You are on page 1of 28

Cap.

8 – Sistemas de potência a vapor
8.1 – Modelando sistemas de potência a vapor

.

.

Central de Pego – Portugal – 584 MW .

2 – Análise de sistemas de potência a vapor .8.

2. v . S E S   E 2   Turbina  W t  h1  h2  m expansão adiabática Condensador: Bomba  Q sai  h 2  h3  m  W b  h 4  h3  m compressão adiabática Caldeira:  Q ent  h1  h4  m .1 – Trabalho e transferência de calor Equação da cons.c .8.c . da energia : 2 2   V  V E S    0Q  W  m . ( h  h )   g ( z  z ) v .

Eficiência ou rendimento do ciclo:   W  W  (h1  h2 )  (h4  h3 )  W liq t b     Q Q ( h  h ) 1 4   ent ent  Q  Q (h2  h3 ) ent sai   1 Q (h1  h4 ) ent Razão de trabalho reversa:  W (h4  h3 ) b bwr    Wt (h1  h2 ) Ciclo de Rankine ideal: Processso 1-2 : Expansão isentrópica do fluido de trabalho => vapor saturado (1) a mistura (2) Processso 2-3 : Rejeição de calor a pressão constante => mistura (2) a liquido saturado (3) Processso 3-4 : Compressão isentrópica do fluido => liquido saturado (3) a líquido comprimido (4) Processso 4-1 : Transferência de calor a pressão constante => liquido comprimido (4) a vapor saturado (1) .

Turbina a vapor multi-estágios .

1 : Calcular: Potência líquida = 100 MW a) Eficiência térmica: b) razão de trabalho reversa c) vazão de vapor em kg/h d) taxa de transferência de calor que entra e) taxa de transferência de calor que sai f) vazão de água de arrefecimento (Tent = 15 oC e Tsai = 35 oC) .Exemplo 8.

Ponto 1 do ciclo: Vapor saturado a 8 MPa tabela A-3 => h1 = 2758 kJ/kg => s1 = 5. (8-0.5926   0.(p 4  p3 )  m h4 = 173.8 kJ / kg Ponto 3: líquido saturado a 0.06 kJ/kg h4 = 181.88  (0.88 kJ/kg  W h4  h3  b  h3  v 3 .K s 2  s f 5.6745 sg  s f 7.94 kJ/kg .7432 kJ/kg.008x10-3 .88 + 8.88+1.hfg  173.7432 kJ/kg.403.1  1.6745 ) 2.008 MPa Ponto 4: líquido saturado a 8 MPa h3 = 173.794.6361 Título x2 x2  Entalpia h2 h2  hf  x 2 .7432  0.K Ponto 2: 1-2 Mistura líquido-vapor a 0.008 MPa Expansão isoentrópica => s2 = 5.008)x106 / 103 kJ/kg = 173.

758  1.Trabalho líquido por kg de fluido h1 = 2.0083  0.7 [kg / s]  3.621)  169.9 kJ/kg   W W t  b  (h1  h2 )  (h4  h3 )   m m  W líq  [(2.7 (1.9 kJ/kg h2 = 1.9)]  m  W líq  963  8  955 [kJ / kg]  m h3 = 173. 758  181 .795 kJ/kg   100 x1.7 (2.758  182)  104.795  174)  104.7 MW Q sai c) ent 1 4 . 576 .7 MW Q m e)  m  (h2  h3 )  104.576)  269.37  37%  (h1  h4 ) 2 .758 kJ/kg h4 = 181.7 (2.000 [kJ / s]  1x10 5 [kW ] W líq a)  W  (h  h2 )  (h4  h3 )  955 955    liq   1    0.9  173.7 (1. 9 2 .795)  (181. 1 Q ent   b)  W (h  h3 ) 8 bwr  b  4   0.76 x105 [kg / h]  376 [ t / h] m 955   (h  h )  104.000  104.83%  1%  ( h  h ) 963 W 1 2 t d)   100.

2.3 – Efeitos da pressão na caldeira e no condensador .8.

Comparação com ciclo de Carnot .

4 – Irreversibilidades e perdas principais Eficiência isentrópica da turbina T  m  W h1  h2 t t     Wt m s h1  h2s   Eficiência isentrópica da bomba b s  m   W  b  m  W b s  h 4 s  h3 h 4  h3 .8.2.

