You are on page 1of 43

MODERNIDADE

RENASCIMENTO

EB 2,3 DE VIDAGO/CHAVES

Renascimento - Conceito:


Movimento cultural que se desenvolveu
na Europa ao longo dos séculos XV e
XVI, com reflexos nas artes, nas ciências
e em outros ramos da actividade
humana.
O Renascimento não surgiu em todos os
pontos da Europa ao mesmo tempo; as
cidades italianas foram pioneiras neste
movimento intelectual, que em alguns
países se estendeu até ao século XVII.
O Renascimento teve um outro grande
centro na região da Flandres.
No centro da transformação intelectual
renascentista encontra-se a passagem
de uma mentalidade teocêntrica (isto é,
que colocava Deus no centro da reflexão
humana)
a
uma
mentalidade
antropocêntrica (que tinha o homem
como
centro).
Esta
proposta
correspondia a um reconhecimento e a
uma crença optimista nas capacidades e
no valor do ser humano, contrapondo-se
à visão medieval do mundo.

Renascimento - Conceito:

O termo Renascimento está ligado ao facto de, neste período, os
eruditos europeus terem voltado a sua atenção para as grandes obras
da antiguidade clássica, que consideravam terem sido esquecidas
durante a Idade Média. Nelas encontravam as raízes das questões
básicas que pretendiam desenvolver e respostas a alguns dos seus
problemas. As obras clássicas (na arquitectura, na literatura) eram
também modelo para as obras que pretendiam criar.

O interesse pela cultura clássica está fortemente ligado ao facto de o
Renascimento ter tido início em Itália, uma vez que nesse país os
vestígios das antigas civilizações eram, mais do que noutros locais da
Europa, abundantes.

Ao mesmo tempo, as cidades comerciais italianas alcançaram um grau
elevado de riqueza; os seus príncipes criaram gosto pelo luxo,
pretendendo rivalizar entre si no embelezamento das cidades e no
brilho e animação das cortes, chamando a si artistas e figuras
intelectuais importantes. A estes apoiantes do desenvolvimento cultural
se deu o nome de mecenas.

A Revolução
Renascentista
• Antecedentes: profundas mudanças
económicas e sociais por que
passou a Europa no fim da Idade
Média expressaram-se, no plano da
cultura,
numa
verdadeira
revolução: o Renascimento.
Os artistas, escritores e pensadores
renascentistas exprimiram nas suas
obras a visão de mundo da nova
sociedade que emergia da crise do
mundo medieval.

. pois.IDADE MÉDIA • Na Idade Média. • Os seus temas e valores expressavam uma dimensão religiosa e as relações com Deus. •A Igreja detinha. o monopólio do saber. grande parte da produção intelectual e artística estava ligada à Igreja.

Ideias Básicas da Idade Média • Misticismo • Colectivismo • Geocentrismo • Teocentrismo .

• A Igreja perde o monopólio do saber e a cultura torna-se laica.IDADE MODERNA • Na Idade Moderna. a arte e o saber voltaram-se para o mundo concreto. . para a humanidade e sua capacidade de transformar o mundo.

Ideias Básicas da Idade Moderna • Racionalismo: convicção de que tudo poderia ser explicado pela razão e pela observação objectiva da natureza. • Individualismo: valorização das potencialidades e realizações do indivíduo. • Antropocentrismo: coloca o ser humano – sujeito de seu destino e a manifestação mais perfeita da natureza – como centro das preocupações intelectuais e artísticas. é o centro do nosso sistema. e não a Terra. . • Heliocentrismo: concepção de que o Sol.

criação privilegiada de Deus) – Naturalismo – Cientificismo – Empirismo – Experimentalismo – Inspiração na cultura clássica (mundo greco-romano). .Outras características principais do Renascimento – Humanismo (valorização do ser humano.

desenvolvida ao longo do século XVI e até finais do século XVIII. considerando-se que apenas o Romantismo introduz concepções artísticas radicalmente diferentes. sob uma perspectiva histórica mais alargada. no entanto. para designar uma tendência estética. mais tarde. • A sua linguagem formal. cânones de proporção e medida. corresponder a um movimento unitário ou concertado no tempo ou no espaço. • O classicismo toma por modelos as formas. encontra paralelismos na pintura. sem. ao modernismo. simetria. ao longo do século XIX.Classicismo • Termo cuja utilização se generalizou. e. na arquitectura e na literatura. • O termo classicismo é ainda. tido como abarcando também o barroco e o maneirismo. regras e temas da arte da antiguidade greco-romana (arte como imitação da natureza. importância da mitologia). geralmente por oposição ao maneirismo e ao barroco. equilíbrio. .

