gurança no Manejo
imais de Grande Por

EQUIPE TÉCNICA
Rodrigo Nogueira da Silva
Técnico em Segurança do Trabalho
Reg: MTE - 000690-4/MT
Paulo Roberto Lanfranchi
Técnico em Segurança do Trabalho –
Tecnólogo Ambiental
Reg. SSST/MTE: 0655-4

 Um dos principais objetivos –
se não o mais importante – do
manejo racional dos bovinos
é trazer segurança a todos
aqueles que trabalham com
estes animais. Infelizmente,
mesmo em muitas fazendas
que procuram seguir um
sistema de manejo melhorado
não são adotadas, em geral,
medidas
de
segurança

 Um dos pontos mais recomendados
para tornar mais seguro o manejo dos
bovinos é a adoção de um guia de
procedimentos, para o trabalho do
dia a dia e atividades extras.
 Devem ser desenvolvidos para cada
caso em particular
 Em função de características
particulares de cada fazenda
como:

tecnologias adotadas.  temperamento etc.      .  raça.  manejo. animais criados – categorias. aspectos culturais.infra-estrutura. localização.

pode-se analisar.Além do fundamental lado puramente humanitário de um acidente com um funcionário – que pode até ser fatal -. racionalmente. . também sob o ponto de vista financeiro (prejuízo) os custos de um trabalhador ferido durante o desempenho de sua função – o tempo parado. indenizações etc.

• a instalação e o • animal.A seguir. que trata de boas práticas para segurança no trabalho de manejo de bovinos. restritos a algumas situações e baseado nos três pontos chaves do manejo de bovinos: • o homem. é apresentada uma sugestão. Este é apenas um guia de princípios gerais. .

Acidentes fatais e não-fatais na pecuária são causados tanto por animais como também por instalações de manejo e equipamentos inadequados. Por exemplo  o “coice” de uma pescoçeira ou vazieira de um tronco de contenção  um embarcador em más condições de manutenção. .

cabeçadas ou Chifradas .Os Riscos O manejo de bovinos sempre envolve o risco de acidentes devido a: coices.

Contudo. e um rigoroso sistema de seleção e descarte podem assegurar que o trabalho com bovinos possa ocorrer com uma segurança razoável. . funcionários competentes e treinados. como: em função da categoria ou  criações mais extensivas.O risco aumenta se o trabalho envolve animais que não são trabalhados com frequência. bons sistemas de manejo.

 Um animal dócil e brincalhão pode matar uma pessoa com a mesma facilidade que outro arredio e agressivo. .  Muitos acidentes ocorrem porque as pessoas falham em tratar os animais com a devida precaução.Familiaridade com os animais pode levar a complacência.

O homem – incluindo capacidades físicas e mentais. treinamento e experiência. tronco coletivo. .Deve-se considerar: . .O animal – incluindo o quanto está acostumado ao manejo e sua saúde. seringa. embarcador etc.A instalação de manejo – cercas. . pescoçeira ou tronco de contenção.

Alguns trabalhos ou necessitam de duas ou mais pessoas. sempre estas necessidades antes de se iniciar a tarefa.O Homem Qualquer um que trabalha com bovinos deve estar: . sem gritos. deve-se avaliar impaciência excesso de força.apto a usar o equipamento de manejo a disposição. . .apto a trabalhar com calma o gado.consciente dos perigos do trabalho com o bovino e ser supervisionado enquanto não estiver competente para tal. .

conservadas e em bom funcionamento.  Nunca trate ou trabalhe com um bovino que não esteja bem contido.A instalação de manejo  Toda fazenda de gado deve ter instalações de manejo bem planejadas. tenha uma boa área de escape para não ser atingido se o animal rolar. . levantar ou se mover subitamente. Um bom tronco coletivo e de contenção (ou uma boa pescoçeira – adaptada no tronco coletivo) são essenciais. livre no tronco ou isolado em um curral – não sendo possível contê-lo adequadamente -.  Se tiver que trabalhar com um animal que estiver deitado.

