You are on page 1of 28

O IDOSO E A

SOCIEDADE
BRASILEIRA

Mariana Giorgi – Psicóloga e Pedagoga

Epidemiológico e
Demográficos

Epidemiológico: relativo à epidemiologia.

Epidemiologia: Ciência que estuda os
padrões da ocorrência de doenças na
população humana, assim como os fatores
determinantes. Propõe medidas específicas
de prevenção, controle ou erradicação das
doenças.

Demográficos: relativo à demografia.

Demografia: área da ciência geográfica que
estuda a dinâmica populacional humana.

Introdução O envelhecimento populacional foi um fenômeno inicialmente observado em países desenvolvidos. Também indicam que em 2025. mas recentemente é nos países em desenvolvimento que a população idosa tem aumentado de forma mais rápida  Publicações recentes da OMS estimam que entre 1990 e 2025. a população idosa aumentará cerca de 7 a 8 vezes em países em desenvolvimento. cinco dos países são em desenvolvimento.  . incluindo o Brasil com um número estimado de 27 milhões de pessoas com 60+ anos de idade.

datasus.9 % em 1996.br  .1 % em 1980.gov. Disponível em www. para 7. Fonte Data SUS.Introdução A proporção de pessoas com 60 + anos de idade no Brasil aumentou de 6.

 Estas mudanças significativas da pirâmide populacional começam a acarretar uma série de previsíveis consequências epidemiológicas. e culturais. sociais. caracterizada por um aumento progressivo e acentuado da população adulta e idosa.  . tem propiciado mudanças significativas na sua pirâmide populacional. para as quais ainda não estamos preparados para enfrentar adequadamente.Explicações quando às mudanças demográficas No Brasil. a passagem de uma situação de alta fecundidade e alta mortalidade para uma de baixa fecundidade e progressiva baixa da mortalidade.

importância crescente de fatores de risco para a saúde e que requerem ações preventivas em diversos níveis. enquanto hoje são responsáveis por menos de 10%. uma rápida transição nos perfis de saúde que se caracteriza:     predomínio das enfermidades crônicas não transmissíveis.O que causa essa mudança? Dentro deste contexto tem-se desenvolvido . As doenças infecto-contagiosas na década de 50 representavam quase a metade das mortes ocorridas no país. . Em contrapartida as doenças cardiovasculares passaram de 12 % para 40%.

Caracterização do Brasil Atual  O Brasil vem passando por dois grandes processos que se encontram intimamente relacionados:   a estrutura populacional. . a prevalência de doenças.

.  Nesta faixa etária . independentemente da idade em que esta ocorra. são passíveis de cuidados que podem diminuir a rapidez da evolução. pois o período de doença e dependência. estudos relatam que normalmente ocorrem nos três ou quatro nos que antecedem a morte. as doenças mais comuns são:      as cardiovasculares diabetes neoplasias Alzheimer e outras demências Embora essas doenças sejam até o momento incuráveis.Caracterização do Brasil Atual  Muitas pessoas vivem além dos 65 anos se mantém. saudáveis e ativas. o número e a gravidade das complicações. diminuindo o sofrimento tanto dos pacientes quanto daqueles que deles cuidam.

ou com deficiência sendo as principais consequências: má nutrição. doenças crônico-degenerativas.  Quanto melhores as condições de vida.  . maior o número de idosos sadios. no comportamento reprodutivo.Caracterização do Brasil Atual O grande problema é que no Brasil as condições socioeconômicas determinam um número maior de idosos doentes e/ou inválidos. más condições assistenciais e de trabalho. acidentes. As diferenças regionais são marcantes no processo de envelhecimento da população brasileira. na qualidade e quantidade dos serviços de saúde. interferindo na mortalidade por grupo etário e por causa do óbito.

exigem tempo. . Porém. e equipes especializadas para o seu desenvolvimento. são essenciais para o conhecimento das condições de saúde e social da população idosa.  Estudos epidemiológicos com base populacional são caros.Estudos e Informações Epidemiológicas  As informações epidemiológicas sobre as condições de saúde da população idosa e suas demandas por serviços médicos e sociais são fundamentais para o planejamento da atenção e promoção da saúde e social.

