You are on page 1of 26

Psicologia Jurídica e

Direito Civil
Prof. MSc Sandro Rodrigo Steffens
Curso de Direito

1. Quais são as principais características da família patriarcal e da
família conjugal moderna? A família continua sendo importante?

A família patriarcal é baseada na manutenção da
propriedade e de interesses políticos, bem como na
constituição de um núcleo homogêneo, onde
predominava a dominação masculina, a submissa da
mulher, o casamento entre parentes e a negação das
diferenças, já a família conjugal tem o predomínio a
satisfação de impulsos sexuais e afetivos.

A família continua sendo importante no papel de
transmitir a subjetividade, relacionada ao controle e a
expressão dos sentimentos.

2.  a  luz  daqueles  que  estão  diretamente envolvidos no conflito. não será suficiente para a total elucidação de ocorrências futuras?  Porque nesse ramo do direito se lida com as emoções e  não é possível afirmar que as pessoas sentem emoções  de  forma  igual.  podem  sentir  emoções  diferentes  em  relação  ao  mesmo  caso.  Assim. Por que em direito de família uma decisão pode servir de referência para outras situações similares. porém. . devem ser analisados  de  forma  singular.  as  emoções  e  afetos  que fazem parte de cada relação.

  trazem a opinião de um “expert” no assunto. Em que reside à importância da perícia psicológica no direito de família?   Fundamenta-se  na  possibilidade  de  verificar  qual  a  dinâmica familiar e as interações entre os membros de  uma  família.  Tem  o  objetivo  de  trazer  aos  autos  elementos  que  auxiliem  o  magistrado  na  decisão.3. que traz a  realidade vivida pela família. .

sigilo e apresentação dos resultados? . no psicodiagnóstico clínico. não  há interesse em mentiras ou dissimulações.  enquanto na perícia psicológica convocam-se as partes. há dissimulação e mentira de forma  consciente com a intenção de ganhar a causa ou livrarse de punição.Quanto à veracidade. já na perícia  psicológica. veracidade.   . .No psicodiagnóstico clínico a procura é espontânea. Qual a diferença entre psicodiagnóstico clínico e perícia psicológica no que concerne a procura.4.

  .  os  laudos  devem  obedecer  a  rigor  éticos e técnicos..  as  informações  fazem  parte  de  um  processo. modificando não só a  situação  imediata  das  partes  envolvidas. com diagnóstico e prognóstico. . Enquanto no psicodiagnóstico clínico as informações ficam  restritas a quem procurou o atendimento.  que  podem  até  contribuir na criação de jurisprudência. .  .  mas  transformando  a coletividade.No  que  toca  ao  sigilo.Já  no  psicodiagnóstico clínico os  prontuários  de  pacientes  tem anotações diversas conforme a linha teórica adotada.  na perícia psicológica.Na  perícia psicológica.

.  porém  não  fica  adstrito  a  opinião  do  perito. porém. pesa na decisão do juiz. O que expressa o Art. 145 do CPC em relação à atuação dos peritos?   O  juiz  será  auxiliado  por  perito  quando  a  prova  do  fato  necessitar  de  conhecimentos  técnicos  ou  científicos.5.

O juiz está ou não adstrito ao laudo pericial?   Segundo o art.  pode  decidir  com  o  depoimento  das  partes  que  pesa  bastante  também  no  convencimento do juiz.  pode  decidir  com  base  em  outros  elementos  ou  fatos  provados  dentro  do  processo. não está adstrito ao laudo.   . 436 do CPC.6.

 e servem para garantir e fiscalizar o trabalho  do  perito. Qual a finalidade do trabalho do assistente técnico?   Os  assistentes  técnicos  são  indicados  pelas  partes  do  processo.  Assim  as  partes  poderão  fornecer  provas. .  testemunhas e discutir etapas da prova conduzida pela  perícia.7.

