A 1ª República

Crise e queda da Monarquia
Descontentamento da População
•Na passagem do século XIX para o século XX, Portugal vivia uma situação económica difícil: ØA falência de alguns bancos; ØA desvalorização da moeda; ØO aumento das importações e da dívida pública; ØA diminuição dos investimentos; ØFalência do próprio Estado – Bancarrota.

Nós, operários, temos: ØMás condições de trabalho; ØBaixos salários; ØMuitas horas de trabalho diário; ØNão temos descanso semanal;

A população estava descontente. A crise económica agravava-se de dia para dia. Para fazer face às dificuldades, o Governo pediu empréstimos ao estrangeiro e aumentou os impostos.

Entre 1900 e 1910, registaram-se mais de 100 greves.

Crise e queda da Monarquia
Difusão das ideias republicanas e socialistas

Crise e queda da Monarquia


  

Difusão das ideias republicanas e socialistas
•Na década de 1870 foram fundados em Portugal, dois partidos políticos que, apesar de terem ideias diferentes, combatiam a monarquia: o Partido Republicano Português (1873) e o Partido Socialista Operário Português (1875). As suas ideias começaram a ser difundidas em alguns livros, jornais, revistas e caricaturas.

Difusão das ideias socialistas e do Republicanismo.

A ideologia socialista não conseguiu uma grande implantação no nosso país. Tal deveu-se, em parte, à concorrência do Republicanismo.


O Partido Republicano Português:

Ø Começou a eleger deputados para o Parlamento; Ø Contava com o apoio da pequena e média burguesia, de sectores do operariado, da Maçonaria(1) e Carbonária (2).

(1)Maçonaria: Sociedade secreta de inspiração iluminista, defensora dos princípios da liberdade, igualdade e fraternidade. (2)Carbonária: Sociedade secreta com fins políticos, anticlerical e defensora da liberdade. Preconizava o recurso à luta armada para atingir os seus objectivos.

O Ultimato Inglês, em 1890 aumentou ainda mais o descontentamento dos Portugueses e contribuiu para que o Partido Republicano fosse ganhando cada vez mais apoiantes.

A Família Real Portuguesa

Crise e queda da Monarquia
O Regicídio

O Regicídio –

A antecâmara da Revolução

Em 1908, o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro foram assassinados, no Terreiro do Paço, em Lisboa, por Manuel Buiça e Alfredo Costa, membros da Carbonária.

Local do regicídio

O REGICÍDIO - Após o Regicídio, D. Manuel II sobe
ao trono. Foi o último rei de Portugal.

D. LUÍS

D. Maria Pia

D. Amélia

D. Carlos

D. Afonso

D. Luís Filipe

O último rei de Portugal D. Manuel II

A IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA

31 de Janeiro de 1891 Revolta republicana no Porto. Primeira tentativa de Implantação da República.

5 de Outubro de 1910
No dia 5 de Outubro de 1910, uma revolução pôs fim à Monarquia implantou a República. Os revoltosos, tanto militares como civis, pertenciam à classe média, pequena burguesia e ao operariado. Apesar de pouco numerosos desorganizados, a revolução saiu vitoriosa, derrubou a Monarquia e República foi implantada quase sem combates. e à e a

Constituição

1911 foi elaborada e aprovada a Constituição Politica da República Portuguesa

• • • • • • •

defendia a separação dos três poderes

Poder Legislativo Poder Judicial

Poder Executivo

• • •

Congresso ou Parlamento Tribunais

Governo

Presidente da República

• • • •

Senado

Câmara dos deputados

1ª República
Bandeira

A 19 de Junho de 1911, depois de se implantar a República, a Bandeira Nacional substituiu a Bandeira da Monarquia Constitucional. E como é a nossa Bandeira? A Bandeira Nacional é dividida na vertical com duas cores fundamentais: verde escuro do lado esquerdo (ocupando dois quintos) e encarnado à direita (ocupando três quintos). E as suas cores? O que significam? - o vermelho é uma cor de força, coragem e alegria, que representa o sangue derramado pelos portugueses; - o verde, a cor da esperança e do mar, foi escolhida em honra de uma batalha onde esta cor deu a vitória aos portugueses.

Ao centro, sobre as duas cores, tem o Escudo das Armas Nacionais, e a Esfera Armilar Manuelina, em amarelo e avivada de negro. Simboliza as viagens dos navegadores portugueses pelo Mundo, nos séculos XV e XVI. E as restantes cores, significam o quê? Parece que houve muitas discussões por causa delas! Acabou por se decidir que: -o branco representa a paz; - o Escudo lembra a defesa do território; - as Quinas, a azul, representam as primeiras batalhas na conquista do País (diz-se que são os cinco reis mouros vencidos na Batalha de Ourique por D. Afonso Henriques); Cada quina contém cinco pontos brancos: as cinco chagas de Cristo que ajudou D. Afonso Henriques a vencer esta batalha;

os sete castelos amarelos representam os castelos tornados aos mouros por D. Afonso III

Qual o significado da esfera armilar? Foi um símbolo que o Rei D. Manuel I escolheu para representar as descobertas marítimas.