por outro. . * Emprego da medida nova: Os humanistas passaram a empregar sistematicamente o verso decassílabo. * Gosto pelo soneto: No Renascimento também foi criado o soneto. . Os seus temas e sua construção traduzem. o espírito de aventuras trazido pelas navegações.a écloga. um tipo de composição poética formado por duas quadras e dois tercetos. . por um lado. denominado então de medida nova. chamadas de medida velha.A LINGUAGEM CLÁSSICO-RENASCENTISTA: A linguagem clássico-renascentista é a expressão das ideias e dos sentimentos do homem do século XVI. já cultivadas pela literatura grega e latina. Essa nova forma de fazer poesia foi chamada "Doce novo estilo".a elegia.a canção. os humanistas italianos recuperaram outras formas.a ode. em oposição às redondilhas medievais. . * Formas de inspiração clássica: Além de criarem sonetos. com versos decassílabos que até hoje é cultivado pelos poetas. reflectem a busca dos modelos literários greco-latinos e dos humanistas italianos. eram elas : .

deuses e personagens da cultura dos Helenos e Romanos. onde muitas vezes o ser amado não tem conhecimento da sua situação e o desejo é aplacado pelo juízo. espiritualizado e racional. . * O uso da mitologia: Um grupo de artistas. A filosofia de Platão exerceu grande influência sobre o Ocidente e sofreu influências das ideias cristãs que imperavam na época. pois valorizava o indivíduo. defendia que a cultura pagã. As obras de arte da antiguidade grecolatina traduziam-se a partir de seres.* Influência da cultura greco-latina: a imitação dos modelos greco-romanos da antiguidade está na base da renovação literária surgida no Renascimento que tomou o nome de Classicismo. espiritual/neoplatonismo: Os autores clássicos buscavam um amor idealizado. era mais rica e expressiva. que se aproximava da verdade absoluta. * Busca do amor platónico. chamados humanistas. anterior ao aparecimento do cristianismo. A partir daí o amor é visto de uma forma distante. elevado.

Diferenças entre o pensamento medieval e o renascentista: PENSAMENTO PENSAMENTO MEDIEVAL RENASCENTISTA Teocentrismo Antropocentrismo Verdade = Bíblia Verdade=experimentação observação Vida material importância - sem Vida terrena e material também é importante Conformismo Crença no progresso Natureza = fonte do pecado Natureza = beleza. onde o homem se insere Ascetismo Hedonismo Dogmatismo Fé diferente da razão .

que deveria ser simultaneamente um poeta. • Nesta acepção.O HUMANISMO • Doutrina centrada nos interesses e valores humanos. . que influenciou a cultura da época nas vertentes literária e artística. resultando na redescoberta. para o ocidente. a par de um grande interesse pela redescoberta das obras artísticas e literárias da antiguidade clássica. • Num sentido mais restrito. um erudito e um guerreiro. Erasmo é um exemplo do humanista renascentista. o humanismo teve origem nos estudos literários levados a cabo nos séculos XIII e XIV por homens de letras como Petrarca. do grande acervo da literatura grega clássica. o termo designa também um movimento intelectual europeu do Renascimento. • Caracterizou-se pela valorização do espírito humano e por uma atitude crescentemente individualista e inquiridora. • Na época. • Estabeleceu-se então o ideal do homem renascentista. o humanismo ganhou maior peso com os estudos de textos literários do passado. sobrepondo-se estes a valores religiosos ou transcendentais.

MODERNIDADE E TRADIÇÃO Origem: O Renascimento teve início na península Itálica. geradora de excedentes que pudessem ser investidos na produção cultural. centro do activo comércio mediterrâneo. Uma economia dinâmica e rica. . era condição essencial para esse movimento.

que serviram de inspiração para muitos artistas. tornaram-se referência para os renascentistas e contribuíram para a formação de seus . A literatura e o pensamento greco-romano. por exemplo.Renascimento na península Itálica foi favorecido ainda pela presença na região de grande número de obras da Antiguidade.

Procurando moldar a imagem da sociedade em que ocupariam posição central. esculturas. firmouse como grupo social de prestígio e poder ao conquistar grande riqueza. investindo dinheiro em palácios. . Com isso. obras de pinturas. oriunda das camadas marginais da sociedade medieval. os burgueses tornaram-se mecenas. buscavam aproximar seu estilo de vida ao da nobreza.BURGUESIA E RENASCENÇA A burguesia. catedrais.

. Foi também um factor decisivo para a formação de uma identidade nacional e cultural entre as diversas populações reunidas sob o domínio de reis. ao mesmo tempo que os renascentistas se dedicavam ao estudo das línguas clássicas. que naquele momento se unificavam. Esse fenómeno foi um passo importante na consolidação das fronteiras entre os diversos Estados europeus.REALEZA E RENASCENÇA A partir do século XIV. diferentes dialectos davam origem às línguas nacionais.

. onde Lourenço de Médicis fundou a Academia. que reunia estudiosos ilustres.RENASCIMENTO E LITERATURA O centro do pensamento humanista na península Itálica – assim como de todo o movimento renascentista – foi a cidade de Florença.

