MÉTODOS DE CONTROLE

MICROBIANO

Profa Bióloga Esp. Maria Rejane Borges de Araújo
mariarejane@unipam.edu.br

HISTÓRICO
Dessecação e salga;
Fermentação láctica e acética;
Egípcios – embalsamento;
Persas – água em recipientes de prata e
cobre;
 Aristóteles para Alexandre – ferver água;
 Labarraque (1825) – cloro para
desinfecção de feridas;



HISTÓRICO
 Alcock (1827) – cloro no tratamento de
água a ser ingerida;
 Collins (1828) – compostos clorados para
controlar febre puerperal;
 Semmelweiss (1847) – cloro no controle
de moléstias infecciosas;
 Joseph Lister – empregou fenol, técnica
anti-séptica em cirurgias

SUFIXOS • CIDA morte germicida mata os micróbios exceção endósporos bactericida fungicida viricida .

fungistase viriostático .viriostase .SUFIXOS STÁTICO ou STASE inibe o crescimento e multiplicação dos micróbios o crescimento microbiano pode ser retomado bacteriostático – bacteriostase fungistático .

ausência de contaminação . ASSEPTICO Significativa.SUFIXOS SEPSE contaminação microbiana.

Álcool 70%. .CONCEITOS Anti-sepssia ou assepsia .remoção ou destruição de microrganismos vegetativos capazes de causar danos ou infecções Substâncias químicas.remoção mecânica de micróbios em área limitada – Clorexidina. radiação ultravioleta. água fervente.antimicrobianos . Desinfecção.destruição dos patógenos vegetativos em tecido vivo. Degerminação.

destruição de todas as formas de vida (vegetativos e de resistência) .redução de micróbios em utensílios alimentares – níveis seguros de saúde pública.calor suficiente para matar os endósporos de Clostridium botulinum nos enlatados. Esterilização comercial. . Produtos químicos e lavar em temperaturas elevadas.CONCEITOS Esterilização.Vapor de pressão e gás esterilizante. Sanitização.

CONCEITOS Tindalização: manter o material a 100ºC por vários minutos.mais curto espaço de tempo requerido para destruir todos os microrganismos de uma amostra. Tempo de morte térmica (TMT). quando exposta a uma temperatura específica sob condições padrões. repetindo o processo por várias vezes. resfriá-lo a temperatura ambiente e incubá-lo por 24h. .

.tempo para diminuir uma população microbiana de uma amostra em 90%.tempo para que a curva de tempo de morte passe ao longo de um ciclo logarítmico.perda da capacidade reprodutiva. Morte.CONCEITOS Tempo de redução decimal (valor D).

 alvos de lesão celular: enzimas responsáveis pelos processos metabólicos. parede celular. membrana plasmática.  dano irreversível a um gene codificante de uma enzima essencial. .  alteração em moléculas essenciais para a manutenção e sobrevivência celular.Modo de ação dos agentes esterilizantes  formação de substâncias químicas letais no interior das células.

panos de limpeza. carcaças de animais. . Curativos contaminados.Calor seco  Chama direta queima dos microrganismos cinzas. Alças de inoculação  Incineração queima dos microrganismos cinzas.

. instrumentos. agulhas e seringas de vidro.Calor seco  Esterilização com ar quente das estruturas microbianas oxidação Forno temperatura de 170° 2 horas Vidros vazios.

 Vírus da hepatite sobrevive até 30 minutos  Nem sempre confiável .  Endósporos resistem à fervura por mais de 20 horas.  100ºC mata formas vegetativas das bactérias. quase todos os vírus.Calor úmido  Fervura ou fluxo de calor  Desnaturação das proteínas. fungos e seus esporos.

curativos. .  Meio microbiológicos. equipamentos etc. utensílios. soluções. forros.Calor úmido  Autoclave  Desnaturação de proteínas  Método efetivo de esterilização 121ºC todas as células vegetativas e endósporos são mortos em 15 minutos.

Esterilização em autoclaves .

Esterilização de reatores vazios .

Esterilização de reatores com meios de cultura .

Esterilização de reatores com meios de cultura .

válvula de entrada inferior .serpentina ou camisa 9.entrada de ar para o reator 2.Projeto de reatores 1.serpentina ou camisa 11.vapor saturado 3.filtro esterilizante 5.válvula de esgotamento 10.filtro esterilizante V.entrada superior de ar 12.linha de inoculação 7.válvula de segurança e quebra-vácuo 4.selo de vedação do orifício do eixo 6.válvula de amostragem 8.

 Microrganismos resistentes ao calor.Pasteurização  Desnaturação de proteínas  Inicialmente conservação de vinho. sobrevivem à pasteurização  Processos de pasteurização: 1) Clássica 2) HTST – alta temperatura em curto tempo 3) UHT – temperatura ultra elevada .

 Conservação do leite sobre refrigeração.Pasteurização 1) Clássica  Temperatura de 63ºC 30 minutos 2) HTST  Temperatura a 72ºC por 15 segundos  Destruição dos patógenos e diminuição da contagem microbiana total. .

 O líquido flui por um filme.  Resfriado em câmara de vácuo.  74ºC 140ºC 74ºC .Pasteurização 3) UHT  Temperatura 140ºC por 3 segundos.

 Psicrófilos crescem lentamente em temperaturas de refrigerador alteração do aspecto e sabor dos alimentos.  Bactérias patogênicas baixíssimo metabolismo .FRIO  Refrigeração  Refrigerador 0 – 7ºC  redução das reações químicas e possíveis alterações nas proteínas. drogas e culturas.  conservação dos alimentos.

drogas e culturas. .50ºC.  Conservação de alimentos.FRIO  Congelamento  microrganismos dormentes.  Congelamento -90º .  Congelamento lento formação de cristais de gelo rompimento da estrutura celular e molecular.

drogas e culturas .FRIO  Liofilização  Redução das reações químicas e possíveis alterações nas proteínas.  Conservação prolongada de culturas microbianas  Água é removida por vácuo em baixa temperatura.  Conservação de alimentos.

.  Cobalto 60 ou césio 137. embalagens.  Esterilização de pós. sementes. solo. alimentos. produtos farmacêuticos e suprimentos médico e dentários.  Destruição do ADN microbiano por ionização de moléculas.RADIAÇÃO  Ionizante  Raios gama – raio X – feixes de elétrons de alta energia.

 Radiação pouco penetrante superfície. utensílios metálicos. embalagens etc. queimaduras e câncer. .  Desvantagens lesão da córnea.RADIAÇÃO  Não ionizante  Luz ultra violeta.  Alteração da estrutura do ADN e ARN microbiano e provocando danos ao processo de divisão celular. vidraria.  Controle de microrganismos do ar.

 Conservação de alimentos. perda de água  Fungos mais resistentes a baixa umidade e altas pressões osmóticas.PRESSÃO OSMÓTICA  Uso de altas concentrações de sais e carboidratos plasmólise da célula microbiana. .

CONTINUA! .