. O ideal é um tronco curvo.os animais tenham um visão clara a frente. . Uma seringa circular pode facilitar ao funcionário coordenar a movimentação do gado com segurança e eficiência. Portões corrediços ou com dobradiças são indicados. .as laterais do tronco sejam altas o suficiente para que os animais não saltem sobre elas.O tronco coletivo Verifique que: . . e que haja espaço suficiente na seringa (embute) para um fluxo tranquilo em direção ao tronco. tentando escapar. Ninguém deve trabalhar no tronco de contenção com um animal solto por trás. para que locomovam-se mais facilmente. no tronco coletivo.você possa conter o primeiro animal no tronco enquanto ele espera sua vez no tronco de contenção.os animais possam entrar facilmente no tronco. mas desde que nas dimensões corretas. mas devem ser operados pelo lado da área de serviço para o funcionário não tenha que passar por cima do tronco para fechar o mesmo.

pelo menos: . precisa. incluindo tratamentos orais ou trabalhos no posterior.O tronco de contenção Um tronco de contenção (brete) que permita que a maioria dos trabalhos de rotina sejam realizados de maneira segura.

admita a abertura fácil dos portões. .  que tenha um piso antiderrapante.  que. com um mínimo de esforço.  ter uma barra ou corrente traseira para minimizar o movimento para trás e para frente do animal (deve ser sempre utilizada). ter um portão na frente e pescoçeira (preferencialmente automática) para permitir que a cabeça da rês seja segura firmemente. A manutenção regular é fundamental.  que seja localizado de maneira que os trabalhadores possam movimentar-se com segurança em torno e tenha uma boa iluminação natural ou artificial. Barras adicionais previnem que o animal movimente a cabeça na vertical e possa ferir alguém.  que seja bem firme.

. medicamentos etc – próxima ao tronco de contenção auxiliam muito. instrumentos.Considere a possibilidade de portões de apartação após o tronco para a separação em diferentes grupos. Cobertura e uma mesa ou apoio – para escrituração.

tronco de contenção ou uma estrutura similar para que a matriz não se movimente em excesso durante a inseminação – é fundamental evitar o excesso de pressão. Se necessário (variável conforme a instalação) verifique que o inseminador tenha o auxílio adequado para mover a rês em direção à estrutura de IA. .Instalação própria para inseminação artificial (IA) Para a prevenção de acidentes com o inseminador. sempre use um tronco de IA (“darkbox”).

use uma estrutura planejada para tal – tronco de casqueamentos. com “barrigueira”.  Verifique que não exista nenhum ponto de risco. Para tratamentos específicos como casqueamentos. por exemplo. cordas ou correias -.  Instrumentos de contenção podem ser úteis – ex. mas desde que usados por pessoas experientes. especialmente no posterior. . apoio para as patas e espaço adequado. de forma que se houver algum movimento brusco do animal você não se machuque ao se desviar.

.Outros equipamentos Paus e ferrões não devem nunca ser utilizados para bater no animal – isto só serve para ferir e agitar. Antes de iniciar qualquer tratamento individual tenha certeza que o animal não possa atingi-lo com as patas.

Independente da categoria do bovino assegure que as práticas de segurança ao manejo estejam sendo seguidas.  Conforme a idade. Assegure que aqueles que não estão acostumados com o processo a ser realizado – local. sejam treinados/condicionados ao mesmo antes. sons.O animal  Muitos dos animais já estão familiarizados com o trabalho de rotina. os animais talvez ainda não tenham desenvolvido todos os traços de agressividade que podem vir com a maturidade. atividades e pessoas envolvidas -. . mas eles nunca podem ser vistos como totalmente seguros.