8. .  são  convicções  partilhadas  que  não  podem  ser  questionadas  para  que  se  mantenha  o  equilíbrio  do  grupo familiar. e por quê um mito tem tanto poder no âmbito familiar?   -  Os  mitos  fazem  parte  da  dinâmica  familiar.  valores  e  tradições  compartilhadas  pelo  grupo  e  que  tem  função  organizativa  para  o  funcionamento  do  grupo  familiar  e  das  relações  deste  com o meio exterior.  são  uma  união  de  crenças. O que são mitos familiares.   - O conteúdo do mito tem uma dimensão de sagrado ou  tabu.

  os  cônjuges  podem  aceitar  que  o  comportamento  do outro é muito pior do que o é na realidade. querem a libertação de temores e culpas  provenientes de relações anteriores.É um jogo inconsciente que  se  desenvolve  desde  a  eleição  do  parceiro e se aprofunda na relação conjugal. . O que é colusão? Em que reside o maior problema da colusão? O que define a colusão como patológica? . raiva. magoa e infelicidade. O cônjuge passa a  cobrar do companheiro a “promessa” de outrora. uma vez que estão em  jogo  seus  próprios  ressentimentos.  Ambos  depositam  um  no  outro  a  esperança  de  verem  curadas  suas  próprias  lesões  e  frustrações  da  infância de da adolescência.O problema reside na incapacidade parental para tolerar e regular  esses  sentimentos. Ao longo da convivência.  quando  as  expectativas  nele  implícitas  não  se  concretizam.9.  surgem  conflitos e frustrações.  .

  a  busca  da  solução  judicial é o único caminho encontrado para seu enfrentamento. em que se evidencia  a colusão. . p.  afirma que marido e mulher podem vir a  buscar  na  família  que  constituíram  a  satisfação    de  necessidades  pessoais  e  sociais  que  são.. 98). .  um caminho que não necessariamente colocará fim ao mesmo.  mas  a  incapacidade de lidar com ele. . .Isso  se  observa  analisando  os  casos  de  disputa  de  regulamentação  de  visitas  de  filhos.  realizadas  anos  após  a  separação.  muitas  vezes.Bowlby (1988. impossíveis de serem atendidas no casamento.Nas  relações  familiares.  por  sua  própria  natureza.O  que  define a patologia não  é  sua  presença.

Por que é necessária a tutela jurídica nos casos de casamento e separação?   É  necessária  para  salvaguardar  os  direitos  e  garantir  a  punição daqueles que desrespeitarem tais direitos. serve  para  poder  regular  e  ter  algo  que  disciplina  as atitudes  dos pais e familiares perante a justiça. .10.

  Ocorre  uma transferência da responsabilidade para a figura do  juiz. buscando nele solução mágica e instantânea para  todos os conflitos. Explique por que é complicado buscar no judiciário apenas pelo poder “decisório do juiz”?   Porque muitas pessoas esperam que o poder decisório  do  juiz  resolva  seus  problemas  emocionais.   .11.

Por que é nulo o casamento contraído pelo enfermo mental sem discernimento?   Porque o indivíduo. conforme sua enfermidade  pode  ter  comprometida  sua  capacidade  crítica  e  manifestação  da  vontade.  pode  ser  induzido  ou nem saber o que ele está fazendo. .12.

13. .  para  o  filho  não  sentir  tanto  o  divórcio  entre  os  pais. O que expressa o Art. pensando nesse assunto até  deveriam  aumentar. 1579 do Código Civil. a respeito do divórcio?   O  divórcio  não  modificará  os  direitos  e  deveres  dos  pais em relação aos filhos.  que  em  tese  sempre  acaba  prejudicando os filhos.

Ele pode ser ruim ou menos ruim.   .14. A separação seria vista como  uma traição a ideia de que os pais viverão eternamente juntos. O que expressa Gottieb sobre o divórcio? Como dever ser entendido o fim do relacionamento conjugal?   Para Gottieb não existe divórcio que seja bom para os filhos.  O  fim  do  relacionamento  conjugal  deve  ser  entendido  não  só  como um drama judicial.  ainda  que  não  expressamente  denunciados  pelas  partes. mas também como uma situação que  envolve  aspectos  afetivos  e  emocionais  muito  fortemente  marcados.

. Como os litigantes podem entender o papel do advogado. do promotor e do juiz nos processos de separação?   A  parte  que  sente  prejudicada  com  a  decisão  pode  atribuir  a  seus  representantes  a  perda  na  “batalha  jurídica”. O mesmo acontece em relação ao juiz (que é  considerado um “mau juiz” porque não soube ver o seu  ponto de vista).15.

  para  a  criança. já existe por parte dos filhos uma percepção  acerca  do  relacionamento  dos  pais.  do  que numa relação dual.  que  a  separação ocorre por razões ligadas aos pais (descartar  qualquer tipo de responsabilidade da criança pela situação dos    pais).  seja qual for a idade. Cite quais os pontos que devem ser observados na hora de contar aos filhos sobre a separação?  -  É essencial  que  sejam comunicados sobre a decisão .É  melhor  que  a  notícia  seja  dada por ambos.16.  de  seus  conflitos  e  dificuldades. . . pai e mãe. Em geral. isso evita o aparecimento da alienação  parental. .  porque  isso se traduz em respeito à dignidade de cada um deles.É  importante  que  fique  bem  claro.

