You are on page 1of 31

Direito Empresarial

9ª Aula
Prof. Eduardo S. N. Gomes
esng11111@gmail.com

1

Plano de Ensino

7. Lei de Recuperação Judicial e
Extrajudicial: Noções gerais; Requisitos
para a concessão; Falência.

2

Recuperação Extrajudicial,
Judicial e Falência
Lei nº 11.101, de 09 de fevereiro de 2005
Lei de Recuperação de Empresas e
Falência, marco regulatório do sistema
concursal brasileiro, é tema de superior
importância na nova ordem social
brasileira. Ela busca a solução de conflitos
privados, salvaguarda empresas e procura
dar especial atenção a finalidade social,
manutenção
de
empregos,
sustentabilidade econômica e geração
de riquezas ao País.
3

A recuperação da empresa. d) sérios problemas tributário-fiscais. mas esta é uma tarefa que o empresário não pode realizar sozinho. 4 . Judicial e Falência Em geral.Recuperação Extrajudicial. b) desordem administrativo-financeira. atravessa um cenário com as seguintes características: a) insolvência ou pré-insolvência. e) incapacidade de geração de valor. é possível se recuperar uma organização. na maioria das vezes. c) baixa moral dos funcionários.

Significa a completa reorganização econômica. administrativa e financeira da atividade privada. 5 .Recuperação Extrajudicial. Judicial e Falência Recuperação de empresas O significado de recuperar uma empresa é muito mais amplo do que parece.

Judicial e Falência A viabilidade de uma empresa insolvente.Recuperação Extrajudicial. por não operarem com lucro. 6 . sejam eles de transformação ou administração. passa pelo estabelecimento de uma relação moderna entre os que dirigem a organização e os que são responsáveis pelos processos inerentes a ela.

lutar para superar os obstáculos gerenciais. e uma série de outras coisas. Judicial e Falência A empresa deve ser uma equipe. atender de forma personalizada aos clientes. participar de associações empresariais. visitar fornecedores. parceiros. e os que trabalham nela ou para ela. conseguir inovações tecnológicas. 7 . atualizar-se.Recuperação Extrajudicial. O papel do empresário é buscar negócios.

chamado de Recuperação Extrajudicial e Recuperação Judicial que ocorre sempre antes da falência. 8 . Judicial e Falência Pela nova lei: Desaparecem as Concordatas.Recuperação Extrajudicial.  As concordatas preventiva e suspensiva e a continuidade dos negócios do falido após a declaração da falência que eram mecanismos de recuperação judicial da empresa. passam a dar lugar a um único processo.

ou seja. uma tentativa do devedor resolver seus problemas com os credores sem que haja grande necessidade da intervenção judicial. 9 .Recuperação Extrajudicial.  A Falência continuou basicamente como estava. Judicial e Falência Nasceu a Recuperação Extrajudicial e Recuperação Judicial.

Competência: Juízo do local do principal estabelecimento do devedor ou da filial de empresa que tenha sede fora do Brasil. 10 .Estão sujeitos a recuperação extrajudicial.Recuperação Extrajudicial. Judicial e Falência Sujeito Passivo . judicial e a falência o empresário e a sociedade empresária.

e o Plano de Recuperação vai para a Justiça apenas para ser homologado. o devedor negocia diretamente com os credores.Recuperação Extrajudicial Na Recuperação Extrajudicial. temos um instituto que propicia uma nova solução. Nela. 11 .

os demais são obrigados a aceitá-lo.Recuperação Extrajudicial É um procedimento muito mais rápido e financeiramente mais atrativo que a Recuperação Judicial. A grande vantagem da Recuperação Extrajudicial é que ela não precisa de unanimidade entre os credores. Pode ser muito interessante para empresas pequenas. médias e de grande porte. fornecedores e outros. como instituições financeiras. Se três quintos dos credores assinarem o plano. 12 . com credores privados.

amigável e que promove maior proximidade entre o devedor e os credores.Recuperação Extrajudicial Ela é uma solução menos burocrática. 13 . mais rápida.

