You are on page 1of 25

SECRETARIA MUNICIPAL DE

SAÚDE
CONFERÊNCIAS DE SAÚDE

JAIRO
NAIRON

EIXOS

Informação, educação e política de comunicação
do SUS.
Ciência, tecnologia e inovação do SUS .

080/90. entre eles destaco: V . no artigo sete. às pessoas assistidas.INFORMAÇÃO.  A Lei 8. prevê que as ações e serviços do SUS sejam organizados de acordo com alguns princípios.direito à informação. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS. .divulgação de informações quanto ao potencial dos serviços de saúde e sua utilização pelo usuário. VI . sobre sua saúde.

Propaganda e educação sanitária.INFORMAÇÃO. com a criação do Departamento Nacional de Saúde Pública. .     A comunicação em saúde surge no Brasil no ano de 1920. Getúlio Vargas criou o Serviço Nacional de Educação Sanitária que ficou. Nos anos 40. Prescreviam costumes e práticas de saúde. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS.

   A partir da década de 80. Na 9ª CNS. Na 8ª CNS. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS. realizada em 1992. 2007). realizada em 1986. a comunicação. um dos debates foi em torno do direito à comunicação e informação como inerentes ao direito à saúde e ao exercício da democracia. a informação e a educação foram discutidas como forma de garantir a participação social e a democratização do Estado. . (ARAÚJO.INFORMAÇÃO. as Conferências Nacionais de Saúde (CNS) trouxeram ao debate a necessidade de se ampliar os canais de comunicação em saúde.

horizontal e formulação de política de comunicação coerente descentralizada. foi estabelecido prazos e metas pararecursos a criação de uma Política Nacionale de Assegurar orçamentários para viabilizar Informação. plural. Esta sistema. 2004.ª Conferências Nacionais de Saúde. essa política deve garantir o acesso à informação. Na 10º CNS.INFORMAÇÃO. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS. de implantar a Rede Pública e Nacional de Comunicação. como materialização de uma  A 11ª CNS. Comunicação e Educação em Ssaúde. p. Articulada ao controle social. acordo com a recomendação das 11. troca de experiências. em 2000. que fortaleça as redes e movimentos sociais. reforçou a necessidade de uma política de comunicação ampla. com livre edição recomendou: acesso para os usuários do SUS. (BRASIL.ª e 12. fornecendo informações em saúdeem online. capacitação  A o 12ª CNS aconteceu em 2003 e incluiu como eixodo para controle social e para a gestão democrática temático a comunicação e informação saúde. com o SUS e a criação de uma Rede Pública Nacional de Comunicação em Saúde. em 1996.174)  .

  No ano de 2008. aconteceu a 13ª CNS Deste modo. . com uma preocupação sobre o que é noticiado pela mídia. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS. a comunicação em saúde foi discutida transversalmente nos eixos e também pontuou mais as ações de publicização e divulgação do SUS. proibindo propagandas de produtos que fazem malefício à saúde e estimulando uma rede de comunicação entre os Conselhos de Saúde. A 14ª CNS também apontou para a comunicação como ferramenta para qualificar os conselhos e divulgar informações do SUS e sugeriu a construção de um Plano Estratégico de Comunicação.INFORMAÇÃO.

EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS.... que culpa o sistema... CONCORDAM... que me culpa. Vemos isso o tempo todo.. ......      Estamos na 15º CNS e agora... Eu culpo você..... que culpa o governo.INFORMAÇÃO.. O SUS é conhecido por seus problemas e desafios e uma grande parte desses se deve à forma como os processos comunicacionais se dão na prática do trabalho em saúde.. Vamos avançar.. que culpa o médico..

 Antes Informativa-publicitária Disciplinar. empoderando os usuários e tornando-os protagonistas das mudanças que desejam (TEIXEIRA. ações e serviços. modificar e controlar Práticas Sanitárias Saudáveis – campanhistas. concepções. 2003). favorecendo o diálogo e o debate público.INFORMAÇÃO. biomédicas e medicalizadora Propaganda em larga escala – parte analfabeta   O que queremos Um meio de publicizar suas ideias. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS. tornando o SUS público e transparente. .

