You are on page 1of 8

.

.

. C = Co (W/P) + c(Yd) C = f (Yd.Macro II Efeitos decorrentes da variação de preços no modelo IS-LM: EFEITO PIGOU C = Co + c(Yd) Para Pigou. afetando a posição da curva LM. e a riqueza afeta o nível de consumo. o saldo real de moeda afetará também a posição da curva IS. então. W/P) Como o volume real de moeda faz parta da riqueza dos agentes. o consumo agregada também depende do estoque real de riqueza (W/P).

uma vez que. deslocando a curva IS para a direto. a variação dos preços tende a afetar a demanda por dois mecanismo. (i) O nível de investimento pelo impacto da variação dos saldos reais na taxa de juros. Com o efeito Pigou. agora.Macro II Uma queda no nível de preços tem um impacto imediato. . provocando deslocamento para direta da curva LM. Esse aumento dos saldos reais amplia a riqueza dos indivíduos. (ii) e o nível de consumo em decorrência do efeito riqueza. Isto faz ampliar o consumo autônomo. ampliando o impacto expansionista de preços. O efeito riqueza tende a diminuir a variação da taxa de juros. a curva de DA tende a ser mais achatada.

” Com base na taxa real de juros desejada ex ante e da inflação esperada. i = r + πe “ao negociar a taxa de juros nominal que será aplicada a um determinado título. a taxa real de juros ex ante será diferente da ex post. ao conhecermos a inflação. os agentes passam a operar com uma expectativa inflacionária. defini-se a taxa nominal de juros. ocorrida no período de aplicação. os agentes estão interessados na taxa real de juros que desejam. i=r+π No entanto. A taxa real de juros efetiva só será conhecida ex post. no incremento de poder de compra.Macro II Efeitos decorrentes da variação de preços no modelo IS-LM: EFEITO FISHER Com a variação de preços. Caso π e ≠ π. ie. . i ≠ r.

mas considera a taxa nominal de juros. ie. Assim. que representa o diferencial de rentabilidade real entre a moeda e os demais títulos. a curva IS estipula uma relação entre a taxa real de juros e o nível de renda. já a curva LM também estabelece uma relação entre as mesmas variáveis.Macro II A taxa de juros relevante é a nominal. temos: Curva IS: Y = α(A .i) . No caso da Decisão de Investimento.di + dπe) Curva LM: M/P = L(Y. a taxa de juros relevante é a real. reflete o custo de oportunidade de reter moeda. uma que ao decidir pela ampliação da capacidade produtiva. Entao. o empresário compara a produção adicional gerada pelo equipamento frente ao seu custo real.

um aumento na expectativa de inflação provocará uma redução de igual magnitude na taxa real de juros. não provocará impacto sobre o nível de renda e emprego. Casos extremos do Efeito Fisher: Clássico e Armadilha da Liquidez. do emprego e da renda. provocando queda do investimento. mantendo inalterada a taxa real de juros. Neste caso ocorre o oposto de uma expectativa de inflação positiva. . a taxa real de juros será tanto maior quanto maior a expectativa inflacionaria. logo. Caso Clássico Um aumento da expectativa inflacionária será totalmente repassado à taxa de juros nominal. Efeito Fisher e a Deflação. As taxas nominais de juros se reduzirão e as taxas reais de juros se elevarão. Armadilha da Liquidez Nessa situação.Macro II Efeito Fisher Para dada taxa nominal de juros.