You are on page 1of 27

Cuidados

Nutricionais em
pacientes
internados
Ludmila Castilho CRN 21992
Juliana Genezzini CRN 37228

Horário de trabalho das nutricionistas:
 Segunda
 Sábado:

à Sexta-feira: das 7 as 17horas
das 8 as 12horas

Ludmila responsável pela UTI e UCO
Juliana responsável pelo 2º e 3º andar

manter um peso adequado e passar pela internação da melhor forma possível.Uma boa alimentação é fundamental durante o tratamento. pois ajuda o paciente a se sentir melhor. .

Desnutrição Hospitalar .

A maioria aceitava melhor o café da manhã. Entre eles. repulsa pelo sabor (10.6%).2%). . realização de exame/cirurgia no horário da refeição (9.NutriDia Brasil (2009) A pesquisa detectou que 72% dos pacientes não ingeriram por completo as três principais refeições do dia. 54. Entre as razões para a baixa aceitação da dieta hospitalar está a falta de apetite (37.3%).6%) e náuseas ou vômitos (8.2% menos da metade.8% não ingeriram todo o almoço e 29. hábito de comer pouco (10%).

Ela é muito importante para nós pois define os pacientes com risco nutricional e os pacientes que teremos que atender (obrigatoriamente) em até 48horas.Assistência nutricional Como funciona o nosso atendimento? Risco Nutricional A Triagem de Risco Nutricional é realizada pelos enfermeiros na admissão dos pacientes e durante sua internação. A Triagem de Risco Nutricional Eventos. é realizada no Tasy em .

Triagem de Risco Nutricional realizada pelo enfermeiro .

Equivale à 2 pontos ( ) HIV . engolir ou mucosite .Triagem de Risco Nutricional Pontue os fatores de Risco Nutricional.Equivale à 2 pontos ( ) Transplante hepático .Equivale à 1 pontos ) Politrauma/Sepse/VM .Equivale à 2 pontos ( ) Gastroplastia .Equivale à 2 pontos ( ) Neoplasia ou quimioterapia/radioterapia .Equivale à 1 pontos ) Paciente acima de 70 anos . Depois selecione no detalhamento a soma da pontuação: ( ) Perda não intencional de mais de 4.Equivale à 2 pontos ( ) Grande queimado .PRESENÇA DE RISCO NUTRICIONAL .Equivale à 1 pontos ) Doenças neurológicas .Equivale à 1 pontos ) Apresentando mais de 3 evacuações líquidas em 24 horas . que o paciente apresenta.Equivale à 2 pontos ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ) Naúseas e vômitos.por mais de 3 dias .Equivale à 2 pontos ( ) Uso de dieta enteral e/ou parenteral .Equivale à 1 pontos ) Tosse ou engasga na refeição .Equivale à 1 pontos ) Hepatopatia .Equivale à 1 pontos ) Risco de Broncoaspiração/RNC .Equivale à 1 pontos ) Dificuldades para mastigar.Equivale à 2 pontos ( ) Cirurgia gastrointestinal de grande porte ( retossigmoidectomia / GDP / gastrectomia / colectomia ) .Equivale à 2 pontos ( ) Presença e/ou risco de UPP moderado a muito elevado (Conforme escala de Braden) .Equivale à 1 pontos Obs: Somar os pontos .avisar a .5 KG nos último 3 meses .Equivale à 1 pontos ) DM recém diagnosticado/ descompensado .Equivale à 2 pontos ( ) Nefropatia em tratamento dialítico.Equivale à 2 pontos ( ) Jejum absoluto por mais de 24 horas.Se soma for igual a dois ou mais pontos .

Toda Triagem de Risco Nutricional realizada pelos enfermeiros. Temos então 48horas para avaliar esse paciente. mostrando os riscos de cada paciente. ou seja. recebemos um alerta do Tasy. . passar visita e realizar evolução.

Após realizar a visita. classificamos os paciente em (essa classificação colocamos na evolução):  PRIMÁRIO: visita 1x/semana  SECUNDÁRIO: visita 2x/semana  TERCIÁRIO: visita diária .

Através do peso e da altura. medimos: circunferência do braço altura do joelho e através de fórmulas específicas conseguimos estimar peso e altura dos pacientes acamados. Nessa avaliação antropométrica. temos que realizar avaliação antropométrica a cada 10 dias para acompanhar ganho/manutenção/perda de peso. calculamos: Quantidade de calorias necessárias e quantidade de proteínas que esse paciente deve receber .Todos os pacientes classificados como TERCIÁRIOS.

. pacientes sem risco nutricional. enfermeiro. quando solicitados pelo médico..São avaliados também. fono.. técnico de enfermagem.

