R EEN C A R N A Ç Ã O E

R ESS U R R EIÇ Ã O
(B A S EA D O EM JO S É R EIS C H A V ES )

 Para algumas pessoas, a


reencarnação não está na
Bíblia. E para outras, a
Bíblia até a condena.
Mas a própria ressurreição
do corpo é uma
reencarnação, pois é o
espírito apossando-se
novamente da carne.
Mas para que essa
valorização toda da
carne?
E como fica Deus e os
anjos que não têm carne?
Jesus advertiu-nos: "A
carne para nada
aproveita".

 O povo judeu,

equivocadamente, admitia
que Jesus pudesse ser a
ressurreição de Jeremias ou
de outro profeta..
 Mas aqui se percebe que
ressurreição para aquele
povo significava também
reencarnação, pois sabia
que o corpo de Jeremias
era pó no cemitério.
 E por que Jesus não
condenou essa crença
judaica.?
 Teria Ele pecado por
omissão ou também a
aceitava?

 Malaquias (4, 5) profetizou que Elias

voltaria como sendo o Precursor (João
Batista) de Jesus. E de certa feita, Jesus
fala de Elias, e os discípulos entendem que
se trata de João Batista mesmo (Mateus: 17, 11,
12 e 13).

 E de outro modo mais contundente, ainda,

confirma-o o Mestre: "Porque todos os
profetas e a lei profetizaram até João. E, se
o quereis reconhecer, ele mesmo é Elias
que estava para vir" (Mateus: 11, 12, 13 e 14).
 Também o Papa São Gregório Magno

 E Elias degolou 450 soldados de Baal. Assim, pela Lei de

causa e Efeito, João Batista, por ser o mesmo Elias, teve
também a cabeça cortada!
 Segundo um dos dogmas, a ressurreição é do corpo, mas
para a Bíblia é do espírito;
 "Há dois corpos, um espiritual e outro material
(da natureza), e ressuscita corpo espiritual " (1 Coríntios 15, 44).
 E o espírita crê em mais de uma ressurreição do espírito:

no mundo espiritual, após a morte do corpo; no corpo que
nasce (reencarnação); e no mundo espiritual,
definitivamente, quando o espírito não tiver mais carma,
pois "ninguém deixará de pagar até o último centavo".
 Assim é que para o pastor presbiteriano Neemias

Marien, do Rio, com vários diplomas de doutor em Bíblia
em universidades européias, o maior reformador do
Cristianismo não é Lutero, mas, sim, Allan Kardec.

 É verdade que o senhor acredita em reencarnação?
 Olha só, muito grato pela pergunta. Até o ano de 546, no

Concílio de Calcedônia, o Espiritismo fazia parte dos
cânones da Igreja. Depois, por discussões mais
administrativas e menos teológica, foi banido do cânone
oficial e hoje a doutrina espírita, para a maioria dos
pressupostos evangélicos, porque assim, numa confusão
chamar de evangélicos só os crentes entre aspas, né?
Evangélico é quem anuncia a Boa Nova.
 Então, eu sou professor de Teologia Bíblica e de Ciências

Bíblicas. É meu livro de cabeceira. No estudo da Bíblia, as
evidências da reencarnação são assim clauburosas e eu
acho que o Espiritismo é a mais caudalosa vertente do
Cristianismo, pelas idéias.
 Você encontra, tanto no Antigo como no Novo

Testamento, evidências claras da reencarnação, isto
é, do prosseguir da vida.

 Até o apóstolo Pedro, fala na sua

segunda encíclica, no final da Bíblia,
fala sobre a existência do espírito após
a morte e nesta evolução do ser
humano.
 E também São Judas, o apóstolo de

Cristo, na sua epístola final, também
fala sobre o mesmo tema;
 Eu tenho uma visão holística e

aprendo muito com meus amados
irmãos espíritas. Eu tenho um livro
Transcendência e Espiritualidade, onde
abordo mais diretamente o assunto.
 Estou crescendo assim, nesta área e

num certo diálogo.