Exemplo 8.2 : Calcular: Ciclo com irreversibilidades Eficiência da turbina e da bomba = 85% Potência líquida = 100 MW a) Eficiência térmica: b) razão de trabalho reversa c) vazão de vapor em kg/h d) taxa de transferência de calor que entra e) taxa de transferência de calor que sai .

85 h4 = 173.6745 ) 2.403 Título x2 x2  Ponto 3: líquido saturado a 0.794.8 kJ / kg h2  h1  t (h1  h2s )  2.008 MPa Ponto 4: h3 = 173.758  1.1  1.88 kJ/kg líquido saturado a 8 MPa    W b    m        W b    m      h 4 s  h3  v 3 .48 [kJ / kg]  m 0.(p 4  p3 )  8.48 =183.K Entalpia h2s Entalpia h2 h2s  h f  x 2 .577  174 2.06 [kJ / kg] s s  W  b .7432 kJ/kg.88  (0.765    0.Ponto 1 do ciclo: Vapor saturado a 8 MPa tabela A-3 => h1 = 2758 kJ/kg => s1 = 5.88+9.K Ponto 2: 1-2 Mistura líquido-vapor a 0.73 hfg 2.794.85)(2.403.b  m   W 8.7432 kJ/kg.939  174 1.008 MPa Expansão isoentrópica => s2 = 5.hfg  173.758  (0.939 kJ / kg h2  h f 1.06 b   9.36 kJ/kg .8)  1.

758  183.5 MW e) Q sai  m .5 [kJ / kg]  m h4 = 183.000 [kJ / s]  1x10 5 [kW ] W líq  W  (h  h )  (h4  h3 )  809.16%  ( h  h ) 819 W 1 2 t   100.314  31.1 (1.1 (2.574.9)]  m  W líq  819  9.4 kJ/kg h3 = 173.5  809.758 kJ/kg  W líq  [(2.1 (2.5    0.5 809. 574 .758  1.4)  122.765)  215. 6 Q ent   b) c) d)  W (h  h3 ) 9.000  122. 4 2 .939  174 )  122.939 kJ/kg   100 x1.5 bwr  b  4   0.939 )  (183.0116  1.4  173.4% a)    liq   1 2  (h1  h4 ) 2 . 758  183 .3 MW Q m ent 1 4  (h2  h3 )  122.39 x105 [kg / h]  439 [ t / h] m 819   (h  h )  122.9 kJ/kg h2 = 1.6)  314.1 (1.Trabalho líquido por kg de fluido   W W t  b  (h1  h2 )  (h4  h3 )   m m h1 = 2.1 [kg / s]  4.

8.3 – Superaquecimento e reaquecimento .

.

363 x10 5 [kg / h]  236 [ t / h] m Transferência de calor na caldeira = 248 MW Transferência de calor no condensador = 148 MW .3 %   2.3 : Ciclo sem irreversibilidades Potência líquida = 100 MW Eficiência do ciclo = 40.Exemplo 8.

1 %   2.Exemplo 8.782 x10 5 [kg / h]  278 [ t / h] m Transferência de calor na caldeira = 285 MW Transferência de calor no condensador = 185 MW .4 : Ciclo com irreversibilidades Eficiência isentrópica da turbina = 85% Potência líquida = 100 MW Eficiência do ciclo = 35.

8.4.1 – Aquecedores de água abertos (misturador) .4 – Ciclo de potência a vapor regenerativo 8.

Exemplo 8.5 : Eficiência do ciclo = 36.69 x10 5 [kg / h]  369 [ t / h] m Ciclo com irreversibilidades Eficiência isentrópica da turbina = 85 % Potência líquida = 100 MW Transferência de calor na caldeira = 271 MW Transferência de calor no condensador = 171 MW .9 %   3.

2 – Aquecedores de água de alimentação fechados .4.8.

8.3 – Aquecedores de água de alimentação múltiplos .4.

1 % .6 : Ciclo sem irreversibilidades Potência líquida = 100 MW Eficiência do ciclo = 43.Exemplo 8.

26 .8.Sétima lista de exercícios 8.8.12 .16 .