You are on page 1of 18

TV CULTURA

Critérios de Programação

|  
 | 
  
    
¢ dametos

1) Missão institucional e finalidades da Fundação Padre


Anchieta

2) Diretrizes emanadas do Conselho Curador da FPA

3) Obrigações estabelecidas no Contrato de Parceria com


o Governo do Estado de São Paulo

4) Metas da gestão de Paulo Markun


¢ dametos

1) Missão institucional e finalidades da Fundação Padre


Anchieta

ARTIGO 3°. Constitui finalidade da Fundação a promoção de atividades educativas e


culturais através da rádio e da televisão.

Parágrafo 1°. Expressa-se essa finalidade no produzir e emitir programação de caráter


educativo e informativo, com esta mantendo estrita vinculação os programas
culturais.

Parágrafo 2°. Compreendem-se nessa finalidade:


a) a defesa e o aprimoramento integral da pessoa humana; sua formação critica para o
exercício da cidadania;
b) a valorização dos bens constitutivos da nacionalidade brasileira, no contexto da
compreensão dos valores universais.
¢ dametos

1) Missão institucional e finalidades da Fundação Padre


Anchieta

ARTIGO 4°. Para a consecução de seus objetivos, caberá à Fundação:

I - operar emissoras de rádio e televisão públicas;


II - promover a ampliação de suas atividades em colaboração com emissoras de rádio e
televisão, privadas ou estatais, entrosadas no sistema nacional de radiodifusão
pública, mediante convênios ou outro modo adequado;
III - colaborar com as emissoras de rádio e televisão em geral, na esfera dos interesses
comuns;
IV - praticar demais atos pertinentes às suas finalidades.
¢ dametos

1) Missão institucional e finalidades da Fundação Padre


Anchieta

ARTIGO 5°. Não poderá a Fundação utilizar, sob qualquer forma, a rádio e a televisão
educativas:
I - para fins político-partidários;
II - para a difusão de ideias ou fatos que incentivem recurso à violência, preconceitos
de raça, classe ou religião;
III - para publicidade comercial.

Parágrafo único. Ficam ressalvadas a notícia de subsídios e doações e a possibilidade


de receber recursos e veicular publicidade institucional de entidades de direito
público e privado, a título de apoio cultural, quando do patrocínio de programas,
eventos e projetos.
¢ dametos

2) Diretrizes emanadas do Conselho Curador da FPA

ARTIGO 14. Compete ao Conselho Curador, além de outras atribuições estatutárias:

IV - estabelecer as diretrizes da programação de acordo com as finalidades da


Fundação;
V - zelar por que a programação das emissoras da Fundação se faça por essas
diretrizes;
VI - aprovar a celebração de convénios ou acordos com órgãos ou instituições públicas
ou privadas, concernentes à programação;

ARTIGO 20. Compete ao Diretor Presidente:

XVI - aprovar e orientar a programação das emissoras da Fundação, atendidas as


diretrizes do Conselho Curador;
¢ dametos
3) Obrigações estabelecidas no Contrato de Parceria com
o Governo do Estado de São Paulo

- Ampliação da Produção Independente na grade de programação da TV Cultura


(Cláusula 2ª ² Anexo I)

- De 27% em 2009, até 32% em 2013

- Atualmente, temos 27,7% (produção independente + aquisições nacionais) ou


30,4% (considerando também co-produções nacionais)

- Objetivos: ´...maior diversidade temática e formal dos conteúdos da emissora. A


ação significará um forte incentivo à indústria audiovisual do País, a ampliação dos
investimentos em parques técnicos das produtoras e aumento da oferta de
produtos ao mercado como um todoµ.
¢ dametos
4) Metas da gestão de Paulo Markun
Disc rso de posse, a re ião do Coselho C rador de 14/07/07:

´Nossa programação será eminentemente cultural, educativa, informativa, artística e


inovadora.
´Não será comercial, nem terá fins lucrativos; enfatizará o compromisso com a
sociedade e não com o mercado.
´Não será utilizada para promoção pessoal, de causas religiosas, comerciais ou
partidárias.
´Dará visibilidade e voz às minorias, buscando apoiar processos de inclusão social.
´Estará sempre comprometida com a veracidade, trabalhando no sentido de
universalizar o direito à informação e à comunicação.
´Educação, cidadania e serviços, dramaturgia, cultura e arte, música, meio ambiente,
juventude e infância e jornalismo serão nossas prioridades.
´Abriremos espaço para a experimentação, buscando novas linguagens e formatos, em
favor da solidariedade, da democracia e da paz, para assim expressar a
diversidade brasileira, socializando a produção do conhecimento e fortalecendo a
causa da televisão públicaµ
¢ dametos

4) Metas da gestão de Paulo Markun


Apresetadas ao Coselho C rador em 17/03/08, em relato sobre re ião
do Comitê de Programação em 14/02/08:

‡ Buscar o público jovem

‡ Fortalecer a filosofia de faixas de programação: faixa infantil, faixa jovem, faixa


de documentários, etc

‡ Programação no ar 24 horas por dia

‡ Fazer com que os programas entreguem uma audiência para os programas


subsequentes, buscando nexo entre uma faixa e outra
¢ dametos

4) Metas da gestão de Paulo Markun


Grade 2008

‡ Intervenções em faixas específicas de programação, para fortalecer a


transferência de público de programa a programa, e incrementar a audiência total
da emissora
‡ Preservação e fortalecimento da faixa infantil ² principal geradora de audiência
para a emissora
‡ Incremento da produção independente na grade
‡ Atendimento a demandas de setores sociais/conteúdos excluídos da TV
‡ Ampliação do uso do Teatro Franco Zampari para a gravação de programas
(internos ou independentes)
‡ Redução de custos e simplificação da produção, para menor impacto da
programação sobre a estrutura operacional da emissora
¢ dametos