14 .Recuperação Extrajudicial Com ela. hipótese em que é elaborado um acordo que poderá ou não ser homologado por este. É importante frisar que as dívidas tributárias. o empresário devedor poderá negociar diretamente com seus credores sem a participação do juiz. não serão incluídas nessa negociação. trabalhistas e outras.

Recuperação Extrajudicial Até então. 15 . a convocação de credores com proposta para dilação de prazos para pagamentos e remissão de dívidas caracterizava a falência do devedor.  Com a nova Lei isto deixa de caracterizar a falência e serve como uma forma preventiva de recuperação extrajudicial de dificuldades do devedor.

para impugnarem o plano.  O plano de recuperação extrajudicial produz efeitos após sua homologação judicial. contado da publicação do edital.Recuperação Extrajudicial  Os credores terão prazo de 30 (trinta) dias. 16 . juntando a prova de seu crédito.

17 .

18 . formas para quitação do débito. em juízo. Ela proporciona ao empresário devedor a possibilidade de apresentar aos seus credores.Recuperação Judicial A Recuperação Judicial é uma medida legal destinada a evitar a falência.

Sua principal vantagem é proporcionar ao devedor a chance de envolver maior número de credores e apresentar um plano de recuperação que. tem aplicação mais onerosa que a anterior.Recuperação Judicial A Recuperação Judicial. possa ser cumprido e evite sua falência. 19 . por sua vez. efetivamente.

assim como aumentar a possibilidade de recuperação do crédito pelos credores.Recuperação Judicial Outra vantagem é a ampliação da possibilidade de manutenção dos postos de trabalho. Esse fator é capaz de sensibilizar a sociedade sobre a importância da manutenção de uma empresa viável economicamente. 20 .

Recuperação Extrajudicial. 21 . nomeado com a abertura do processo de recuperação judicial e na falência do devedor para administrar os bens. Judicial e Falência Mudança dos Coletivos Órgãos nos Processos Desaparecem os termos utilizado no processo de concordata “Comissário" e no processo de falência “Síndico".  Nasce a figura do Administrador Judicial.

Recuperação Judicial Na Recuperação Judicial. além do Administrador Judicial. que atua como fiscal da Lei. também. efetiva participação do Ministério Público. 22 . o controle fica com o Judiciário (mais especificadamente. com o juiz da recuperação). Há. Também envolve a figura do Comitê de Credores e a Assembleia Geral dos credores. nomeado por ele para fiscalizar o processo de recuperação.

economista. preferencialmente advogado. 23 .Recuperação Judicial O administrador judicial será profissional idôneo. administrador de empresas ou contador. ou pessoa jurídica especializada.

24 . observados a capacidade de pagamento do devedor. o grau de complexidade do trabalho e os valores praticados no mercado para o desempenho de atividades semelhantes.Recuperação Judicial O juiz fixará o valor e a forma de pagamento da remuneração do administrador judicial.

25 .Recuperação Judicial O total pago ao administrador judicial não excederá 5% (cinco por cento) do valor devido aos credores submetidos à recuperação judicial ou do valor de venda dos bens na falência.

26 .Recuperação Judicial Gestor é aquele que substitui o devedor quando este for afastado da empresa ou quando o Administrador Judicial recusar ou estiver impedido de aceitar o encargo para gerir os negócios da empresa em recuperação judicial.

Recuperação Judicial Comitê de Recuperação é responsável pela fiscalização da gestão do devedor. e  Credores quirografários. O Comitê é formado por três classes:  Credores trabalhistas.  Cada classe conta com dois suplementes.  Credores com direitos reais de garantia ou privilégios especiais. 27 .

 Credores com direitos reais de garantia ou privilégios especiais.Recuperação Judicial Nasce a Assembléia-Geral de Credores formada por três classes:  Credores trabalhistas. 28 . e  Credores quirografários.

Recuperação Judicial 29 .

Recuperação Empresarial 30 .

Finalização Até a próxima aula ! 31 .