TOXICOLOGIA DA SÍLICA

Dr. Paulo Gurgel http://blogdopg.blogspot.com

Todas as substâncias são venenos (...) A dose correta diferencia um veneno de um remédio (Paracelsus, 1493-1551).

TOXICOLOGIA
a ciência que estuda os efeitos adversos das substâncias químicas sobre os organismos vivos. É

SILÍCIO, SÍLICA & SILICATO
• SILÍCIO:
o elemento Si, o segundo mais abundante na crosta terrestre • SÍLICA: o composto SiO2, nas formas cristalina (exemplo: quartzo), criptocristalina e amorfa • SILICATO: estrutura complexa da sílica com cátion

SÍLICA
O

Si O O O

FORMAS DA SÍLICA

Cristalina
  

 

Quartzo Cristobalita Tridimita Calcedonita Jaspe Sílex Vítrea Terra diatomácea

Livre: SiO2 Combinada: silicatos
      

Criptocristalina
  

Amorfa
 

Caulim Talco Mica Vermiculita Feldspato Ardósia Asbesto

Mista: terra de Füller

QUARTZO

É a forma mais comum de sílica livre na natureza, sendo o principal constituinte das rochas ígneas ou magmáticas e dos arenitos sedimentares (sandstones) formados pela erosão das rochas.

DA SÍLICA À SILICOSE
SÍLICA Forma cristalina - livre Recém-fragmentada (freshly crushed) Concentração Fração respirável Tempo de exposição Reação tecidual SILICOSE

PRÉ-PATOGÊNESE
 

Geração (material particulado) Penetração
 

Barreiras anatômicas Ar expirado Fração respirável Macrófagos alveolares Transporte mucociliar Drenagem linfática

 

Deposição

Remoção
  

PARTÍCULAS DE SÍLICA FRAÇÃO RESPIRÁVEL

Diâmetros: 5 a 0,3 milimicra (0,7 a 0,5)

DOSE TECIDUAL
Para as substâncias particuladas insolúveis, como é o caso da sílica, é a que está mais estreitamente relacionada aos efeitos adversos.
Curiosidade - Os pulmões apresentam cerca de 10 mg de sílica por 100 g de tecido na infância, podendo chegar aos 2000 mg na velhice.

IDENTIFICAÇÃO DA SÍLICA NOS TECIDOS

Microscopia óptica sob luz polarizada

Quartzo
 

Índice de refração: baixo Birrefringência: fraca

 

Difração de raios X Outras técnicas

SÍLICA Fagocitose por macrófagos Autólise Liberação de mediadores Nódulo e fibrose

PATOGÊNESE
Sílica livre  ativação de macrófagos  fatores quimiotáticos e mediadores inflamatórios  polimorfonucleares, linfócitos e + macrófagos  estimulação de fibroblastos  depósito de colágeno e hialinização.

LESÃO BÁSICA
Nódulo com uma zona central de fibrose hialina, circundada por uma reação inflamatória mediada por macrófagos e linfócitos. Identificação de material inorgânico possível.

ESTRESSE OXIDATIVO
SEQÜÊNCIA DE EVENTOS: Introdução do agente nocivo no pulmão Englobamento pelos macrófagos Liberação de EOR(*) e citocinas Proliferação de fibroblastos Depósito de tecido colágeno no pulmão (*) superóxido, hidroxil, peróxido de hidrogênio

FATORES DE RISCO
Dependentes do agente • composição mineralógica • fração da poeira respirável • tempo de exposição Dependentes do paciente • sistema mucociliar • estado imunitário (macrófagos) • hiperreatividade brônquica • co-morbidades

LIMITES DE TOLERÂNCIA
Para o quartzo: 0,1 mg/m3 Isto significa dizer que a maioria dos trabalhadores, expostos ao quartzo em concentração de poeira respirável abaixo deste limite, não adoecerá de silicose, exceto em casos de hipersuscetibilidade Para a terra diatomácea: 10 mg/m3

LIMITES DE TOLERÂNCIA
(NR15, Anexo 12 – MT)

POEIRA RESPIRÁVEL (PR) LTPR(mg/m3)= 8 / %SiO2+2

POEIRA TOTAL (PT)

LTPT(mg/m3)= 24 / %SiO2+3

Na ausência de sílica: LTPR é 4mg/m3 e LTPT é 8mg/m3

POEIRAS QUE INCOMODAM

Nuisance dust – São poeiras que, além de algum incômodo, não causam efeitos adversos à saúde. Particulates not otherwise classified (PNOC) – São poeiras que não contêm amianto e com menos de 1% de sílica cristalina.