É isso que o SUS preconiza??? É isso que queremos??? Estamos sempre procurando algo para desculpar nosso erro ou apontar culpados. remédios. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS... A mídia faz a gestão do discurso. cuidados com abordagem na assistência médica e clínica.INFORMAÇÃO. daquilo que pode ou não ser dito.    Pitta (2002) e Teixeira (2003) trazem em seus artigos. evidenciando os seus limites e problemas. medicamentos. .. com o enfoque em doenças. utiliza as propagandas (e a comunicação) como uma estratégia política e econômica. o debate sobre como a mídia brasileira retrata o SUS negativamente. utilizando o discurso biomédico.

PROBLEMA .VÍDEO SUS .

VÍDEO SUS .POTENCIALIDADES .

após ver os vídeos. pergunto se você é leigo no assunto.PARA REFLETIR   Nesse sentido vocês devem debater isso. . discutir isso. você acredita??? Um elogiando o sus e outro metendo o pau no sus. ela passa aquilo que ela acredita.

e a COMUNICAÇÂO é o meio de interação entre esses. a interação. Já pensaram que na mesma equipe eu não sei o que meu colega faz.. .. Exista interação entre profissionais. participação ativa da comunidade e efetivação do trabalho em equipe... usuários e familiares. o diálogo. Promoção.COMUNICAÇÃO PARA EFETIVAR O TRABALHO EM EQUIPE     No SUS o cuidado em saúde prevê a construção de vínculo. Prevenção. a escuta e a negociação.. Adesão. o acolhimento. Autonomia.

a comunicação não produz sentido para os usuários. considerem a fala dos usuários. não batam de frente.COMUNICAÇÃO PARA EFETIVAR O TRABALHO EM EQUIPE    Deslandes (2009) salienta que quando os usuários se posicionam nas instâncias de participação social. não respondam treplica. Por isso. Deste modo. concordem mas de maneira sutil acrescente algo. . e assim. têm suas falas desqualificadas e não reconhecidas. não possibilita condições de fala e escuta em igualdade com os profissionais de saúde. Endosso suas palavras. Deslandes (2009) diagnostica que os espaços de participação social acabam não promovendo a participação emancipatória.

Se faz necessário o uso intenso de tecnologias de comunicação e informação. permitindo o empoderamento político e auxiliando na construção de projetos terapêuticos comprometidos com a vida e os direitos dos usuários. a fim de articular esses atores e interconectar esses serviços. . uma vez que a comunicação fortalece a cultura popular.COMUNICAÇÃO PARA EFETIVAR O TRABALHO EM EQUIPE   Teixeira (2003) reforça a importância da comunicação como premissa da participação dos usuários no SUS.

HUMANIZA SUS  Vídeo cordel do SUS .

COMUNICAÇÃO PARA EFETIVAR O TRABALHO EM EQUIPE    Comunicação é inseparável deste processo A comunicação em saúde permite ao SUS publicizar as suas ideias. Pitta (2000). permite à população conhecer as ações e serviços que compõem a rede do SUS. concepções. incentiva e empodera para a participação social. permite a compreensão da saúde como um direito. estimulando assim a construção coletiva de políticas públicas e o exercício da cidadania e da democracia. Teixeira (2003). . Deslandes (2009) e Ferreira (2012) pontuam o quanto a comunicação fortalece a cultura popular.

