You are on page 1of 16

DEMONSTRAÇÃO E ARGUMENTAÇÃO

RACIOCÍNIOS

ANALÍTICOS OU LÓGICOS FORMAIS COMO QUERÍAMOS DEMONSTRAR CQD; CQD;

ANALÍTICOS OU LÓGICOS FORMAIS ELABORAÇÃO DEDUTIVA; DEDUTIVA; 
RACIOCÍNIOS 

RACIOCÍNIOS

DIALÉTICOS OU SALVO MELHOR JUÍZO SMJ; SMJ;

RETÓRICOS VISA

DIALÉTICOS OU RETÓRICOS À ADESÃO DOS ESPIRÍTOS 

RACIOCÍNIOS

O CONTATO COM OS ESPÍRITOS 

O

MÍNIMO

INDISPENSÁVEL

À

ARGUMENTAÇÃO

PARECE SER A EXISTÊNCIA DE UMA LINGUAGEM COMUM, DE UMA TÉCNICA QUE POSSIBILITE A COMUNICAÇÃO. COMUNICAÇÃO. 

PARA ARGUMENTAR, É PRECISO TER APREÇO PELA DO INTERLOCUTOR, PELO SEU

ADESÃO

CONSENTIMENTO, PELA SUA PARTICIPAÇÃO MENTAL. MENTAL.

O CONTATO COM OS ESPÍRITOS 

UMA VEZ ACEITO QUE A RETÓRICA É A ARTE PELA O ORADOR/FALANTE BUSCA PERSUADIR

QUAL

ALGUÉM, COMPREENDE-SE DEVA HAVER UM CONTATO, COMPREENDEUMA INTERAÇÃO DE ESPÍRITOS, UMA COMUNHÃO DE IDÉIAS ENTRE ORADOR/FALANTE E AUDITÓRIO, O QUE LEVARÁ A PROPOSTA DAQUELE À ADESÃO DESTE. DESTE.

PRESUPOSTOS DA ARGUMENTAÇÃO 

Orador; Orador; 

Discurso; Discurso; Auditório. Auditório.

O ORADOR E SEU AUDITÓRIO
PARECEPARECE-NOS PREFERÍVEL DEFINIR O AUDITÓRIO COMO O CONJUNTO DAQUELES QUE O ORADOR QUER INFLUENCIAR COM SUA ARGUMENTAÇÃO. ARGUMENTAÇÃO.

CADA ORADOR PENSA (...) NAQUELES QUE PROCURA ...) PERSUADIR E QUE CONSTITUEM O AUDITÓRIO AO QUAL SE DIRIGEM OS SEUS DISCURSOS. DISCURSOS.

O AUDITÓRIO COMO CONSTRUÇÃO DO ORADOR
SEM O AUDITÓRIO, NÃO SERÁ POSSÍVEL NENHUMA FORMA DE INTERAÇÃO, POIS CABE A ELE ENDOSSAR, SANCIONAR AS TESES PROPOSTAS PELO ORADOR/FALANTE. ORADOR/FALANTE. SOBRE O AUDITÓRIO, INDIVIDUALIZADO OU NÃO, RECAI A ÊNFASE DA NOVA RETÓRICA. DAÍ A RAZÃO POR QUE O RETÓRICA. ORADOR/FALANTE DEVE ADAPTAR-SE AO AUDITÓRIO. ADAPTARAUDITÓRIO.

O AUDITÓRIO COMO CONSTRUÇÃO DO ORADOR
É MUITO COMUM ACONTECER QUE O ORADOR TENHA DE PERSUADIR FUNÇÕES. FUNÇÕES. UM AUDITÓRIO HETEROGÊNEO, REUNINDO PESSOAS DIFERENCIADAS PELO CARÁTER, VÍNCULOS OU

ELE DEVERÁ UTILIZAR ARGUMENTOS MÚLTIPLOS PARA CONQUISTAR OS DIVERSOS ELEMENTOS DE SEU AUDITÓRIO. AUDITÓRIO.