 a segunda pessoa esteja impedindo que outro animal ou a mãe do bezerro se aproxime de onde a tarefa esteja sendo executada. ou qualquer outro trabalho no campo. Sempre verifique que:  pelo menos duas pessoas estejam presentes se tiver que separar um animal do rebanho no pasto para qualquer tipo de tratamento.Trabalhando com o gado no campo Algumas tarefas podem ter de ser realizadas no campo. tenha certeza que o possa fazer com segurança. por exemplo marcação ou brincagem de bezerros jovens. sem os equipamentos adequados. . Se tiver que separar um animal do rebanho.

e podem se tornar mais estressados no momento do manejo e oferecer maiores riscos. informe-se sobre como eles eram manejados.Touros  Os reprodutores muitas vezes são mantidos separados do restante o rebanho. escovação etc.  Estes animais podem tornar-se mais fáceis de manejar se desde bezerros associarem a presença de pessoas com ocorrências prazerosas.  Se você adquirir novos touros – especialmente adultos . . para procurar facilitar a adaptação destes em sua propriedade. como suplementação alimentar.

Verifique que: .Bois de engorda Apesar de uma parte dos machos de engorda serem vendidos para abate antes de atingir sua maturidade quando podem tornar-se mais perigosos . estes também podem representar riscos para quem trabalha com eles em confinamento ou a pasto.

estejam na altura correta e em perfeito estado de conservação e funcionamento. os funcionários não necessitem de locomover-se entre os animais. . marcações e outras atividades de manejo individual sejam feitas de forma segura e controlada.  o curral de manejo – especialmente área de serviço e embarque – esteja planejado de forma que.  as cercas divisórias e porteiras sejam fortes os suficientes. tratamentos veterinários. Tome todos os cuidados e precauções antes de entrar em recintos fechados com um animal adulto solto.  Quando realizar embarques mantenha curraletes e piquetes adjacentes sempre fechados para facilitar a recuperação de animais que escapem do curral.  pesagens. passar a realizá-las de fora do piquete.  exista uma área – corredor ou piquete adjacente – para qual você possa mover os animais quando for fazer alguma movimentação maior no piquete. quando possível – ex. fornecimento de suplementos alimentares -. dentro do possível. atividades de manejo em que seja necessária a locomoção do funcionário entre os animais sejam realizadas com a segurança necessária. Uma instalação bem planejada permite que você tenha sempre uma área de escape ou proteção em pontos de maior risco.

Pescoceira Vazieira .

Brete Brete de contenção .

Castrador Inseminação Artificial IA .

Embarcador Tronco coletivo .

Casqueamento .

Vacinação Correta .

Tronco Curvo Tronco de contenção .

Vacinação tronco coletivo Ferrão .

.

palha. apagar o cigarro bem longe de materiais que se queimam com facilidade.Pessoal       Lavar as mãos com água e sabão e trocar as roupas. Proteger a cabeça contra o sol com um chapéu de palha de abas largas. cercas. feno e gasolina. Se for trabalhar em áreas alagadas ou encharcadas. nunca fique embaixo de linhas de transmissão. córregos. . como: montes de capim. recomendam-se botas de cano alto ou perneiras de couro de raspa. não beber e não fumar durante o manuseio de produtos químicos. em lugares com vegetação densa e perigosa. Quando fumar. gado. após o término do trabalho no estábulo.1 . devem-se usar botas de borracha. Em dias de chuvas e trovoadas. cascatas ou lugares altos. Não comer. árvores isoladas ou perto de tratores.

 Pessoas com ferimentos ou lesões devem evitar o contato com esterco de animais.  A roupa utilizada durante o trabalho no curral deve ser lavada com água e sabão.  Trabalhar sempre em ambiente arejado.  Tomar banho com água fria e sabão após a aplicação de defensivo animal. evitando o contato direto com a urina e o excremento dos animais. separado das roupas da família.  Usar botas e luvas. .

a fim de se eliminarem as causas de doenças parasitárias.2 . Manter as instalações limpas e desinfetadas. tétano. Não contaminar rios. . O poço deve estar no local mais alto do terreno. leptospirose. Combater regularmente moscas e mosquitos. córregos e minas d’água. Utilizar água de boa qualidade para os animais. As cercas de arame que passam debaixo da rede elétrica devem ser isoladas. erisipela e outros são doenças transmitidas do animal para o homem. lagos e fontes de água com material descartado de fezes humana e de animal. Brucelose. Isso garante a segurança de pessoas e animais.Instalações         Construir as instalações longe de poços. O isolamento pode ser feito por meio de espaçamento entre os mourões ou utilizando isolador para cerca.

