You are on page 1of 66

Gerenciamento de Obras

REPRESENTANTES DA ESCOLA DA QUALIDADE
KAORU ISHIKAWA — institui as características fundamentais
dos Círculos de Controle da Qualidade (CCQ), são:
• os círculos devem ser criados voluntariamente e não por
ordem de superiores;
• os membros dos círculos devem estar dispostos a estudar;
• os membros dos círculos devem aspirar a ampliar seus
horizontes e a cooperar com outros círculos;
• os CCQ devem fixar como meta final a participação plena de
todos os funcionários da empresa;
• os CCQ é de responsabilidade de todos os empregados e de
todas as divisões;

2

2

REPRESENTANTES DA ESCOLA DA QUALIDADE
JOSEPH JURAN - para o melhorar a qualidade é preciso:
• conscientizar para a necessidade de melhoria;
• ter foco na melhoria;
• organizar para obter qualidade: estabelecer conselhos de qualidade,
identificar problemas, selecionar projetos e designar os funcionários;
• treinar;
• comunicar os resultados;
• capitalizar as melhorias incorporando-as aos processos e sistemas
regulares da empresa.

ARMAND FEIGENBAUM: autor que introduziu a expressão
TQC —Total Quality Control.
PHILIP CROSBY - prevê despender todos os esforços a fim de
que um produto ou serviço, seja de qualidade “Faça tudo
certo e melhor, logo na primeira vez. Isso amplia o conceito
3
3
de Defeito Zero.

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TOTAL QUALITY CONTROL – TQC) A ideia do TQC se baseia na definição de qualidade em que o cliente era o ponto de partida: “a qualidade quem estabelece é o cliente e não os engenheiros. A qualidade de um produto ou serviço pode ser definida como o conjunto total das características de marketing. fabricação e manutenção do produto ou serviço que satisfazem as expectativas do cliente”. engenharia. nem o pessoal de marketing ou a alta administração. 4 4 .

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TOTAL QUALITY CONTROL – TQC) Apesar do modelo ter sido desenvolvido nos EUA foi no Japão que ele encontrou as melhores respostas. 5 5 . os governos ocidentais começaram a criar mecanismos de barreiras às entradas dos produtos japoneses e ações de incentivo e desenvolvimento das empresas: – a criação das normas ISO 9000. Honda e a Nissan (ganho de significativas fatias de mercado). • Em resposta. dando origem ao Modelo Japonês de Administração. • Toyota.

• As ações da qualidade devem ter como alvo os processos . • A partir da década de 80 a indústria ocidental começou a alterar os conceitos de qualidade para enfrentar a concorrência oriental. • O princípio Taylorista da divisão do trabalho prevaleceu até os anos 60 quando a Gestão da Qualidade fixava-se na inspeção sobre o produto.GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL TOTAL QUALITY MANAGEMENT (TQM) • Em sentido mais amplo. ou de superá-las. Questionamentos importantes: • A qualidade é formada durante o processo de obtenção de um produto e as ações de qualidade devem ocorrer simultaneamente aos processos produtivos. Tais inspetores entretanto não planejavam e nem controlavam o próprio trabalho. qualidade refere-se à capacidade que tem um produto ou serviço de atender às expectativas do cliente.

3.GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL TOTAL QUALITY MANAGEMENT (TQM) • O termo Gestão da Qualidade Total – TQM refere-se a uma busca pela qualidade. procurando evitar que ocorram. • A abordagem TQM necessita do esforço de todos na organização o que inclui a alta administração. Pode ser descrita da seguinte forma: 1. Identificar aquilo que os clientes querem. Fundamenta-se em dois objetivos-chave: melhoria contínua e satisfação do cliente final. 2. Se um erro ocorrer. que deve envolver todos na organização. O produto deve ser de fácil utilização e de fácil fabricação. Projetar o produto ou serviço de forma a atender (ou exceder) aquilo que os clientes querem. Ter como . Determinar de antemão onde os erros tendem a ocorrer nos processos. Procura-se “fazer o certo logo da primeira vez”. por meio de alguma técnica que integra a voz do consumidor no processo de tomada de decisão. 7 devemos descobrir o motivo de sua ocorrência.