ADAPTAÇÃO DO ORADOR AO AUDITÓRIO
HÁ APENAS UMA REGRA A ESSE RESPEITO, QUE É A ADAPTAÇÃO QUAL FOR: FOR: DO DISCURSO AO AUDITÓRIO, SEJA ELE O FUNDO E A FORMA DE CERTOS

ARGUMENTOS, APROPRIADOS A CERTAS CIRCUNSTÂNCIAS, PODEM PARECER RIDÍCULOS NOUTRAS. NOUTRAS.

COMO POSSO ARGUMENTAR BEM SEM DEIXAR DE SER UM HOMEM DE BEM?

TIPOS DE AUDITÓRIO 
AUDITÓRIO

UNIVERSAL: CONSTITUÍDO PELA TOTALIDADE DAS UNIVERSAL:

PESSOAS; PESSOAS; 

AUDITÓRIO UNIVERSAL: TODAVIA, SERIA IMPOSSÍVEL OBTER O UNIVERSAL:

CONSENTIMENTO EFETIVO DE TODOS OS HOMENS; HOMENS; 

AUDITÓRIO PARTICULAR: FORMADO POR UM SÓ INTERLOCUTOR PARTICULAR:

OU POR UM GRUPO DE INTERLOCUTORES COM INTERESSES COMUNS. COMUNS.

ACORDO 

OBJETOS DE ACORDO (Premissas que se parte numa argumentação): argumentação):

(I) (II) (III)

O ACORDO; ACORDO; A ESCOLHA; ESCOLHA; A APRESENTAÇÃO DAS PREMISSAS

FIGURAS RETÓRICAS. RETÓRICAS.

ACORDO 

ACORDO PROPRIAMENTE DITO

TRÊS

CONDIÇÕES: CONDIÇÕES: (I) LEGITIMIDADE QUEM ARGUMENTA

DEVE ESTAR REVESTIDO DE AUTORIDADE; AUTORIDADE;

ACORDO 

ACORDO PROPRIAMENTE DITO

TRÊS

CONDIÇÕES: CONDIÇÕES: (II) SÉRIO; SÉRIO; CREDIBILIDADE O

ORADOR/FALANTE DEVE SER LEVADO A

ACORDO 

ACORDO PROPRIAMENTE DITO

TRÊS

CONDIÇÕES: CONDIÇÕES: (III) PERSUAÇÃO O AUDITÓRIO DEVE

ACEITAR A ARGUMENTAÇÃO. ARGUMENTAÇÃO.

ARGUMENTAÇÃO
CONVENCIMENTO X PERSUAÇÃO
CONVENCER PERSUADIR RefereRefere-se ao auditório Refere-se ao auditório Refereuniversal particular Busca o racional Busca o não racional Usa o raciocínio lógico Leva a certeza Usa o raciocínio plausível Leva a possibilidades

ARGUMENTAÇÃO 
CONVENCIMENTO

- DEMONSTRAR; DEMONSTRAR; 

PERSUAÇÃO

SALVO MELHOR JUÍZO

SMJ; SMJ; 

PERSUAÇÃO

VISA À ADESÃO DOS ESPIRÍTOS

LÓGICA JURÍDICA
O PAPEL DA LÓGICA FORMAL É FAZER COM QUE A CONCLUSÃO SEJA SOLIDÁRIA COM AS PREMISSAS, MAS O DA LÓGICA JURÍDICA É MOSTRAR A ACEITABILIDADE DAS PREMISSAS. A LÓGICA JURÍDICA, PREMISSAS. ESPECIALMENTE A JUDICIAL, SE APRESENTA, RESUMINDO, NÃO COMO UMA LÓGICA FORMAL, E SIM COMO UMA ARGUMENTAÇÃO QUE DEPENDE DA MANEIRA COMO OS LEGISLADORES E OS JUÍZES CONCEBEM A SUA MISSÃO E DA IDÉIA QUE ELES FAZEM DO DIREITO E DO SEU FUNCIONAMENTO NA SOCIEDADE. SOCIEDADE.