You are on page 1of 13

Faculdade de Farmácia da

Universidade de Lisboa
Unidade Curricular: Virologia
Docente: José Pereira
Ano Lectivo: 2014/2015

Infeções Virais do
Sistema Nervoso Centra
Discentes: Gabriela Moniz nº
9398
Manuel
Talhinhas nº 9275

As Infeções Virais do SNC são
causadas por uma variedade de
vírus que afetam principalmente o
cérebro, medula espinhal e
meninges.
Infeções
Agudas

Síndromes
Agudas Pósexposição

Infeções
Crónicas
(Raras)

Infeções Agudas

Meningite Viral
• Via oro-fecal

5–15 casos por 100 000
habitantes no Reino Unido.

• Neuro invasiva (também
pode causar infeções
sistémicas)
• Possibilidade de se
desenvolver para
meningoencefalite.

• Sem tratamento antiviral

Cerca de 85% de todos
os casos de meningites
virais

Meningite Viral
Entre 10-20% de
todos os casos de
meningites e
meningoencefalite.

Campanhas de Vacinação

Percentagem de doentes diminuiu
para 1 caso por 100,000 habitantes
nos Estados Unidos

É comum desenvolverem
meningites

Raramente mortal

Poliomielite
Termo derivado do grego, “polios” cinzento e “myelon”
medula espinhal, que designa a capacidade do vírus
de infetar a massa cinzenta da medula espinhal e
provocar uma manifestação clássica de paralisia.

Vírus
Classificação;
Característica
s;
Ciclo
Replicativo;

Patologia
Patogénese;
Aspetos
Clínicos;
Epidemiologia

Poliovírus
Grupo: IV ((+) ssRNA)
Ordem: Picornavirales
Família: Picornaviridae
Género: Enterovírus
Espécie: Enterovírus C

Encefalite
Invasão
SNC

Via
hematogéni
ca

Via
nervos
periférico
Sem envolvimento das
s
meninges

• Doença mais comum: Raiva –
necrose neuronal, perivascular e
inflamação focal
Família: Rhabdoviridae
Género: Lyssavirus
• Transmissão

– Físicos
– Perturbações
psicológicas

• 2 formas:

Dentadas
Transplantes

• 10 dias – 1 ano

• Sintomas

– Furiosa
– Paralítica

(1 - 3 meses)

• Vacina

Síndromes Agudas Pósexposição

Síndrome de Guillain-Barré
A síndrome de Guillain-Barré é uma polirradiculoneuropatia
aguda, auto-imune que conduz à desmielinização dos nervos
periféricos, raízes nervosas proximais e nervos cranianos.

Infeções Crónicas

Doença de Creutzfeldt-Jakob
Encefalopatia espongiforme causada pela vacuolação
espongiforme do cérebro com perda neuronal

• 1 / 1.000.000
• Incubação 20/30 anos →
morte em poucos meses
• Demência e convulsões
• Priões
• Transfusões de sangue
• Transmissão vertical
• Forma bovina

Principais
métodos:

Diagnóstico
Laboratorial

• Electrocefalograma
• “Brain scans”
• Testes PCR

Objetivo do
diagnostico
laboratorial é
detetar

Para análises clinicas é necessário
recolher:

anticorpo
especifico “Antivirus”

antigénio do
vírus

• Esfreganços da garganta
• Amostras fecais (deteção
de enterovirus)
• Amostra de liquido
cefalorraquidiano
• Fluido de uma erupção
cutânea

Referências
Bibliográficas
• COLLIER, Leslie, OXFORD, John; Human Virology,
3rd edition, 2006, Oxford;
• BROOKS, Geo et al; Medical Microbiology, 25th
edition, 2010, McGraw-Hill;
• CDC,
disponível
em:
www.cdc.gov/vaccines/hcp/vis/vis-statements/ipv.
html
• WHO, disponível em: www.who.int
• Nature,
disponível
em.
www.nature.com/nature/focus/polio/