Universidade federal do

Maranhão – UFMA
DISCIPLINA: MICOLOGIA

Introdução à micologia.
Classificação dos fungos.
Meios de cultura.
Coleta de material biológico.
Profa Dra Geusa Felipa de Barros Bezerra
geusabezerra@yahoo.com.br

Microbiologia:
Mikros(= pequeno)+ bio (= vida)+ logos(= ciência)
A Microbiologia é a área da ciência que dedica-se ao estudo dos
micro-organismos, um vasto e diverso grupo de organismos
unicelulares de dimensões reduzidas, que podem ser encontrados
como:
células isoladas ou agrupados em diferentes arranjos, mesmo estando
associadas, exibiriam um caráter fisiológico independente.
Assim, com base neste conceito, a microbiologia envolve o estudo
de organismos procariotos (bactérias, archaeas), eucariotos inferiores
(algas, protozoários, fungos) e também os vírus.

O queIntrodução
é Micologia ?à Micologia
É a ciência que estuda os
fungos(Eumycota)

,
Fungos são seres vivos que pertencem ao
Reino Fungi (Ainsworth 1973)

Os fungos foram outrora classificados como
vegetais, porém, não são fotossintetizantes,
não formam tecidos verdadeiros, não têm
parede de celulose e não armazenam amido

FUNGOS - SÃO SERES UNI OU PLURICELULARES, EUCARIONTES

DEPENDENDO DAS CONDIÇÕES .FUNGOS AERÓBIOS OU ANAERÓBIOS.

. 8 ed) Protozoários .Bactérias Vírus Archaea Fungos Algas Tipos de microrganismos estudados pelos microbiologistas. Microbiology. (Adaptado de Tortora et al.

Ubiqüidade dos microrganismos .

 Alguns espécies de fungos apresentam melanina na sua parede celular (demácios).Introdução à Micologia Características Gerais dos Fungos  Os fungos são amplamente distribuídos na natureza.  São aeróbios ou anaeróbios facultativos. conferindo resistência aos raios ultravioletas e as enzimas líticas.  Os fungos crescem na forma de: Levedura e/ou Filamento (dimorfico) .

 . caracteristicamente esféricas ou ovais.Introdução à Micologia Características Gerais dos Fungos Leveduras  As leveduras são formas unicelulares. não filamentosas.

formando uma cadeia de células conhecidas como – Pseudo-hifas . Características Gerais dos Fungos  Algumas leveduras produzem brotos que não se separam.Introdução à Micologia 2.

.Introdução à Micologia 2. O crescimento em massa das hifas produz micélios. Características Gerais dos Fungos     As hifas são divididas em: Hifas vegetativas (função de nutrição) e Hifas aéreas ( função reprodutiva).

Características Gerais dos Fungos  Dimórfico  Os fungos dimórficos crescem tanto na forma filamentosa ( produzindo hifas vegetativas e aéreas) quanto na forma de levedura (brotamento)  Ocorre dimorfismo principalmente nas espécies patogênicas  O dimorfismo é dependente de temperatura .Introdução à Micologia 2.

produzindo os ascosporos.  Assexuada ocorre através de esporângios.Introdução à Micologia Classificação dos Fungos  Zigomicetos  Sexuada resulta num zigosporo. .  Ascomicetos  Sexuada envolve a formação de um saco (asco).  Assexuada ocorre por meio de conídios.

Classificação dos Fungos  Basidiomicetos  Sexuada resulta na formação de basidiosporos.  Sexuada: Inexistente.Introdução à Micologia 4.  Assexuada caracterizada por conídios. .  Deuteromicetos: Fungos imperfeitos.

.

MICOSES Classificação Clínica As micoses são agrupadas pelas síndromes clínicas que causam: ● Micoses superficiais ● Micoses cutâneas ● Micoses subcutaneas ● Micoses sistemicas ou profundas .

MICOSES SUPERFICIAIS E CUTÂNEAS .

TEMPERATURA. UMIDADE .Micoses Superficiais e Dermatofitoses Micoses Superficiais 1. Pitiríase versicolor (Tinea Versicolor) Agente etiológico: Malassezia furfur FATORES PREDISPONENTES: PH. OLEOSIDADE.

caracterizada por máculas despigmentadas em tórax. . abdomen e braços. . Quadro clínico: Infecção leve e crônica do estrato córneo. Raramente produz fungemia.Micoses Superficiais e Dermatofitoses  Micoses Superficiais 1. . . Pitiríase versicolor Malassezia furfur é uma levedura lipofílica. que podem descamar. Faz parte da microbiota normal da pele.

Introdução à Micologia Como coletar material clínico .

Malassezia furfur .microscopia .

 Exame microscópico de pele infectada tratada com KOH a 10-20% .Micoses Superficiais e Dermatofitoses  Micoses Superficiais Pitiríase versicolor  Diagnóstico: Observação direta de hifas curtas e células esféricas.

Micoses Superficiais Pitiríase versicolor Tratamento: Pode ser feito através de aplicações tópicas de hipossulfito de sódio a 40% ou pelo uso oral de imidazólicos. . É aconselhável o uso de shampoos à base de sulfeto de selênio para eliminar Malassezia furfur do couro cabeludo.

