You are on page 1of 38

Escola de Ciências e Tecnologia

ECT

Termodinâmica
Flávia Souza

Escola de Ciências e Tecnologia
ECT

Unidades para Massa, Comprimento, Tempo e Força
Serão considerados 2 sistemas de Unidades: SI - Sistema internacional;
Sistema Inglês.
Sistema Internacional

Sistema Inglês

Massa

kg (quilograma)

lb ou lbm (libra massa)

Comprimento

m (metros)

ft (foot = pé)

Tempo

s (segundo)

s (segundo)

Força (derivada)

N (newton)

lbf (libra-força)

Definições e conversões:
•Comprimento: 1 ft = 12 in (polegadas) = 0,3048 m
•Massa: 1 lbm = 0,45359237 kg
•Força :
F= ma
1 N = 1 (kg) x 1 (m/s2)
1 lbf = 1 (lbm) x 32,174 (ft/s2)
1 lbf = 4,448215 N

Escola de Ciências e Tecnologia
ECT

Quantidade

Unidade

Símbolo

Massa

quilograma

kg

Comprimento

metro

m

Tempo

segundo

s

Força

newton (1
kg.m/s2)

N

Quantidade

Unidade

Símbolo

Massa

libra-massa

lb

Comprimento

ft

Tempo

segundo

s

Força

libra-força (32,174
lbf
lb.ft/s2)

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Fator Prefixo Símbolo Fator Prefixo Símbolo 1012 tera T 10-2 centi c 109 giga G 10-3 mili m 106 mega M 10-6 micro µ 103 quilo k 10-9 nano n 102 hecto h 10-12 pico p .

Volume Específico .Escola de Ciências e Tecnologia ECT Massa Específica.dV VOLUME ESPECÍFICO ( v ) Volume específico: v = 1 / p (m3/kg no SI) Volume por kmol: vbarra = M.v (m3/kmol) Onde M = massa molecular da substância: kg/kmol . Assimilando: V' -> dV m em V' -> dm p = dm / dV portanto m é igual a integral de volume de p.Pressão e Temperatura MASSA ESPECÍFICA ( p ) V'= menor volume para o qual a substância pode ser tratada como meio contínuo.

02832 m3 1 gal = 0.3038 m Velocidade 1 km/h = 0.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Fatores de Conversão Massa e massa específica 1 kg = 2.6093 km/h Volume 1 cm3 = 0.7854.0611024 in3 1 m3 = 35.ft/s2 1 lbf = 4.174 lb.01602 g/cm3 1 lb/ft3 = 16.3937 in 1 m = 3.2808 ft 1 in = 2.2248 lbf 1 lbf = 32.103 m3 Força 1 N = 1 kg.315 ft3 1 l = 10-3 m3 1 l = 0.54 cm 1 ft = 0.62137 mile/h 1 mile/h = 1.448 N .018 kg/m3 Comprimento 1 cm = 0.m/s2 1 N = 0.0353 ft3 1 in3 = 16.428 lb/ft3 1 lb = 0.4536 kg 1 lb/ft3 = 0.13368 ft3 1 gal = 3.387 cm3 1 ft3 = 0.2046 lb 1 g/cm3 = 103 kg/m3 1 g/cm3 = 62.

m = 0.293 W 1 W = 1 J/s = 3.K= 1 Btu/lb.7457 kW 1 kJ/kg.0551 kJ 1 kJ = 0.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Pressão Energia e Energia Especifica Taxa de Transferência de Energia Calor Específico 1 Pa = 1 N/m2 = 1.K = 0.413 1 hp = 2545 Btu/h Btu/h 1 hp = 550 lbf.326 kJ/kg 1 kJ/kg = 0.10-4 lbf/in2 1 bar = 105 Pa 1 atm = 1.ºR kJ/kg.1868 Btu/lb.ºR = 4.ºR .1868 J 1 Btu/h = 0.4504.35582 J 1 J = 1 N.238846 1 Btu/lb.341 hp 1 hp = 0.42992 Btu/lb 1 cal = 4.ft lbf.ft = 1.9478 Btu 1 Btu/lb = 2.696 lbf/in2 1 lbf.ft/s 1 kW = 1.17 lbf.ft 1 Btu = 1.8 Pa 1 lbf/in2 = 144 lbf/ft2 1 atm = 14.01325 bar 1 lbf /in2 = 6894.K 1 kcal/kg.73756 1 Btu = 778.

