You are on page 1of 48

ALUNOS

:

Alexandre Ferrnandes
Markus Job
Fausto Kalinski
Elisandro da Costa
Anderson Golin

 

 

Estes riscos são representados
pelas substâncias químicas que se
encontram nas formas líquida, sólida
e gasosa, quando absorvidos pelo
organismo, podem produzir reações
tóxicas e danos à saúde do
trabalhador exposto.

 o organismo o absorve através das vias
respiratórias, geralmente é encontrado no ar
na forma de partículas, podendo haver sua
penetração de forma cutânea (inseticidas),
acidentalmente por via digestiva
 A avaliação dos mesmos pode ser feita
por pesagem ou por contagem, quando
suspenso no ar, é indispensável que sejam
recolhidas sem serem destruídas, fracionadas
ou aglomeradas.

 É analisado pela quantidade o processo consiste em se fazer passar a amostra através de um solvente líquido apropriado. . pois o contato com a pele faz se de maneira mais extensa e completa. oferecem maior risco de penetração por via cutânea do que sob a forma sólida.

. portanto não são separados por processos físicos como filtração e sedimentação. Esse mistura-se completamente com o ar e.

.

no processo industrial as operações de transformação das matérias-primas liberam na atmosfera substâncias em forma de poeiras. fumaças e névoas. . vapores.(inalação pela boca e nariz). fumos. devido a inalação de poeiras) e câncer. peneumoconioses (alteração da capacidade respiratória. bronquite. gases. Estes aerodispersoides penetram no corpo humano. pelas vias aéreas chegando até os pulmões causando doenças como asma.

causando prejuízos à saúde.(absorção pela pele). uma vez fixada no órgão de afinidade. A substância. inicia os distúrbios no organismo. anemias. os produtos químicos penetram pelos poros e interstícios da pele. fixando-se no tecido subcutâneo. danos à medula óssea e ao cérebro. . Entretanto na corrente sanguínea dependendo da substância poderá haver alterações nos glóbulos vermelhos.

quando a digestão de substâncias tóxicas ocorre acidentalmente. . nos casos em que as refeições são no local de trabalho.(pela boca).

.

atualmente difusíveis no meio ambiente. Fosfina.. . Dióxido de Nitrogênio. são substâncias encontradas em estado gasoso. Exemplos: Monóxido de carbono. etc.. Metano. Gás Carbônico.

são altamente difusíveis. etc. . são substâncias encontradas em estado gasoso e líquido. de Tetracloreto de Carbono. exemplos: Vapores de Benzeno.

. na pele de alguns trabalhadores que o manipulam com freqüência. Tem ação irritativa. sua remoção torna a pele muito seca. ocorrendo fissuras e sangramento. Está ação ocorre inicialmente sobre a barreira gordurosa da pele.

são responsáveis pelas irrupções acneiformes. na pele. Os óleos insolúveis. .  Os óleos solúveis e sintéticos são de formação complexa e extremamente variável.

detonação e outros. seja pelo simples manuseio. quando menores podem chegam atingir os alvéolos pulmonares. moagem trituração.  não se difundem. São partículas sólidas que resultam da desintegração mecânica de substâncias inorgânicas ou orgânicas. dependendo de seu diâmetro. não floculam e tendem a depositarse sob ação da gravidade.  Exemplos: Poeiras de rochas. Pólens. . etc. de Metais. polimento. podem demorar para depositar-se. ou conseqüência de operações de esmagamento. broqueamento. Esporos. quanto maior forem depositam-se mais rápido.

etc. Não se difundem.  Exemplo: Fumos de oxido de zinco. acompanhadas de oxidação. de chumbo. resultantes da condensação de vapores. . São pequeníssimas partículas sólidas. geralmente provenientes da volatização de metais em fusão. floculam e depositam-se. na maioria das vezes.

a absorção de metais presentes na composição do ferro. aços especiais. desbastes e polimentos de metais em máquinas operatrizes produzem vapores e particulados. dérmicas e gastrointestinais. O corte. . metais não ferrosos e outras ligas metálicas. podem correr pelas vias respiratórias.

ou da dispersão mecânica de líquidos conseqüente a operações ou ocorrências como a nebulização. São partículas líquidas resultantes da condensação. de Ácido Crônico.  Exemplo: Neblina de ácido Sulfúrico. não se difundem e tendem a se depositar quando não se evaporam. o borbulhamento e o respingo. . etc. de vapores sobre certos núcleos.

etc. partículas sólidas e líquidas que resultam da combustão incompleta de substâncias carbonadas. São partículas com diâmetros inferiores a 0. .5um formada por gases.  Exemplo: Fumaças industriais.

podem alcançar os alvéolos pulmonares. estômago. Particulados menores que 5 micrômetros gerados pelo uso de lubrificantes na forma de spray ou por ar comprimido. Pode causar o aparecimento de câncer nos seguintes órgãos: pulmão. intestino e seios nasais. .

.

com manifestações rápidas.resulta de exposições refletidas durante um longo período de tempo.   Intoxicação sub aguda .  Intoxicação crônica . em um período não ultrapassado de 24 horas.Intoxicação aguda . .resulta de exposições de curta duração e absorção rápida do tóxico. após dose única ou múltiplas doses.resulta de exposições freqüentes ou por vários dias ou semanas. curas retardadas ou até a morte.