 Usar seringas e agulhas fervidas e desinfetadas.Animais Doentes  Isolar os animais doentes ou suspeitos de alguma doença. Se necessário. quanto no uso de defensivos. .  Não tratar nem vacinar os animais cansados ou debilitados. sacrificá-los. para o abate e ou consumo do leite. As agulhas devem ser mantidas em soluções desinfetantes. tanto no combate a doenças.3 . enterrando em buracos profundos ou queimando-os. ao vacinar os animais.  Respeitar a carência dos produtos usados.

 Não contaminar poços.  No manuseio do produto. fontes e quaisquer cursos de água com a lavagem dos utensílios utilizados. afastar as crianças e outras pessoas não envolvidas no trabalho.  Não desentupir com a boca os bicos do equipamento de aplicação.  Usar EPIs adequados para a atividade (luvas. botas.Medicamentos  Seguir rigorosamente a orientação do médico veterinário.).  Armazenar os produtos em local trancado.  Ler cuidadosamente todas as instruções sobre o manuseio e a aplicação do produto (leia a receita e o rótulo). etc. . fora do alcance de crianças.4 . adultos e de animais. desmonte-os e limpe-os com água. máscara. Não usar produtos vencidos.

e as temidas zoonoses . quedas. mas trazem também riscos de acidentes Ex. coices. mordidas. chifradas.*Trato com animais Os animais são úteis ao homem.

amanse e Treine o animal Cuidado com cordas Amarradas ao corpo Descorna Use os animais Mansos .* Cuidado no manejo de animais Para evitar acidentes com animais: Aproximar-se pelo lado Para arrear. amarre-o De forma segura Castre.

*Contenção de Animais Mourão Entravões Brete Pé de Amigo Freio Alemão Peia ou corda .

5 . acidentes. Os acidentes mais comuns são os cortes.Ferramentas Corte de plantas utilizadas como capineiras exige grande esforço físico do trabalhador durante o manuseio de ferramentas cortantes e perigosas. . as dilacerações e as contusões. provocando. muitas vezes.

 Manter.  Mantenha as ferramentas sempre bem afiadas. de modo a não se atingirem com as ferramentas de trabalho. durante o trabalho.  Fazer movimentos o mais longe possível do corpo.  Durante a utilização destas ferramentas. para facilitar o corte e diminuir o esforço empregado durante a sua utilização.  Para verificar o fio de facas e facões.Alguns cuidados são necessários: Antes de iniciar o trabalho. botas e perneiras de raspa. não use os dedos ou a palma das mãos. . principalmente das pernas e dos pés. devem ser usadas luvas de couro. examine as ferramentas e verifique se estão em perfeitas condições de uso. uma distância entre os trabalhadores.

 Botas de borracha de PVC de cor branca. para poeiras e vapores orgânicos (P2 mais VO).  Perneira ou Calça de couro .6 . Luvas de borracha.  Avental impermeável de PVC.  Máscara descartável.Vestimentas equipamentos de segurança e individual  Camisa de algodão ou macacão de brim grosso. com mangas compridas e de cor clara.

PERNEIRAS .

IDEAL Sistema de amarração .

despejados no solo.Cuidados com embalagens vazias Embalagens e vasilhames contaminados com agrotóxicos nunca devem ser queimados.7 . enterrados. jogados na água ou deixados nas beiras de rios ou estradas. . Consulte os Órgãos do MAPA para ver o "Destino Correto das Embalagens Vazias de Agrotóxicos".

Obrigado!! .