 Piedra negra: Infecção nodular dos fios de cabelo causada por Piedraia hortae. de consistência amolecida causada por Trichosporon beigelii. NEGRA: Piedraia hortae PIEDRA BRANCA: Trichosporon beigelii .  Pode infectar os pêlos axilares. PIEDRA  É uam micose endêmica nos países tropicais subdesenvolvidos.Micoses Superficiais 2. a barba e os cabelos. pubianos.  Piedra branca: Formação de nódulos amarelados.

et al .000 e cortes dos pêlos (Gompertz. 2004) NEGRA: Piedraia hortae PIEDRA BRANCA: Trichosporon beigelii . PIEDRA Piedra negra Piedra branca: O tratamento é feito com álcool sublimado 1 / 2.Micoses Superficiais 2.

Micoses Superficiais e Dermatofitoses  Micoses Superficiais 3.  Prevalência em regiões costeiras quentes e em mulheres jovens. Tinea Nigra (Tinha negra)  Agente etiológico: Phaeoannelomyces werneckii (Exophiala werneckii). .

. Tinea Nigra  Quadro clínico: Lesões com pigmentação castanha.Micoses Superficiais e Dermatofitoses  Micoses Superficiais 3.  Diagnóstico: Exame microscópico revela hifas septadas ramificadas e células em brotamento. com paredes melaninizadas de cor castanha. principalmente nas palmas das mãos e planta dos pés.

et al .Tinea nigra . 2004 .Microscopia O tratamento é feito com iodo e agentes ceratinofílicos Gompertz.

 São causadas.Micoses Cutâneas  Dermatofitoses São infecções no tecido queratinizado superficial ( pele. principalmente. por três gêneros: Microsporum. Trichophyton e Epidermophyton. cabelos e unhas).  Alta prevalência mundial.  Apresentam-se na forma de hifas hialinas septadas e ramificadas ou .

.Micoses cutâneas .Dermatofitoses Ao exame direto EXAME DIRETO: Apresentam-se na forma de  hifas hialinas septadas e ramificadas ou cadeias de artroconídios.

Micoses Cutâneas  Dermatofitoses • Tinea corporis • Tinea cruris • Tinea pedis • Tinea capitis .

São classificados em .Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 1. animais ou humanos infectados. Características Gerais Os dermatófitos são adquiridos por contato com solo contaminado.

Morfologia  O gênero Trichophyton:  Infecta cabelo.  Formam macroconídios cilíndricos de parede lisa e finas. ovais ou piriformes . a pele e as unhas. Dermatofitoses Micoses Cutâneas 2. numerosos microconídios redondos.

Micoses Cutâneas Dermatofitoses 2. Morfologia   O gênero Microsporum:  Infecta pêlos e a pele. multisseptados.  Formam frequentes macroconídios fusiformes isolados. . com paredes rugosas e espessas e poucos microconídios. grandes.

Morfologia  Epidermophyton floccosum:  Infecta a pele e as unhas. multisseptados.  Produz macroconídios clavados. de parede lisa. isolados ou em pequenos cachos.Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 2. com duas a quatro células. microconídios inexistentes .

com sulcos radiados. . com coloração amareloacastanhada a verde-oliva. aveludadas. Morfologia  Epidermophyton floccosum:  As colônias são achatadas.Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 2.

Patogenia artroconídios ou fragmentos de hifas Escoriação pré-existente Pele (camada córnea) Crescimento circular e centrífugo Lesão de aspecto circular com vesículas nas bordas Descamação c/ ou s/ resposta inflamatória Parte central curada com liberação de fungos viáveis .Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 3.

Patogenia Pele infectada por fungos Fonte de queratina Remoção da cutícula Ganha o pêlo Deve ser feita a coleta do bulbo capilar .Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 3.

Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 4. e na crônica ocorre fissuras e descamação. vesicular e avermelhada. Manifestações clínicas  Tinea pedis (pé-de-atleta):  Localiza-se em espaços interdigitais nos pés.  Na forma aguda é pruriginosa. .

As unhas tornam-se espessadas. quebradiças. . despigmentadas e sem brilho.Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 4. Manifestações clínicas  Tinea unguium (onicomicose): Localiza-se nas unhas.

Diagnóstico  Amostras: Raspados da pele e de unhas.Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 5. com incubação durante 1-3 semanas à temperatura ambiente. com pêlos das áreas afetadas. .  Exame microscópico  Cultura: Ágar Sabouraud contendo cloranfenicol e ciclo-heximida.

. a composição química específica da pele. o calor. gordura e suor. a prematuridade.Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 6. a exposição maciça e predisposição genética. Epidemiologia  A incidência é maior em climas quentes e úmidos e em situações de aglomeração.  A suscetibilidade aumenta com a umidade.

Micoses Cutâneas  Dermatofitoses 6. Epidemiologia  Na infecção por dermatófitos geofílicos e zoofílicos. os conídios podem permanecer viáveis por longo tempo no ambiente.  O contato direto e fômites são formas de transmissão das infecções por dermatófitos antropofílicos. .

Micoses Cutâneas Dermatofitoses Tratamento  Entre as drogas mais recentes para uso tópico citam-se os derivados imidazólicos. griseofulvina e a terbinafina têm sido indicados nas várias formas clínicas de dermatofitoses. o itraconazol. Por via oral. como o miconazol. .

EVENTUALMENTE PATOGÊNICA CUTÂNEA OU CUTÂNEO-MUCOSA OCORRÊNCIA UNIVERSAL PREDISPONENTES:  CRIANÇAS E IDOSOS  GRAVIDEZ  DIABETES  USO DE ANTIBIÓTICOS. AIDS  UMIDADE. MACERAÇÃO  OUTROS . TUMOR MALIGNOS. CITOSTÁTICOS  LINFOMA.CANDIDÍASE GÊNERO Candida (principalmente C. albicans) SAPRÓFITA. CORTICÓIDES.

B O G I R D A ! A .