Tudo para ter o menor esforço do trato digestivo. Hipossódica: no almoço e no jantar. os alimentos são todos cozidos. Diabético: não vai açúcar. os alimentos são todos feitos sem sal. . ou seja. O feijão é batido no liquidificador. não vai salada e a fruta também é cozida. como nas outras dietas. porém com temperos naturais e na bandeja vai 1 sachê de sal de 1 grama. o pão e o arroz são integrais e não têm massas no almoço e no jantar.Tipos de dieta VO - - - - Geral Branda: na dieta branda.

leite. No café da manhã e da tarde. Não oferecemos leite. somente suco ou chá. Laxativa: frutas e sucos são laxativos e o pão e o arroz é integral. carne ou frango ou peixe desfiados e um purê. tem pão doce.Tipos de dieta VO - - - Obstipante ou constipante: nessa dieta nós usamos o adoçante. Hipogordurosa: o leite é desnatado. Do feijão colocamos somente o caldo. Leve: almoço e jantar é servido sopa. fruta. caldo de feijão. . pois o açúcar causa gases. Pastosa: no almoço e jantar tem arroz papa. suco.

que exige o mínimo de trabalho do trato digestivo e com baixo teor de fibras. . etc. de acordo com a avaliação da fono. melhorando a aceitação do paciente e diversificando o cardápio com outros alimentos permitidos.Tipos de dieta VO - Líquida pastosa: Todos os alimentos são batidos no liquidificador e ficam na consistência de purê. além de o valor calórico ser aumentado em virtude do acréscimo de iogurtes. batida de frutas coada. - Líquida completa: Dieta de consistência totalmente líquida. Nesta dieta é permitida a adição de leite e derivados. Pode ser liberado líquidos ou não.

sem fibras alimentares. uma vez que propicia baixa saciedade e é de rápida absorção. água de coco  Caldo de legumes e carnes magras.Tipos de dieta VO Líquida restrita ou líquida sem resíduos: Dieta composta por líquidos sem resíduos. sucos coados e diluídos. ALIMENTOS PERMITIDOS  Alimentos que estejam na consistência líquida  Água. bebidas isotônicas (Gatorade). ou seja. exigindo o mínimo de trabalho digestivo. A dieta líquida restrita deve possuir maior fracionamento. leite e derivados. chás. coado em peneira fina  Gelatina .

gelatina diet. suco de fruta coado e diluído. isotônico. água de coco. todos os líquidos sem açúcar . caldo de legumes e carne magra sem gordura. água de coco.50ml de 30 em 30 minutos. Liberado ingerir 50ml (quantidade de 1 copinho de café a cada 30 minutos) - Gastroplastia 2º dia: água. chá. . chá. leite desnatado com café ralo. gelatina. - Gastroplastia 1º dia: água.Tipos de dieta VO - Líquida de prova: água. gelatina e chá.

ou aceitou somente o suco e sobremesa. É muito importante evoluir também se o paciente aceitou o suplemento oferecido!!! ...Aceitação da dieta VO É importante anotar após cada refeição. qual foi a aceitação de dieta pelo paciente:  100%  75%  50%  25%  Não aceitou nada.

O que podemos fazer para auxiliar o paciente ao sentir os seguintes sintomas? .

Falta de Apetite  Realizar várias refeições ao dia (não esquecer de oferecer a colação que é servida as 10horas e não demorar a servir as refeições a esse paciente para assim manter o intervalo de 3 em 3 horas entre cada refeição).  Utilizar bebidas nutritivas ou suplementos.  Possibilitar a escolha das refeições – principalmente pacientes oncológicos. .  Evitar cobrança excessiva de ingestão alimentar.  Aumentar a densidade calórica das preparações (ex.: acrescentar um suplemento a vitamina)  Melhorar a apresentação dos pratos.

tente alimentos líquidos. como vitaminas batidas com leite ou sucos. .Falta de Apetite  Se for difícil comer alimentos sólidos.  Sopas também podem ser bem atraentes e apetitosas.

 Fornecer alimentos de alta digestibilidade em temperatura fria ou gelada ou à temperatura ambiente.  Evitar alimentos muito condimentados.  Evitar líquidos durante as refeições. gordurosos e doces. .  Alternar refeições líquidas com as sólidas.Náuseas e vômitos  Fazer várias refeições ao dia em pequenas quantidades.  Não deitar logo após as refeições.

Alteração do Paladar  Manter a temperatura das refeições conforme aceitar melhor. alecrim.  Tentar usar talheres de plástico caso os talheres de metal estejam interferindo ainda mais no sabor dos alimentos.  Tentar usar mais temperos na alimentação como o manjericão.  Experimentar alguns ingredientes como suco de laranja ou limão. orégano e hortelã. Em geral.  Exaguar a boca antes das refeições. picles. vinagre…  Experimentar balas azedas ou de hortelã. deve-se evitar extremos de temperatura – muito quente ou muito frio. .

Feridas na boca (mucosite. secos. . cafeína e tabaco.  Consumir alimentos mais macios e pastosos.  Evitar alimentos muito ácidos. providenciar alívio da dor.  Diminuir o sal dos alimentos.  Evitar alimentos muito quentes ou muito gelados. duros ou picantes.  Evitar bebidas alcoólicas. estomatite)  Antes das refeições.  Ter cuidados com a higiene oral.

mais vezes ao dia.  Experimentar balas azedas ou de hortelã.Xerostomia (Boca Seca)  Beber líquidos em pequenas quantidades. .  Acrescentar mais molhos. caldos e sopas nas refeições.

.  Evitar o consumo abundante de bebidas durante as refeições.Saciedade Precoce  Aumentar o fracionamento das refeições. preparações gordurosas ou muito ricas em molhos.  Evitar  Evitar alimentos crus.

Obrigada!!! .