You are on page 1of 17

Pirâmides

Francisco Ferreira Paulo
Hálisson Barreto Vieira
Luiz Vicente Ferreira Neto
Carlos Henrique de Sousa

contido em um plano .1. . e um ponto V (vértice) fora de  . P  R. chamamos de pirâmide o conjunto de pontos de todos os segmentos VP. Definição Dados um polígono R.

(5) A altura é a distância do vértice até o centro da base. (1) O vértice é o ponto mais distante da base. (4) O apótema da pirâmide é a altura de cada face lateral. 1 5 4 2 3 (2) As faces laterais são as regiões triangulares formadas por dois vértices consecutivos do polígono e o vértice fora desse. . (3) A base é o polígono sobre o qual a pirâmide se apóia. A pirâmide e seus elementos Região espacial dada pela união dos vértices de um polígono com um ponto qualquer fora deste polígono.2.

3. etc. um triângulo. Ela pode ser triangular. recebe o nome de pirâmide regular. pentagonal. quadrangular. cujo polígono da base é regular. Classificação das pirâmides Uma pirâmide é reta quando a projeção ortogonal do vértice coincide com o centro do polígono da base. um quadrilátero. etc. respectivamente. conforme sua base seja. um pentágono. Toda pirâmide reta. ..

Lembrete! Toda pirâmide triangular recebe o nome de tetraedro. . ele é denominado regular (todas as faces e arestas são congruentes). Quando o tetraedro possui como faces triângulos equiláteros.

ele é denominado regular (todas as faces e arestas são congruentes). Quando o tetraedro possui como faces triângulos equiláteros. Relações entre os elementos de uma pirâmide regular Toda pirâmide triangular recebe o nome de tetraedro.4. .

▪ as arestas laterais também são congruentes e sua medida será indicada por a. temos que: ▪ as faces laterais são triângulos isósceles e congruentes. ▪ o segmento que une o centro O da base com o ponto médio de qualquer lado dessa base é chamado de apótema da base e sua medida será indicada por b. a da figura acima. ▪ o raio da circunferência circunscrita à base da pirâmide regular é chamado de raio da base e sua medida será indicada por R. por exemplo. ▪ o segmento que une o vértice com o ponto médio de qualquer lado da base é chamado de apótema da pirâmide e sua medida será indicada por m.Em uma pirâmide regular como. .

Como os triângulos OMB. a partir do uso do teorema de Pitágoras: 2  l 2 R    b  2 2 m  h b 2 2  l 2 a   m  2 2 2 2 . VOM e VM são retângulos. podemos escrever as seguintes relações.

▪ A área total AT  é a união da área lateral com a área da base. . ▪ A área da base  AB  é a área do polígono convexo (base da pirâmide). Áreas Em uma pirâmide.5. identificamos as seguintes áreas: ▪ A área lateral  AL  é a reunião de todas as áreas das faces laterais.

2  AT  AL  AB   AB  p . siga a nomenclatura: ▪ a é a aresta da base. considere as seguintes relações:  a. ▪ n é o número de arestas laterais. ▪ g é o apótema da pirâmide.Sendo assim. . aP Para tanto. ▪ aP é o apótema do polígono da base. ▪ p é o semiperímetro da base.g  AL  n .

como exemplo. Secção transversal Consideremos. a pirâmide VABCD. cuja base está contida num plano  . tal que  interseccione a pirâmide e V   . . o plano  / / .5.

h ▪ P3: A área da secção e a área da base são proporcionais aos quadrados das respectivas distâncias ao vértice. Nesses termos.A intersecção A’B’C’D’ de  com a pirâmide é chamada de secção da mesma. pelo plano . h' em partes proporcionais e na razão . são válidas as seguintes propriedades: ▪ P1: A secção A’B’C’D’ é semelhante à base ABCD. . ▪ P2: As arestas laterais ficam divididas.

h  3. h 3 3 . Volume Consideremos um prisma triangular com altura h e área da base AB .VPIRÂMIDE  AB . Esse prisma pode ser dividido em três pirâmides triangulares de mesmo volume V. temos: VPRISMA  3. h 1  VPIRÂMIDE  AB .VPIRÂMIDE  VPIRÂMIDE  AB .6. como mostram as figuras a seguir: Sendo VPRISMA o volume do prisma.

pela secção e por todos os pontos da pirâmide compreendidos entre a base e a secção.7. Chamamos de tronco de pirâmide de bases paralelas o sólido constituído pela base da pirâmide. Tronco de pirâmide Consideremos uma pirâmide qualquer e uma secção paralela à sua base. .

ela originará um tronco de pirâmide regular.Assim. a altura de qualquer desses trapézios é chamada de apótema do tronco. As faces laterais do tronco são trapézios e a distância entre as bases é a altura do tronco. as faces laterais são trapézios isósceles congruentes. a base da pirâmide e a secção chamam-se bases do tronco. onde nesses as arestas laterais são congruentes entre si. Se a pirâmide for regular. . Nele. As bases de um tronco de pirâmide qualquer são polígonos semelhantes.

A área total pode ser calculada pela fórmula AT  AL  AB  Ab na qual Abé a área da base menor e A.Ba área da base maior. . Ela é calculada somando-se as áreas das faces laterais. Área lateral e área total de um tronco Não existe fórmula para o cálculo da área lateral de um tronco de pirâmide.8.

  h Ele pode ser calculado pela fórmula V  3 AB  Ab AB . na qual V2 é o volume da pirâmide e V1 é o volume da pirâmide menor. O volume V desse tronco é a diferença V2 – V1. respectivamente. .9. sejam Ab e AB as áreas. Volume de um tronco de pirâmide Consideremos um tronco de pirâmide de bases paralelas e de altura h. Ab . da base menor e da base maior.