O êxito da abordagem japonesa da melhoria contínua (kaizen) levou outras empresas a reexaminarem suas abordagens usuais. por parte de uma empresa. Abrange métodos. em vez de opiniões: coleta e análise de dados são a base para a tomada de decisões. a identificação das organizações que têm mais competência em determinada área e o estudo de como elas obtém essa competência. lhe é conferida autoridade para fazer as mudanças necessárias para a realização das melhorias. .  Abordagem de equipes: a formação de equipes para a solução de problemas gera união do grupo.CONCEITOS  Melhoria contínua: é a filosofia que busca aperfeiçoar todos os fatores relacionados com o processo de contínua conversão de inputs em outputs.  Empowerment do funcionário: ao dar ao funcionário a responsabilidade para aperfeiçoar os processos. maior envolvimento com o trabalho e estimula o espírito de cooperação e o compartilhamento de valores entre os funcionários. materiais.  Benchmarking: envolve.  Decisões baseadas em fatos. equipamentos e pessoas.

CONCEITOS QUESITOS GESTÃO TRADICIONAL GESTÃO PELA QUALIDADE Autoridade Chefe Líder / facilitador Postura Burocrata Empreendedor Responsabilidade Único responsável Trabalho em equipe Foco de ação Voltado ao superior hierárquico Voltado para o cliente Tomada de decisão “Dono da decisão” Decisão por consenso Comunicação Centraliza as informações Dissemina informações Delegação Centraliza o poder Delega aos subordinados .

CUSTO = LUCRO . lucro – estabelecido pela empresa preço . custo – atingido pela empresa lucro . custo – conseguido pelo empresário .resultante PROCESSO ATUAL: PREÇO . preço – fixado pelo mercado .CONCEITOS PROCESSO TRADICIONAL: CUSTO + LUCRO = PREÇO .resultante .

11 11 . • O MBC congrega as funções do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP) e do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade (PBQP). a fim de melhorar a competitividade das organizações. com a finalidade de desenvolver as empresas brasileiras públicas e privadas na direção da implementação de programas da qualidade. • criação da Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade (FPNQ) – promover as melhores práticas e disseminá-las para as organizações nacionais. atualmente Movimento Brasileiro para a Competitividade (MBC) ou Movimento Brasil Competitivo.QUALIDADE NO BRASIL • (1990) – o governo brasileiro cria o Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade (PBQP).

em Genebra. • A ISO 9000 é um certificado que atesta que a fábrica. laboratório ou escritório de uma organização cumpriu as exigências de gestão de qualidade determinada pela International Organization for Standartization (Organização Internacional para a Padronização).SÉRIE ISO 9000 • a criação das normas ISO 9000 (inicialmente seu propósito implícito foi servir de barreira aos produtos japoneses). • A inspeção da adoção das Normas ISO é feita por empresas internacionais de credenciamento. 12 12 . que são contratados e fornecem os certificados de conformidade.

SÉRIE ISO 9000 13 13 .

14 14 . Qualidade: Grau no qual um conjunto de características inerentes atende a requisitos estabelecidos.CONCEITOS Sistema: Conjunto de elementos inter-relacionados. Gestão da Qualidade: Atividades coordenadas para orientar e controlar uma organização em relação à qualidade. Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ): Para dirigir e controlar uma organização no que diz respeito à qualidade. Garantia da Qualidade: Parte da gestão da qualidade focalizada em fornecer confiança de que os requisitos serão atendidos. Gestão: Forma ou método de gerenciamento voltado ao resultado.

tornando a organização mais moderna. • A visão estratégica por meio de uma abordagem de processos. • Tornar a qualidade uma “filosofia administrativa” fazendo 15 15 parte de todas as ações e iniciativas da organização. dinâmica e efetivamente integrada. prática. . permitindo melhores níveis de controle e melhoria contínua.A decisão por implantar um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) em uma organização é uma opção estratégica e visa melhorar e padronizar: • A sistemática de gestão. • A efetividade das atividades relacionadas ao sucesso da organização.

definir papéis e responsabilidades. reduzir custos e aumentar a produtividade. promover o crescimento e o fortalecimento da empresa.BENEFÍCIOS PARA UMA ORGANIZAÇÃO COM A APLICAÇÃO DA NORMA Internos: • • • • • • • • esclarecer objetivos e desenvolver ações. melhorar o desempenho organizacional. organização e limpeza. 16 . capacitação da equipe. prevenir falhas e interrupções indevidas nos processos.

17 .BENEFÍCIOS PARA UMA ORGANIZAÇÃO COM A APLICAÇÃO DA NORMA Externos: • • • • • • reconhecimento do mercado. preferência e diferencial. facilidades de crédito. fidelização dos clientes. credibilidade. maior satisfação dos clientes.

