SEMINÁRIO SAÚDE DO TRABALHADOR Uma Causa Que Merece Atenção

Meruoca, 3 de julho de 2003

Dr. Paulo Gurgel - Pneumologista

Mesa Redonda 1

Pneumoconioses, Agrotóxicos e Metais Pesados

X
Riscos Ambientais e Ocupacionais

Pneumoconioses
Termo criado por Zenker, em 1866, para designar um grupo de doenças crônicas do parênquima pulmonar que se originam da exposição a poeiras fibrosantes. Em 1971, este termo foi redefinido como sendo o acúmulo de poeiras nos pulmões + a reação tecidual à sua presença.

Fração Respirável da Poeira

Classificação das Pneumoconioses
• NÃO FIBROGÊNICAS
– – – – – – – – – – – Siderose Estanose Baritose Outras Silicose Asbestose Pneumoconiose dos Trabalhadores de Carvão Beriliose Pneumoconiose por Poeiras Mistas Pneumoconiose por Metais Duros Outras

• FIBROGÊNICAS

Silicose
É uma doença pulmonar causada pela inalação de poeiras com sílica livre e sua conseqüente reação tecidual de caráter fibrogênico.

O Ciclo das Rochas

Da Sílica à Silicose
SÍLICA Forma cristalina - livre Recém-fragmentada (freshly crushed) Concentração Fração respirável Tempo de exposição Reação tecidual SILICOSE

Nódulo Silicótico

Formas de Silicose

SIMPLES

COMPLICADA

Função Pulmonar

Ocupações de Risco no Ceará 1 – Escavação de Poços

Ocupações de Risco no Ceará 2 - Pedreiras

Ocupações de Risco no Ceará 3 - Outras
• • • • • Jateamento de areia Minas Cerâmica branca Diatomito Etc

SILICOSE NO CEARÁ: OCORRÊNCIAS DE CASOS POR MUNICÍPIOS E OCUPAÇÕES
Jijoca de Jericoacoara Barroquinha Chaval Granja Martinópole ( Senador Sá Uruoca ( Moraujo Massapê Viçosa do Ceará Meruoca Coreau Alcântras Frecherinha Ubajara Ibiapina Mucambo Sobral Forquilha Groairas Irauçuba Tejuçuoca Miraima Camocim Cruz Acarau Itarema Bela Cruz ( Marco Morrinhos Trairi Santana do Acaraú Amontada Paraipaba Itapipoca Tururu Paracuru

N

Uruburetama Itapagé

Tiangua

Umirim

São Luís do Curu São Gonçalo do Amarante Caucaia

Fortaleza

Ê

Pentecoste Apuiarés

Maracanaú Eusébio Maranguape Itaitinga Aquiraz

Cariré Pacujá Graça Reriutaba Carnaubal Varjota Guaraciaba do Norte Pires Ferreira São Benedito Ipú Croatá Hidrolândia Ipueiras Nova Russas Poranga Ararendá

General Sampaio Paramoti

Santa Quitéria

( Itatira Catunda

Pacatuba ( Guaiuba Horizonte Palm ácia ( Cascavel Acarape Pacoti Caridade Pacajus Beberibe Redenção Guaramiranga Barreira Chorozinho Mulungu Baturité Canindé Aracoiaba Aratuba Capistrano Ocara Itapi ún a Palhano

Fortim U % Aracati Itaiçaba Jaguaruana Icapui

Tamboril Ipaporanga

Monsenhor Tabosa

Choró Madalena Quixadá Ibaretama Russas Ibicuitinga Quixerê Boa Viagem Morada Nova Limoeiro do Norte Quixeramobim Banabuiú São João do Jaguaribe Tabuleiro do Norte

Crateús

Independência Pedra Branca Novo Oriente Senador Pompeu Jaguaretama Jaguaribara Quiterianópolis Mombaça Piquet Carneiro Tauá Pereiro Parambu Arneiroz Iguatu Jucás ( Aiuaba Saboeiro Tarrafas Farias Brito Várzea Alegre Granjeiro Caririaçu Juazeiro do Norte Crato Missão Milagres Barbalha Velha Abaiara Brejo Santo Jardim Porteiras Jati Penaforte Mauriti Aurora Lavras da Mangabeira ( Cariús Cedro Icó ( Catarina Acopiara Quixelô Orós Milhã Solonópole Iracema Jaguaribe Ereré Alto Santo

Potiretama

Dep. Irapuã Pinheiro

Umari Baixio ( Ipaumirim

Antonina do Norte Assaré Campos Sales U Potengi ( ( Arapipe

Altaneira Nova Olinda Santana do Cariri

B arro

Salitre

POÇOS PEDREIRAS MINAS OUTRAS

RISCOS DA ESCAVAÇÃO
(segundo Hatem e Cavalcanti – Fundacentro/PE)

• Ambientais - Concentração de sílica livre que ultrapassa em até 344 vezes ao limite de tolerância permitido pelas leis brasileiras

AGENTES ETIOLÓGICOS OU FATORES DE RISCO DE NATUREZA OCUPACIONAL (*)
18) SÍLICA LIVRE

• Neoplasia maligna dos brônquios e do pulmão (C34.-) • Cor pulmonale (I27.9) • Outras doenças pulmonares obstrutivas crônicas (inclui asma, bronquite crônica, bronquite obstrutiva crônica) (J44.-) • Silicose (J62.8) • Pneumoconiose associada com tuberculose (sílicotuberculose) (J63.8) • Síndrome de Caplan (J99.1; M05.3)
(*) Portaria n.º 1339/GM, de 18/11/1999, do Ministério da Saúde

Silicotuberculose

OUTROS RISCOS DA ESCAVAÇÃO
(Hatem e Cavalcanti, modificado)

• Operacionais
– – – – – – quedas soterramentos golpes explosões animais peçonhentos gases asfixiantes

• Ergonômicos

TRATAMENTO X PREVENÇÃO
A falta de terapia específica para a silicose enfatiza o papel crucial da prevenção primária na abordagem deste problema.

MEDIDAS DE CONTROLE
• Geração e disseminação do agente
– – – – Enclausuramento Ventilação Exaustão Umidificação

• • • •

Substituição da matéria-prima Equipamentos de proteção respiratória Substituição do processo Intervenção educativa

MEDIDAS DE CONTROLE
(aplicáveis aos cavadores de poços)
• Intervenção educativa preventiva primária (IEPP) para estimular a interrupção da atividade de cavar • Distribuição democrática da água para a população

AÇUDE JABURU II

CISTERNAS DE PLACAS

PERFURAÇÃO MECÂNICA

GRATO PELA ATENÇÃO

pgcs@ig.com.br