. Como um terceiro grupo de causa morte apareceram na mesma proporção as seguintes causas: endócrinas.Causas de morte entre idosos brasileiros  As doenças do aparelho circulatório foram a primeira causa morte entre os idosos brasileiros em 1980. nutricionais e metabólicas.1991 e 1996. Neste mesmo período as neoplasias foram consideradas o segundo grupo de causas de morte desta população. parasitárias e externas. infecciosas.

tetraparesia. andador. o AVC . Uso de tecnologias assistivas: cadeira de rodas ou banho. muleta. ou até mesmo um acidente por causa externa (atropelamento). . monoparesia. Reflete mais ainda para esse idoso. sua condição. pois necessita re-significar além da sua idade.Consequência das doenças    Algumas doenças como. por exemplo. monoplegia). podem ocasionar limitações físicas (tetraplegia.

Classificação Internacional de Funcionalidade. e compromisso de 191 países.  2003 publicação em português.  2001aprovação/publicação pela OMS.  Objetiva a descrição e avaliação da saúde e da . Incapacidade e Saúde – CIF  Testagem.

Incapacidade e Saúde – CIF  Família de classificações internacionais da OMS.Classificação Internacional de Funcionalidade. CID-10 Classificação Estatística Internacional de Doenças & Problemas Relacionados à Saúde CIF Classificação Internacional de Funcionalidade. Incapacidade e Saúde Adaptações para Cuidados Primários Adaptações para Especialidades .

que não é mais o problema de um grupo minoritário e não se limita unicamente às pessoas com deficiência visível ou em cadeiras de rodas.O que é a CIF?  A CIF focaliza seu interesse no conceito “vida”. . assim como na legislação e políticas sociais destinadas a melhorar o acesso aos cuidados de saúde. bem como à proteção dos direitos individuais e coletivos.  Possui implicações na prática da medicina. pois considera a maneira como as pessoas vivem seus problemas de saúde e como elas podem melhorar suas condições de vida para que consigam ter uma vida produtiva e enriquecedora.  A CIF transforma a nossa visão da deficiência.

•Teoria auto-imune: O sistema imunológico confunde-se e ataca as próprias células do organismo. a Teorias de Taxas Variáveis •Teoria do desgaste: As células e os tecidos têm partes especiais que se desgastam.Teorias Sobre o Envelhecimento  Teorias de Programação Genética  Teoria da senescência programada: O envelhecimento é o resultado da ativação e da desativação sequencial de certos genes. com a senescência sendo definida como o momento quando déficits associados à idade manifestam-se. •Teoria dos radicais livres: Os danos acumulados dos radicais de oxigênio fazem com que células e -eventualmente órgãos parem de funcionar. . •Teoria da taxa de metabolismo: Quanto maior a taxa de metabolismo de um organismo. mais curto é o ciclo de vida.  Teoria endocrinológica: Relógios biológicos atuam através de hormônios para controlar a taxa de envelhecimento.  Teoria imunológica: Um declínio programado nas funções do sistema imunológico leva à maior vulnerabilidade.

 Visão.  Grau de Dependência III .  Grau de dependência ANVISA:  Grau de Dependência I . sem comprometimento cognitivo ou com alteração cognitiva controlada.idosos com dependência que requeiram assistência em todas as atividades de autocuidado .idosos independentes. mobilidade.  Memória.  Física. mesmo que requeiram uso de equipamentos de auto-ajuda.  Grau de Dependência II .idosos com dependência em até três atividades de autocuidado para a vida diária tais como: alimentação. higiene.Deficiência X Envelhecimento  Audição.  Psicossocial.

usar a escrita para auxiliar na retenção de informações. falar de frente para o idoso evitando virar-se ou afastar-se enquanto fala. evitar cobrir a boca com a mão ou com qualquer objeto enquanto fala. etc) chamá-lo pelo próprio nome ou da forma como ele referir preferir. evitar infantilizá-lo utilizando termos inapropriados como “vovô”. e de preferência. os termos também utilizados por ele. identificar o momento melhor de abordagem .Comunicação  Dicas para melhorar a comunicação verbal com o idoso:          usar frases curtas e objetivas. permitindo que ele possa ler os lábios. “lindinho”. procurar um ambiente com poucos ruídos.que não tenha tantos ruídos a nossa volta. quando possível e necessário. repetir a comunicação erroneamente interpretada por ele utilizando palavras diferentes. “querido” ou ainda utilizando termos diminutivos desnecessários (“bonitinho”. .

. Redução da produção de cerume. Atrofia do nervo auditivo. pressão e dor local. Redução a visão periférica e da visão lateral. Diminuição do reflexo.Senescência  Tato   Audição        Redução das sensações táteis em especial as relacionadas à temperatura. Degeneração da cóclea. Visão Redução da acuidade visual.