OS ELEMENTOS DA SÉRIE ISO 9000 1 .Responsabilidade da administração Requer que a política de qualidade seja definida documentada. 2 . Além disto.Sistema da qualidade Deve ser documentado na forma de uma manual e implementado. A empresa deve assegurar que tenha todos os recursos necessários para atender às exigências contratuais.Análise crítica de contratos Os requisitos contratuais devem estar completos e bem definidos. implementada e mantida. comunicada. 18 . 3 . requer que se designe um representante da administração para coordenar e controlar o sistema da qualidade.

distribuição. métodos para revisão. 19 .Aquisição Deve-se garantir que as matérias-primas atendam às exigências especificadas.4 . etc. 6 . mudança e revisão em todos os documentos.) devem ser documentadas. verificações. Deve haver procedimentos para a avaliação de fornecedores.Controle de documentos Requer procedimentos para controlar a geração. 5 .Controle de projeto Todas as atividades referentes à projetos (planejamento. mudanças.

série ou lote durante todos os estágios da produção. normas. 10 .Produto fornecido p/ o cliente Deve-se assegurar que estes produtos sejam adequados ao uso.Identificação e rastreabilidade do produto Requer a identificação do produto por item. 8 .7 . 20 . 9 . etc.) e documentados.Controle de processos Requer que todas as fases de processamento de um produto sejam controladas (por procedimentos.Inspeção e ensaios Requer que as matérias-primas sejam inspecionadas (por procedimentos documentados) antes de sua utilização. entrega e instalação.

13 . o controle e a manutenção destes equipamentos.Situação da inspeção e ensaios Deve haver. medição e ensaios Requer procedimentos para a calibração/aferição. algum indicador que demonstre por quais inspeções e ensaios ele passou e se foi aprovado ou não.Controle de produto não-conforme Requer procedimentos para assegurar que o produto não conforme aos requisitos especificados é impedido de ser utilizado inadvertidamente. no produto.11 .Equipamentos de inspeção. 12 . 21 .

Estes devem ser devidamente arquivados e protegidos contra danos e extravios. 16 . 22 .Manuseio.Registros da qualidade Devem ser mantidos registros da qualidade ao longo de todo o processo de produção. preservação e expedição embalagem. a embalagem e a expedição dos produtos.14 . o armazenamento. armazenamento.Ação corretiva e preventiva Exige a investigação e análise das causas de produtos nãoconformes e adoção de medidas para prevenir a reincidência destas não-conformidades. Requer a existência de procedimentos para o manuseio. 15 .

19 .Técnicas estatísticas Devem ser utilizadas técnicas para verificar a aceitabilidade da capacidade do processo e as características do produto. 23 .Auditorias internas da qualidade Deve-se implantar um sistema de avaliação do programa da qualidade. 18 . 20 . atualizar e ampliar os conhecimentos e as habilidades dos funcionários.Assistência técnica Requer procedimentos para garantir a assistência à clientes.17 .Treinamento Devem ser estabelecidos programas de treinamento para manter.

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO
DA QUALIDADE (SGQ)

24

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO
DA QUALIDADE
FASE 1 – RECONHECIMENTO:
1°) planejar a implantação (diagnóstico) e realizar a abordagem
de processos;
2°) treinar a direção e envolvidos diretos;
3°) definir modelos de documentos;
4°) documentação fundamental;

25

QUANTO A DOCUMENTAÇÃO...

26

27 .IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE FASE 2 – IMPLENTAÇÃO: 5°) treinar todos os colaboradores. 6°) implantar efetivamente o sistema (SGQ). FASE 3 – VERIFICAÇÃO: 7°) realizar auditorias internas. 8°) aplicar ações corretivas / preventivas / e de melhorias.

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE FASE 4 – CERTIFICAÇÃO: 9°) definir a Organização de certificação. 10°) realizar a pré-auditoria. 11°) realizar a auditoria inicial. 28 . 12°) entrar na etapa de melhoria contínua.

Os três níveis de planejamento .

• Fornece o rumo e a direção geral dos esforços e dos recursos da empresa. • Ordena as ações.Planejamento estratégico • Consiste em uma técnica administrativa. • Procura ordenar as ideias das pessoas. . que ocorrem por meio do plano estratégico. • Cria-se uma visão do caminho que deve ser seguido.

mas construí-lo. .Planejamento estratégico • Pretende-se não adivinhar o futuro. racionalizar o processo de tomada de decisão e garantir o sucesso da empresa em seu ambiente futuro. evitar ao máximo as surpresas.

