You are on page 1of 39

Bioenergética

Viviane Nouailhetas

MATÉRIA

ENERGIA

ÁTOMOS
MOLÉCULAS
SUPRAMOLÉCULAS

TRABALHO
ORGANELAS

CÉLULAS
TECIDOS
ÓRGÃOS

INFORMAÇÃO

CALOR

SISTEMAS

VIDA

Modelos do átomo
Átomo de carbono

Átomo de cálcio

polar .Ligações químicas Ligações fracas Ligações fortes Pontes de hidrogênio .ligação covalente Interação hidrofóbica Interação de van der Waals .não polar Interação eletrostática iônica dipolo-dipolo íon-dipolo Estabilização da estrutura Estrutura da cadeia principal .

Estrutura de moléculas biológicas CO2 Insulina água .

Água como solvente Polaridade da molécula de água Pontes de hidrogênio .

5 M) = [H+] [OH-] = Kw Kw = [H+] [OH-] = 1.5 M Constante de ionização Keq por medida de condutividade elétrica da água pura: 1.)(55.log10[H+] . (1.8 x 10-16 M Portanto.0 x 10-14 M2 [H+] = [OH-] = 10-7 M pH = .8 x 10-16) (55.5 M) = [H2O] Keq = Kw = [H +] [OH-] + OH- [H+] [OH-] 55.Processo de ionização da água H2O Keq = H+ [H+] [OH-] (Keq.

Escala de pH pH = .log[H+] .

Reação de neutralização Ácido + Base Sal + Água HCl NaCl + H2O + NaOH Ácido: substância que adicionada à água pura libera íons H+ para a solução Base: substância que adicionada à água pura retira íons H+ da solução Sal: um dos produtos da reação de neutralização de um ácido por uma base Força de um ácido: quanto maior a constante de dissociação de um ácido (Ka). maior a sua força: HA H+ + A- [H+] [A-] Ka = [HA] pKa = .log Ka .

Funções Orgânicas .

Princípios básicos da Bioenergética Mont Blanc: França .

variação da velocidade de hidrólise do ATP .ATP + H20 ATP-ase ADP + Pi + H+ + energia G = -7.3 kcal/mol Filamento Fino G G Trabalho Calor ADP Pi Miosina ATP-ase Filamento grosso Unidades motoras de contração rápida e lenta .

Pergunta fundamental da bioenergética Como garantir a condição abaixo? Produção de ATP Consumo de ATP .

Fluxo energético no organismo Frutas Carne Lacticínios Legumes Verduras Amidos carboidratos lipídios proteínas Consumo de ATP Trabalh o celular Substratos energéticos vias metabólicas Produção de ATP calo r .

Conceitos da bioenergética arredor fronteira sistema fronteira arredor .

Bioenergética processo Sistema no estado final Sistema no estado inicial X = Xfinal .Xinicial X: propriedade que descreve o estado do sistema no estado inicial (antes do processo) e final (depois do processo) contração Músculo relaxado Músculo contraído .

Estados de um sistema Estado estacionário Estado de equilíbrio .

Primeira função de estado Energia interna (E) Conteúdo de energia de um sistema: relacionado à energia rotacional. vibracional e translacional das partículas que compõem um sistema.Einicial . Variação de energia interna: E = Efinal .

Lei da Conservação da Energia Interna Variação de energia interna CALOR TRABALHO (q) (w) E = q .w “A energia do Universo não pode ser criada. apenas transformada” . nem destruída.

menos provável Segunda função de estado: entropia Menor ordem mais provável Estado 1 Maior ordem Lei da entropia e sentido dos processos naturais Estado 2 Estado 3 .

ΔG Menor potencial energético .Terceira função de estado: energia livre (G) Maior potencial energético Variação de energia livre .

Variação de energia livre (G) e os processos naturais sistema Variação de entalpia H Variação de entropia S Variação de energia livre G < 0 Processos naturais geralmente ocorrem com diminuição da energia livre do sistema .

Espontaneidade de uma reação química A + B C + D A + B* k-1 [C][D] KD = k+1 = [A][B] A + B** Energia de ativação C+D A+B G < 0 G > 0 C+D Exergônica A+B Endergônica .

Variação de energia livre e as reações químicas A + B C + D ΔG < 0: reação acima é natural (espontânea) no sentido indicado (reação exergônica) ΔG > 0: reação acima é natural (espontânea) no sentido oposto ao indicado (reação endergônica) ΔG =0: reação está no equilíbrio .

Acoplamento de reações químicas G < 0 exergônic o G > 0 endergônico .

Transferência de energia livre na bioquímica celular Transferência de grupos fosfatos : acoplamento desfosrilação/fosforilação Substrato fosforilado Substrato desfosforilado PO42Substrato fosforilado Substrato desfosforilado Transferência de eletrons: acoplamento de oxi-redução Substrato reduzido Substrato oxidado 2e- Substrato oxidado Substrato reduzido .

Transduções metabólicas Energia potencial Transdução de energia Aumento da entropia Luz solar e nutrientes do meio Transformações químicas nas célula Trabalho muscular Síntese química Trabalho mecânico trabalho osmótico trabalho elétrico produção de luz informação genética Metabólitos e produtos degradados CO2 e H2O e calor .

Fonte direta de Energia Livre Trifosfato de Adenosina (Constante homeostática) Trabalho celular Calor .

Molécula de Trifosfato de Adenosina Miosina é uma enzima (ATP-ase) .

.

Velocidade de uma reação química E + S k1 k-1 ES kcat Produtos Catálise enzimática .

Hidrólise enzimática da sacarose .

Energia de ativação e catálise enzimática .

Parâmetros bioquímicos que caracterizam uma enzima Atividade: quantidade de enzima que cataliza 1 µmol de substrato ou produz 1 µmol de produto Velocidade máxima de catálise Vmax Constante de afinidade da enzima pelo substrato Km .

Efeitos da temperatura e do pH na atividade de uma enzima Temperatura ótima pH ótimo .

Via metabólica Substância 1 Produto (-) Enzima A (limitante) Substância 2 Enzima E Enzima B Substância 5 Enzima D Substância 3 Substância 4 Enzima C .

Exemplos de vias metabólicas .

Visão geral do metabolismo celular .

. preserve o mar e as matas. pois a VIDA depende disso.Se quisermos que as próximas gerações usufruam com plenitude do PLANETA AZUl.