 O senhor já manifestou


este ponto de vista
reencarnacionista na
sua igreja?
Ah, sim, sim. A minha
comunidade é uma igreja
grande. Somos cerca de
350 congregados.
A igreja me ouve e aceita.
Eu sou o pastor titular.
Somos cinco pastores, mas
estou ali, orientando a
igreja, neste sentido.
Eu não tenho nada de

 Qual a receptividade do público de sua igreja,

em relação ao seu conceito reencarnacionista?
Bem, a igreja, ela me aceita plenamente, mas eu
tenho a impressão que não só sobre o meu aspecto
filosófico, teológico, doutrinário sobre o Espiritismo,
mas em outros também.
Como diz o Mestre: "o pastor vai à frente do rebanho
e o rebanho o segue, porque conhece a voz do seu
pastor".
A gente vive num amor perfeito. Lá na minha igreja
pregou Libório Siqueira, que é desembargador, um
grande espírita.
O Gérson Azevedo, que é ex-presidente da
Federação Espírita do Rio de Janeiro. Vários espíritas
pregaram na Igreja. Não vão apenas lá visitar, mas
sobem ao púlpito e pregam lá. Então é uma igreja
aberta.

 Como o senhor encara os sucessivos ataques de

pastores ao Espiritismo?
 Bom, como eu diria, nossos amados irmãos são aliados.

Estamos todos no mesmo barco, mas eles fazem parte da
artilharia. O artilheiro é o soldado, que vem lá atrás.
A infantaria somos nós, a doutrina espírita, aqueles
que vão lá para frente.
 A artilharia, ao abrir espaço à frente, solta as bombas, mas

são muito ruins de cálculos matemáticos, erram os cálculos
e acabam dizimando os próprios aliados.
 É o que acontece, criticando o Espiritismo, que está na

mesma dimensão espiritual.
 Estes que atacam as tradições religiosas diferentes

das suas, eu os chamo de bonsais espirituais, aquela

RETO RN AN D O A JO SÉ REIS
CH
AVES

Temos, pois, dois caminhos a seguir:
 o dos dogmas, com a desacreditada
ressurreição da carne,
 ou o da Bíblia, com a ressurreição
reencarnacionista e racional do
espírito,
 Já aceito por 2/3 da população mundial,
segundo a pesquisa da Igreja Anglicana
feita pela Universidade de Oxford, em
212 países.
FIM DA PRIMEIRA PARTE

INÍCIO DA PARTE 2
RENCARNAÇÃO E
RESSURREIÇÃO

 Alegam muitos religiosos cristãos fundamentalistas




que o pagamento de pecados pelas reencarnações
é incompatível com a razão, porque o indivíduo não
se lembra do pecado que está pagando.
A criança não sabe que a panela quente no fogão
queima seu dedo, e, no entanto, ela se queima
assim mesmo sem saber o motivo e sem saber
sequer que ela está cometendo um erro.
--------------------------------------------------------------------Incompatível com a razão é o indivíduo pagar pelo
pecado original de Adão e Eva.
--------------------------------------------------------------------“A alma que pecar, essa morrerá: o filho não levará
a iniqüidade do pai, nem o pai a iniqüidade do
filho”
(Ez 18,20).

 E Deus quis que nós ignorássemos nosso

passado para o nosso próprio bem.
 Se o indivíduo tem uma pessoa de sua família,

vizinha ou colega de trabalho ou de estudo, que,
no passado, foi um seu desafeto ou grande
inimigo seu, ao saber disso, automaticamente se
criaria uma barreira entre os dois.
 Como, pois, haveria um relacionamento

amistoso, de reconciliação e amizade entre eles?
Seria muito difícil acontecer a sua harmonização.
 E um outro tipo de problema poderia haver com

a lembrança de fatos do passado.