.

cutânea.  Ardor – lacrimejamento. nasal. . edema palpebral. conjuntivite. irritação da garganta. sufocação. salivação abundante. inflamação e necrose. edema. Irritação – ocular. pulmonar. tosse.. congestão.

.

São substâncias que destroem superfícies com as quais entram em contato. . isto normalmente significa a destruição visível da pele ou camada de revestimento do trato respiratório ou gastrintestinal. em toxicologia.

após um contato rápido ou prolongado. São substâncias que podem produzir inflamação da pele e membranas mucosas.  Substâncias com valores de PH extremos agirão sempre como irritantes.  Substâncias de baixa solubilidade. tais como amônia e formaldeído podem afetar o trato respiratório superior e/ ou gatrintestinal.  A solubilidade é uma propriedade importante na determinação do local da ação irritante no trato respiratório e gastrintestinal:  Substâncias muito solúveis. tais como fosgênio e dióxido de nitrogênio. podem afetar os brônquios antes que ocorra uma irritação do trato respiratório superior. .

privar os tecidos de oxigênio. . inibem a utilização de oxigênio. porém o perigo maior está relacionado a sua capacidade explosiva. pode diluir disponível a um nível abaixo daquele necessário para a manutenção da vida . Ambas são asfixiantes. e desta forma .  Um gás reativo como o hidrogênio pode reagir com o oxigênio tornando-o inativo. podem inibir o transporte de oxigênio em organismos vivos. seus tecidos e células. São substâncias que impedem o uso do oxigênio pelos organismos vivos. tal como Hélio. O dióxido de carbono pode ter o mesmo efeito e ocasionar a morte de indivíduos que trabalham em tonéis de fermentação. como o ácido cianídrico.  Algumas substâncias como o monóxido de carbono.  Um gás inerte. outras.

A exposição aguda pode produzir irritação das vias aéreas superiores seguida de narcose. Na forma líquida pode penetrar através da pele.5 g/g de creatinina (NR-7) .  Limite de Tolerância : 1. calafrios e parada respiratória. Toxicidade: A principal via de absorção é a respiratória. diminuição das habilidades manuais e prolongamento do tempo de reação. Tem ação irritante e o contato repetido pode provocar dermatite.

indústria do sabão. 5.. fertilizantes.5 mg/m3 ( LT . indústria de borracha .NR-15 ) . irritante . característico.  Usos: produção de substâncias químicas loradas.. sufocante. pungente. produção de tinturas.  Limites de Tolerância : 4 ppm. análises de laboratório. produção de petróleo. etc. indústria têxtil. Informações Gerais : O ácido clorídrico é um líquido incolor ou levemente amarelado e forma vapores com odor forte. indústria fotográfica .

edema de glote. N a via digestiva surgem ulcerações na boca e gastrite. o ácido clorídrico é altamente corrosivo e causa queimaduras e úlceras. Acidose metabólica hiperclorêmica ocorre em elevadas concentrações. bronquite. Exposição Aguda: Os vapores do ácido clorídrico são irritantes das membranas das vias respiratórias e provocam rinite. edema pulmonar e morte .  No contato com os olhos e a pele . em altas concentrações . . espasmo da laringe . Nos olhos os vapores do ácido provocam irritação. laringite.

.

.

.

.

.

.

.

 Enclausuramento da operação: essa medida consiste no confinamento da operação. . com o objetivo de impedir a dispersão do contaminante por todo o ambiente de trabalho.  Mudança ou alteração do processo ou operação: uma mudança de processo oferece. Substituição do produto tóxico: a substituição de um material tóxico por outro de menor toxidade representa a maneira mais segura de se eliminar ou reduzir um risco. oportunidade para melhoria das condições de trabalho. em geral.

 Ventilação local exaustora: é um dos sistemas mais eficazes para se prevenir à contaminação do ar na indústria. Aqueles que estão envolvidos na operação receberão EPI’s e/ou EPC’s. e. não é exposta ao risco específico. . mediante a introdução de grande volume de ar. a maioria dos trabalhadores. Segregação da operação ou processo: a tarefa é isolada do restante das operações. antes que o mesmo atinja a zona respiratória do trabalhador. Captura o contaminante no seu ponto de origem. efetuando-se a diluição dos mesmos. portanto.  Ventilação geral diluidora: reduz a concentração de contaminantes ambientais a níveis aceitáveis. Sendo esta não recomendável para diluir contaminantes de alta toxicidade.

 Do tempo de exposição.  Da concentração. .  Da estrutura química.  Da solubilidade (amônia).

Tratar queimaduras. . Em seguida. administrar de imediato por via oral água ou leite. Na inalação: Retirar a vítima do ambiente para local arejado. dar leite de magnésia. se necessário. Encaminhar ao oftalmologista. Administrar oxigênio 100% umidificado e ventilação assistida . Não provocar vômito.  Na ingestão: Lavar a boca copiosamente com água corrente. Conduzir ao gastroenterologista para avaliar extensão das lesões.  No contato com os olhos: Lavar em água corrente durante pelo menos 15 minutos.  No contato com a pele: Lavar com água corrente em abundância até remoção total.

.

.

.

QUALITEC .CABINE DE PINTURA .

FIM .