You are on page 1of 11

Foro Compartilhe

e encontre
“A participação dos pais nas
escolas”

“Sem pais não há escola”


Revista Pais e Mestres
A participação dos pais nas escolas é,
para além de um desafio, um
complemento pedagógico básico que
os professores devem promover.

Mas, como podemos fomentar essa


participação na comunidade escolar?
Participe do fórum da seção
“Compartilhe e encontre” e conte-nos
suas experiências neste âmbito.

Queremos saber quais experiências


de sucesso podem ser aplicadas em
nossas escolas.
A comunidade escolar não é somente
aluno-professor, engloba as famílias e,
até, a comunidade local.

Como podemos visualizar e


experimentar esta opção educativa?

Que dificuldades e desafios teremos de


ultrapassar?
Como as TIC podem favorecer a
participação familiar, uma vez eleita
como uma indispensável ferramenta
educativa?

Acesse o fórum e conte-nos.


“Atualmente as escolas trabalham intensamente para
fornecer uma educação de alta qualidade a todos os
estudantes, objetivo este difícil de alcançar sem a ajuda e
participação da família e da comunidade. Existem diversas
formas para que os adultos que desempenham um
importante papel na vida das crianças possam participar em
sua educação. Motivos a mais para que os projetos
desenvolvidos na escola contem sempre com uma
indispensável participação ativa dos representantes. Meta
factível de atingir se toda a comunidade educativa estiver a
par das diferentes atividades e projetos que se desenvolvem
nas instituições educacionais”

Norka Arellano de Loginow


Ana Bastidas
Yanmaris Mundo
Universidad Nacional Experimental “Rafael María Baralt ”(Venezuela)
“Cómo participar de manera significativa en la escuela”

http://www.quadernsdigitals.net/index.php?accionMenu=hemeroteca.VisualizaArticuloIU.visualiza&articulo_id=10360
SEM PAIS NÃO HÁ ESCOLA
(Revista Pais e Mestres)

Duas perguntas a respeito da participação dos pais na escola:


Por que as famílias não participam seguindo os parâmetros
estabelecidos formalmente? Quem está interessado que exista,
ou não, participação? As respostas a estas interrogações não
são fáceis de encontrar, já que nelas influem variáveis como
fatores estruturais e ambientais, motivos pessoais e elementos
sócioculturais complexos.

 Além disso, em primeiro lugar não se pode obrigar ninguém a


colaborar em algo em que não se está interessado, mesmo que
exista uma legislação que regule esta participação.

Em segundo, a pergunta sobre a participação obriga a revisar,


tanto a relação de poder entre pais e professores, quanto os
preconceitos que incitam ou inibem a colaboração no sistema
educativo.
Por fim, em terceiro lugar, porque promover o interesse na
participação exige fazer um balanço, avaliar com detalhe os
custos e benefícios que acarretará esta ação. O desejo
primordial das famílias, assim como das instituições
educativas, é a educação integral dos filhos e alunos,
respectivamente. Afinal, a cultura da participação não se
improvisa, requer dedicação, trabalho, resolução de conflitos e
quebra de barreiras, como críticas e complexidades.

Enquanto a comunidade educativa chega a um comum acordo


sobre a definição de participação e colaboração e se
ponderam os custos e exigências que isto requer, cada um dos
envolvidos no processo educativo continuará usando os
parâmetros legais estabelecidos, através dos conselhos
escolares, entrevistas e reuniões. Para otimizar a participação
podem ainda compartilhar atividades de apoio e reforço
paralelas a escola, como festas, por exemplo.
Se quisermos que a participação de todos seja vista não como
uma simples ideologia de consenso ou um programa da Lei de
Ordem Geral do Sistema Educativo na Espanha (LOGSE) ou,
ainda, como um simples recurso metodológico de
aprendizagem, teremos que encarar a participação como uma
meta de aprendizagem mútua, com conteúdos definidos e
estruturados. Só assim desenvolveremos uma filosofia para um
sistema educacional aberto, sem as tais boas intenções
superficiais.

É indispensável a participação das mães e dos pais, não só no


âmbito formal, como também nos corredores, na sala de aula,
em casa..., Esse pode ser um processo que pede paciência,
porque participar se apreende lentamente.
Como podemos fomentar a participação
dos pais de alunos nas nossas escolas?

Que ações de sucesso realizadas no seu


colégio gostaria de compartilhar
conosco?
Que dificuldades e desafios encontramos na atualidade quando
trabalhamos esta opção educativa indispensável?

Como as TIC podem favorecer, ou não, a participação?


Conte-nos sua experiência.

Participe e comente as
mensagens postadas por outros
usuários.