 Como se vê, é bom, em todo sentido, nós

ignorarmos o nosso passado, como é bom
ignorarmos também o nosso futuro.
 Aliás, tudo o que Deus faz é bom e mais do que

certo. E, por isso, temos no Velho Testamento
um texto reencarnacionista sobre esse assunto
específico que acabamos de ver:

 “Somos de ontem e nada sabemos” (Jó
8,9).
 Esse ontem não é um passado de 24 horas,

mas um passado longínquo, como se pode ver
pelo contexto bíblico.

 Mas há um outro texto bíblico, agora do Apóstolo


Paulo, muito usado contra a reencarnação.
É quando Paulo fala que Jesus morreu uma vez
só, como o homem morre uma vez só (Hb 9,27).
Esse texto Paulino nada tem a ver com a
reencarnação nem a favor dela nem contra ela.
De fato o homem morre uma vez só “e bem
morrido”. “Aquele que desce à sepultura, jamais
se levantará” (Jó 7,9).
Além desta afirmação do Livro de Jó nos mostrar
como o homem era visto pelos semitas, ou seja,
pelo seu lado fenomênico, material, mostra-nos
também que a ressurreição não é do corpo, mas
do espírito, pois jamais subirá o que desce à
sepultura, isto é, o corpo, a carne.

 Realmente, a ressurreição do corpo é do Credo

da Igreja. Mas a da Bíblia é do espírito.
 “Temos dois corpos, um da natureza e outro
espiritual; ressuscita o espiritual” (1 Co. 15,44).
 Para um dos maiores teólogos católicos da Igreja
da atualidade, o espanhol André Torres
Queiruga, a ressurreição, inclusive a de Jesus
Cristo, é também do espírito. (“Repensar a
Ressurreição”, Ed. Paulinas).

 Quando o espírito reencarna, ele ressuscita

(ressurge) na carne.
 Quando o homem morre, seu espírito ressuscita
no mundo espiritual, até que, um dia, o espírito
fique por lá. “Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no
santuário do meu Deus, e daí jamais sairá” (Ap.
3,12)

 Sobre a nossa personalidade, nós

temos duas: uma geral do espírito, a
que pertence o inconsciente, e outra
particular para cada vida do espírito
na carne, da qual é o consciente.
 E é o consciente que funciona,

quando estamos em vigília ou
estado normal de consciência.
 O consciente não se lembra de vidas

passadas.
 E é por isso que só nos lembramos

de episódios de outras vidas,
quando estamos em estado alterado
de consciência, isto é, o estado em
que funciona o nosso inconsciente.

 Eu, José Reis Chaves, gostaria de dizer para as

pessoas contrárias à reencarnação que ela foi aceita
pelo Cristianismo Primitivo, tendo sido só condenada
no Concílio Ecumênico (553), por influência do
Imperador Justino e sua esposa Teodora.
 Como o fenômeno da reencarnação nunca foi
condenado por Jesus e a Bíblia, pelo contrário, em
Jesus e nela temos várias passagens que falam
direta e indiretamente sobre a reencarnação, não é,
pois, estranho que ela tenha feito parte do
Cristianismo dos primeiros séculos.
 E a própria condenação dela no citado concílio
demonstra que ela era aceita por teólogos cristãos.
E entre eles gostaríamos de destacar São Clemente
de Alexandria, Orígenes, São Cirilo, o Papa São
Gregório Magno, São Justino, autor de “Apologia da
Religião Cristã”, São Gregório Nazianzeno etc.