Diafragma .Piezoelétricos .Manômetro tipo tubo em U . Unidades de pressão: •1 Pa (pascal) = 1 N/m2 Medidores de pressão: . a pressão corresponde à tensão normal sobre A.(Fnormal/A) Onde A' = menor área onde a substância pode ser considerada um meio contínuo. desde que o fluido esteja em repouso. Assimilando: A' → dA F.Bourdon .normal / A'' → dFx p = dFx / dA A pressão num "ponto" é a mesma qualquer que seja a orientação de A.) Outras Unidades: •1 atm = 101325 N/m2 •1 bar = 105 N/m2 . Para fluidos em movimento.Barômetros (patm.Escola de Ciências e Tecnologia ECT PRESSÃO Fluído em repouso em contato com área A: Pressão: p = limA → A'.

No entanto por mais sensibilidade que o corpo humano possa ter. Conseguimos distinguir que um corpo 1. . e este mais quente que um corpo 3. o conceito de temperatura é originado de nossa percepção sensorial. Dessa forma é necessário lançar mão de dispositivos adequados (termômetros) e escalas de temperatura para quantificar adequadamente esta propriedade. etc.Escola de Ciências e Tecnologia ECT TEMPERATURA É uma propriedade Intensiva como pressão e volume. Assim como a força. ele não consegue medir o valor dessa propriedade. Difícil definir rigorosamente (energia cinética das moléculas de um gás perfeito). está mais quente que um corpo 2.

•Se tomarmos dois blocos de cobre. haverá interação entre eles e o bloco mais quente irá esfriar e o mais frio irá se aquecer. Quando as interações cessarem as quantidades mensuráveis pararão de variar e os blocos estarão em equilíbrio térmico e portanto à mesma temperatura. No entanto é possível se chegar a um entendimento objetivo da IGUALDADE de temperaturas usando o fato de que quando a temperatura de um corpo muda. um mais quente que o outro e colocarmos os dois em contato. . e se os blocos estiverem isolados do ambiente a troca de energia ocorrerá somente entre os dois blocos. •O tempo necessário para que o equilíbrio seja atingido dependerá do contato entre eles. •O dispositivo que efetua essa medida é o termômetro.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Equilíbrio Térmico •É difícil dar uma definição de temperatura em termos de conceitos independentes ou aceitos como primários. outras propriedades também mudam.

PROCESSO ADIABÁTICO Processo de um sistema envolvido por uma parede adiabática. PAREDE ADIABÁTICA Isolante ideal – não permite interação térmica. Lei Zero da Termodinâmica: Quando dois corpos estão em equilíbrio com um terceiro corpo eles estarão também em equilíbrio entre si (não se aplica a equilíbrio químico e de fases) .Escola de Ciências e Tecnologia ECT Algumas definições: PAREDE DIATÉRMICA Permite interação térmica (troca de calor). PROCESSO ISOTÉRMICO T = constante.

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Escala de Temperatura de Gás e Escala Kelvin (SI) Ponto fixo padrão: ponto triplo da água (equilíbrio entre gelo.): 373. as escalas de gás e Kelvin coincidem. água e vapor d'água) = 273. Fora daí.facilmente reprodutível. água e ar a 1 atmosfera): 273.6113 Pa = 0. Termômetro de gás não pode ser usado abaixo de 1 K e para temperaturas muito altas.15 K. .  Ponto de vapor (equilíbrio entre a água líquida e seu vapor a 1 atm.006 atm).16 K (pressão = 0.:  Ponto de gelo (equilíbrio entre gelo.15K. Estabelecido por acordo internacional .  Intervalo entre ponto de gelo e ponto de vapor = 100 K.

67 T(ºF) = 1.T(ºC) + 32 .8.8.15 RANKINE T(ºR) = 1.273.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Outras Escalas CELSIUS T(ºC) = T(K) .459.T(K) FAHRENHEIT T(ºF) = T(ºR) .