a produção. além de outras propostas. VÁRIOS SISTEMAS E HOJE O ESUS E DISPONÍVEL NO SITE DO MS  EM RELAÇÃO AO “E” DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE: Propõe-se que o MS e as Secretarias de Saúde reestruturem suas ações educativas. EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO  EM RELAÇÃO AO “I” DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE: Propõe-se a implantação de um Sistema Nacional de Informações em Saúde. Um Sistema que possibilite a superação de bases de informações meramente quantitativas e com fins exclusivamente administrativos e pudesse estar orientado pela transparência e permeabilidade ao controle social nos diferentes âmbitos do SUS. que contemple. movimentos sociais e população como um todo. conforme dispõe a Lei Federal n 8080/90. integrado com ações e programas de educação e comunicação em saúde. . bem como no uso de novas tecnologias no sentido da formação do cidadão e do profissional de saúde para o exercício da cidadania. redimensionando-as para respeitar a realidade e as diversidades locais e regionais. organização e divulgação de dados de interesse para a saúde. definidas e acompanhadas pelos Conselhos de Saúde e junto aos profissionais de Saúde. Propõe-se o fortalecimento da imagem do Sistema Único de Saúde como alternativa pública de atenção à saúde. a cultura das comunidades e o perfil epidemiológico.    PLANEJAR.IEC – INFORMAÇÃO. AGIR E AVALIAR AS AÇÕES DE EDUCAÇÃO – BIO EM RELAÇÃO AO “C” DE COMUNICAÇÃO EM SAÚDE.

informação e informática no SUS? 5) Como a Conferência Nacional de Comunicação. informação e informática em Saúde? 4) O que você acha importante para estabelecer um pacto pela democratização e qualidade da comunicação. informação e informática em Saúde? 7) Como as Comissões de Comunicação e Informação dos conselhos estaduais e municipais de saúde podem contribuir para o estabelecimento desse pacto? . 3) Quais são as responsabilidades das três esferas de governo para garantir a democratização e qualidade da comunicação.ª CNS) pode contribuir para o estabelecimento desse pacto? 6) Como o trabalhador do SUS pode contribuir para a democratização e qualidade da comunicação. Informação e Informática em Saúde (deliberada na 12.PERGUNTAS PARA TRABALHAR        1) O que informar e como informar para os conselhos de saúde e sociedade civil? 2) O que informar para que o SUS seja conhecido por todos os brasileiros? Que pontos positivos devem ser informados para o seu fortalecimento? (Saúde é direito de todos e dever do Estado).

. Jornal do CES/AM. onde os conselheiros visitavam comunidades para divulgar informações sobre o CES/AM. Conselho na Comunidade.EXPERIÊNCIAS EXITOSAS      REGIÃO NORTE Conselho Itinerante onde o CES/AM realizava a sua reunião em municípios. e Alô Conselho para tirar dúvidas e informações sobre saúde.

Outros projetos como: elaboração de programa de rádio. O Conselho na Praça . receber reclamações e sugestões. Conselho na Praça e Projetos – programa de rádio. e comunicação externa – Jornal ConSaúde. . revista anual).um dia para uma região da cidade a fim de atender os usuários. sítio próprio. distribuir material educativo e orientar a população sobre temas relacionados à saúde. releases/atendimento à imprensa. criação e manutenção da página na internet. criação de peças gráficas e biblioteca.EXPERIÊNCIAS EXITOSAS     REGIÃO SUDESTE Destaca-se as principais atividades da comissão de comunicação (comunicação interna – relações públicas.

cartazes. imprensa falada e escrita). cartilhas e vídeos. viabilizar a implantação do modelo de biblioteca virtual em saúde como estratégia para o intercâmbio técnico-científico. DESAFIOS .Elaborar programa de software para acompanhamento e avaliação de atividades.EXPERIÊNCIAS EXITOSAS    REGIÃO CENTRO-OESTE Ampliou a compreensão de educação e comunicação para além das formas tradicionais (fôlderes. . qualificar as ações de saúde pactuadas nas três esferas de governo. outdoors.

 Qualificação de comunicação com uma linguagem clara. . Realização de seminários e encontros de conselheiros municipais. interlocução com universidades.EXPERIÊNCIAS EXITOSAS  REGIÃO SUL  Capacitação continuada de conselheiros. Destinação de espaços em rádios. regionais e estaduais. Divulgação do fôlder SUS é Legal com a legislação do SUS. bem como as resoluções estaduais.     Divulgação de boletins informativos com objetivo de divulgar. informar e qualificar as ações do controle social no SUS.

 Ações de educação e comunicação melhoram a qualidade de vida da população. EDUCAÇÃO E POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SUS.INFORMAÇÃO. principalmente quando envolve a comunidade nos projetos de saúde e desenvolve ações voltadas para a mobilização comunitária .