You are on page 1of 13

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS

GERAIS
PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO
ISNTITUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE – ICA
UNESCO

O ECA NA ESCOLA
OS DESAFIOS DA
IMPLEMENTAÇÃO DO ECA NO
COTIDIANO ESCOLAR

. por sua INSTITUCIONALIZAÇÃO e por sua EFETIVAÇÃO.Primeiro encontro: A MOBILIZAÇÃO DA SOCIEDADE PELA INSTITUCIONALIZAÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE • OBJETIVO: abordar o processo de mobilização em torno da defesa e garantia dos direitos de crianças e adolescentes. resgatando-o e situando-o em 3 fases: a luta pela EXISTÊNCIA do ECA.

.Novas tendências do conflito social: entre a juridificação e a judicialização • Sociedade moderna: identidades coletivas e aquisição de direitos • A noção de direitos universais se transformou na linguagem comum das instituições globais emergentes e em torno deles se organizam os novos movimentos sociais e os novos conflitos ideológicos.

4 ondas de direitos na sociedade moderna ocidental 1. Constituição da sociedade burguesa.DIREITOS CIVIS . de defesa contra o Estado Absolutista e criação de um direito para proteger a propriedade privada (contra o soberano). privatizou a terra e perseguiu o “vagabundo” a fim de criar um proletariado industrial (. garantiu a livre circulação de mercadorias e o respeito pelos contratos. a que deve acrescentar-se o papel das guerras religiosas na consolidação dos valores de tolerância e separação entre espaço público e privado ..)..

Explicitada e divulgada sobretudo pelas revoluções francesa e americana. Está ligada à luta dos sindicatos operários e aos partidos radicais e socialistas e à revolução russa – DIREITOS SOCIAIS 4. tendo produzido a abolição dos regimes absolutistas por repúblicas ou monarquias tradicionais – DIREITOS POLÍTICOS 3.2. embora particularmente associada à luta feminista. está ligada ao ingresso de grupos sociais mais amplos (camponeses e setores urbanos) no processo político. Tem origem mais difusa. ecológica e dos movimentos étnicos e raciais .

que sofrem uma erosão de legitimidade e transferem para o Judiciário (entre outros através da crescente privatização de serviços públicos) os conflitos que antes se resolviam na arena política. Essa confrontação produz. de sistemas externos de auditoria) – PROCESSO DE JUDICIALIZAÇÃO DA SOCIEDADE . da nomeação de juízes.• A quarta onda coloca o legislativo no centro do sistema político. que tentam novos mecanismos de controle do Judiciário (através do orçamento. em grande parte em confronto com os outros dois poderes. por sua vez. uma reação dos Poderes Executivo e Legislativo.

1. A fase instituinte do ECA: 1975 a 1988 • Fim do Regime Militar • Democratização da sociedade • Denúncias de maus tratos com relação aos “menores” • Movimentos sociais – MNMMR (1985)  alternativas de atendimento a crianças e adolescentes – I Encontro Nacional de MMR (Brasília. 1986) – Artigo 227 da Constituição Federal de 1988 .

governos. mídia. 1989) • Aprovação do ECA (13/07/1990) . A fase de institucionalização do ECA: 1988 a 1990 • Frente de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente • Ampla mobilização social (ong’s.2. unicef. grupos religiosos. etc • II Encontro Nacional de MMR (Brasília.

A fase de implementação de uma nova institucionalidade e a mobilização social • • • • Neoliberalismo / corte de verbas sociais Maior presença das ong’s Novo ator social: o empresariado Implementação dos Conselhos de Direitos e Tutelares • Combate à violência contra crianças e adolescentes.3. trabalho infantil e exploração sexual • 10 anos do ECA (07/2000): debates e pesquisas sobre os avanços na promoção de direitos das crianças e adolescentes .

Os 10 anos do ECA • Década de 1990: fase de efetivação do ECA • 1ª metade da década: os movimentos sociais passam por um novo ciclo – Da contestação – pressão para a criação de novos espaços de articulação prática entre a sociedade e o governo – Necessidade de uma atuação melhor qualificada .

• 2ª metade da década: revitalização do movimento em defesa da criança e do adolescente • Dificuldades: – Desconhecimento. do papel da família. dos adolescentes em conflito com a lei .visão equivocada ou resistência ao ECA – Enfrentamento de situações complexas frente a questões como a do adolescente trabalhador. da violência.

configurando um grande sistema de garantias de direitos. entidades de classe. órgãos públicos. ong’s diversificadas. universidades.• Propostas de soluções: – Formação de redes organizadas entre governo e sociedade civil. desde a proteção ao atendimento. etc – A agenda das ong’s passa a ser assumida pelo poder público . à defesa e à responsabilização (atores coletivos remanescentes dos mov’s sociais dos anos 80.

Estatuto da criança e do adolescente – uma década de direitos: avaliando resultados e projetando o futuro. A nova sociedade brasileira. Bernardo. Campo Grande: Ed. • SORJ. 2000. . Rio de Janeiro: Zahar. Ângelo. Novas tendências do conflito social: entre a juridificação e a judicialização.Referência bibliográfica • SILVA. 2001. MOTTI. In: _____. Edson. UFMS.