pois cada fase tem a mesma composição química. Pode existir em mais de uma fase.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Substância Pura Substância pura é aquela que tem composição química invariável e homogênea.014 bar e que a temperatura inicial da água seja de 150C.Considere-se como sistema 1 kg de água contida no conjunto êmbolo-cilindro como mostra a figura 1-1. Assim água líquida e vapor d'água ou uma mistura de gelo e água líquida são todas substância puras. . mas a sua composição química é a mesma em todas as fases. Suponha que o peso do êmbolo e a pressão atmosférica local mantenham a pressão do sistema em 1. À medida que se transfere calor para a água a temperatura aumenta consideravelmente e o volume específico aumenta ligeiramente (Fig.Vapor . 1-1b ) enquanto a pressão permanece constante. Equilíbrio de Fase Líquido .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Quando a água atinge 1000C uma transferência adicional de calor implica em uma mudança de fase como mostrado na Fig. durante este processo a pressão permanecendo constante. Quando a última porção de líquido tiver vaporizado (Fig. 1-1c. 1-1b para a Fig. a temperatura também permanecerá constante nas a quantidade de vapor gerada aumenta consideravelmente ( aumentado o volume específico ). como mostra a Fig. 1-1f . 1-1c. 1-1e e Fig. uma parte do líquido torna-se vapor e. isto é. 1-1d) uma adicional transferência de calor resulta em um aumento da temperatura e do volume específico como mostrado na Fig.

P e temperatura. P. . T. onde Tsat é a temperatura de saturação na pressão de saturação.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Figura 1-1 .Representação da terminologia usada para uma substância pura à pressão.

. Líquido Sub-resfriado .014 bar de pressão. Essa pressão é chamada “pressão de saturação” para a temperatura dada. para a água (estamos usando como exemplo a água para facilitar o entendimento da definição dada acima) a 1000C. ou líquido comprimido. o líquido é chamado de líquido sub-resfriado (significa que a temperatura é mais baixa que a temperatura de saturação para a pressão dada). a temperatura de saturação é de 1000C.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Temperatura de saturação . a pressão de saturação é de 1.O termo designa a temperatura na qual se dá a vaporização de uma substância pura a uma dada pressão.014 bar. (significando ser a pressão maior que a pressão de saturação para a temperatura dada). Assim.Se uma substância se encontra como líquido à temperatura e pressão de saturação diz-se que ela está no estado de líquido saturado. Fig.1-1b. Para uma substância pura há uma relação definida entre a pressão de saturação e a temperatura de saturação correspondente. 1-1a.Se a temperatura do líquido é menor que a temperatura de saturação para a pressão existente. e para a água a 1. Líquido Saturado . Fig.

Se uma substância se encontra completamente como vapor na temperatura de saturação. Fig. é chamada título.Quando uma substância se encontra parte líquida e parte vapor. é chamada “vapor saturado”. Em verdade. 1-1 retrata a terminologia que acabamos de definir para os diversos estados termodinâmicos em que se pode encontrar uma substância pura. Fig. as substâncias que chamamos de gases são vapores altamente superaquecidos. 1-1c. a temperatura pode ser aumentada para uma pressão constante. isto é. e neste caso. A Fig. vapor úmido. 1-1d. 1-1e. .Escola de Ciências e Tecnologia ECT Título ( x ) .Quando o vapor está a uma temperatura maior que a temperatura de saturação é chamado “vapor superaquecido” Fig. a relação entre a massa de vapor pela massa total. Matematicamente: Vapor Saturado . massa de líquido mais a massa de vapor. A pressão e a temperatura do vapor superaquecido são propriedades independentes. e neste caso o título é igual a 1 ou 100% pois a massa total (mt) é igual à massa de vapor (mv ). (frequentemente usa-se o termo “vapor saturado seco”) Vapor Superaquecido .

a temperatura se mantém constante. observamos assim a formação de patamares de mudança de fase em um diagrama de propriedades no plano T x V ou P x V. enquanto a linha de vapor saturado é fortemente inclinada em sentido contrário devido à compressibilidade do vapor.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Considerações importantes 1. A linha de líquido saturado é levemente inclinada em relação à vertical pelo efeito da dilatação volumétrica (quanto maior a temperatura maior o volume ocupado pelo líquido). 2. Durante a mudança de fase de líquido-vapor à pressão constante. A Fig. 2-1. Quanto maior a pressão na qual ocorre a mudança de Fase líquido-vapor maior será a temperatura.V no qual é fácil visualizar as linhas de temperatura constante e o ponto de inflexão da isoterma crítica . 2-1b mostra o diagrama P . como mostrado na Fig.