. ensinando-os a conquistar e conservar o poder. nela Maquiavel dá conselhos aos governantes da época. Obra precursora da ciência política.ITÁLIA Um de seus maiores pensadores foi Nicolau Maquiavel (1469 – 1527). autor de O Príncipe.

Foi o primeiro intelectual a ter seu pensamento difundido por meios impressos. Erasmo criticou a imoralidade do clero. Johannes Gutenberg criou os tipos móveis de impressão. nesse período. englobavam Holanda e Bélgica). Em Elogio da Loucura. . no século XV. dando impulso definitivo à publicação em massa de livros e outros impressos. o pensamento humanista alcançou destaque na obra de Erasmo de Roterdã (1467 – 1536). Isso se tornou possível porque.PAÍSES BAIXOS Nos Países Baixos (que. propondo que a Igreja reorganizasse sua acção com base nos Evangelhos.

Shakespeare discute em sua obra os conflitos humanos nas suas mais diversas dimensões: pessoais.INGLATERRA Outro pensador humanista de importância foi o inglês Thomas Morus (1478 – 1535). . sociais. políticas. que na sua obra Utopia construiu a ideia de uma sociedade em plena harmonia. etc. Mas foi nos textos de William Shakespeare (1564 – 1616) que os ideais humanistas se propagaram entre os ingleses.

. Em Portugal. no seu livro. a expressão máxima do Renascimento foi Luís de Camões (1524 – 1580). Dom Quixote. uma crítica contundente à cavalaria medieval. autor do poema épico Os Lusíadas. Miguel de Cervantes (1547 – 1616) fez.PENÍNSULA IBÉRICA Na Península Ibérica.

RENASCIMENTO E ARTES Na Idade Média. os estilos românico e gótico e a arte bizantina tinham função basicamente religiosa. O seu principal objectivo era despertar nos fiéis o temor a Deus e leválos a reflectir sobre a vida após a morte e a salvação da alma. .

O rico burguês contratava pintores para reproduzir a própria imagem cercado por objectos pessoais que serviam para qualificar sua posição de destaque. expressa as preocupações surgidas na sua época com o desenvolvimento comercial e urbano. . ao contrário. Durante o Renascimento surge também o retrato.A arte do Renascimento.

.

.

.

perfeito e belo na sua forma física.Ressurge também a reprodução do corpo humano. geralmente nu. . comum na arte da Antiguidade.

.

.Dentre as novas técnicas de pintura destaca-se a perspectiva – representação do espaço em profundidade -. técnica baseada na geometria. quanto maior a distância entre eles e o observador. de tal modo que. O desenvolvimento da perspectiva expressa uma nova concepção de mundo. que consiste em representar os objectos em três dimensões. menores aparecem reproduzidos na tela.

Principais expoentes: Dante Alighieri. O Trecento é a fase inicial do Renascimento. Francesco Petrarca. Quattrocento (XV) e Cinquecento (XVI). Giotto e Boccaccio. .MARCOS TEMPORAIS Os historiadores dividem o Renascimento na Itália em três períodos: Trecento (século XIV).

A OBRA DE GIOTTO SÃO FRANCISCO PREGANDO AOS PÁSSAROS LAMENTO ANTE CRISTO MORTO .

.

. impulsionada pelo mecenato dos Médicis. Dentre os artistas florentinos desse período destacam-se o arquiteto Filippo Brunelleschi.No Quattrocento. sobressai a escola florentina. Donatello. Fra Angelico e Sandro Botticelli.

A ARTE DE SANDRO BOTTICELLI NASCIMENTO DE VÉNUS ALEGORIA DA PRIMAVERA .

projecto do arquiteto Donato Bramante. no Vaticano. Rafael Sanzio. etc. . Michelangelo.No Cinquecento foi construída a Basílica de São Pedro. Na pintura os nomes mais conhecidos são Leonardo da Vinci. Ticiano.

A OBRA DE LEONARDO DA VINCI GIOCONDA (MONA LISA) SANTA CEIA .

A ARTE DE RAFAEL SANZIO O CASAMENTO DA VIRGEM ESCOLA DE ATENAS .

A ARTE DE MICHELÂNGELO A CRIAÇÃO DE ADÃO MOISÉS DAVI PIETÁ .

RENASCIMENTO E CIÊNCIA Parte considerável dos renascentistas dedicou-se ao estudo da natureza. Os estudos dos fenómenos naturais e da Medicina obtiveram grande desenvolvimento na Escola de Pádua. Com base em experimentos. em detrimento de um pensamento puramente religioso. esses primeiros cientistas construíram um conhecimento elaborado com a razão. . na Itália.

Copérnico revolucionou o conhecimento de sua época.Por lá passaram o polonês Nicolau Copérnico (1473 – 1543) e Galileu Galilei (1564 – 1642). . que concebia a Terra como centro do Universo. Galileu deu prosseguimento a esses estudos. comprovando por meio de observações que o sistema proposto por Copérnico estava correcto.

obtiveram destaque os estudiosos de anatomia e os de circulação sanguínea.MEDICINA Na área de Medicina. .