4) Metas da gestão de Paulo Markun


Grade 2009

‡ Diversificação de formatos, inclusive cobrindo gêneros ausentes ou pouco


presentes na programação da TV pública, como reality show e sitcom.
‡ Experimentação em dramaturgia (projeto ´Direçõesµ) e documentário (faixas
´Janela Brasilµ, ´Grandes Personagens Brasileirosµ e ´DOC-TVµ)
‡ Ampliação da produção independente
‡ Convergência da programação de TV com mídias digitais, em particular a internet
‡ Atualização dos sites dos programas, com a inclusão de ferramentas de
interatividade e colaboração dos internautas.
‡ Mais aproximação e profundidade no relacionamento da programação com o
público
¢ dametos

4) Metas da gestão de Paulo Markun


Plaejameto Estratégico 2009-2010

‡ Incrementar participação da produção independente na grade da TV


Cultura
‡ Promover a integração da TV com as novas mídias
‡ Incrementar o Jornalismo Público com:
- Criação de um novo programa de debates
- Introdução de ´contextualizadoresµ no Jornal da Cultura
‡ Buscar conteúdos e formatos inovadores para a grade
¢ dametos

4) Metas da gestão de Paulo Markun


Plaejameto Estratégico 2009-2010

‡ Propor métricas para acompanhamento de performance dos programas


‡ Coordenar elaboração dos projetos da Virada Cultural, dos 40 anos do
Festival de Campos do Jordão e da Flip
‡ Reestudar grade do segundo semestre, incluindo programas da Discovery
‡ Contribuir para a nova ´embalagemµ da TV
‡ Contribuir para a comemoração dos 40 anos da TV Cultura
Avaliação ² Projetos de Programas
‡ Sistemática proposta pela Diretoria Administrativa e Financeira e seguida
pela Coordenação de Núcleos de Conteúdo e Qualidade

‡ Núcleos de Conteúdo e Qualidade são definidos como a ´porta de


entradaµ dos projetos de programas apresentados à apreciação dos
veículos da FPA

¢LUXO DE ANÁLISE DE PROJETOS ² NÚCLEOS DE CONTEÚDO E QUALIDADE

A análise de projeto de um programa e/ou programete para veiculação (Rádio e TV) é


feita, num primeiro momento, pelo coordenador da área, que avaliará:

Adeq ação a missão: projeto tem que ter, em seu conteúdo, um


ou mais dos seguintes requisitos: educação, cultura,
cidadania, informação com responsabilidade e
entretenimento;
Avaliação ² Projetos de Programas
Idetificação do público alvo: análise do conteúdo

Moderidade do projeto: linguagem, formato, interatividade

Coteúdo iovador: algo diferente, que ainda não foi apresentado

Protagoismo social: se o conteúdo pode ser utilizado como


ferramenta de discussão em grupo ou individual, e funciona como
multiplicador em outros meios.

Prestígio: esta analise poderá ser feita quando o projeto tiver


envolvimento de pessoas ou instituições que agreguem valores na
apresentação, direção, roteiro ou parceria.

Iteratividade com o telespectador: uso de outras mídias


Avaliação ² Projetos de Programas
Após aprovado pelos Núcleos, o Projeto é encaminhado pela Coordenação executiva
para outras providências, a saber:

MARKETING
Avaliação do potencial de captação
Avaliação de atratividade para anunciantes
Avaliação de atratividade para licenciamento

NOVAS MÍDIAS
Planejamento de ferramentas de comunicação por internet e Interatividade:
site, hot site, etc

PRODUÇÃO
Solicitação de orçamento: interno ou produção independente

APROVAÇÃO ¢INAL
Avaliação ² Projetos de Programas
MODELO DE PRODUÇÃO

A escolha do modelo de produção a ser implementado (interno ou externo)


dependerá de alguns fatores:

1. ANÁLISE DE CUSTOS
2. COMPLEXIDADE DE PRODUÇÃO
3. QUANDO A IDÉIA VIER ATRELADA A UMA PRODUÇÃO INDEPENDENTE
4. INVIABILIDADE DE RECURSOS TÉCNICO-OPERACIONAIS INTERNOS
Ações de Programação At ais
‡ Introdução de programa jovem diário, segunda a sexta, com 90 minutos
de duração, em formato radicalmente interativo e colaborativo ² Pensado
para a fruição simultânea em TV, internet e outras mídias
‡ Reintrodução da programação esportiva ao vivo, com a transmissão de
jogos de futebol
‡ Reformatação dos títulos clássicos da grade (Jornal da Cultura, Roda
Viva, Vitrine, Zoom, Repórter Eco, Metrópolis, etc)
‡ Atualização geral de formato de todos os produtos exibidos, sejam de
produção própria ou de terceiros
‡ Introdução paulatina de ferramentas interativas e colaborativas em todos
os programas da grade, de modo a consolidar a integração entre TV e
Internet
‡ Manutenção e ampliação de parcerias estratégicas com canais provedores
de conteúdos (Canal Futura, TV Brasil, SESC-TV, Discovery Channel, BBC)

EM SÍNTESE - B sca de prod tos ovos e atraetes, como codição para a


atração de ovos rec rsos de apoio c lt ral e patrocíio