Cuidador de idosos  Compreender que esse idoso possui uma história de vida e possui uma individualidade.  desenvolver atitudes positivas frente às suas (in) capacidades.  Luto de várias situações sejam essas relacionadas à questões emocionais ou físicas.  melhorar sua capacidade de comunicação e sua relação com os outros.  resolver uma situação atual ou potencial.  O Cuidador deve ser capaz de:  ultrapassar uma situação-limite. aumentando sua autoestima e sua segurança e diminuindo sua ansiedade ao mínimo. .  encontrar um funcionamento pessoal mais satisfatório.

. não fazendo por este determinada ação se ele ainda é capaz.Cuidador de idosos  Pessoa capacitada para auxiliar o idoso em suas limitações.  Auxilia nas atividades básicas de vida diária (ABVD).

trabalhar um elemento de cada vez.Definindo papéis. auxiliá-lo na escolha dos meios para ajudá-lo a atingir seus objetivos levando em consideração seu sistema de valores.. estabelecer conjuntamente com idoso/ família objetivos concretos e pertinentes..  Cabe ao profissional:      identificar claramente os problemas vivenciados pelo idoso. avaliar juntamente com o idoso suas capacidades e suas limitações. Cabe à pessoa idosa/família:    participar ativamente na definição dos objetivos. . iniciar pelo problema atual ou o mais relevante.

a compreensão da dinâmica psicossocial da pessoa idosa é fundamental na compreensão da evolução de seu processo de vida.. Os aspectos psicossociais envolvem os aspectos psicológicos e os sociais normalmente muito relacionados nesse . embora muita ênfase seja dada aos aspectos biofuncionais no planejamento assistencial.   O envelhecimento é um processo biopsicossocial e..O Envelhecimento.

.Como os relacionamentos pessoais mudam na velhice e qual é seu efeito sobre o bem estar?  Os relacionamentos são muito importantes para as pessoas mais velhas. e o isolamento é um fator de risco para a mortalidade.  Apoio social está associado à boa saúde. as reduções ou as mudanças no contato social na velhice na terceira idade não comprometem o bem estar porque um círculo interno estável de apoio emocional é mantido.  Segundo a teoria do comboio social. ainda que a frequência dos contatos sociais diminua na velhice. pessoas mais velhas preferem passar seu tempo com pessoas que aumentam seu bem estar emocional. ]  Segundo a teoria da seletividade socioemocional. mas os relacionamentos familiares ou sua ausência podem ter os efeitos mais negativos.  As amizades têm um efeito mais positivo sobre o bem estar das pessoas mais velhas.

a pessoa idosa tiver vivenciado situações emocionais traumáticas em idades precoces. mesmo que inconscientes.Aspectos emocionais   Para a melhor compreensão do estado emocional de uma pessoa idosa. adequadas e não regressivas. pois. . deve-se buscar contextualizá-lo junto a sua história de vida. A capacidade de adaptação do idoso às mudanças que ocorrem com o envelhecimento dependerá de seu histórico de conflitos emocionais (não traumáticos) nas idades mais jovens. com frequência. suas respostas serão eficientes. isso poderá contribuir no desenvolvimento de distúrbios de adaptação ou de problemas psicológicos nas idades mais longevas. Se. Assim. ao contrário. suas reações emocionais estarão diretamente relacionadas às vivências acumuladas no decorrer de toda a sua existência.

Mudanças de humor X apatia. Dificuldade de se adaptar X busca de novas atividades. . Vulnerabilidade X Independência Família e contatos sociais X solidão. Autoestima X Baixaestima.Aspectos emocionais       Supervalorização da história de vida X esquecimento.

Lei n. e Defensoria Pública. CREAS Federais: M.P. Denúncia aos maus tratos.Legislações Idosos  PNI .Política Nacional do Idoso. Órgãos:   Municipais: SEPEDI. ILPI´s. Medidas protetivas.Autonomia. . Integração e Participação Objetivo:  Regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a sessenta anos.º 8842 de 04/01/1994   Estatuto do Idoso –  Lei nº10741/03      Objetivo:  Garantia dos direitos sociais dos idosos .

Como lidar com o idoso       Manter uma comunicação adequada. Não subestimar. Escutar. Usar palavras cordiais. Ser ético. Verbalizar o auxílio. .