As bandeiras de Portugal – da Monarquia à República

1ª República
Hino

O hino que conhecemos hoje foi oficializado em 1911, depois da Implantação da República (em 5 de Outubro de 1910). Esta música foi escrita por Alfredo Keil e a letra por Henrique Lopes de Mendonça, ainda antes da revolução. Surgiu como protesto contra o Ultimato Inglês.

A Portuguesa
Heróis do mar, nobre Povo. Nação valente, imortal Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memória, Ó Pátria sente-se a voz Dos teus egrégios avós, Que há-de guiar-te à vitória! Refrão: Às armas, às armas Sobre a terra, sobre o mar, Às armas, às armas Pela Pátria lutar, Contra os canhões marchar, marchar!

1ª República
Moeda

Moeda de um escudo de 5 de Outubro 1910 em prata

O escudofoi a moeda introduzida em Portugal após a Implantação da República e esteve para se chamar Luso. O símbolo de escudo português é o cifrão. Foi a moeda usada em Portugal até à introdução do Euro, em 2002.

1ª REPúBLICA
O símbolo da República

Símbolo da República

Busto da República - da autoria de Simões de Almeida (sobrinho), Foi inspirado na imagem da Liberdade-Pátria criada por Eugène Delacroix na pintura “ A Liberdade Guia o Povo”, datado de 1830 e reconhecido como o primeiro quadro político da história da Arte.

A imagem da República retirou do quadro o barrete frígio, símbolo da liberdade, a figura feminina, o olhar decidido e a sensualidade. Acrescentou-lhe o raminho de loureiro como símbolo do triunfo.

AS POLíTICAS DA 1ª REPúBLICA

Políticas Sociais

Sociedade
aprovações


• •

Leis que promovem a igualdade da mulher L e is d e a p o io à d o e n ça e v e lh ice

Leis de protecção à família: Filhos ilegítimos passam a ter direitos iguais aos legítimos .

L e is q u e p e rm ite m o d iv ó rcio

A n a d e C a stro O só rio lutou p e lo s d ire ito s d a s m u lh e re s .

Políticas Educativas

Domínios da educação e da cultura

• • • •

Ensino primário • obrigatório Combate ao
• • • •

analfabetismo perior

Criação de escolas para formação de professores

Criação das novas Universidades de Lisboa e do Porto

Reforma do ensino técnico e superior

Políticas LABORAIS

Ø Os trabalhadores passaram a ter:
v v v v um dia de descanso semanal; oito horas de trabalho por dia; direito à greve; seguro de acidentes de trabalho.

Dificuldades da acção governativa na 1ª república

Instabilidade política: Havia desentendimento entre os vários económicas:

partidos políticos e a oposição era muito forte. Em 16 anos houve 45 governos e 8 presidentes da República.

 Dificuldades

• • • • •

Os preços subiram; os salários eram baixos; despesas maiores do que as receitas; aumento de impostos; greves; revoltas; assaltos a armazéns de alimentos; atentados; participação na 1ª Guerra Mundial. República trouxeram algumas alterações na sociedade, tais como a abolição dos títulos nobiliárquicos e a perda de influencia do Clero, o que desagradou a estes grupos.
Imagem: Partida dos soldados portugueses para França.

 Mudanças

na sociedade: As medidas dos governos da 1ª

Manuel de Arriaga 1911-1915

Teófilo Braga 1915

Bernardino Machado 1915-1917

Sidónio Pais 1917-1918

Canto e Castro 1918-1919

António José de Almeida 1919-1923

Manuel Teixeira Gomes 1923-1925

Bernardino Machado 1925-1926

.

Setúbal e a 1ª República

O X Congresso do Partido Republicano realizou-se em Setúbal, a 23 de Abril de 1909. Esta cidade demarcou-se pela sua posição antimonárquica onde os apoiantes do PRP cresciam. Deste Congresso, saiu reforçada a ideia de que “a revolução ia chegar”. Estiveram presentes cerca de 500 participantes durante três dias. Ana de Castro Osório destaca-se como sendo a única mulher oradora, no Congresso, defendendo a situação da Mulher Portuguesa.

Setúbal e a 1ª República
       
Imagem dos Paços do Concelho, após o incêndio que destruiu o edifício e todo o seu espólio, na noite de 4 para 5 de Outubro de 1910.

Setúbal e a 1ª República

Trabalho elaborado pelo 9º C