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Figura 2-1 diagrama T x V e Diagrama P x V .

o ponto crítico para a água.Escola de Ciências e Tecnologia ECT 3. Aumentando-se a pressão observa-se no diagrama que as linhas de líquido saturado e vapor saturado se encontram. Para outras substância o formato do diagrama é o mesmo. Pressões mais elevadas que a pressão do ponto crítico resultam em mudança de fase de líquido para vapor superaquecido sem a formação de vapor úmido. é: Pcrítica = 22. Este processo está indicada pela linha horizontal 1 → 2 → 3 na Fig. Uma substância na fase vapor com pressão acima da pressão do ponto triplo muda de fase (torna-se líquido) ao ser resfriada até a temperatura correspondente na curva de pressão de vapor. 3-1. O ponto de encontra dessas duas linhas define o chamado "Ponto Crítico". Resfriando o sistema ainda mais será atingida uma temperatura na qual o líquido irá se solidificar.003155 m3 / kg Ponto Triplo . Como exemplo. . A Fig.Corresponde ao estado no qual as três fases (sólido. 3-1 mostra o diagrama de fases (P x T) para a água.140C Vcritico = 0.09 MPa Tcrítica = 374. líquido e gasosa) se encontram em equilíbrio. 4.

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Figura 3-1 Diagrama de fases para a água ( sem escala ) .

6113 kPa e 0.010C respectivamente. Como exemplo a pressão e a temperatura do ponto triplo para a água corresponde a 0. sem passar pela fase líquida. como mostrado na Fig. 3-1 no processo 4 → 5 . mantendo a pressão constante. será atingida uma temperatura na qual ela passa da fase sólida diretamente para a fase vapor. .Escola de Ciências e Tecnologia ECT Para uma substância na fase sólida com pressão abaixo da pressão do ponto triplo ao ser aquecida observe que.

não há valores de pressão com CO2 líquido. A pressão onde se forma o estado líquido nesta temperatura é a pressão crítica .  De um outro lado.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Isoterma do Dióxido de Carbono  A uma temperatura de 40 ou 50 oC .  À 0°C. a 21. o estado líquido aparece para P>35 atm aprox.04oC. CO2 se liquefaz quando a pressão chega a 60 atm.  A maior temperatura onde pode se formar CO2 líquido é a temperatura crítica TC aqui 31.5oC.

aqui 31. . não há valores de pressão com CO2 líquido.5oC. o volume molar é o volume crítico VC. O traçado das isotermas que segue permite por em evidência diferenças entre o estado líquido e o estado gasoso.04oC.  A maior temperatura onde pode se formar CO2 líquido é a temperatura crítica TC.  De um outro lado. A pressão onde se forma o estado líquido nesta temperatura é a pressão crítica PC. a 21.Escola de Ciências e Tecnologia ECT  A uma temperatura de 40 ou 50 oC . A TC e PC .  À 0°C. CO2 se liquefaz quando a pressão chega a 60 atm. o estado líquido aparece para P>35 atm aprox.

do líquido e do fluido supercrítico num diagrama a três dimensões P(V.T) cujos diagramas P(V) a seguir são as projeções num plano: .Escola de Ciências e Tecnologia ECT Podemos representar as diversas regiões do gás.

Entretanto.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Acima do pressão crítica não existe um processo identificável de mudança de fase. o volume específico aumenta continuamente sempre existindo uma única fase presente. Figura: Diagrama T-V de substância pura . Se ligarmos todos os pontos de líquido saturado e da linha de vapor saturado tem-se o diagrama T-V da Fig. costuma-se chamar a região de vapor superaquecido.

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Figura: Diagrama P-V de substância pura .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT .

Diagrama de Fases do CO2 CO2 supercrítico é utilizado em cromatografia de fluido supercrítico e na descafeinação do café. por isso o dióxido de carbono não existe na fase líquida nas condições normais. A fase líquida aparece em 5.Escola de Ciências e Tecnologia ECT . . O ponto triplo está numa pressão bastante acima da atmosférica.11atm.

• O potencial químico tende para um mínimo.Escola de Ciências e Tecnologia ECT Equilíbrio de Fases • O potencial químico determina qual fase é a termodinamicamente estável para uma particular T e P. • No ponto de fusão (Tf) o s = l. • No ponto de ebulição (Tb) o l = g .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT Pressão de Vapor da água em função da temperatura .

Escola de Ciências e Tecnologia ECT .

A pressão de vapor do diclorometano.Escola de Ciências e Tecnologia ECT EXEMPLOS 1.10C. . 2. para a temperatura de 420C. a 24. Calcule a pressão de vapor a 450C. Estime a pressão de vapor em atm. é 400 torr e a entalpia de vaporização é 28.7 kJ mol-1.0 atm é 800C e ∆H0vap= 30. Para o benzeno o ponto de ebulição normal a 1.8 kJ mol-1.