 Jesus Cristo é o nosso Redentor, no sentido de que

Ele foi o Enviado do Pai para nos trazer a
mensagem do Evangelho. Mas, se fosse o sangue
de Jesus que nos remisse, não precisaríamos fazer
nada.
 Poderíamos nos esbaldar! E o próprio Jesus disse:
“Ninguém deixará de pagar até o último centavo”.
Se fosse, pois, o sangue Dele que nos redimisse,
não teríamos que pagar nem o primeiro nem o
último centavo do preço de nossas faltas!
 E esse ensino do Mestre nos deixa claro, também,
que pago o último centavo, estaremos quites com
a Justiça Divina, não tendo nós que pagar mais
nada, porquanto, a justiça divina é perfeita.
 E isso derruba por completo as chamadas penas
eternas.

 Jesus disse que não veio

condenar o mundo, mas salvar o
mundo. E, como vimos, Ele salva
o mundo com o seu Evangelho.
 Uns querem dizer que o
Espiritismo e a reencarnação
anulam todo o sacrifício de
Jesus. Na verdade, o Espiritismo
não aceita o sangue de Jesus
como sendo resgate de nossos
pecados, mas valoriza, sim, o
sacrifício de sua vinda ao nosso
mundo e de sua morte, tudo
para trazer para nós a
mensagem do Mestre.
 E tanto é verdade isso, que o
Espiritismo incentiva todos a
porem em prática essa
mensagem do Mestre.

 Realmente, é vivenciando o Evangelho do Mestre






dos mestres, que nós vamos nos aperfeiçoando
em nossa caminhada em direção à perfeição do
Pai.
--------------------------------------------------------------“Fora da Caridade não há salvação” (Allan
Kardec).
“A fé sem obras é morta” (São Tiago).
“Posso ter uma fé que remove montanha, mas se
eu não tiver caridade, não sou nada” (São Paulo).
---------------------------------------------------------------E o Nazareno não ensinou que é crendo em
determinados dogmas criados pelos teólogos que
nós nos tornamos seus discípulos e nos salvamos,
mas por nos amarmos uns aos outros como Ele
nos amou.

 O espírita é aquele, pois, que procura seguir o verdadeiro

ensino de Jesus, já que busca, como foi dito, a vivência do
seu Evangelho. E o Espiritismo crê de fato na misericórdia
infinita de Deus, pois, para nós espíritas, essa misericórdia
divina é tão ampla, que Deus nos dá quantas chances
(reencarnações) forem necessárias para a nossa salvação.
 Em outras palavras, para o Espiritismo, a misericórdia
divina é infinita mesmo, ou seja, é incondicional e é para
todo o sempre. É como nos mostra a Parábola do Filho
Pródigo, em que o Pai de Misericórdia está sempre com os
braços abertos para abraçar a qualquer filho seu, pois Deus
não faz exceção de pessoas.
 Basta que um filho seu “entre em si”, como diz a Parábola,
e queira voltar para Ele, pois o Pai, que é perfeito, respeita
totalmente o nosso livre-arbítrio, para quando quisermos,
como quisermos e onde quisermos despertar para a
verdade que liberta, pois somos espíritos imortais e filhos
de um Pai tão amorável, que nos ama mais do que nós
mesmos nos amamos!

 Lutero afirmou que a salvação não depende

de nós;
 A célebre frase que Sto Agostinho disse ter
ouvido de Deus nos diz o contrário:
 "Agostinho, eu te criei sem ti, mas não
posso te salvar sem ti".

 Já a

eternidade, de acordo com a sua

etimologia grega: "aionios", não significa um
tempo sem fim, mas longo e indefinido.
 E há várias eternidades segundo a Bíblia, o que

nos mostra que cada uma delas é de fato
limitada.
 E isso confere com Isaias (57,16): "Pois não

contenderei para sempre, nem me indignarei
continuamente; porque, do contrário, o espírito
definharia diante de mim, e o fôlego da vida que
eu criei".
 É indefinida uma eternidade, porque vai
depender do livre-arbítrio do espírito a sua
regeneração.