 que irá  articular  os fatos e a  própria  audiência de modo a atrair para si as atenções que deseja.  -  O  cônjuge  dependente afetivo que  cede  a  uma  separação  consensual  imaginando. evidenciase sobremaneira nas questões relativas à violência doméstica.  mas  não  partilhada plenamente.  ganhar  as  atenções  do  parceiro  e  a  possibilidade  de  reatar  a  convivência  apenas  suportada.  -  O  cônjuge dependente economicamente muitas  vezes  poderá  ceder  em  aspectos  fundamentais  imaginando  que  com  isto  poderá  garantir a manutenção de suas necessidades básicas. Quais são os papéis que os litigantes podem representar em relação ao juiz e ao advogado? -  Há  o cônjuge  manipulador. . em termos de relações de gênero.17. o que.  assim.  - O vitimizado.

. A perícia faz  o papel de um possível incômodo espelho.  como  também  a  exposição de todos os envolvidos a seus próprios conflitos.18. Por que muitos casais são resistentes em suportar perícias e avaliações a respeito da guarda de filhos e visitas?   Porque  esses  procedimentos. capaz de colocar à  luz o que se oculta no psiquismo. que é conduzido no “tempo do  processo.  ainda  que  necessários  para  compreensão  global  da  situação  representam  não  só  uma  demora na solução do litígio. do judiciário” e não necessariamente no” tempo dos  litigantes  e  seus  conflitos”.

  afeto.  mantendo  vínculos que representam referenciais para ela. . ainda existe a necessidade da presença da mãe.  indiscriminadamente. de acordo com os novos arranjos familiares.  quando  permanece  na  mesma escola.19.Até os quatro anos.  que só poderá fazer o trabalho efetivo de compreender o divórcio.  ou  de  colocá-los  separadamente com pai e mãe.  partilhar  da  companhia.Os  fatos  e  necessidades  devem  ser  sempre  analisados  a  luz  da  realidade atual. .  .  cuidados  e  atenção de pai e mãe. o trabalho de divórcio ocorre de maneira muito melhor para ela. Descreva o que é necessário observar no caso da dissolução da união familiar? - Se a criança pode permanecer no espaço em que os pais tinham sido  unidos. O ideal é que todos os filhos possam. se é  muito  pequena.  .  Também  é  necessário  analisar  individualmente  a  possibilidade  de  manter  irmãos com o mesmo cônjuge.

  em  passar  conhecimento e  experiências da vida.20.  deixa  um  déficit.  sobretudo  de  um  contato  corporal  cotidiano  com  ele.  especialmente  nas  conexões  deste  com  o  mundo  externo. .  A  carência  do  contato  com  o  pai.  O  pai  continua  tendo  muita  importância  em  toda  a  vida  do  filho. Em que fase da vida da criança o pai é importantíssimo?   No período dos 6 aos 12 meses o papel do pai é importantíssimo.

  nem  sempre  acessível  às  partes.  tem  o  propósito  de  interpretar  sentimentos  e  transformá-los  em  palavras  no  processo.  a  interdisciplinaridade  com  a  psicologia  jurídica  auxilia  a  revelar  motivações  e  comunicações  latentes  de  um  indivíduo  em  determinada ação. O que significa dizer que a sentença judicial visa solucionar conflitos e não perpetuá-los?   A  linguagem  jurídica.   .21.  Os  juízes  julgam  as  condutas  humanas  e  buscam  dirimir  os  conflitos  baseados  na  lei. como nos conflitos familiares.

 já  existem  decisões  judiciais  que  concedem  indenização  por  danos  morais decorrentes do abandono afetivo. Por que a paternidade não se resume a prestação de assistência material?   As  emoções  que  unem  pais  e  filhos  são  fundamentais  no  desenvolvimento emocional. Nesse sentido.  abandona  afetivamente o filho prejudica-o sensivelmente.22. . social e cognitivo destes últimos. O  pai  que  apesar  de  prestar  assistência  material.

  2009. . MANGINI.Bibliografia  FIORELLI. São Paulo: Atlas. Rosana Cathya  Ragazzoni. Psicologia Jurídica. Osmir José.