You are on page 1of 20

DISCORDÂNCIAS E

MECANISMOS DE AUMENTO DE
RESISTÊNCIA
1- DISCORDÂNCIAS E A DEFORMAÇÃO
PLÁSTICA
1.1-HISTÓRICO
1.1.1-DISCREPÂNCIA ENTRE A RESISTÊNCIA
ENSAIO DEETRAÇÃO-DEFORMAÇÃO
TEÓRICA REAL EM UM MONOCRISTAL DE
MAGNÉSIO
γ- DEFORMAÇÃO POR CISALHAMENTO
τ-TENSÃO DE CISALHAMENTO
μ-MÓDULO DE ELASTICIDADE TRANSVERSAL.
DEFORMAÇÃO NO PONTO CRÍTICO
γ =a/2a = ½
τ/γ= μ
μ= 17,2 GPa
ENTÃO:
τ= 17,2/2= 0,86X10⁴ MPa
RELAÇÃO ENTRE TENSÃO TEÓRICA E REAL PARA INICIAR O
CISALHAMENTO
0,86X10⁴/ 0,70= 10.000
EM OUTRAS PALAVRAS: O CRISTAL SE DEFORMA PLASTICAMENTE
COM TENSÕES 1/10.000 DE SUA RESISTÊNCIA TEÓRICA
2-DISCORDÂNCIA EM
CUNHA
3-DISCORDÂNCIA EM
HÉLICE
4-DISCORDÂNCIA MISTA
5-CAMPOS DE DEFORMAÇÃO AO REDOR DE
DISCORDÂNCIAS

Interação entre
discordâncias em
cunha no mesmo plano
de
deslizamento

Tensões de
compressão
e de tração ao
redor de
uma
6-Sistemas de Escorregamento
• Existe um plano (plano de escorregamento)
e uma direção preferenciais, nas quais
ocorrerá mais facilmente um
escorregamento;
 A esta combinação é dada o nome de
sistema de escorregamento.
HEXAGONAL
COMPACTA
7-ESCORREGAMENTO EM MONOCRISTAIS

ESCORREGAMENTO EM UM
MONOCRISTAL DE METAL HC
COMPONENTES DE CISALHAMENTO DEFORMADO PLASTICAMENTE
DE TENSÕES NORMAIS
•TENSÕES DE
CISALHAMENTO
RESOLVIDAS

•TENSÃO DE
CISALHAMENTO
RESOLVIDA CRÍTICA-
É A TENSÃO DE
CISALHAMENTO
MÍNIMA EXIGIDA PARA
INICIAR O
ESCOREGAMENTO

Λ=Φ=45°
8-DEFORMAÇÃO PLÁSTICA DE
METAIS POLICRISTALINOS

LINHAS DE ESCORREGAMENTO DE UMA AS TENSÕES ELÁSTICAS VARIAM


AMOSTRA POLICRISTALINA DE COBRE, COM A ORIENTAÇÃO DO GRÃO,
POLIDA E POSTERIORMENTE POIS O MÓDULO DE
DEFORMADA ELASTICIDADE NÃO É
ISOTRÓPICO
9-DEFORMAÇÃO POR MACLAGEM
10-Mecanismos de endurecimento em
metais
• Restringir ou dificultar a movimentação das discordâncias
torna os metais mais resistentes, mais duros e menos
Dúcteis.

TIPOS
– Endurecimento por deformação plástica (encruamento)
(“strain hardening” ou “work hardening”)
– Endurecimento por diminuição (refino) do tamanho de
grão (“strengthening by grain size reduction”)
– Endurecimento por solução sólida (“solid solution
strengthening”)
10.1-Encruamento
Metal policristalino dúctil
• É o mais antigo e provavelmente o Ferro deformado plasticamente
mais utilizado dentre os Densidade de discordâncias :
cm/cm
mecanismos de endurecimento de
³
metais.
• O encruamento é o mecanismo
pelo qual um material dúctil se
torna mais duro e resistente depois
de ter sido submetido a uma
deformação plástica.
• Durante a deformação plástica, as
discordâncias movimentam-se,
multiplicam-se, interagem entre si
formando “emaranhados”.
• Para que a movimentação das
discordâncias ocorra passa a
haver a necessidade de tensões
crescentes.
Encruamento
Metal policristalino dúctil
Ferro deformado plasticamente
Densidade de discordâncias :
cm/cm³

Metal policristalino dúctil


Ferro deformado
plasticamente
Densidade de discordâncias :
cm/cm³
Encruamento

onde Ao e Af são áreas de seção


transversal, respectivamente, antes e
depois da deformação

Variação de : (a) limite de escoamento


e (b)ductilidade com o grau de
deformação, em % de redução de
área, %CW, para o aço AISI 1040,
o latão e o Cu, trabalhados a frio.
10.2-REFINO DE GRÃO

Contornos de grão são


obstáculos para a
movimentação de discordâncias

Influência do tamanho de grão


no limite de escoamento do
latão 70%Cu – 30%Zn
10.3-ENDURECIMENTO POR SOLUÇÃO SÓLIDA
Os campos de tensão gerados por átomos de soluto interagem com os campos de tensão
das discordâncias, dificultando a movimentação das discordâncias e, conseqüentemente,
promovendo endurecimento.

Variação de: (a) resistência à tração; (b) limite de escoamento (c) ductilidade
com o teor deNi para ligas Cu-Ni
11-RECUPERAÇÃO, RECRISTALIZAÇÃO
E CRESCIMENTO DE GRÃOS

Influência da temperatura de recozimento na resistência à tração e na ductilidade de


uma liga de Cu-Zn. O tamanho do grão está indicado em função da temperatura de
recozimento.