LISTA DE DOENÇAS RELACIONADAS AO TRABALHO Portaria Nº 1.339/GM, de 18 de novembro de 1999 Ponto de partida: Anexo II do Decreto 2.172/97, que regulamenta os benefícios da Previdência Social
 

27 agentes patogênicos Cerca de 200 entidades nosológicas específicas

AGENTES ETIOLÓGICOS OU FATORES DE RISCO DE NATUREZA OCUPACIONAL (*)
18) SÍLICA LIVRE Neoplasia maligna dos brônquios e do pulmão (C34.-)  Cor pulmonale (I27.9)  Outras doenças pulmonares obstrutivas crônicas (inclui asma, bronquite crônica, bronquite obstrutiva crônica) (J44.-)  Silicose (J62.8)  Pneumoconiose associada com tuberculose (sílico-tuberculose) (J63.8)  Síndrome de Caplan (J99.1; M05.3) (*) Portaria n.º 1339/GM, de 18/11/1999, do Ministério da Saúde

EXPOSIÇÃO À SÍLICA DOENÇAS RELACIONADAS
    

 

Silicose Silico-tuberculose Limitação crônica do fluxo aéreo Doença pleural benigna Doenças auto-imunes: esclerodermia, artrite reumatóide, síndrome de Wegener etc Formas disseminadas Câncer de pulmão?

SILICOSE

É uma doença pulmonar causada pela inalação de poeiras com sílica livre e sua conseqüente reação tecidual de caráter fibrogênico. O risco da doença existe quando há > 7,5% de sílica livre na fração de poeira respirável ou quando, mesmo abaixo deste valor, o limite de tolerância para a sílica é ultrapassado.

TIPOS

SILICOSE CRÔNICA (CLÁSSICA)
  

SIMPLES ACELERADA COMPLICADA (FIBROSE MACIÇA PROGRESSIVA)

SILICOSE AGUDA

SILICOSE CLÁSSICA

Nódulos que são mais numerosos nas zonas superiores dos pulmões, podendo haver calcificações e aumento de gânglios hilomediastínicos (FORMA SIMPLES). Mesmas alterações da forma simples, após menor tempo de exposição ao agente, e associada à progressão para a FMP (FORMA ACELERADA) Extensa fibrose pulmonar, massas conglomeradas bilaterais que podem cavitar (por infecção micobacteriana ou por necrose isquêmica), e outras alterações (FORMA COMPLICADA).

SILICOSE AGUDA
    

Mínima fibrose Nódulos raramente vistos Interstício pulmonar espessado e com células inflamatórias Descamação de pneumócitos e macrófagos para o espaço alveolar Exsudato alveolar com material proteináceo (SILICOPROTEINOSE)

SILICOSE & GENÉTICA
Estudos sobre o complexo HLA (antígeno leucocitário humano localizado no cromossoma 6), especialmente o A19, o B18 e o TNF, têm mostrado que estes genes do complexo estão relacionados com a patogenia da silicose, podendo ser marcadores da suscetibilidade à doença.

CURIOSIDADE: QUAL É A MAIOR PALAVRA DA LÍNGUA PORTUGUESA?

PNEUMOULTRAMICROSCOPICOSSILICOVULCANOCONIÓTICO – O estado de quem é acometido de uma rara doença pulmonar provocada pela aspiração de cinzas vulcânicas (Dicionário Houaiss).

GRATO PELA ATENÇÃO

Dr. Paulo Gurgel Carlos da Silva http://blogdopg.blogspot.com pgcs@ig.com.br