 A crença na reencarnação está,

portanto, de pleno acordo com a
redenção.
 E por oportuno, lembremos-nos aqui

de que a reencarnação é a mais
antiga e a mais universal doutrina do
mundo, com 4.200.000.000 de
adeptos, no ano de 2000
(Universidade de Oxford), além de ela
contar, hoje, com o apoio de vários
segmentos científicos.
 Que me perdoem, pois, certas

religiões, mas o que, na verdade,
anula ou condiciona a redenção, não
é a crença na reencarnação, mas a
necessidade de rituais pagos, que
fazem da nossa salvação um
comércio!

A Vida e a Viagem de Trem
Irmão Pedro Eustáquio da Silva ,retorna ao Oriente Eterno
A vida não passa de uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, alguns
acidentes, agradáveis surpresas em muitos embarques e grandes tristezas em alguns
desembarques.
Quando nascemos, entramos nesse magnífico trem e nos deparamos com algumas pessoas, que
julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco, nossos pais.
Infelizmente isso não é verdade, em alguma estação eles descerão e nos deixarão órfãos do seu
carinho, amizade e companhia insubstituível. Isso porém não nos impedirá que durante o
percurso, pessoas que se tornarão muito especiais para nós, embarquem. Chegam nossos
irmãos, amigos, filhos e amores inesquecíveis!
Muitas pessoas embarcarão nesse trem apenas a passeio, outras encontrarão no seu trajeto
somente tristezas e ainda outras circularão por ele prontos a ajudar quem precise.
Vários dos viajantes quando desembarcam deixam saudades eternas, outros tantos quando
desocupam seu assento, ninguém nem sequer percebe.
Curioso é constatar que alguns passageiros que se tornam tão caros para nós, acomodam-se em
vagões diferentes dos nossos, portanto somos obrigados a fazer esse trajeto separados deles, o
que não nos impede é claro que possamos ir ao seu encontro. No entanto, infelizmente, jamais
poderemos sentar ao seu lado, pois já haverá alguém ocupando aquele assento.
Não importa, é assim a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas,
porém, jamais, retornos. Façamos essa viagem então, da melhor maneira possível, tentando nos
relacionar bem com os outros passageiros, procurando em cada um deles o que tiverem de
melhor, lembrando sempre que em algum momento eles poderão fraquejar e precisaremos
entender, porque provavelmente também fraquejaremos e com certeza haverá alguém que nos
acudirá com seu carinho e sua atenção.
O grande mistério afinal é que nunca saberemos em qual parada desceremos, muito menos
nossos companheiros de viagem, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado. Eu fico
pensando se quando descer desse trem sentirei saudades. Acredito que sim, me separar de
muitas amizades que fiz será no mínimo doloroso, deixar meus filhos continuarem a viagem
sozinhos será muito triste com certeza... mas me agarro na esperança que em algum momento

Amigos, façamos com que a nossa estada nesse trem seja tranqüila, que tenha valido a pena e
que quando chegar a hora de desembarcarmos o nosso lugar vazio traga saudades e boas
recordações para aqueles que prosseguirem a viagem.A ùltima viagem do irmão Pedro Eutáquio
da Silva,será sempre lembrada como a viagem do dever cumprido.Membro fundador da ARLS
ACADEMICA UNIÃO UBERABENSE N°3661 - GOBMG ,E EX- VENERÁVEL MESTRE A ARLS ESTRELA
UBERABENSE N°0941 - GOBMG ,Maquinista da Antiga FEPASA,e tendo sido após várias viagem
INSTRUTOR DE MAQUINISTAS,INSTRUTOR DA LOJA SIMBÓLICA ,TANTO DO RITO ESCOCES ANTIGO
E ACEITO COMO DO RITO BRASILEIRO,Seu último ofíciofoi NO CODAU (DEPARTAMENTO DE ÁGUAS
DE UBERABA .VAI EM PAZ AMIGO E IRMÃO A MISSÃO CONTINUA.COMISSÃO PARA MAÇONICA DA
ARLS ESTRELA UBERABENSE N°0941 – GOBMG