Les Études Musicales et I’Éducation de
L’Oreille..

 Em 1901 inicia suas investigações para o desenvolvimento das faculdades
auditivas.

 Em 1905 apresenta um memorando sobre a reforma do ensino musical nas
escolas.

 Publicação do primeiro número da Revista bilíngue Le Rythme/ Der
Rhythmus.

1910-1914: Expansão da Rítmica

 Dalcroze renuncia ao conservatório de Genebra, em 1910.

 O ensino de rítmica para crianças até doze anos passa a
ser oficial no Conservatório.

 Em 1911 foi inaugurado o Instituto de Rítmica em
Hellerau, atores da companhia do Teatro Nacional Russo e
bailarinos e bailarinos da Companhia do balé Diaghilev
participam de suas aulas.

 Em Londres é fundada a London School of Dalcroze
Eurhythmics, (Escola de Rítmica Dalcroze de Londres)

 Inauguração do Instituto Dalcroze em 1915.

 Ritmica I e II: Ensino destinado ao desenvolvimento do
instinto rítmico, do senso de harmonia plástica e do equilíbrio
dos movimentos e a regularização dos hábitos motores.

 Em 1920 é publicado o livro Le rythme, la musique et I’ education
(O ritmo a música e a educação).

 Realização do primeiro Congresso Internacional de Rítmica em
Genebra em 1926.

 Surgimento da União Internacional de Professores de Método
Dalcroze (UIPD).

 1977 Federação Internacional dos Professores de Rítmica (Fier).


Produção musical e pedagógica
 Compôs óperas, inúmeros concertos, suítes, oratórios, cantatas, peças solo para piano,
composições para música de câmera, peças patrióticas para solista, coro e orquestra.

 Em 1914 compôs Impressions tragiques para orquestra.

 Grande produção para fins didáticos, pequenas melodias e estudos rítmicos, 50 estudos
miniaturas de métrica e rítmica para piano, vocalizes, exercícios de entonação e marchas
rítmicas.

 sua produção pedagógica inclui livros , artigos publicados em periódicos, material didático e
ensaios.

 Le rytme, la musique et I’ éducation, (O ritmo a música e a educação) (1924 )
 Souvenir, notes et critiques (Lembranças, notas e críticas) (1942 ).
 La musique et nous: notes sur notre double vie ( A música e nós: notas sobre nossa vida dupla)
(1945).
 Notes bariolées (Notas multicoloridas) 1948, contem reflexões e aforismos de Jaques-
Dalcroze sobre a música e a sociedade.

Proposta Pedagógica - Dalcroze
 Dificuldade como professor do conservatório de Genebra.

 Formulou uma série de exercícios.

 Exercícios de rítmica – familiarização dos elementos da
linguagem musical.

 Música – experiência sensório motora e estética.

 Deixou vários escritos sobre música, dança e dramaturgia.
Várias canções próprias da sua prática pedagógica e
alguns cadernos didáticos.

Dalcroze

 Não deixou um método com exercícios progressivos.

 Revista – Le Rythme.

 Adaptação para as crianças de cada país, com
renovação de cada professor – cultural e social.

 Três ferramentas básicas: Rítmica – Solfejo –
Improvisação.

 Material didático preparado pelo próprio professor.

Rítmica
 Instrumento primordial: corpo.

 Ritmo: fator organizador dos elementos musicais, pois
toca de imediato a sensibilidade. Elemento unificador
entre o corpo e a música.

 Todos os elementos da música podem ser vivenciados
através do movimento. Acentuação, fraseado,
dinâmica, pulso, andamento, métrica.

 Os movimentos não devem ser automatizados.

Solfejo
 O solfejo oral e corporal vem antes do escrito.

 Através do solfejo o aluno desenvolve o ouvido
interno, a afinação, a aptidão vocal, a respiração, a
leitura e a interpretação.

 Relação entre a experiência auditiva e a experiência
física.

 Reconhecimento do desenho melódico, independente
da altura. Melodias ascendentes e descendentes, que
são tocadas no piano, através do movimento corporal.

Improvisação
 Momento criativo onde o aluno mostrará suas ideias
musicais, e conteúdos que foram acumulados a partir
da experiência.

 A possibilidade de expressar os conteúdos aprendidos
são infinitas.

 O corpo, como instrumento musical pode expressar os
elementos da música(ritmo, melodia, harmonia,
fraseado e dinâmica).

 Rítmica pode ser praticada por pessoas de todas as
idades.

Princípios Metodológicos
 Escuta
 Dança
 Movimento
 Consciência Rítmica
 Espaço, tempo e energia
 Música
 Tensão e repouso, relaxamento
 Improvisação corporal


 Dalcroze: “Eu sonho com uma educação musical na
qual o próprio corpo desempenhe o papel de mediador
entre os sons e o nosso pensamento, e que seja o
instrumento espontâneo e direto dos sentimentos”.

 “Todo indivíduo possui talentos a serem
desenvolvidos pela educação, portanto a leitura
musical, somente depois da experiência prática”.