• Conhecer e usufruir as oportunidades externas. • Conhecer e eliminar ou adequar seus pontos fracos. . • Conhecer e evitar as ameaças externas.Planejamento estratégico • Conhecer e melhor utilizar seus pontos fortes.

2. 5.Planejamento estratégico 1. 6. Onde estamos? Onde queremos ir? Como chegaremos lá? Quando deveremos estar lá? Quem nos ajudará a chegar lá? Como medimos e avaliamos o progresso do plano? . 4. 3.

Principais elementos 34 .

Estratégias. Fatores críticos de sucesso. Plano de ação. Missão Visão de futuro. Análise ambiental. Objetivos.Planejamento estratégico • • • • • • • • • • Valores. Negócio. 35 . Controle.

. • Exemplo: ética. as pessoas. . norteadores e • Geralmente usados como sinônimos para expressar aquilo que é tido como verdade na organização. etc. ao meio ambiente.Valores • Princípios básicos permanentes. respeito ao patrimônio. aos 36 clientes..

Negócio • Campo de atuação onde a empresa decide atuar. • Exemplo Restrito: “meu negócio é vender sapatos” • Exemplo Abrangente: “Meu negócio é o ramo de calçados” 37 .

Negócio 38 .

Missão • É a razão de ser da empresa. sua finalidade de existir. • SEBRAE: Promover o desenvolvimento . • Ela responde à pergunta: porque a empresa deve realizar seus negócios? • Exemplo da SHELL: “satisfazer às necessidades de energia da 39 humanidade”. seu propósito.

.Visão de futuro A visão é um quadro inspirador de um futuro preferido. Exemplo de um município: Queremos viver numa região sustentável econômica e ambientalmente. com crescimento amparado no desenvolvimento contínuo da sociedade.

Visão de futuro .

fraquezas (Weaknesses).Análise ambiental • análise SWOT: forças (Strengths). oportunidades (Opportunities) e ameaças (Threats). 42 .

AMEAÇAS Situações ou eventos externos à organização que podem dificultar o 43 43 .Análise externa OPORTUNIDADES Situações ou eventos externos à organização que. se bem aproveitados. podem facilitar o cumprimento da sua missão.

que reduzem a probabilidade de cumprimento 44 da sua missão e dificultam a consecução . que contribuem para o cumprimento da sua missão e facilitam a consecução dos objetivos. PONTOS FRACOS Condições internas à empresa.Análise interna PONTOS FORTES Condições internas à empresa.

por sua vez. têm por objetivo priorizar as atividades-chave do negócio. • FCS são aqueles que levam a organização ao sucesso.Fatores críticos de sucesso • Os principais pontos fortes ou fracos vão levar a empresa à identificação dos seus fatores críticos de sucesso que. São considerados chave. pois o desenvolvimento deles é determinante para que a organização tenha sucesso. 45 .

• Deverá ser quantificado e possuir prazo para a sua realização.Objetivos • Um alvo ou um ponto onde a empresa deseja alcançar. • Exemplo: Qual a posição no mercado (%) que desejamos? 46 .

• como atingir os objetivos? 47 . o caminho a seguir.Estratégia • É o meio empregado. que a empresa escolhe para atingir um objetivo.

produtos de limpeza. bebidas. aumentar parcelas de mercado. crescer vendas. com explícitos objetivos de manter clientes. 48 .Estratégia • Empresas de setores muito competitivos adotam como estratégia de marketing a exposição frequente na mídia. • Exemplos: automóveis.

• Dito isso. . os administradores devem também assegurar que as estratégias sejam implementadas. parte-se para a complementação dessa etapa. definindo a forma como as estratégias serão implementadas.Plano de ação • Como a formulação de estratégias não é suficiente para garantir o sucesso da organização.

Plano de ação 50 50 .

para indicar a existência de problemas potenciais. para manter o plano dentro do cronograma.Controle • Serve para determinar se os benefícios e as melhorias desejadas foram alcançadas. e para fornecer o feedback para as pessoas. que precisam estar informadas em relação à melhoria de desempenho. 51 .

MODELOS 52 .

53 .

54 .

55 .

Planejamento estratégico da CONCRETEX 56 .

Visão da CONCRETEX 57 .

Negócio da CONCRETEX .

Missão da CONCRETEX .

Oportunidades .

Ameaças .

Pontos fortes .

Pontos fracos .

Objetivo Estratégia .

Plano de ação .

Controle .